Arquivo do autor:Mulheres contra o feminismo

A mulher e o ex-PM na porta do banco.

Padrão

PM puxou com força a médica em agência na Vila Olímpia (Foto: Reprodução/YouTube)

Vamos analisar o caso que  aconteceu em 1º de agosto do ano passado, mas ganhou notoriedade nesta semana após um vídeo sobre a ocorrência cair nas redes sociais. As imagens mostram um então soldado (hoje ex- soldado) conversando com a médica Claudia Moss na entrada da agência. Depois de pedir para ela sair do banco para falar com ele algumas vezes ele a puxa com as duas mãos. A médica perde o equilíbrio e cai no chão, mas se levanta e tenta novamente ir ao interior do banco. Em meio à gritaria de outros clientes, o policial impede sua entrada e ela é retirada de lá. “Senhora, eu posso usar de força para tirar. Eu te chamei dez vezes”, afirma o soldado na gravação.

A mulher acionou a PM após a porta giratória do banco bloquear sua entrada. Claudia disse, no Facebook, que os armários na entrada estavam “lotados ou quebrados” e que seguiu a orientação do segurança. As feministas começaram a falar que isso é machismo,o pessoal da esquerda que é culpa do capitalismo, da ditadura e tudo o mais. Aquela mentira esquerdista de sempre.

O que aconteceu neste caso?

Primeiro que é muito fácil analisar tudo com calma atrás do computador. Na hora com o tempo passando, pressão das pessoas, o stress e o papel de autoridade sendo questionada em um lugar que adora bandidos como o Brasil as coisas mudam.

Segundo, a porta do banco trava muitas vezes e nem sempre é culpa do guarda. Tudo funciona baseado no sistema automático de segurança do banco. Esta médica não foi a primeira e nem vai ser a ultima pessoa a passar por isso e sofrer com estas portas. Bancos possuem dinheiro e com o nível de criminalidade do Brasil nada mais lógico que tentar prevenir o crime de modo impessoal e muitas vezes frio. Assim são os sistemas de segurança.

Terceiro, a mulher estava alterada pois estava no meio da porta sem poder entrar nem sair por um bom tempo. Outros clientes pressionavam ela e o guarda.  Sem calma e tendo que receber ordens estourou.

Quarto, o policial tentou argumentar mas também se alterou e perdeu a paciência. Talvez seja um mal dos policiais brasileiros que vivem sobre stress e sem o apoio do povo que adora defender bandido. O policial  estava fazendo o seu dever mas poderia ter agido de outro modo. Um lembrete? Para quem condena a policia sempre deveriam pensar se esta senhora fosse uma criminosa. Faltou tato do PM mas ela em nada colaborou.

O que vai acontecer agora? O que sempre acontece aqui no Brasil. Os esquerdistas e as feminista vão  jogar guerra entre classes em tudo o que aconteceu, que o PM oprime o povo pobre ( o PM com o seu misero salário oprime uma médica??). Vão dizer que ele fez isso nela por ser mulher pobre e oprimida. Se ela fosse negra e ele fosse branco iria ser racismo. Irão usar de jornalismo marxista cultural para condenar tudo que é policial, nossos artistas MPB esquerda caviar vão até defender bandido e lembrar do tempo da ditadura, etc.

Vale destacar que a cultura brasileira tem esta falha. Odiamos policiais. Adoramos bandidos. Por outro lado a cultura militar no Brasil também possui uma falha grave. Pararam no tempo. Lemos o livro Guerra Irregular de um oficial das forças especiais do Brasil. O autor explica os diversos tipos de guerra, guerra irregular, terrorismo, etc. O que acontece neste caso podemos explicar o caos no Brasil. Sabemos via o blog Mentes de Comandos que existe diferença entre forças policiais e forças armadas. Mas o principio da guerra irregular afeta ambos. No atual caos no mundo e em especial aqui no Brasil não se sabe quem é amigo ou inimigo. Não existe uma lugar de batalha e todo mundo pode ser um inimigo. Intelectuais usam guerra entre classes negando o senso e fazendo tudo virar opressor x oprimido. Tudo é usado para afetar a opinião publica. Observem como os traficantes pedem para o povo da favela provocar e filmar a reação dos militares na favela. Tudo isso para afetar a opinião publica e virar o jogo. Este caso mostra mais um policial tem falta de treinamento neste sentido pois a antiquada cultura militar brasileira impede ver o todo.

O pessoal feminista esquerdista vai adorar.

O antifeminismo certeiro de Camille Paglia

Padrão

Camille Paglia é mais uma daquelas mulheres que fala verdades que acaba com os argumentos feministas. Camille percebeu o que o movimento feminista fez as mulheres de hoje: a geração que se torna a cada dia mais infantil, que somente reclama e que tem h0je como principal objetivo pregar o movimento esquerdista para mulheres (feminismo) mostrando as seios de fora e escapando da Gillette para fugir da “opressão”. Tudo isso teclando do seu I-phone regado ao funk carioca feminista, vulgaridade e marxismo cultural. Marcuse definitivamente parece ser o pai das feministas.

Camille talvez tenha percebido com a idade que uma parte da geração dela  ajudou a estragar ainda mais as mulheres com o tal dito feminismo. Camille difere muito do perfil do perfil de mulheres antifeministas defensoras do modelo familiar ameaçadas de morte pelas feministas como Erin Pizzey mas mesmo assim é um calo no sapato das feministas. O feminismo de fato  não aquele da propaganda e sim é aquele que prega o incesto (sexo entre pais e filhos), ameaça de morte quem se diz contra o feminismo, possui uma inveja do membro masculino, prega o fim de pessoas negras e se esconde no vitimismo para manter o seu poder. Tudo para destruir os valores Ocidentais. Procurem em outros posts os absurdos cometidos por feministas. Deveriam ser presas.

Mas porque Camille é certeira quando critica o feminismo?

Simples. Ela prega a auto-responsabilidade sem vitimismo. Todas pessoas adoram as lindas palavras “liberdade, igualdade” usadas por esquerdistas em geral mas sempre fogem na hora da responsabilidade e da realidade.  Feministas vivem de utopia como se o mundo real fosse uma fantasia musical de um hippie sonhador. Feministas são especialistas nisso. Querem dar, distribuir, não se prevenir mas querem abortar e matar um inocente. Querem andar peladas nas ruas como se isso fosse normal e querem respeito. Querem punir o crime com flores e rosas. Negam crimes cometidos por mulheres. Relativizam a moral e a cultura mas reclamam da nossa sociedade cada vez mais violenta. Quando outras culturas abusam de mulheres, homens e menores de idade culpam a TPM. Odeiam a civilização Ocidental mas não querem ir morar no Iraque. Feministas muitas se assemelham com o marxista psicopata imbecil do BBB Jean Wyllys. Ambos defendem a mesma agenda doentia e fedem a hipocrisia do esquerdismo caviar.

A  cada geração as feministas ajudar a degradar mais a sociedade. E infelizmente outras mulheres muitas vezes desavisadas caem nesta propaganda pagando caro por isso com um futuro sombrio. Hoje podemos ver mulheres que não aceitam a sua feminilidade e os seus limites pois o feminismo disse que “podemos fazer tudo”, “somos Deusas”. Milhares de adolescentes mantidas pelos pais entram nessa. Vemos outras mulheres que querem competir com o homem em tudo, sendo chatas e infantis. Mulheres que no auge da beleza se comportaram de maneira vulgar e que com o tempo sentem falta de um ombro amigo e sofrem para ter um companheiro pois estes fogem de compromisso com mulheres deste tipo. A alegria destas se baseia depois de uma certa idade em escrever no facebook posts das estrelas, cuidar de filhos dos outros pois elas foram incapazes de ter uma família pois o instinto materno virou “opressaummmm”. As raras feministas que geram filhos que sobreviveram a ideologia feminista do aborto usam tais anjos como experiências de obras de engenharia social. 

Muito comum encontrarmos hoje uma mulher que fale da falta de um homem cavalheiro como o pai, o tio, etc. Outras falam que falta homem no mercado. Camille Paglia tem a resposta pra isso. Hoje as simpatizantes do feminismo pecam pelo ego elevado. Escolhem tanto como se fossem perfeitas e sem falhas, afastam quem talvez as ame e acabam sozinhas. O Ying que por escolha afeta o Yang.  Sendo que Ying e Yang não são iguais e nunca serão pois os diferentes se complementam. Sim. O feminismo criou mais mulheres infelizes que  demonizam os homens e atributos masculinos e incetivam a imagem do homem feminino que deve ter vergonha de ser homem por acreditar no falacioso argumento esquerdista da igualdade. Nunca foi segredo que o movimento feminista defende a agenda esquerdista e gay como regra base. Logo, os homens que entram nesta propaganda mentirosa para serem aceitos se tornam cada dia mais afeminados ao mesmo tempo que as mesmas mulheres querem um “homem de verdade”.

O feminismo gerou mais neuroses, mais infelicidade, mais raiva e revolta entre qualquer tipo de classe como sempre foi o seu objetivo. Camille Paglia passa longe de ser uma Erin Pizzey mas sempre foi certeira neste ponto.

Meninas novas vítimas do feminismo e relativismo moral. O futuro da mulher moderna?

Padrão

funk pikachu feminismo

Cada dia estamos mais chocadas. Existem muitas filmagens feitas mostrando meninas rebolando ao som do funk carioca. Cantando (se podemos chamar isso de cantar) palavras vulgares. Meninos idem. Meninas e meninos menores de idade muito novos. Muitas pessoas odeiam o funk carioca por sinal por motivos muito claros. Mas as feministas adoram o funk por que este vai de encontro a agenda feminista e por ajudar a pregar o mito do bom selvagem de Rousseau. Uma grande amostra de feminismo, relativismo moral, cultural e nacionalismo imbecil.

Não são apenas as feminazis mas todos os progressistas defendem o funk como “puro exemplo de cultura nacional”. Logo esta turma fala das liberdades individuais MAS SEM FALAR DA RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL. O discurso do politicamente correto é não reprimir a sexualidade das pessoas (como dizia o marxista cultural Herbert Marcuse) e então assistimos horrores como estes sendo tratados como normal. Cada dia mais cedo as pessoas entram nesta conversa. Menores de idade, meninos, meninas sendo presas para estas ideologias. Mas falar de bons valores? Nada, isso oprime o “povo” que expressa a pura “cultura brasileira”. Criticar? Isso  é “moralismo e ficar censurando a vagina alheia” e e assim vai. Todo aquele lixo relativista moral esquerdista pregado por desonestos intelectuais, covardes ou pessoas desinformadas cegas por um nacionalismo antiquado. Mas todos percebemos que a cada dia que passa os valores se invertem mais no mundo embora em muitos casos o Brasil parece ser o primeiro neste assunto.

Devemos perguntar quem quer isto. Quem quer jovens assim. Quem quer toda esta inversão de valores. Estas meninas serão esposas, namoradas, mães. Os meninos serão maridos e pais. Irão ter filhos e filhas. Como vai ser o modelo familar do futuro?

Usar esmalte Risqué virou “opressaum da CIA machista”mas sair suja e menstruada é luta feminista

Padrão

Por estes dias usar esmalte Risqué virou “opressaum da CIA zelitebranca capitalista machista hetero”mas sair suja e menstruada, parar de se depilar e pintar as axilas? Isso é o mais um exemplo de luta feminista contra o sistema. Assim querer urinar como homem,  como atacar quem luta contra o feminismo mesmo se mulher, os protestos doentes das marcha das vadias, seguir gurus feministas loucas que pregam raiva e revolta, apoiar o incesto, abortar, pregar o estupro de quem luta contra o feminismo, etc e etc. Absurdos da doentia agenda da seita feminista em busca do seu mundo melhor.

Mas claro. Usar absorvente é “coisa de machista”. Homens usam absorvente? Não, logo não vou usar. Se eles fazem eu quero fazer também mimimi.” Inveja? Não. Dane-se a biologia. O fato é que feminismo mistura inveja, infelicidade, raiva do feminino e do masculino em uma utopia em busca de uma igualdade mentirosa e sem sentido. Adiciona-se revolta, amargura, trauma e muito marxismo em um mix perigoso . Nesta foto podemos ver feministas  usando calça branca durante o ciclo menstrual SEM USAR ABSORVENTE como forma de protesto contra o “capitalismo opressor financiado pela CIA e pela beleza machista dazelite”. E tudo isso parece normal. Mas um esmalte fazer uma campanha bonita com homem no meio? Segundo feministas pura “opressaum”. E podemos notar muito recalque das feministas militantes defensoras do lesbianismo. Aquela inveja e recalque que somente elas possuem, entenderam?

A Campanha da Risqué “Homens que amamos” é mais uma prova cabal da histeria, falta do que fazer e vitimismo dessas criaturas abomináveis com mentes doentias que deveriam estar presas em hospitais psiquiatricos mas hoje ditam regras, doutrinam adolescentes quando não são professoras em escolas e universidades. Como bem disse uma leitora “bons tempos quando as psicopatas eram internadas para não pregarem suas loucuras doentias”. Hoje elas andam livres pelas ruas falando absurdos e por politicamente correto devemo achar normal, certo? Negativo. Feministas devem escutar as verdades quando mentem e fazem terrorismo mental.

Voltando a campanha…..A empresa criou uma campanha homenageando pequenos gestos românticos que os homens fazem que nos deixam felizes. As feminazistas, para não perderem o costume, se indignaram porque esses tais gestos não seriam “mais do que a obrigação” e mesmo assim “insignificantes perto do machismo da sociedade dazelite branca opresssora hetero financiada pela CIA”. Observem a volatilidade de pensamento destas doentes mas que nunca foi novidade para quem entende a mente de pessoas do movimento esquerdista feminista:

-Se o homem se torna um ser bruto, machismo mimmimimi
-Se o homem faz gestos fofos, machismo mimimimi
-Se o homem vira afeminidado para agradar porque umas idiotas dizem isso, machismo ou falta homem no mercado mimimimi
Resumo: sempre mimimimimimimimimi…

É impressionante a amargura que a alma de uma feminista carrega.  O mais curioso é que feminista sequer depila as axilas, defende a obesidade, evita de usar absorvente, luta contra o belo mas pinta as axilas e por que raios estão preocupadas com os nomes dos esmaltes? Muitas por sinal nem gostam de homens e preferem o lesbianismo.

O motivo? O feminismo vive de guerra e ódio entre as pessoas. Exaltar o romantismo, o amor, harmonia, o respeito e a dignidade humana é uma afronta para estas imbecis. O feminismo está sempre tentando roubar o romantismo, a cordialidade e a gentileza da relação entre homem e mulher. Como se fosse um pecado mortal para o homem cortejar. E para a mulher cortejada, uma ofensa. Como se os homens fossem obrigados a nos amar sem que tivessem que se encantar conosco (e vice e versa).O movimento está sempre tentando extirpar a feminilidade condenando a mulher a assumir postura cada vez mais masculinizada. Muitas se isolam pois sofrem com a censura coletiva feminista ou ficam depressivas como acontece em sociedades feministas. O mundo perfeito que nunca chega pois nunca existiu. Triste fim mas resultado de uma arrogante escolha de seguir gurus feministas e esta seita destrutiva.

Sabe quando uma mulher normal (equilibrada) poderia ser feminista? N.U.N.C.A. Jamais. É impossível preservar a sanidade defendendo ideais feministas e a agenda feminista que sempre desmascaramos aqui. Não dá, ou você é normal/equilibrada ou você é feminista. E a cada dia, isto está ficando mais evidente. A agenda feminista nasce de uma obra de engenharia social que a cada dia mostra mais a sua face e os seus absurdos. Por isso devem ser desmascaradas sem pena.

De qualquer forma, parabenizamos a iniciativa da empresa que de forma especial exaltou características masculinas próprias de homens de classe. Lamentamos, feministas: a campanha não foi feita para um público que se define como “vadias”, “putas”, “dou pra varios e sou funkeira” e que defende regimes assassinos, crimes, o incesto e o estupro de mulheres que lutam contra o feminismo

Ajude a publicar o livro “O outro lado do feminismo” no nosso idioma

Padrão

Cara leitora e caro leitor. Estamos fazendo parte de uma campanha e pedimos a ajuda de pessoas que lutam contra o feminismo. Participamos de uma campanha para publicar o livro “O outro lado do feminismo” no nosso idioma.

Como ajudar?

Escolha sua recompensa, faça sua contribuição e compartilhe nossa campanha em suas redes sociais. Nos ajude a publicr o livro “O outro lado do feminismo” no nosso idioma. Toda divulgação é fundamental para o sucesso desta empreitada. 

Mas do que se trata o livro O outro lado do feminismo?

As autorAs  sra. Schlafly e a sra. Venker desacreditam na propaganda feminista de que o feminismo moderno tem tudo a ver com igualdade. Elas mostram a verdade que esconde na propaganda feminista. Com meticulosidade devastadora, elas desembalam as várias razões pelas quais tão poucas mulheres hoje em dia estão dispostas a reivindicar o rótulo de “feminista”. O “feminismo” não é nada mais que a “esquerda feminina” direcionada a impor uma agenda esquerdista e radical às famílias, aos negócios e às instituições. Segundo, a promessa feminista de que as mulheres podem simplesmente ser como homens e desfrutar de tudo o que os homens tipicamente fazem – como sexo casual, longas horas no trabalho, menos tempo com a família – se provou vazia. Sofrimento, relações despedaçadas, casamentos fracassados, doenças sexualmente transmitidas, aborto e índices vertiginosos de crianças emocionalmente feridas tem sido o verdadeiro legado do feminismo. E a história completa você encontra em O Outro Lado do Feminismo.

Os direitos de tradução para o Brasil já estão garantidos. Agora só depende de cada um de nós para que este audacioso projeto venha ao mundo. Nos ajude nesta batalha para combater o feminismo. Clique no link abaixo para colaborar e nos ajude a divulgar.

http://www.kickante.com.br/campanhas/o-outro-lado-do-feminismo

Violência doméstica: O mito da violência contra a mulher feita por meninos e homens

Padrão

Em uma campanha anti-violência contra a mulher, um jornalista pede que garotos de seis a onze anos deem um tapa em uma menina. Todos os garotos se negam a fazer isso e rasgam muitos elogios a garota. Para muitas pessoas isso é algo comum. Mas para as feministas e idiotas úteis é uma amostra de que o mundo é opressor contra a mulher e que o dito jornalista criador da campanha é um machista estuprador em potencial que fez nada mais que o seu dever. Interessante notar que o jornalista apesar de  querer passar uma mensagem bonita acaba alimentando ainda mais o mito da violência doméstica que enxerga os homens como “maus, opressores” e as mulheres como “coitadas, oprimidas”em mais um exemplo de guerra entre classes via filosofia do tio das feminazi Karl Marx.

Mas qual é o mito desta campanha? Vamos desmascarar todos.

1/Homem bater em mulher é algo normal desde cedo?  O primeiro mito é que bater em mulher é algo comum e normal .Mentira. Assim como os meninos não quiseram bater na mulher muito homem igualmente não quer. Se fosse comum nós iríamos apanhar com hora marcada por “direito do homem em nos bater”. Meninos iriam bater em meninas por instinto. A propagnda em si desmistifica este ponto. Os meninos são fofos e super educados com a garota. Podemos ir mais longe. Isso acontece faz muito tempo.  Existem inclusives ditados bem antigos que afirma que “Em mulher não se bate nem com uma flor” e outros mais.

2/ Os homens são violentos opressores machistas capitalistas que oprimem a mulher?

Mentira. Erin Pizzey comprovou que a violência doméstica é igualmente praticada por homens e mulheres. Homens violentos atraem mulheres violentas e vice-versa.

3/ Os homens são mais fortes fisicamente e logo batem mais nas mulheres que são mais fracas ?

Aqui as feministas caem do cavalo mais uma vez. Argumento a) Se somos todas e todos iguais e a biologia “opressora” é mera construção social como que agora para favorecer as mentiras feministas o homem é mais forte?? Decidam-se, feminazi. O fato real é que homens e mulheres NUNCA serão iguais e que a maioria dos homens é mais forte mas NEM TODOS são mais fortes.

Argumento b) Nem sempre o mais forte é o agressor e a pessoa mais fraca é a agredida. E em casos aonde existem objetos, arma de fogo ou facas que viram armas e pouco adianta ser forte? E quando usa-se de manipulação emocional para contratar terceiros para bater em outra pessoa? E o terrorismo e a violência psicológica aonde mulheres sempre superam os homens e usam os filhos muitas vezes? Erin Pizzey também achou nas suas pesquisas que mulheres são mais violentas com idosos e menores de idade.

Obviamente as feministas nunca falam sobre o assunto pois elas usam do jogo marxista da guerra entre classes para atrair mais seguidoras. A culpa é do homem, dos meninos, do masculino. Por isso elas atacam mulheres como o nosso grupo, Erin Pizzey, Simone Alvim e tantas outras que lutam contra as mentiras do feminismo.

Vejam uma especialista sobre o assunto, Simone Alvim, a Erin Pizzey brasileira que desmascara as mentiras marxistas das feministas.

 

Aprendam com Luciana Genro: esquerdismo é feminismo e feminismo é esquerdismo

Padrão

luciana genro feminista

A patricinha rica- feminista- gaúcha e apoiadora da feminista Dilma, Luciana Genro mostra como o feminismo é esquerdismo e esquerdismo sempre foi feminismo no seu facebook. Para quem leu este artigo no nosso blog (cliquem aqui ) nada  disso é novidade. Bom notar que a  feminazi Luciana Genro é a mesma que apoia ditaduras e um regime racista, que mata e tortura homossexuais e estupra mulheres como é o regime cubano e que ela possui heróis esquerdistas como o estuprador, racista e homofóbico Che Guevara.

Print retirado do facebook da patricinha rica- feminista- gaúcha- defensora de mais poder ao governo e apoiadora da feminista Dilma Luciana Genro.