Arquivo da tag: mulheres antifeminismo

Loucura: Nova Iorque aprova o aborto até 9 meses de idade

Padrão

Sempre avisamos aqui a olhar com cautela muitos modelos de conduta vindo do exterior.

Pois bem, o Senado do Estado de Nova York (Estados Unidos) aprovou por 38 votos contra 24 uma nova lei do aborto que permitirá esta prática durante toda a gravidez. Ou seja, o ser humano no ventre da mulher pode ter sido completamente formado e a mulher tem o direito de abortar um dia antes desta pessoinha nascer.

A Lei de Saúde Reprodutiva foi aprovada na terça-feira, 22 de janeiro, depois de uma disputa legal que começou em 2007.

Esta norma permitirá aos profissionais de saúde, como praticantes de enfermaria e médicos assistentes, que realizam abortos. Além disso, endossa o aborto tardio em qualquer momento.

Isto sempre foi defendido pela esquerdista americana Hillary Clinton e o seu grupo de feminazi.

O estado americano assim se torna o ícone da barbárie mundial com direito a comemoração com luzes rosas em prédios da cidade.

Voltamos a era dos Maias e nazistas, que matavam os deficientes ou indesejados assim que nasciam. Uma amostra clara de eugenia pura.

As “luzes” deveriam ser da cor vermelha, de sangue.

Enquanto isso na Europa os seguidores do Islam possuem muitos filhos que seguem a lei da Sharia e os europeus tem poucos filhos ou preferem ter cachorro, gato e assistir Netflix.

Quem vai herdar a terra?

Repitimos: SEMPRE BOM olhar com muita CAUTELA muitos modelos de conduta vindo do exterior. 

Evitem a propaganda das assassinas feminiazi que fogem da responsabilidade. Aborto sempre vai ser assassinato.

Mulheres contra o feminismo polonesas: “é hora de mostrar às feministas que a sua ideologia é estúpida e danosa para todas as mulheres.”

Padrão

Mulheres do mundo acordam contra o tumor chamado feminismo. Enquanto tem feminista esquerda caviar na Europa defendendo terrorista (as sufragetes), tem mulher inteligente desmascarando o feminismo. Interessante notar que a Europa Oriental que por anos sofreu com o comunismo tem mostrado pessoas que lutam abertamente contra movimentos ligadas a esquerda como o feminismo, justiceiros sociais que querem abrir fronteiras para o Islam e outros absurdos.

Um vídeo produzido pela página polonesa idź Pod Prąd tem feito sucesso nas redes sociais. Postado em 5 de fevereiro, o vídeo já teve mais de 650 mil visualizações e 6,9 mil compartilhamentos apenas na página que o postou e traz o depoimento de várias mulheres polonesas contra o feminismo.

Como uma entrevistada cubana falou uma vez: quem viveu em regimes de esquerda valoriza o conservadorismo e livre mercado.

Infelizmente na Europa Ocidental ainda tem imbecil apoiando o feminismo e outros absurdos mas bem menos que antigamente.

Notem a bonita mensagem das mulheres contra o feminismo polonesas:

“O feminismo tira do homem a oportunidade de ser forte, guiar o caminho e proteger a mulher. E tira da mulher as suas características naturais, como graciosidade, beleza, sensibilidade e o direito de ser frágil. O feminismo força a mulher a provar que pode ser igualzinha aos homens”, diz umas das mulheres que aparecem na produção.

Uma mulher diz que “é maravilhoso pedir ajuda a meu marido e saber que sempre posso contar com ele”. “Não consigo imaginar uma situação em que eu precise proteger meu esposo. Ser esposa e futura mãe faz com que eu me sinta realizada”, diz outra. “Desenvolva suas paixões, respeite a si mesma, respeite o seu corpo e, acima de tudo, comece a pensar”.

“Deus criou você de um jeito tão lindo. Deixe assim”, diz outra mulher. “Uma mulher não tem que mudar nada. Ela sabe que é uma mulher. Não sente falta de nada”. Outra afirma que o feminismo “é não-feminino”.

“O feminismo é idiota. É contra o bom senso”, diz outra participante. “Acho que hoje em dia as mulheres perderam a sua feminilidade, porque tentam se colocar no lugar dos homens”, afirma outra. O vídeo promove o slogan “Sou uma mulher, #NãoUmaFeminista”.

Assista abaixo \/

Página

A página idź Pod Prąd, que significa “Contra a corrente”, diz que oferece “pontos de vista que estão em conflito com as opiniões comumente promovidas”. “O mais importante, no entanto, é que queremos descrever a realidade não da perspectiva da teologia, dos dogmas ou do ensino variável das igrejas, mas com base na Palavra de Deus, a Bíblia”, diz o texto de apresentação da página.

“Deus não encaminhou as Sagradas Escrituras para a casta dos sacerdotes ou professores de teologia. Ele os escreveu como uma carta endereçada diretamente a você!”, diz o texto. “Por muitos anos em nossa terra natal, a noção de cristão foi fortemente desacreditada”, o que se deve, segundo a página, à ação de “fariseus religiosos” que ostentam o título de cristãos.

“Gostaríamos de dizer que não estamos interessadas no mundo projetado pelas feministas. Pouco nos importam a ideologia de gênero, as teorias queer, o ecologismo e suas outras ideias esquerdistas. Não queremos que nos digam o que devemos ser”, diz o texto que acompanha o vídeo. “É hora de mostrar às feministas que a sua ideologia é estúpida e danosa para todas as mulheres. É hora de mostrar às mulheres normais que há milhões de nós”.

Fonte: Sempre Família

O antifeminismo certeiro de Camille Paglia

Padrão

Camille Paglia é mais uma daquelas mulheres que fala verdades que acaba com os argumentos feministas. Camille percebeu o que o movimento feminista fez as mulheres de hoje: a geração que se torna a cada dia mais infantil, que somente reclama e que tem h0je como principal objetivo pregar o movimento esquerdista para mulheres (feminismo) mostrando as seios de fora e escapando da Gillette para fugir da “opressão”. Tudo isso teclando do seu I-phone regado ao funk carioca feminista, vulgaridade e marxismo cultural. Marcuse definitivamente parece ser o pai das feministas.

Camille talvez tenha percebido com a idade que uma parte da geração dela  ajudou a estragar ainda mais as mulheres com o tal dito feminismo. Camille difere muito do perfil do perfil de mulheres antifeministas defensoras do modelo familiar ameaçadas de morte pelas feministas como Erin Pizzey mas mesmo assim é um calo no sapato das feministas. O feminismo de fato  não aquele da propaganda e sim é aquele que prega o incesto (sexo entre pais e filhos), ameaça de morte quem se diz contra o feminismo, possui uma inveja do membro masculino, prega o fim de pessoas negras e se esconde no vitimismo para manter o seu poder. Tudo para destruir os valores Ocidentais. Procurem em outros posts os absurdos cometidos por feministas. Deveriam ser presas.

Mas porque Camille é certeira quando critica o feminismo?

Simples. Ela prega a auto-responsabilidade sem vitimismo. Todas pessoas adoram as lindas palavras “liberdade, igualdade” usadas por esquerdistas em geral mas sempre fogem na hora da responsabilidade e da realidade.  Feministas vivem de utopia como se o mundo real fosse uma fantasia musical de um hippie sonhador. Feministas são especialistas nisso. Querem dar, distribuir, não se prevenir mas querem abortar e matar um inocente. Querem andar peladas nas ruas como se isso fosse normal e querem respeito. Querem punir o crime com flores e rosas. Negam crimes cometidos por mulheres. Relativizam a moral e a cultura mas reclamam da nossa sociedade cada vez mais violenta. Quando outras culturas abusam de mulheres, homens e menores de idade culpam a TPM. Odeiam a civilização Ocidental mas não querem ir morar no Iraque. Feministas muitas se assemelham com o marxista psicopata imbecil do BBB Jean Wyllys. Ambos defendem a mesma agenda doentia e fedem a hipocrisia do esquerdismo caviar.

A  cada geração as feministas ajudar a degradar mais a sociedade. E infelizmente outras mulheres muitas vezes desavisadas caem nesta propaganda pagando caro por isso com um futuro sombrio. Hoje podemos ver mulheres que não aceitam a sua feminilidade e os seus limites pois o feminismo disse que “podemos fazer tudo”, “somos Deusas”. Milhares de adolescentes mantidas pelos pais entram nessa. Vemos outras mulheres que querem competir com o homem em tudo, sendo chatas e infantis. Mulheres que no auge da beleza se comportaram de maneira vulgar e que com o tempo sentem falta de um ombro amigo e sofrem para ter um companheiro pois estes fogem de compromisso com mulheres deste tipo. A alegria destas se baseia depois de uma certa idade em escrever no facebook posts das estrelas, cuidar de filhos dos outros pois elas foram incapazes de ter uma família pois o instinto materno virou “opressaummmm”. As raras feministas que geram filhos que sobreviveram a ideologia feminista do aborto usam tais anjos como experiências de obras de engenharia social. 

Muito comum encontrarmos hoje uma mulher que fale da falta de um homem cavalheiro como o pai, o tio, etc. Outras falam que falta homem no mercado. Camille Paglia tem a resposta pra isso. Hoje as simpatizantes do feminismo pecam pelo ego elevado. Escolhem tanto como se fossem perfeitas e sem falhas, afastam quem talvez as ame e acabam sozinhas. O Ying que por escolha afeta o Yang.  Sendo que Ying e Yang não são iguais e nunca serão pois os diferentes se complementam. Sim. O feminismo criou mais mulheres infelizes que  demonizam os homens e atributos masculinos e incetivam a imagem do homem feminino que deve ter vergonha de ser homem por acreditar no falacioso argumento esquerdista da igualdade. Nunca foi segredo que o movimento feminista defende a agenda esquerdista e gay como regra base. Logo, os homens que entram nesta propaganda mentirosa para serem aceitos se tornam cada dia mais afeminados ao mesmo tempo que as mesmas mulheres querem um “homem de verdade”.

O feminismo gerou mais neuroses, mais infelicidade, mais raiva e revolta entre qualquer tipo de classe como sempre foi o seu objetivo. Camille Paglia passa longe de ser uma Erin Pizzey mas sempre foi certeira neste ponto.

Meninas novas vítimas do feminismo e relativismo moral. O futuro da mulher moderna?

Padrão

funk pikachu feminismo

Cada dia estamos mais chocadas. Existem muitas filmagens feitas mostrando meninas rebolando ao som do funk carioca. Cantando (se podemos chamar isso de cantar) palavras vulgares. Meninos idem. Meninas e meninos menores de idade muito novos. Muitas pessoas odeiam o funk carioca por sinal por motivos muito claros. Mas as feministas adoram o funk por que este vai de encontro a agenda feminista e por ajudar a pregar o mito do bom selvagem de Rousseau. Uma grande amostra de feminismo, relativismo moral, cultural e nacionalismo imbecil.

Não são apenas as feminazis mas todos os progressistas defendem o funk como “puro exemplo de cultura nacional”. Logo esta turma fala das liberdades individuais MAS SEM FALAR DA RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL. O discurso do politicamente correto é não reprimir a sexualidade das pessoas (como dizia o marxista cultural Herbert Marcuse) e então assistimos horrores como estes sendo tratados como normal. Cada dia mais cedo as pessoas entram nesta conversa. Menores de idade, meninos, meninas sendo presas para estas ideologias. Mas falar de bons valores? Nada, isso oprime o “povo” que expressa a pura “cultura brasileira”. Criticar? Isso  é “moralismo e ficar censurando a vagina alheia” e e assim vai. Todo aquele lixo relativista moral esquerdista pregado por desonestos intelectuais, covardes ou pessoas desinformadas cegas por um nacionalismo antiquado. Mas todos percebemos que a cada dia que passa os valores se invertem mais no mundo embora em muitos casos o Brasil parece ser o primeiro neste assunto.

Devemos perguntar quem quer isto. Quem quer jovens assim. Quem quer toda esta inversão de valores. Estas meninas serão esposas, namoradas, mães. Os meninos serão maridos e pais. Irão ter filhos e filhas. Como vai ser o modelo familar do futuro?

Sou mulher, brasileira e não sou uma prostituta como feministas querem vender.

Padrão

mulher brasileira nao é prostituta anti feminismo

Mais uma leitora explica os motivos de ser contra o feminismo e lutar contra o que este movimento representa na realidade ao invés da propaganda e fantasia. Enviem os seus depoimentos.

“Sou mulher, brasileira e não sou uma prostituta como feministas querem vender. Nunca fui e nunca serei vadia, piriguete ou qualquer outro termo tido como moderno. E nunca irei fazer sexo com o meu pai ou filho como elas pregam também. Dançar funk, carnaval? Jamais.

Venho observando faz tempo como feministas adoram defender prostitutas, mulheres vulgares, golpistas, funkeiras e ao mesmo tempo falam de respeito, sociedade melhor e igualdade. Falam o A, fazem o B. Eu quero é fugir de uma sociedade feminista. Por isso me desliguei deste movimento. Felizmente acordei. Desde a época de Simone de Beauvoir que ser vulgar e ser uma reserva de esperma é algo moderno para as feministas. Simone foi uma reserva de esperma de Sartre porque quis e morreu triste e amargurada. Ela como marxista que foi quis abraçar a fantasia marxista do feminismo ao invés de fatos. E felizmente se foi. Hoje temos a Lola e a Valesca que infelizmente continuam com esta praga chamada feminismo, o defensor oficial de piriguetes e prostitutas que atingem a toda mulher brasileira.

Feministas podem pensar que mulheres que discordam delas são burras mas se enganam. Pensamos e sabemos diferenciar os fatos da propaganda. Eu li muito sobre feminismo. Por ter participado deste movimento sei as estratégias dele. Eu também fui censurada por feministas pois sempre me oponho a este movimento mentiroso e ditatorial. Mas não me calarei jamais. Chega de atingir meninas mais jovens com lavagem cerebral, chega.

Voltemos as piriguetes e feministas… Aqui em Salvador aonde moro e trabalho hoje em época de carnaval o que mais vejo é piriguete enrolada na bandeira do Brasil que vem aqui e ataca os gringos como se nunca tivessem visto homem na vida. Aqui em Salvador é cheio de estrangeiros e piriguetes querem pegar por serem exemplos de mulher de verdade. Elas infestam até aonde moramos, trabalhamos ou queremos relaxar. Querem dar, distribuir. Nos transformamos na capital nacional do turismo sexual junto com o Rio de Janeiro. Para estrangeiros, o carnaval nada brasileiro que importamos da Europa, não passa nada mais de uma ótima forma de se obter sexo fácil sem problemas.

Na verdade, a única imagem que o gringo forma sobre nossa nação é de um país imoral, que expõe mulheres que querem se expor como pedaços de carne e acham isso moderno, semi-nuas ou completamente nuas sem o mínimo pudor, na TV, nos Jornais, em todos os lugares, inclusive na frente das crianças. Eles longe de serem santos usam o que vendemos maquiado com relativismo moral. Um alimenta o outro. Alimentamos o que nos perturba e o que nos ofende.

A maioria destas piriguetes usa e abusa do apoio dado a elas por parte das feministas que relativizam a responsabilidade e pregam o relativismo moral. A piriguete é moderna e decidida que escolhe o que faz mas depois a culpa é sempre do homem ou de um fantasioso machismo pois hoje tudo virou machismo. Feministas, livres,fortes e modernas mas um segundo depois oprimidas pelo capitalismo machismo ou qualquer outra desculpa. Quem entende? Deve ser doença mesmo.

Aqui no Nordeste sei de meninas que foram mães aos 14 anos, 15 anos. Sei que feministas apoiam que estas garotas façam sexo pois o “corpo é delas e nem pai ou mãe podem se meter”. Se o pai falar algo vai ser taxado de machista. Se elas engravidam podem abortar, né? E nem vou falar em pedofilia afinal 15 anos…
Feministas adoram empurrar a responsabilidade para as outras pessoas. A culpa é da noite, do buraco na rua, do chuveiro. Infelizmente eu e muitas outras mulheres pagamos por este comportamento doentio. Também infelizmente a mulher brasileira aceita esta degradação e aquelas que deveriam reagir contra o movimento feminista e a sua agenda que apoia prostitutas fecham os olhos para tal. Nos omitimos e consentimos com a fama que nos atinge. Já vi até muitas alegando que é liberdade transar com 2,3,4. Tudo é liberdade agora, tudo. E depois reclamam que os homens nos tratam como objetos sexuais? Neste período de carnaval são divulgadas fotos vulgares no mundo inteiro intituladas: “Carnaval e a beleza da mulher brasileira”. E somos taxadas de prostitutas.
De quem é a culpa? Como disse o jornalista Paulo Eduardo Martins, a culpa é nossa, do povo. Neste caso a culpa também é nossa, mulheres que defendem a agenda feminista ou se omitem. Eu deixei de me omitir e vou lutar como puder contra este movimento.”

Como definir a marcha das vadias, feministas, os seus protestos e a sua luta “pela liberdade”.

Padrão

marcha das vadias feminismo mulheres antifeminismo

Feministas dizem lutar pela “liberdade, igualdadade e respeito”? Ou seria melhor falar a verdade: “Feministas  e a arte de desrespeitar pedindo respeito e querendo vingança ao abraçar teorias loucas de um passado mentiroso?”.

Elas dizem sempre  mas isso se mostra cada dia mais distante de ser o real motivo pelo que lutam. Feministas lutam pelo poder, querem se vingar por teorias marxistas absurdas implantadas nas suas mentes, usam qualquer coisa para os seus objetivos e fazem um jogo duplo marxista para isso. Fazem o jogo da força e da fraqueza. Se elas desafiam alguém para lutar contra elas, usam de coletivismo e atacam em grupo pois se dizem “fortes e livres”. Se elas vencem, se dizem “superpoderosas”. Se as/os oponentes reagem, vencem e esmagam as teorias infundadas delas, elas fazem vitimismo e dizem que o mundo conspira contra elas.

Foi o que aconteceu no nojento manifesto organizado pelas feministas e que acabou com estas imagens que beiram ao terrorismo. A marcha das vadias organizou um “show” a parte com feministas de braços unidos para proteger um grupo de terroristas feministas que simularam relações sexuais, se masturbaram com as cruzes e imagens, como mostram as fotos.  Os manifestantes cobriram a genitália com a imagem de Jesus Cristo; chutaram, pisotearam e destruíram cruzes e crucifixos; destruíram duas estátuas de Nossa Senhora. Fizeram mais, o que o noticiário não exibiu: eles simularam relações sexuais, se masturbaram com as cruzes. Tudo isso para “nos libertar” do Ocidente opressor capitalista. Deveriam fazer isso em Cuba ou no Oriente Médio, mas cade a coragem de lutar contra quem realmente oprime?

 O show foi planejado pelas feministas e passa longe de uma atitude isolada. O cenário do que é tido como “performance” não permite amenizar a ocorrência como uma “atitude impensada”. De maneira alguma. Nem mesmo os peregrinos, que participavam de um evento religioso, conseguiriam recolher às pressas – de improviso – tantos crucifixos; e para adquirir as DUAS imagens deliberadamente destruídas seria preciso, não apenas planejamento, mas juntar as economias de um bom número de fiéis, porque a maioria presente precisa trabalhar meses para comprar pelo menos UMA.
E para variar, existiam crianças no meio pois como bons marxistas as feministas querem doutrinar desde a mais tenra idade. Elas adoram usar crianças em seus protestos absurdos.
marchas das vadias feministas marxismo cultural
feministas ainda querem falar de respeito
Não é possível dizer que tal CRIME foi uma atitude isolada de dois manifestantes. Não. As fotos indicam que outras pessoas contribuíram e participaram do ato, fazendo uma corrente para proteger e estimular a macabra “performance”.  Tudo foi organizado. CRIME PREMEDITADO por um grupo, que poderia ser denunciado como BANDO ou QUADRILHA, caracterizado quando há uma associação de mais de três pessoas com o fim de cometer CRIME (Código Penal, Art. 288).
E a nossa imprensa? A Globo, que também é marxista cultural (prega o aborto, apoiou e apoia Jean Wyllys, novelas tem como autores membros GLBT, comunistas, feministas e toda este povo que promete um “mundo melhor”) aliviou este grupo que mente nos representar como mulheres. O tratamento dado pelo Jornal Nacional ao comportamento de dois participantes da Marcha das Vadias é apenas uma amostra de como a imprensa abordou o caso com brandura e até conivência. Não denunciou o que realmente aconteceu durante a passeata realizada no Rio de Janeiro, no mesmo local em que católicos se reuniram para a Jornada Mundial da Juventude: um CRIME. Conduta tipificada no Art. 208 do Código Penal, que reza: “ESCARNECER DE ALGUÉM PUBLICAMENTE, POR MOTIVO DE CRENÇA ou FUNÇÃO RELIGIOSA; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; VILIPENDIAR PUBLICAMENTE ATO OU OBJETO DE CULTO RELIGIOSO”.
Ninguém precisa concordar com tudo que a Igreja diz e muitas podem ter outras crenças. O problema é falar de respeito, igualdade, paz (que na verdade é SOMENTE PROPAGANDA feminista pois elas agem de modo inverso ao que dizem) e desrespeitar o que é importante para outras pessoas. Isso demonstra o ego das feministas e a neurose nelas de viverem em um mundo fora da realidade pois parece que nem elas acreditam mesmo no que falam pois vivem agindo de modo oposto ao que pregam. SEMPRE.
feministas patrulhamento ideologico medo censura
Além disso, a Presidente da República apoia as feministas pois sabe que o feminismo é um movimento marxista. Dilma recebeu as feministas e sabia muito bem que grupo estava recebendo. Porque a Marcha das Vadias é reincidente, o CRIME cometido durante a Jornada Mundial da Juventude não foi uma exceção. No ano passado, ela foi aplaudida pela Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Eleonora Menicucci considerou “importantíssimo”, disse que a “divulgação” que Marcha das Vadias estava tendo era “merecida” – ela era “bonita”. Acontece que, no Rio de Janeiro, manifestantes do grupo – uma QUADRILHA ou BANDO (art. 288, Código Penal) – invadiram uma igreja aos berros, reivindicando, diante do altar, o direito de MATAR – quer dizer, de ABORTAR . Estas mesmas depois falam da falta de respeito e da falta de liberdade.
Como definimos a marcha das vadias? Como definimos o feminismo e as feministas?  Repetimos Erin Pizzey, outra mulher contra o feminismo: “O feminismo é terrorismo marxista praticado por terroristas”.

Violência por procuração: Os homens que sempre defendem as mulheres (Todas as mulheres)

Padrão

homem feminista

No nosso facebook muitas vezes aparece este tipo de pessoa para comentar. Perfil geral: Homem que enxerga as mulheres como seres perfeitos, sem falhas e que nunca devem ser responsabilizadas por nada. Eles conseguem defender todas as mulheres, todas, pois para eles sempre seremos perfeitas e isentas de culpa. Muitos destes rapazes possuem um trauma em relação a mulher por algum motivo ou cresceram idealizando fantasias de contos de fadas.

Como mulher, claro que em um primeiro momento fico feliz com isso. Acho isso convidaditivo como muita coisa que existe mundo afora. Mas nem sempre o convidadivo é a coisa certa a ser feita e se realmente queremos igualdade e justiça, devemos por um momento ignorar estas pessoas manipuladas pelo movimento feminista e pensarmos de modo imparcial. Toda mulher é um ser perfeito e sem erros? Isto é realmente verdade? Seria este o modo certo de pensar?

Em geral, estes homens que defendem todas mulheres a todo custo a qualquer preço são feministas ou simpatizantes e lutam para punir o sistema como todo grupo marxista cultural faz. Bem, na verdade existem homens violentos sim como também existem mulheres violentas. Ambos devem ser punidos. Também existem homens que defendem mulheres indefesas com razão e as salvam em momentos de perigo como aconteceu no acidente em Santa Maria.  Estes comportam-se como heróis, como nossos companheiros que se importam realmente conosco. Mas destes o feminismo nunca fala, afinal todo homem segundo as feministas “é um estuprador em potencial, um bandido, um maldito psicopata”. Grande amor pelo lado masculino da humanidade (ironia). E os manipulados apoiam isso.

O problema do homem feminista, simpatizante ou que acha que toda mulher é perfeita é defender TODA E QUALQUER mulher simplesmente porque ela é mulher. E sendo imparciais isso nunca foi justiça e pode inclusive gerar injustiças. Se somarmos isso com a propaganda feminista que “todo homem não presta”, possuimos um falha que pode gerar coisas absurdas se não pararmos para analizar tudo com calma. Se formos passionais iremos criar a fantasia de um grupo que vai ter sempre defesa e é isento de responsabilidade. Um exemplo disso é o caso de mulheres que estupram, cometem pedofilia e tudo o mais como postamos aqui mas ninguém fala nelas. Feministas negam que elas existem e crianças, mulheres, homens e outras pessoas continuam a serem abusadas. Erin Pizzey, a ex-feminista que trabalha com casos de violência doméstica sempre alerta para estes fatos :Mulheres podem ser até mais violentas que os homens.

Ser uma pessoa violenta não quer dizer somente bater no outro com socos e chutes. Uma pessoa violenta pode usar de objetos para machucar, usar de psicologia para manipular e fazer outra pessoa violentar alguém por ela, etc. Ninguém pode negar que existem mulheres manipuladoras e psicopatas, assim como existem homens assim. Ninguém pode negar que existem assassinas, estupradoras assim como homens. E querer criar desculpas para um porque o outro também faz, algo muito usado por feministas, demonstra-se algo extremamente criminoso.

Muitas pessoas dizem que por sermos mulheres contra o feminismo somos iguais aos homens feministas. Grande mentira. Enquanto eles defendem (por serem manipulados e gostarem de serem manipulados) uma classe de mulheres extremistas que odeiam /possuem inveja de homens, por repetirem frases antigas com um mundo hoje bem diferente do que reclamam, o nosso grupo é feliz por sermos mulheres, gostamos das nossas qualidades e defeitos femininos, encaramos os homens como nossos companheiros, sabemos que existem estupradores malucos mas existem homens legais, bons maridos, namorados e que nos complementam. Estamos muito longe de sermos usadas como massa de manobra por um movimento que mente nos representar e coloca pobres seres manipulados para lutar por elas, com promessas mentirosas e propagandas revoltadas por uma vida infeliz. E se hoje podemos fazer muita coisa foi sem dever nada ao feminismo. NADA.

Mas porque o homem que defende todas as mulheres age assim. Vejamos:

o) Passar pelo amigo querido para ser aceito entre um grupo de mulheres;

1) diz que estamos sempre certas por algum interesse;

2) Usar de tal estratégia para conseguir sexo mais facilmente conosco;

3) Pousar como o homem moderno. Uns inclusive adoram dizer que se comportam de maneira muito feminina e fazem tudo o que uma mulher faz;

4) Por ser manipulado, ser massa de manobra e combater alguém por procuração da violência. Explicando, se A agride B e B bate em A, isto é um caso violento direto. Se A agride B e B avisa C que foi agredido para ser defendido por este, isto demonstra-se um caso de procuração da violência aonde alguém estimula outra pessoa a lutar por ela. Isso pode ser justo ou não. Um dos problemas do homem que defende todas as mulheres é que ele é manipulado e pode cometer muitas vezes um ato violento contra outra pessoa sem pensar e analizar o caso com calma. Ele se comporta de maneira passional assim como fazem as feministas que fazem eles comprar a briga delas. Ou seja, os homens feministas se comportam como escravos e massas de manobra barata.

O que os homens feministas deveriam saber? Respondendo o que afirmamos acima:

0) Nenhuma mulher quer um inimigo ou psicopata do lado, queremos um companheiro mas existe um limite entre ser amigo para ser um namorado, esposo. Nenhuma mulher se sente realmente atraida por alguém que ela é amiga 100%. Cada pessoa tem a sua individualidade e ela deve ser respeitada e isto vale para ambos;
 
1) Puxar o saco é falta de caráter e atitude. Ninguém gosta de ser contrariada somente por ser mas muito pior é ter alguém que não demonstre opinião ao defender um ponto de vista. Talvez (repetimos talvez) isto explique porque algumas prefiram bad boys. Atitude e confiança no taco para algumas é muito mas atraente que um papagaio que sempre diz sim para tudo;
 
2) O golpe do homem amigo funciona com meninas desavisadas e carentes. Além disso demonstra que o homem “amigo” é extremamente canalha ou até pior que o bad boy que nunca omitiu suas atitudes (não estou defendendo aqui os bad boys, ok?) ;
 
3) Você pode se passar por homem moderno quase afeminado mas ainda gostamos do masculino, de homem que seja homem e que cultive o seu lado masculino com características masculinas que é justamente o que nos atrai em vocês. Feministas, ninguém aqui falou de namorar um psicopata maluco mas sim de homens com jeito de homem ao invés de pessoas inseguras que adoram fingir agradar;
 
4) Entenda uma coisa: somos diferentes. Você é homem e nós somos mulheres. A graça é justamente esta. Existem inclusive mulheres psicopatas, doidas, malucas, estupradoras assim como existem homens que agem deste modo. Existe o inverso também, mulheres boas e homens bons. Tenha orgulho de ser homem assim como possuimos orgulho de sermos mulheres e deixe de ser manipulado por feministas marxistas cultuais que enxergam vocês como estupradores em potencial e tudo o mais. Inclusive se pararmos para pensar de modo imparcial perante as leis brasileiras talvez vocês saiam perdendo. Cade a igualdade e justiça nisso tudo? Seria o meu filho um futuro criminoso por ter nascido homem e que deve ter vergonha de ser o que é? Deveria ser ele jogado as cobras porque feministas dizem que isto é certo?
 
OBS: Post enviado por e-mail pela leitora Patrícia Marinho (editado)
 
Vejam mais sobre violência por procuração abaixo:
 
 

O que aprender sobre o caso de estupro da Índia? Porque tratam tão mal suas mulheres?

Padrão

Que o governo indiano puna os culpados duramente  e SEM piedade.

Todo mundo nestes dias, mulher ou homem, viu ou leu algo sobre a jovem que foi estuprada coletivamente na Índia. A estudante de medicina e um amigo do sexo masculino que a acompanhava teriam sido atacados também com barras de ferro antes de serem jogados para fora do ônibus.

Ela sofreu ainda um estupro coletivo. Ou seja, foi espancada e estuprada por marginais. A jovem já havia passado por três cirurgias em Nova Délhi antes de ser transferida para Cingapura para ser melhor atendida. E veio a falecer depois, gerando uma onda de protestos mundial. De acordo com os médicos, a causa da morte foi dada como falência múltipla dos órgãos causada por severos ferimentos ao corpo e ao cérebro.

Podemos refletir sobre isso e tira algumas reflexões:

0- Imaginem este povo aqui no Brasil, na praia? Iriam querer estuprar todo o mundo pois na cultura deles ver mulher nua é raro e na nossa não? Ou seja, a cultura pode gerar um estupro? E quando duas culturas se chocam? E imaginem se estes psicopatas gringos viessem para o Brasil e nossas leis fossem mais oba-oba que agora, sem policiais  ou sem homens (uma feminista nos enviou um e-mail pregando acabar com os policiais e homens brasileiros)? O Chapolim iria nos defender ou seriam as feministas intelectuais? Quem iria fornecer segurança para o povo na sociedade feminista de utopia?

1-Quem acompanhou o post de uma leitora amiga de uma feminista sustentada pelo pai que adorava dizer que a Índia é um lugar “alto astral com boas energias” e desdenhava do Brasil “machista-patriarcal, etc” pode começar a refletir. A vida nunca foi novela da globo e filmes da TV com falsas propagandas. E muitas feministas deveria rezar aos céus por não terem nascido em lugares assim. Eu particularmente agradeço 🙂

2-Existem realmente lugares com extrema raiva contra a mulher (misogina total). Isto é um fato certo assim como existe o inverso ( no caso a Suécia para os homens). E aqui os homens revoltadinhos marginais como o idiota que se passa por  lobo e que posta fotos fazendo apologia ao estupro deveriam começar a pensar e olhar para o mundo, assim como as feministas. Ninguém pode justificar absurdos ou negar fatos monstruosos para defender a sua ideologia cega de modo extremista. Isto é um crime também;

3-Oriente Médio, Ásia, etc  possuem lugares anti-mulher ou anti-Ocidente (mas nem todos). Se alguém for viajar POR FAVOR tente se informar sobre a realidade local,das atualidades e dos costumes dos nativos. Isso vale para homem ou mulher como uma boa dica de viagem e segurança. Isto é sério e perigoso;

4-A dicotomia feminista sobre pessoas violentas: Um ato de punir duramente, certo? Com certeza. Ok, mas logo aparecem os direitos humanos geralmente tendo como porta vozes feministas. Que tal invandir este lugar como faz o Tio Sam e ocidentalizar os talebans que cometem crimes assim ou afins na base do tiro? Feministas sempre são contra os EUA, contra o capitalismo, o Ocidente que oprime, a igreja que estupra, contra  o lucro, etc. Devemos respeitar a todos, todas culturas, etc. Ou seja, o assunto é tenso, mas as feministas que “pensam” e possuem modos para solucionar tudo sempre demonstram-se incongurentes em casos complexos. Ou seja, feministas querem um suco de laranja mas muitas vezes sem descascar e cortar a laranja;

5-O mundo pode ser melhor e devemos lutar para isso. Mas um mundo perfeito e tudo o mais é utopia feminista e arma de propaganda das feministas. Aceitem que o ser humano é o animal mais cruel do planeta. Fazemos parte de uma espécie cruel e violenta infelizmente;

6-O mundo é violento até para os garotos. O garoto que estava junto com a garota também foi espancado e poderia ter sido estuprado também. Para bater em 6 marginais talvez o Anderson Silva. Se o garoto estivesse armado poderia ter salvo a menina. Mas as feministas são as primeiras a serem contra o porte de armas, da paz e amor e tudo o mais. Vi uma reportagem também que me chamou a atenção por mostrar o quanto a vida hoje vale pouco e pode de certo modo ser relacionada a esta coisa absurda. Um rapaz que foi assassinado pelo dono de uma churrascaria por reclamar que a conta veio com 7 reais a mais. Fim dos tempos 😦  Leia aqui.

7-O Brasil é DIFERENTE e apesar dos pesares ainda é um lugar livre (muitas vezes até demais). Leiam os posts antigos sobre absurdos da liberdade aqui no Brasil. E sem cair na propaganda feminista que todas feministas adoram fazer e querem agora comparar o Brasil com eles, somos bem diferentes da Índia. O mesmo vale para o Ocidente comparado a alguns lugares perdidos pelo mundo afora, embora casos assim existam também no Ocidente mas bem menos. Se existe um lugar aonde o tal patriarcado existe é na Índia. Somos um extremo e na Índia, Afeganistão eles parecem ser outro;

8-TODAS feministas com seu discurso de “defendo a Valesca pois é mulher forte, defendo o direito de dar, quero provar que sou mulher dando” e outras frases prontas, deveriam fazer algo de utilidade na vida e se mudar para a Índia. Este lugar precisa realmente de muitos protestos e tudo o mais pois a sociedade indiana demonstra-se sureal;

9-Nada contra religião nenhuma mas fazendo um lembrete para quem é adepto de criticar o cristianismo pois as mulheres são “escravas e abusadas” (em geral ateus ou simpatizantes como o povo da esquerda que devem nunca ter ouvido falar de Maria e de como ela é idolatrada ou outras mulheres), na Índia a religião base ainda é o hinduísmo. Ou seja não é somente algum praticante  do cristianismo que faz absurdos como é modinha marxista cultural dizer hoje. Se alguém quiser pesquisar sobre o estupro em regimes “racionais” que adotaram o Ateísmo como filosofia, também vai achar dados de estupros elevados em lugares como China, URSS. Muitos chefes destes regimes como Che Guevara, Mao Tsé e outros eram monstros estupradores. Sempre algum praticante de qualquer  filosofia ou ideologia comete estupro. Ninguém escapa;

10- O uso do aborto pode virar contra o feiticeiro. Crianças meninas na Índia em muitos casos são abortadas tamanho a raiva que sentem delas. O estado que controla sabe disso tudo e quer quebrar  o Ying e Yang para ter somente Yang. O estado cava a sua cova sozinho sem aceitar o diferente  e o que o complementa;

No país, não são raros os casos de aborto de fetos femininos, assim como os de assassinato de meninas recém-nascidas. Deixando o estado controlar tudo, o perigo destes absurdos aumenta. A prática levou ao assombroso desequilíbrio númerico entre gêneros no país. As que sobrevivem enfrentam discriminação, preconceito, violência e negligência ao longo da vida, sejam solteiras ou casadas.

Muitas pessoas que adoram os animais devem ver isso e começar a desconsiderar a espécie humana como racional. A falta de um pingo de empatia ajuda a causar estas coisas. O extremismo e pessoas psicopatas nascem disso.

Não devemos nada ao feminismo por Talyta Carvalho.

Padrão

mulheres contra o feminismo

Belo texto contra a ditadura feminista e o marxismo cultural feminista:

“As feministas chamaram de libertação a saída forçada da lar para trabalhar; sua intolerância tornou constrangedor decidir ser dona de casa e cuidar dos filhos

Na história da espécie humana, a ideia de que a mulher deveria trabalhar prevaleceu com frequência muito maior do que a ideia de que deveria ficar em casa cuidando dos filhos.

Não raro, o trabalho que cabia à mulher era árduo e de grande impacto físico. Para a mulher comum na pré-história, na Idade Média, e até o século 19, não trabalhar não era uma opção.

Uma das conquistas do sistema econômico foi que, no século 20, a produtividade havia aumentado tanto que um homem de classe média era capaz de ter um salário bom o suficiente para que sua esposa não precisasse trabalhar.

No período das grandes guerras e no entreguerras, a inflação, os altos impostos e o retorno da mulher ao mercado de trabalho (que significou um aumento da mão de obra disponível) diminuíram de tal modo a renda do homem comum que já não era mais possível que maioria das mulheres ficasse em casa.

Esse movimento forçado de saída da mulher do lar para o trabalho as feministas chamaram de libertação.

Óbvio que não está se defendendo aqui que as mulheres não possam trabalhar, não casar, não ter filhos ou que não possam agir de acordo com as suas escolhas em todos os âmbitos da vida. Não é essa a questão para as mulheres do século 21 pensarem a respeito.

O ponto da discussão é: em que medida a consequência do feminismo, para a mulher contemporânea, foi o estrangulamento da liberdade de escolha?

Explico-me. Por muito tempo, as feministas reivindicaram a posição de luta pelos direitos da mulher, exceto se esse direito for o direito de uma mulher não ser feminista.

Assumir uma posição crítica ao feminismo é hoje o equivalente a ser uma mulher que fala contra mulheres. Ilude-se quem pensa que na academia há um ambiente propício à liberdade de pensamento.

Como mulher e intelectual, posso afirmar sem pestanejar: nunca precisei “lutar” contra meus colegas para ser ouvida, muito pelo contrário. A batalha mesmo é contra as colegas mulheres, intolerantes a qualquer outra mulher que pense diferente ou que não faça da “questão de gênero” uma bandeira.

Não ser feminista é heresia imperdoável, e a herege deve ser silenciada. Até mesmo porque há muito em jogo: financiamentos, vaidades, disputas de poder, privilégios em relação aos colegas homens -que, se não concordam, são machistas e preconceituosos, claro.

Outro direito que a mulher do século 21 não tem, graças ao feminismo, é o direito de não trabalhar e escolher ficar em casa e cuidar dos filhos -recomendo, sobre a questão, os livros “Feminist Fantasies”, de Phyllis Schlaffly, e “Domestic Tranquility”, de F. Carolyn Graglia.

Na esfera econômica, é inviável para boa parte das famílias que a esposa não trabalhe. Na esfera social, é um constrangimento garantido quando perguntam “qual a sua ocupação?”. A resposta “sou só dona de casa e mãe” já revela o alto custo sóciopsicológico de uma escolha diferente daquela que as feministas fizeram por todas as mulheres que viriam depois delas.

O erro do feminismo foi reivindicar falar por todas, quando na verdade falava apenas por algumas. De fato, casamento e maternidade não são para todas as mulheres. Mas a nova geração deve debater esses dogmas modernos sem medo de fazer perguntas difíceis.

De minha parte, afirmo: não devo nada ao feminismo.”

TALYTA CARVALHO, 25, é filósofa especialista em renascença e mestre em ciências da religião pela PUC

Texto retirado da jornal Folha de São Paulo.

Link: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/29978-nao-devemos-nada-ao-feminismo.shtml

Feministas defendem advogada-modelo que brinca com o dinheiro público

Padrão

Se existe uma coisa que achamos que ninguém gosta é a mentira.E mentira das grandes é a pior de todas.

Mas talvez a pior mentira seja aquela que diz ser a verdade ou lutar por essa.Como o feminismo e as feministas fazem ao mentir nos representar.

E quando isso ocorre,muitas vezes as pessoas negam fatos verdadeiros porque é conveniente e isso as ajuda a se auto-enganar ou a enganar os outros, com uma grande falta de espírito crítico e sobras de falsidade ao negar o óbvio.

Sendo diretas e francas, agora as feministas que adoram procurar pelo em ovo querem defender a “advogada” que é conhecida por trabalhar no congresso com regalias e o seu escândalo sexual aonde aparece em um filme caseiro filmado por ela e o seu parceiro.

Pois bem, aqui as feministas a chamam de vítima do sistema pela advogada ter sido pega como a mulher que sofre nas mão dos homens machistas que a olham como um objeto.

Parem o mundo que queremos descer 🙂

Somos mulheres,gostamos de sexo também mas isso é desculpa para dar apoio a essa garota? Devemos começar a apoia-la somente porque também é mulher?Mesmo quando faz coisas erradas?Com o nosso dinheiro( público) ou nos representando?

Seria o mesmo que um homem apoiar um estuprador porque é homem e dizer que esse é  vítima.

Para começar,vamos desmascarar mais uma vez esse tal relativismo feminista de nunca falar nada objetivo e sempre se apegar a defender as idéias feministas mesmo tendo outras mulheres que DISCORDAM DELAS.

1)Olhem o estilo da garota.Advogada?Hum,ok?Como talvez ela tenha conseguido esse cargo com esse estilo de advogar?As feministas falam tanto sobre o corpo da mulher,sobre ser objeto mas quando é conveniente defendem umas pessoas como essa garota e a Popozuda.O que é isso?Inveja de mulher bonita e bem sucedida?Inveja de ser um pedaço de carne,ser vulgar e usar do dinheiro do povo para ter luxo e regalias pagos pelo povo?Mas não é  feminismo que é contra as mulheres “objeto,vaidosas”,etc e etc?Cade o senso comum?

2)O mais importante. A garota tinha um cargo de confiança e público aonde foi citada como tendo regalias,trabalhar pouco, ganhar muito,etc.Vítima?Mas aonde vamos parar,feministas?Ou vocês não pagam impostos?Claro que os mensalões e cachoeiras da vida, os desvios de verba, os salários astronômicos dos políticos, os superfaturamentos, a impunidade,etc tudo isso é importante e deve ser pesado,com os seus participantes punidos.Mas negar a responsabilidade da garota?Ou essa desculpa é para dizer que o feminismo apoia a corrução?

3)Vítima?Em 2012?Ela aparece no filme sabendo que era filmada.Ela escolheu o parceiro dela e sabia que ele a filmava e também filmava a si mesmo.Claramente devemos pedir para que ele também seja punido,assim como ela por ferir a imagem de um povo,governo e instituição.Isso é o mínimo.Mas ela NUNCA foi vítima.

Logo no início do filme, o parceiro de Denise pergunta:
 – Tá filmando? Ela confirma.
Nove segundos depois, ele repete para se certificar:
– Tá filmando mesmo? E ela pede a máquina: 
– Deixa eu ver. 

4)Sexo e “hipocrisia”.Muitas pessoas fazem sexo e gostam disso.Isso não é problema.O problema é acreditar em utopia,chamar tudo de hipocrisia e ficar tendo idéias sem fundamento.Então filmes sober sexo devem aparecer na TV aberta. O governo deve talvez estimular todos a fazerem sexo e talvez filmar atos dos governantes.Que solução,não acham?

Guarde o sexo para a sua intimidade.Ninguém precisa saber se a pessoa,homem ou mulher gosta disso ou daquilo.Ainda mais sendo uma pessoa que representa uma instituição,um governo,um povo.Ou as feministas desconhecem como é a nossa imagem no exterior?Se você gosta de aparecer,é vaidosa/o,tem o ego grande, vire uma artista pornô.Alguns dizem que tal trabalho paga bem, mas por favor não procure pelo em ovo e negue o óbvio.

A face do rapaz que participa das cenas com Denise e desconhecemos o seu nome.Quem souber,favor enviar.

Fotos:Dia do Basta e internet.Por favor,divulgue e compartilhe.Isso é errado.Simplesmente errado,nada mais.