Arquivo mensal: fevereiro 2013

Marxismo cultural no dia-a-dia parte I: cotas, sexo e outros absurdos das universidades brasileiras.

Imagem

g_745552_0001

O marxismo cultural nasce com o marxismo como modelo econômico e nos golpeia todo o dia até hoje em forma de propaganda. Mas enquanto este na economia mostrou-se um tremendo desastre que pode ser comprovado pela total falha de países que possuiam este sistema embora extremistas ainda achem lugares como Cuba a “ilha da fantasia”, o marxismo cultural usou de outra arma: propaganda, frases prontas contra um sistema ou alguém e a promessa de um mundo melhor, afinal quase ninguém parece ser feliz com o modo em que vive e outras estratégias.

Aqui no Brasil ele é visto como algo legal, moderno e alguns intelectuais e professores pregam livremente suas idéias como sendo a doutrina perfeita para melhorar o ser humano, possuimos algo extremamente forte também na nossa cultura que favorece o marxismo cultural. Ele é muito popular nas universidades, livros e escolas pois é  algo extremamente atrativo.

O marxismo cultural possui algumas diretrizes base para perpetuar a sua propaganda e pela cultura do povo brasileiro (futuro post) podemos também perceber porque ele sempre é visto com algo “legal” no Brasil. Ele é sempre convidatitivo. Suas diretrizes podemos ler abaixo:

1) O marxismo cultural  como todo regime marxista prega que sempre alguém oprime alguém mesmo que isso nem seja verdade hoje ou nega o que historiadores falam sobre o passado se isso ofende esta diretriz. Exemplos de discursos marxistas culturais: brancos oprimem negros, homens oprimem mulheres,  heteros oprimem GLS, ricos oprimem pobres, estudantes oprimem estudantes, professores oprimem estudantes, pais oprimem filhos, etc.

Eles negam fatos de que negros, mulheres, grupos, GLS, crianças e adolescentes possuem capacidade de fazer coisas boas e ruins. Que hoje a sociedade mudou e a liberdade existe para quase todas pessoas. Mas para terem apoio minimizam a responsabilidade de tais grupos para manter a sua diretriz de opressor x oprimido.  O livro Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil fornece um exemplo disso: Zumbi, popular representante em lendas populares na defesa pela liberdade dos negros, comprovadamente possuia escravos negros. Existem outros exemplos denunciados por historiadores sérios (contra o marxismo cultural comum nas nossas universidades). Feministas censuram fatos de mulheres que violentam e estupram outras mulheres como denunciamos aqui. Estes parecem ser somente alguns exemplos mas hoje quem somente discorda do que os marxistas culturais pregam geralmente é taxada/o de alguma maneira ofensiva;

2) O marxismo cultural promete revolucionar para a melhor, usando leis que hoje devem punir quem no passado “oprimia” pois isso é a “justiça” e no seu mundo perfeito, sem falhas e que toda mudança é para a melhor. Aqui muitas vezes a utopia desta filosofia é misturada a demagogia. A utopia é algo quase sempre presente no marxismo cultural que usa de psicologia e do ser humano instatisfeito para conseguir o seu apoio;

3) A  desconstrução como base para algo “melhor”. O marxismo cultural usa da diretriz de desconstruir o que existe por ser “antiquado, careta, antigo, reaça e opressor” para algo “que ajude a melhorar o mundo e as pessoas”. Muitas pessoas querem fazer uma revolução contra qualquer coisa que represente o antigo sistema (sempre visto como opressor) para algo mais moderno que sirva a “liberdade, igualdade, amizade, caridade” e toda qualquer outra propaganda amiguinha marxista cultural. Um dos grandes objetivos de grupos marxista cultural hoje é destruir o modelo familiar atual com mulher, homem e filhos/as. Este é somente um exemplo;

4) Em geral, marxistas culturais sempre apresentam incoerência e hipocrisia pois agem ou agiram de modo contra o que afirmam e sua cegueira extremista os impede ver que seus gurus se comportam como o maior opressor capitalista ou qualquer outra pessoa “opressora”. Aqui podemos ver feministas que defendem o Mr Grey ou o Mc Catra,  estudantes ricos que estudaram em escolas boas que nunca sofreram e que lutam por cotas em universidades como se fossem minorias e pagam de pobres ou caridosos com outras pessoas, artistas anti-capitalismo como Chico Buarque  e Caetano que fingem serem do povo e populares mas cobram caro por seus shows, etc.

5) No Brasil isto ainda é mais forte pois na nossa cultura o mérito nunca foi valorizado e nossos exemplos de sucesso sempre foram alguém que taxamos como “grupo oprimido”, que temos pena e devemos recompensar. Vivemos no passado neste quesito e criamos falsos remédios como o assistencialismo para problemas das origens da  nossa cultura e estes sempre geram mais problemas futuros. O mérito aqui quase nunca existiu e uma seleção natural que geralmente acontece em casos aonde a quantidade de vagas é inferior a procura foi sempre mal vista como opressora (vestibular), afinal na utopia do marxismo cultural o que impera é a sociedade alternativa sem leis e a utopia que devemos ser iguais.  Objetividade ou regras baseadas no senso comum sempre foram denegridas no Brasil, bom mesmo é ser o diferente;

6) Quem revolucionou ontem vai oprimir/ falhar no futuro ou vai ser incapaz de gerar algo melhor pois é incapaz por ser sem mérito (falta de conhecimento) para uma futura responsabilidade governativa ou profissional. Que o diga o povo cubano;

7) Nossos exemplos de sucesso nunca foram pessoas que estudaram, trabalharam duro e conseguiram o sucesso como é o modelo dos Estados Unidos ou de outros lugares que criam tecnologia e pesquisa. O nosso modelo de sucesso nasce de Macunaíma, o errado sem honra, moral e valores que acaba sendo algo bom mais por sorte e jeitinho que mérito. Qualquer semelhança com o nosso ex-presidente que nunca foi chegado nos estudos nasce da nossa cultura pois pensamos que isso é certo.

Mas o que isso tudo é relacionado as cotas? Tudo, absolutamente tudo. Pense: O vestibular opressor é uma forma injusta de ver quem é capaz ou incapaz de fazer um curso na universidade.  Cada pessoa deveria ser analizada de modo individual e basedo na igualdade pois todos deveriam ter acesso as universidades, trabalho, moradia, etc. Além disso, o vestibular  faz parte do sistema opressor capitalista feito por pessoas de determinada cor de pele que sempre oprimiram outras pessoas. Logo, nada melhor que revolucionar criando um sistema aonde o mérito não conta nada e partir para a subjetividade do assistencialismo baseando-se na luta entre classes (opressor x oprimido) de séculos passados. Um erro atual com amostras de preconceito por julgar o outro incapaz tentando resolver outro erro que os marxistas culturais acreditam ter acontecido. E tudo isso para sermos politicamente corretos.

Ou, seja, as cotas são marxistas culturais e geram absurdos retratados por um professor nos filmes abaixo. E assim a longo prazo, a sociedade piora. O mérito não é estimulado, nem novas descobertas, alunos podem desisitir por falta de base escolar e tudo isso vira uma bola de neve.

Bem, uma coisa importante. Nenhum sistema vai poder avaliar uma grande quantidade de estudantes como os marxistas culturais querem de modo perfeito e sem falhas. Isto é utopia. E um sistema que pode ser visto como milagroso pode ser pior no futuro, principalmente se guiado por marxistas culturais.

Segundo, estes 7 elementos acima ditam o marxismo cultural no nosso sistema de ensino, na nossa cultura e isso nunca estimulou o mérito. Somada a falta de objetividade, podemos ver pesquisadores nas nossas universidades querendo pesquisar sobre a sexualidade das crianças ao invés de tecnologia (aqui) ou outras pesquisas sérais feitas em outros lugares (dos quais devemos comprar tecnologia). Isto deveria ser mudado pois a longo prazo é muito ruim pois estimula um certo assistencialismo. Muitos estudantes cotistas e inclusive alguns outros demonstram uma grave falha de aprendizado mas conseguem passar de ano porque professores recebem ordens para tal ou como marxistas culturais misturam o lado profissional com o pessoal.

Podemos ir além disso, hoje no Brasil podemos ver estudantes que não sabem somar, dividar, multiplicar e outras atividades de base passando de série pois isso é  igudaldade do governo. Tudo isso estimulado por um governo marxista que é contra o mérito e usa tal estratégia para conseguir votos. O coitadismo e vitimismo entraram no processo seletivo e de mérito.

Claro que existem estudantes cotistas, exemplares  que por capacidade e orgulho demonstram-se capazes. Mas seriam estes maioria? E aqueles que entram como notas baixas por serem cotisas e no futuro tornam-se evasores escolares?

Terceiro, seriam pessoas cotistas tidas como incapazes? Não seria isto preconceito? Seria bom corrigir uma injustiça com outra injustiça politicamente correta?

Quarto, com isso pode-se criar uma guerra étnica no Brasil em um certo aspecto. Se existem cotas para negros, porque não para orientais, mamelucos, mulatos e outros grupos tido como oprimidos? Se somos iguais perante a lei porque criar leis especiais para alguns?

Quinto, se alguém oprimiu alguém em 1400 seria agora a solução agora julgarmos as pessoas pela cor da pele por erros de antepassados ou pensar no mérito? Seria isso a desculpa mais simples (e que em alguns casos gera mais votos) para manter o sistema vitimista no Brasil assim como ele pois o assistencialismo é forte na nossa cultura e no nosso dia-a-dia? Seria bom corrigir um erro passado com outro erro por ser politicamente correto para arrotar ao mundo que o Brasil hoje diz ser um lugar melhor?

Sexto, o vestibular permanece ainda como processo seletivo mais por falta de outra alternativa que por simpatia do governo marxista cultural  que quer sempre “revolucionar” o sistema. O ENEM é um bom sistema sobre muitos aspectos e sem regalias a grupos especiais.

Sétimo, todas concordamos talvez que melhorar o ensino de base e médio é fundamental seja a base de tudo. Mas o governo quer realmente isso?

Absurdos sobre cotas  e sobre a educação brasileira nos links abaixo:

Cotas para mulheres (em geral, uma luta das feministas)

omarxismocultural.blogspot.com.br/2013/01/preparem-se-meninas-as-nossas-quotas.html

Porque existem outras mulheres contra as feministas, marcha das vadias e o Femen

Padrão

C_01

C_02

C_03C_04

C_05

Algumas das muitas outras mulheres contra o Femen, marcha das vadias e o feminismo na imagem acima.

Sempre quando as feministas querem protestar representando elas mesmas e NUNCA as mulheres elas fazem uma coisa: ficam nuas, mostram os seios, tiram a roupa. Isso, assim como qualquer outro movimento de protesto marxista cultural sem causa hoje  elas tumultuam quem permanece quieta sem um fim claro. E usam de muitas estratégias para causar.

O motivo pode ser qualquer um: uma propaganda de uma loja, a raiva contra os homens ou a inveja de mostrar os mamilos como eles fazem na praia (mas as feministas quem fazer em qualquer lugar) e desconsiderarem a sexualidade feminina (post anterior) ou se revoltar em marchas coletivas e ficar nuas. Umas usam até crianças como postamos aqui para seus fins talebans extremistas. Esta maluquice é o feminismo, mesmo que use de frases bonitas mas mentirosas para propaganda 😦

O grave de tudo isto é que acreditamos que a maioria das mulheres pensa como nós, mas esse género de delicada opressão está de tal modo a ficar enraizada em grupos e na idéia da tal “liberdade prometida que vai melhorar o futuro opressor contra quem oprime” do discurso marxista cultura que por medo de represálias muitas desistem de batalhar e falar o que pensam. E aqui as feministas conseguem espaço para pregas as suas idéias malucas e revoltadas.

Desde o começo que as marchas das vadias e outras passesatas semelhantes de QUALQUER grupo feminista se revelaram um circo sem qualquer tipo de sentido tendo em conta a forma como as mesmas surgiram. Para além dos normais ataques a todos os homens (como se todos os homens fossem violadores), ataque a qualquer crença, em especial ao Cristianismo e especialmente à Igreja Católica, as marchas falharam em mostrar como as mesmas de alguma forma foram eficientes no combate às violações. Lembrem-se que era esse o propósito: ensinar os homens (todos os homens) a não violar mulheres. A propaganda traduzia é “homem é mal, homem é bandido, homem é estuprador”. Talvez por isso as gurus feministas considerem fazer amor hetero (ou seja, fazermos sexo com um homem) também um ato de estupro. E toda feminista compra esta idéia parcialmente.

Mas há uma distância enorme entre o que elas falam (propaganda) e a forma como as feministas agem. Devido à forma ridícula e claramente anti-homem como elas se comportam, algumas mulheres ainda não totalmente imersas nas mentiras feministas resolveram verbalizar o seu desgosto pelas marchas. E aqui fazemos umas perguntas:

-Como um bando de malucas que anda com os seios a mostra vai ajudar a vida de qualquer outra mulher? No que protestos sem nexo e que usam de um palavreado vulgar por parte das feministas que quer sempre se auto-afirmar e outros grupos marxistas culturais podem ajudar a melhorar a vida de um mulher hoje, que inclusive faz algum tempo já possui direitos perante as leis?

-Seriam as piriguetes participantes destas marchas para sairem nuas e gritarem por liberdade (que já é existente em grande parte do mundo Ocidental) para na verdade não serem  julgadas depois porque querem justamente copiar o homem canalha (o tipo que não deveriamos copiar)?. Ah, sem esta desculpa de ” liberdade pois faço o que quero com o meu corpo”. Isso já acontece na Europa, no Brasil, nos EUA, etc. Nem compare a mulher ocidental em geral com a mulher de regimes talebans extremistas no Oriente Médio. Ambos os regimes, culturas e lugares são muito diferentes e nem de longe podem ser colocados juntos.

-E a frase de “sou feminista, sou mulher e posso tudo”?. Ninguém pode tudo. Ou as feministas leram muito livro de auto-ajuda e ficar com o complexo da mulher maravilha ou do super-homem?

-Se o Femen representa as mulheres e luta por “igualdade” pois é um movimento feminista que apoia todo a mentira marxista cultural como propaganda que fazem de “liberdade, igualdade, amizade, etc” porque possuem como figura uma feminista com uma foice (simbologia marxista) e segurando as bolas cortadas de um homem. Seria isso amor pelo sexo masculino?

1 a 1 a a a a a fe foice e bolas

-Se as feministas do Femen representam as mulheres porque sempre usam modelos sempre louras, bonitas, altas?

-Se as marchas das vadias querem respeito como invadem igrejas e outros lugares que outras pessoas respeitam e nem estão incomodando o movimento delas? Porque usam crianças nestes protestos? Que tipo de pais e mães doentes permitem que seu filhos e filhas sejam usados como cobaias por marxistas culturais que pregam idéias antiquadas?

-Se os movimentos defendem os homens também porque estes sempre são representados como marginais, estupradores, bandidos e tudo o que não presta? Isto é amor? Ou é inveja que virou raiva, revolta e amargura por parte das feministas? Com que tipo de homens ela se relacionam? Bandidos covardes ou homens modernos como postamos aqui no passado? Porque vivem a reclamar do sexo masculino?

-Se as feministas lutam para as mulheres deixarem de sofrer estupros, porque negam ou censuram o assunto de ex-feministas que falam sobre mulheres que estupram outras mulheres e usam objetos como rosas, garrafas, pedaços de madeira, etc?

-Desde quando que acreditar no mito fantasioso do patriarcado é algo de sentir inveja? Eu sentiria pena de quem acreditasse nestas loucuras. Desde quando os homens fizeram um acordo secreto entre eles para nos explorar e possuem somente privilégios? Se alguém vive com homens assim que duvido que existam, hoje basta escolher melhor as companhias.

Como bem disse Erin Pizzey, a mulher que lutou e luta contra o feminismo na Inglaterra, o feminismo foi, é e sempre vai ser um movimento terrorisa que quer destruir a primeira sociedade humana ( A Família) e para isso usa de propaganda marxista cultural contra o sistema, frases prontas de liberdade, igualdade, amizade, respeito mesmo se completamente incoerente com o que prega além de prometer algo melhor como qualquer grupo marxista mas que quando assume o poder mantém sempre o mesmo sistema, assim como acontecem com muitos governos ao redor do mundo.

Pessoas, por favor, ACORDEM DA DITADURA DO MARXISMO CULTURAL que o feminismo promete ser a melhor coisa do mundo com a sua falsa propaganda.

***Algumas imagens retiradas do blog marxismo cultural.

http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/06/mulheres-enojadas-com-as-marchas-das.html

Mamilos, sexualidade feminina e masculina. Seria tudo isso igual?

Padrão

seios

Uma das maiores teses feministas é que somos todos iguais e que a sexualidade masculina e feminina são iguais ou DEVERIAM ser. ( Ditadura feminista marxista cultural da igualdade agora sexual?). E tudo issa para sermos politicamente corretos 😦

Por estas e outras neuras feministas (que possui sempre o homem como exemplo sendo isso um tanto estranho para quem diz “lutar pelos nossos direitos femininos”) se um homem sai sem camiseta, devemos fazer isso também. Se o homem faz xixi em pé, devemos fazer também. Se o homem é do tipo escroto e metido a pegador Mc Catra, Neymar (e que deveria ser evitado) e muitas se dizem superior a este tipo que deveriamos detestar, devemos copiar ele e nos tornar piriguetes. Ou seja, o feminismo no fundo ama este tipo de homem, o inveja e se esconde na conversa  de “liberdade, faço o que quero e tudo o mais” justamente para fugir da responsabilidade e do julgamento de uma atitude que as pessoas sabem que é errada mas é feita por inveja. Na verdade hoje muitas mulheres já fazem isso querendo copiar os homens e incluisive em programas em rede nacional e sem serem “oprimidas pelo patriarcado”. Fazem porque querem. E sinceramente, nem homem e nem mulher acham isso bonito. Fica vulgar demais. E ser sensual é muito diferente de ser vulgar. Sendo homem ou mulher.

Mas as feministas possuem uma grande dificuldade em aceitar isso repetem frases antigas e sentem uma enorme inveja do ser masculino do pior tipo 😦

Muitas feminstas que desconhecem biologia por esta ideologia cega extremisma e a diferença entre a sexualidade feminina e masculina acham que malucas extremistas que mentem nos representar ficando nuas na rua são as “intelectuais que lutam pela causa perdida de todas as mulheres”. Hein? Criam teses absurdas como ” quem erotizou o busto feminino foi a sociedade. A idéia é deserotizar os seios e por isso devemos andar com os seios a mostra em todo o lugar para mostrar o nosso ponto de vista burro”. Pois bem, estas malucas que detestam sexo e acham todo ato de sexo com um homem é um ato de estupro (leiam mais aqui) deveriam estudar mais e saber que:

-A biologia explica as diferenças da nossa sexualidade e da masculina em vista dos diferentes sistemas hormonais. E isso se reflete no modo de seduzir o sexo oposto também;

-Mulheres e homens possuem maneiras diferentes de atingir o orgasmo. O mesmo se aplica para o modo como ficam excitados e pelo que ficam excitados no sexo oposto;

-Os seios fazem parte do sistema erógeno feminino (inclusive eles sofrem ereção no momento sexual, sabia?) e têm também a ver com a atraçao e desejo sexual. Mulheres gostam de ter seus seios acariciados, tocados. Muitas mulheres inclusive fazem cirurgias estéticas nos seios (sem exagero pois isso é vaidade doentia) para se sentirem mais mulheres, para serem proporcionais em relação aos quadris, etc. O seio faz parte da alma feminina como mãe e como amante. Negar isso é coisa de feminista que odeia sexo e faz parte do grupo inveja masculina. Exemplo? Pois bem, se uma mulher  estranha toca o peito de um homem que nem conhece este nem sempre se importa tanto. Agora ande na rua com o seu seio a mostra e chame qualquer estranho para tocar o seu seio.  Diferente, né?. No primeiro caso nada acontece pois o peito masculino tem outra imagem e valor na nossa mente feminina. No segundo, caso o homem que toca o seio de uma mulher desconhecida provavelmente seja preso e ela nem se sinta feliz em ter o seio tocado por  um estranho. Ou seja, valores diferentes sobre corpos diferentes 🙂

-Embora o seio possa ser visto nu em alguns lugares apropriados como praias e outros lugares (dependendo a cultura), ninguém pode negar que ele ainda faça parte do nosso sistema erógeno e de maneira muito importante. O seio se destaca de outras partes erógenas da mulher. Pensem na quantidade de mulheres que colocam silicone para se sentirem mais mulheres. ;

– Algumas mulheres podem sentirem mais prazer ou vontade de sexo quando menstruadas. Outras detestam sexo durantes estes dias;

– O jogo da conquista é diferente para ambos. Para ser mais clara, se alguém for mãe de algum casal de adolescentes e começar a perceber que os seus filhos começaram a se interessar pelo sexo oposto e a quere namorar, pode notar as diferentes maneiras em que eles tentam conquistar alguém. Nem aqui homens e mulheres são iguais.

-Sexualidade de homens e mulheres iguais? Pura utopia feminista que procura picuinhas baseadas no politicamente correto e no marxismo cultural;

-Muitas vezes tudo é gosto. Umas pessoas gostam de outras morena, brancas, negras, louras, etc. Em geral todas pessoas gostam do que é bonito mas nem sempre beleza põe mesa ou é tudo na hora de seduzir. Mas o que é bonito é bonito. Simples assim.

Atenção: as frases acima referem-se a um casal hetero, ok? Isso foi feito simplesmente para explicar. Se alguém que ler este post for homo, bem, basta trocar para pessoas do mesmo sexo.

Ah, mas você é feminista radical taleban extremista e acha que homens e mulheres gostam ou deveriam gostar das mesmas coisas. Pois bem, olhe as fotos abaixo:

61738_443692009036113_567173730_n

17628_444873078918006_878415662_n

525092_444420452296602_1832181055_n

tyson_beckford2

166706_446115365460444_817770462_nOlhe este grupo agora:

48121_509738162402628_121328887_n

beyonc-films-photo-u21

559707_509629772413467_1718217843_n306288_132726613565488_689026573_n544083_509843979058713_1385220265_n

Provavelmente seu olho gostou mais de um grupo e se sentiu atraido por este grupo no ponto de vista sexual. Pelo visto se nem entre pessoas do mesmo sexo somos iguais, o que falar dos nossos corpos e pelo que nos sentimos atraidas/os em uma pessoa do sexo oposto (novamente, aqui sem preconceito). Mais uma tese feminista que cai por terra (como sempre acontece).

Marxismo cultural: a feminista que é contra Israel, EUA e a liberdade de Yoani Sánchez.

Padrão

usa_israel_flag_large

Nestes dias o marxismo cultural mostrou que ainda é forte no Brasil. Com a chegada de Yoani Sánchez, a blogueira cubana que é contra o “perfeito” regime cubano e fala umas verdades sobre ele, umas pessoas de grupos marxistas culturais foram protestar contra  a moça, que na visão delas não poderia ter o direito de falar o que pensa. Estas pessoas, fantasiadas de um nacionalismo do tempo nas cavernas assim como as feministas dizem nos representar.

Aqui aonde trabalho possuimos uma representante de uma rede de cosméticos importados de uma marca famosa e esta mulher apoia completamente o movimento que quer censurar a blogueira cubana. Ela se encaixa no padrão tradicional destes manifestantes: nacionalista de esquerda, ela é contra  Israel, contra os EUA, detesta o Ocidente, detesta os valores ocidentais, a Igreja (qualquer igreja ou outra crença), a Europa e tudo o que ela encara como sendo opressor/a. Ela considera-se oprimida. Como boa feminista que quer pregar a sua fé taleban, repete as tradicionais frases contra os homens, diz que isso é “luta pela igualdade e os ama” e outras atitudes um tanto incoerentes. Talvez somente não use camisetas com o face de Che Guevara e isto talvez porque use roupas de marcas “burguesas”.

Esta pessoa recorda um pouco a Lola que detesta os valores ocidentais, os EUA, o Ocidente e tudo o mais que ela encare como sistema opressor-do patriarcado- do inferno chamado Ocidente mas por um acaso do destino ensina língua inglesa e ganha dinheiro com frases prontas “contra o sistema opressor”.

Ser incoerente é a palavra chave que define o feminismo e outras vertentes marxistas culturais. Esta garota como toda boa feminista não faz por menos. Trabalha em uma marca famosa de cosméticos que custam muito caro. Seu celular é um dos mais modernos no mercado, possui um carro luxuoso e importado, veste-se com roupas nada baratas e como viaja a trabalho para esta empresa com sede nos EUA, precisa ir para a terra do Tio Sam, Europa e afins muitas vezes ao ano. Volta cheia de fotos para mostrar e feliz por visitar  lugares que representam o “Ocidente” opressor.

Ela contou a uma colega minha que foi ao Oriente Médio umas duas vezes para turismo e se suprendeu com a cultura loca. Eu pensei, finalmente ela se mostrou coerente como o que pensa. Mas como boa feminista, a dita feminista revoltada foi fazer turismo em uma cidade de Israel cujos cuidados com segurança sempre foram elevados. E trouxe presentes para os familiares. Nem sequer pensou em ir visitar os países árabes.

Isto é o tradicinal caso de uma feminista. Podem vestir camisetas de Che e apoiar o Jean Wyllys, podem andar bem maquiadas e com roupas caras, podem fingir serem acimas dos demais pois pensam ser intelectuais acima da média que lutam pelo povo (como Marx que nunca trabalhou na vida), podem fingirem serem hippies em um mundo alternativo perfeito. Podem usar do eupirismo para dizer “eu sou diferente ou faço parte de um grupo diferente”. Podem serem tudo isso mas no final nas contas elas agem sempre do mesmo modo pois isto é ser feminista: repetem frases prontas e cegas em nada a ver com o mundo atual. E para finalizar provam sempre serem incorentes, rancorosas e raivosas. Sempre provamos neste blog tudo o que afirmamos, ok, feministas?

Existe também uma grande diferença entre ser patriota, valorizar as coisa boas na terra aonde nascemos e sabermos que existem coisas ruins toleradas e suportadas pelo povo que também pode ser culpado (sem relativismo moral e a guerra entre classes marxista cultural) que devem ser mudadas usando de objetividade e ser uma nacionalista cega que compra a briga de Fidel, Chavez e outros nacionalistas marxistas culturais que vivem na década de 6O e acham que tudo é contra o Brasil e outras maluquices. Mas isto tem origens mais antigas, é presente na nossa cultura e vai ficar para um futuro post.

Sobre a blogueira, claro que existem interesses escondidos nisso tudo, mas se no Brasil que algumas pessoas ainda acreditam que seja um democracia então porque não deixar ela falar? Somos bombardeadas com muitas coisas nocivas no nosso dia-a-dia e devemos aceitar tudo caladas mas UMA opinião de alguém deve ser censurada? Porque? E o vitimismo marxista cultural aparece aqui porque as mesmas pessoas que querem censurar a blogueira são as marxistas culturais que dizem lutar pela “liberdade, amizade, igualdade, zzzzzzzzzzzz” que adoram fantasiar a terra prometida chamada Cuba. Se fosse o inverso, estariam fazendo como as feministas: jogando-se no chão e fazendo caretas vitimistas contra o sistema que oprimiria a falta de liberdade delas.

A blogueira é uma agente da CIA? Talvez sim, talvez não ou isso talvez seja somente uma teoria de conspiração marxista cultural. Se isso é real, deveriamos também sermos conscientes que existem e existiram pessoas que são ou foram agentes da outra parte interessada (governos marxistas). Lembram de quem quis fazer a revolução no Brasil para implementar uma ditadura no modelo de Cuba?

Bem, fora estas teorias malucas e tudo o mais o que deveria ser respeitado é a liberdade de se expressar, que por sinal em Cuba é uma coisa praticamente inexistente. Tais marxistas culturias ignorantes como Jean Wyllys, feministas e estas pessoas ignorantes que protestam nem sequer conseguem entender que numa democracia eles têm o direito de passar por ignorantes, enquanto que em Cuba  no seu longo regime ditatorial fantasiado de liberdade, amizade e tudo o mais, caso fossem contra o regime, seriam presos, torturados, amordaçados e mortos por pessoas vistas aqui como libertadores como Che Guevara que fuzilava negros, cubanos e homossexuais pelo simples prazer de matar.

Mais um texto sobre o caso abaixo

http://br.mulher.yahoo.com/blogs/amigo-gay/se-hay-autoritarismo-soy-contra-195842810.html