Arquivo mensal: março 2017

Feministas ranzinzas e amarguradas atacam Rodrigo Hilbert por fazer tarefas domésticas

Padrão

Jornalistas feministas andam fazendo textões atacando  Rodrigo Hilbert, o modelo que aparece na mídia promovendo tarefas domésticas, dando dicas de culinária caseira e receitas. Olhem o texto imbecil desta feminista aqui. Mais uma jornalista vitimista (entre tantas) em um site pra lá de feminista e idiota.

O motivo? Porque mulheres não são valorizadas quando fazem tarefas domésticas. E Rodrigo Hilbert aparecendo na mídia sobre este tema é “machismo e oportunismo”.

Engraçado. Mas não são as feministas que dizem que homem tem que ficar na cozinha e as mulheres devem sair da cozinha? Afinal o que as feministas querem?

Para uma pessoa desatenta este é somente mais um artigo de uma jornalista. Para quem entende sobre feminismo e marxismo cultural, podemos perceber mais um texto de engenharia social somado a INVEJA FEMINISTA que acha machismo em tudo sendo que machismo do jeito que as feministas falam não existe.

Como funciona a lógica feminista? A tal lógica feminista é aquela baseada em vitimismo e muita inveja (vejam aqui).

Homem fora da cozinha, mulher na cozinha, mimimi machismo.

Homem na cozinha, mulher fora da cozinha mimimi machismo.

Homem bonito modelo e bem sucedido, mulher feia e mal sucedida mimimi machismo.

Mulher bonita modelo e bem sucedida, mulher feia e mal sucedida mimimi machismo.

Homem sai com muitas mulheres e é julgado, mimimi machismo.

Mulher sai com muitos homens e é julgada, mimimi machismo.

Ou seja, para uma feminista tudo é machismo. Elas enxergam machismo em tudo.

Atualmente vivemos em uma sociedade aonde infelizmente existem estas “minorias” formados por justiceiros social, feministas mal amadas e amarguradas que tem um futuro sozinhas e ficam procurando pelo em ovo em tudo. E pra variar culpam pessoas (homens e mulheres) que simplesmente tentam ganhar a vida.

Mas será que nesta desculpa de igualdade (que na verdade é inveja) as feministas querem realmente igualdade? Pouca ou nenhuma feminista vai ir pedir emprego na obra ou em serviços pesados. Preferem fazer texto idiota na internet e fugindo da depilação ou fazendo algo pior…..Vejam mais aqui.

Feministas tanto queriam inverter os papéis de homens e mulheres em prol da teoria esquerdista da igualdade. Nada a toa o movimento LGBTS usa da mesma desculpa. Saem entram homens e mulheres com suas diferenças e se complementando e entram seres XXX. E quando um homem faz algo como um serviço doméstico para agradar, é atacado pelas infelizes, amarguradas e insatisfeitas das feministas.

Desmascarando feministas e suas desculpinhas: Machismo e femismo não existem

Padrão

  A má fé feminina e a utilização do texto dizendo que o feminismo ‘é bom’ é ainda infelizmente uma das maiores mentiras usadas por feministas que abusam de emotividade e apelo coletivo com algumas mulheres.

Felizmente o nosso grupo de mulheres contra o feminismo estudou isso muitas vezes e somos vacinadas com estes argumentos mentirosos das feministas. Enquanto elas mostram as tetas murchas, as axilas peludas e dançam funk da Valesca mas depois reclamam de serem vistas como objetos, o nosso grupo de mulheres contra o feminismo mostra fatos e convida nossas leitoras e leitores a pensar sobre as duas das maiores mentiras feministas que circulam pela internet. Convidamos nossas leitoras e leitores a observar e raciocinar:

-Mentira feminista 1:  O mundo nos oprime desde sempre pelo machismo, a culpa é do machismo, o homem é machista e outra variações.

As feministas acreditam que toda e qualquer mulher é oprimida pelos homens que sempre se comportam de modo terrível por causa do machismo, um modo de agir que é implantado na cabeça dos homens desde quando bebês ou que existe desde sempre. O machismo seria uma seita aonde os homens se encontram secretamente com o único objetivo de atormentar as mulheres.

Indo além, as feministas irão fazer um vitimismo barato com muito apelo emocional e coletivo para mostrar que “são irmãs de luta”. E qualquer ser do sexo masculino vai ser culpado.

Este mesmo modo de pensar das feministas se assemelha a culpar o capitalismo e pessoas capitalistas por oprimirem os trabalhadores (proletariado) desde sempre. Os socialistas e comunistas aqui viriam salvar o povo.

Viram a tática destes movimentos esquerdistas? Todos agem da mesma maneira e se acham os salvadores do planeta.

As feministas irão dizer que:

-Se um homem ajudar ou defender uma mulher é machista. Se fizer o inverso ele é machista. Todo e qualquer ato de um homem com uma mulher é algo machista. E já publicamos sobre isso antes nos exemplos de como feministas enxergam o casamento e relacionamento homem  e mulher.

Feministas irão dizer que tudo isso é em função da igualdade e muitas desavisadas irão cair nessa. Aqui entra uma questão chave: feministas se comportam de maneira obcecada com a igualdade como se ela fosse sinônimo de justiça ( e igualdade não é justiça). Na verdade a igualdade sempre foi um mantra esquerdista (socialista/ comunista) e muitos regimes ditatoriais de esquerda mataram muitos em nome desta igualdade.

Estranhamente, feministas fogem de tarefas iguais em todo o planeta. Homens continuam a fazer trabalhos braçais pesados com nenhuma ou poucas mulheres nestas tarefas. Homens e mulheres continuam sendo julgados de modo diferente pela lei e tantos outros exemplos. Se alguém tem um casal de filhos vai notar que na maioria dos casos garotos e garotas se comportam de modo diferente.

Para finalizar, se possuímos problemas, os homens também possuem e muitas paginas e grupos antifeministas tentam usar de lógica para acabar com as mentiras feministas.

Fato é que o machismo dito pelas feministas não existe. Existe sexismo em alguns casos por parte de homens mas ao mesmo tempo existe sexismo por parte de mulheres. E nem todo homem é bandido como pintam as feministas e nem toda mulher é santa como elas mesmo dizem. Seres humanos possuem virtudes e defeitos. A luta para possuir mais virtudes que defeitos é uma constante em ambos os gêneros a procura de evolução.

-Mentira feminista 2: Este grupo de mulheres não são feministas. Isto é femismo. Feminismo é luta por igualdades e mimimimimi

A estratégia das feministas é usar a Falácia do espantalho que funciona assim:

Cria-se uma teoria/ algo/ pessoa, etc e atribui-se toda a culpa a ela em caso fatos mostram que mostram que feministas agem de modo insano:

Exemplos: Postamos inúmeros exemplos de atitudes feministas que beiram a selvageria, ataques de feministas contra mulheres contra o feminismo, o que gurus feministas pregam e a respostas das feministas que nunca estudaram o feminismo a fundo e ficam surpresas é
“mimimi isto é femismo mimimi feminismo é luta por direitos iguais”.

Feministas ao invés de observar ao seu redor e usar de senso comum tentam mudar o sentido das palavras faz um bom tempo. E indo além, elas preferem se apegar mais ao sentido das palavras do que nos fatos ao redor.

E fica a pergunta sobre esta falácia: se feminismo é luta por direitos iguais porque homens são completamente ignorados e mal falados pelas feministas que muitas vezes querem se comportar como homens?

Questione as feministas e mostre que você ainda pensa ao invés de ser um zumbi deste movimento esquerdista.

Homem feminista espanhol tatua o ânus em protesto contra Trump

Padrão

De Jean Wyllys aos artistas “interectuais” e outros que existem nas redes sociais sabemos como se comporta o maior capacho de todos os tempos: o homem feminista, que nem de longe é respeitado pelas próprias feministas. Aqui, mais um exemplo de homem feminista militante gay.

Nossos comentários em negrito temperam o texto 🙂

Com uma ‘intervenção artística’ controversa, o espanhol (A Espanha enfrenta índices de baixa natalidade graças as feministas e movimentos globalistas) Abel Azcona chocou uma plateia ao tatuar o principal slogan da campanha de Donald Trump no ânus. Sim, Abel tatuou a frase ‘Make America Great Again’ em volta do orifício anal na frente dos visitantes da Defibrillator Gallery, em Chicago. A sessão durou cerca de duas horas.

Abel, cujo trabalho já percorreu mais de 45 países (sim, pessoas, o mundo enlouqueceu) comparou as políticas de Trump às suas experiências sexuais quando foi abusado na infância:

— Fui adotado por uma família ultra-conservadora, e com múltiplas experiências de abuso sexual e infantil. O lema que eu tatuei no meu ânus é um lema fascista (fascismo é a luta por mais Estado, burrinho). Um lema que faz com que a Igreja, o patriarcado (homem feminista ateu detectado) e as pessoas desprezíveis como Trump possam usar e abusar de nós quando quiserem. É o mesmo que fizeram comigo quando eu era criança — contou ao site “Pink News”.

 Ativista LGBT (amigo espanhol do Jean Wyllys??), o “artista” explicou ter escolhido o ânus para a tatuagem por causa do forte simbolismo da região:

— O ânus é uma terra de prazer e empoderamento para muitos. E nós não vamos nos calar. Toda vez que eu cagar ou alguém me penetrar, eu passarei essa frase racista e homofóbica.

Esta não é a primeira polêmica promovida protagonizada por Abel. Em 2016, ele fez uso de Ketamina, droga que causa paralisa temporária, para uma performance.

Um europeu que nem vota nos Estados Unidos dando “openeaum”. Esses são os heróis dos eleitores da Hillary? Está aí mais uma explicação para a derrota dela. Reparem que tudo e todos são responsáveis pelos problemas dele. O mundo é coisa terrível para este rapaz que como diz Erin Pizzey usa dos seus traumas pessoais para atacar qualquer um. Ele se recusa a ver que Trump tem o apoio de gays anti-LGBT como Milo Yiannopoulos, finge ser cego ao achar o feminismo uma coisa linda, hippie e pacifista quando na verdade o feminismo é um movimento para mulheres de esquerda. E ataca o Cristianismo mas finge ser cego quando regimes ateus e islâmicos abusam de menores e maltratam gays.

Achamos que esta tatuagem no orifício anal dele não vai mudar o mundo em nada mas é assim que este bando de idiotas úteis se comporta. Passou da hora de desmascarar este tipo de homem feminista, uma criança mimada que faz birra para chamar atenção.

Aborto não é questão de saúde pública: desmascarando mentiras feministas sobre o aborto

Padrão

Dicas de filme da mulheres contra o feminismo: assistam o filme O grito silencioso. O vídeo que fez o maior médico abortista do mundo a lutar contra o aborto.

Desde que iniciamos o blog alguns anos atrás sempre sofremos ataques de feministas. E muitas usam das maiores mentiras e vitimismos para isso. Outras se dizem “contra o feminismo” mas usam de desonestidade intelectual e profunda falta de caráter e capacidade de pensar pois defendem a agenda feminista que inclui o aborto. Estamos acostumadas e basta usar um raciocino lógico para questionar as mentiras feministas.

Alguns exemplos abaixo:

1-  Aborto é questão de saúde pública

Sinceramente, aborto não é questão de saúde pública. Em uma nação como o Brasil aonde pessoas morrem aos milhares comprovadamente devido a falta de verbas, corrupção e outros fatores é infelizmente comum vermos pessoas internadas em corredores e com falta de suprimentos médicas básicos. E também poderíamos falar da prevenção de problemas de saúde e até como se prevenir de gravidez. Isso sim é questão saúde pública.

2- Milhares de mulheres morrem todos os anos por fazer abortos.

Se for verdade aonde se encontram os corpos delas? Ninguém consegue esconder tantos corpos assim…

3- Mas os abortos eram clandestinos.

Como as feministas sabem que eram milhares se os abortos eram clandestinos?

4- Mas eu sou alérgica a preservativos com látex e tenho problemas com a pílula. Sou especial.

Sentimos muito mas seu caso é uma MINORIA e aborto nunca vai ser método de controle de natalidade. Quem pensa assim é uma psicopata. Existem preservativos sem látex e tantos outros meios como bem sugerem as mulheres contra o feminismo do Reino Unido.

5- A mulher que aborta deve fazer o que quiser com o próprio corpo.

Correto, porém, o feto é um outro corpo e nunca vai fazer parte do corpo dela.

6- Mas o aborto deve ser liberado e pago pelo Estado.

Esta é uma das diferenças das feministas e mulheres contra o feminismo.

Mulheres contra o feminismo se responsabilizam pelo que fazem enquanto feministas sempre serão irresponsáveis e zumbis do estado.

6- As pessoas se comportam de modo responsável e podem fazer aborto.

Fale isso em lugar que tem carnaval e é conhecido mundialmente por baixaria e turismo sexual. O numero de abortos iria ser 10 vezes o normal.

7- Aborto como tudo que que existe deve ser liberado. A moral é relativa.

Ok. Vamos liberar o uso de drogas, assassinato e zoofilia então?

8- O aborto deve ser liberado pois muitas pessoas fazem clandestinamente.

Como as feministas sabem se isso é feito clandestinamente. Se este argumento de todo mundo faz vale, vamos pregar a corrupção e outra coisas imorais, afinal todo mundo faz, né?

9- Sou feminista paz e amor. Muitas crianças crescem sem pais. O aborto é uma alternativa.

Muita boa essa feminista que se inspirou no Tico Santa Cruz. Antes de deixar um ser humano nascer para ele viver e poder viver o seu destino, as feministas querem mata-lo antes deste ser nascer. Que bondade das feministas #SQN

10- O aborto liberado pelo governo é para proteger a mulher.

Diga isso na China comunista aonde meninas são abortadas aos milhares pois como medida governamental o governo chinês prefere meninos. Ops, o movimento feminista é esquerdista e fica calado sobre isso.

11- Mas na Europa o aborto existe. Coisa de primeiro mundo.

A taxa de natalidade anda em baixa na Europa. Décadas de lavagem cerebral feminista masculinizaram as mulheres e deixaram os homens efeminados. Relacionamentos e casamentos foram afetados. Isso e mais o aborto geraram uma baixa taxa dos índices de natalidade. E quem esta ocupando estes espaços? Os muçulmanos, os mesmo que tratam mulheres como escravas.

Image result for the new europeans muslim

Hora de acordar, meninas.

 

 

 

 

 

 

Feministas gaúchas protestam urinando no chão da Universidade Federal de Pelotas

Padrão

Querem saber mais sobre este câncer chamado feminismo? Comprem este livro adiantado a ajudem a publica-lo para dar mais um passo na luta contra o feminismo no Brasil. O livro o outro lado do feminismo foi publicado do mesmo modo.  Existem diversos planos. Clique aqui. Informação é sempre a melhor opção.

Agora vamos falar das feministas do RS e suas tradicionais atitudes nojentas que fazem pelo “nosso bem”.

Que fique bem claro: FEMINISTAS NUNCA NOS REPRESENTARAM.

As feministas mais uma vez fazem atos nojentos compatíveis com a personalidade de uma feminista. E quem paga mais uma vez é o povo. Mais uma vez isto se origina no Rio Grande do Sul, provavelmente o estado mais feminista do Brasil.

O saguão de entrada ao Instituto de Ciências Humanas (ICH) da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) foi palco de um ato de estudantes feministas. A manifestação contou com jovens sem roupas ou seminuas e teve como objetivo chamar a atenção para a violência contra a mulher e protestar contra o androcentrismo. O ato provocou a suspensão das aulas no ICH.

Pelo menos dez jovens dançaram e cantaram, encenaram situações de violência contra mulheres, como estupros, espancamentos e feminicídio. Algumas urinaram em baldes e jogaram nas paredes do prédio do instituto para protestar contra homens que urinam nas ruas. Outras consumiram bebidas alcoólicas durante o protesto e há relatos de uma jovem que teria se masturbado na rua.

Em uma postagem no Facebook, o Grupo Auto Organizado de Mulheres da UFPEL, que reivindicou o ato, declarou que a manifestação foi uma demonstração de “resistência” e serviu como “instrumento de arte” para divulgar a causa e a luta. Em um dos trechos, o grupo ironizou a reação das pessoas diante do protesto que “provocou desconforto em alguns, êxtase em outros e raiva — expressas em deboches, xingamentos e agressões físicas”.

“Aterrorizadas as pessoas não compreendiam, porque ‘meninas’ sem roupas, gritavam e urinavam em baldes — cena deprimente — ouvíamos a todo instante. Deprimente é a realidade dos fatos que apontam que nós mulheres somos expostas diariamente a homens urinando em público, mas isso é normativo em uma sociedade da normose, da doença da normalidade (sic)”, diz o texto da publicação.

Nas redes sociais, a repercussão foi grande. Muitas pessoas foram contrárias ao ato: “Isso não foi um protesto, foi um ato de vandalismo. Quiseram chamar atenção e conseguiram, mas vocês não estão sendo vistas como mulheres que estão lutando por direitos e sim por um grupo de baderneiras e ainda sujam o nome da nossa universidade.”

Uma mulher, também contrária ao ato, disse: “Não representam os direitos das mulheres, isso não é ser mulher. Não preciso fazer esse tipo de coisa pra fazer valer meus direitos. Deplorável!”

O Blog tentou contato com a assessoria de imprensa da UFPel, mas não recebeu retorno.

Mais uma vez repetimos: nenhuma feminista merece respeito. Os atos delas falam por elas mesmas.

Feminista comunista gaúcha Manuela D’Ávila quer doutrinar crianças e quem paga é o povo gaúcho, o otário da semana.

Padrão

A feminista comunista gaúcha Manuela D’Ávila é uma velha conhecida das mulheres que lutam contra o feminismo. Conhecida por ser uma patricinha rica e mimada que estudou nas melhores escolas de sua cidade Porto Alegre e gostar de viajar para os Estados Unidos, a moça defende o genocida regime comunista (o partido dela é comunista) e finge ser uma mulher do povo ao mesmo tempo que mama nas gordas tetas do Estado. Ela mora em um dos melhores bairros da sua cidade tendo do bom e do melhor.

Sabemos que nacionais socialistas (nacional socialista) e comunistas no passado sempre quiseram doutrinar crianças desde cedo. De Cuba a Coréia do Norte, indo até a antiga União Soviética e Alemanha nazista e hoje nos países feministas da Escandinávia a idéia de doutrinar e lavar cérebros para acabar com a individualidade, eliminar o senso comum e a lógica fazem parte desta turma ligada a esquerda.

Mas agora uma uma feminista comunista do Rio Grande do Sul quer fazer isso com crianças.

Esta semana a feminista comunista gaúcha Manuela D’Ávila postou no seu facebook uma escola de desprincesamento com claros objetivos feministas tentando desconstruir o que é ser menina. O movimento feminista tem uma clara aliança com o movimento GLBTS (militantes) que querem desconstruir o que papel masculino e feminino em nome de uma sociedade em prol da igualdade (um claro chavão da esquerda). Leiam sobre 5 exemplos de como a doutrinação ideológica atua na educação brasileira aqui.

O pior de tudo é que tudo isso vai ser pago com dinheiro PÚBLICO e o povo gaúcho vai pagar via impostos fazendo papel de otário enquanto o Rio Grande do Sul anda em crise devido a inúmeros fatores como bem mostra o site Spotniks.

Muitos estados brasileiros possuem políticos e lixos morais com muita hipocrisia. Jean Wyllys, BBB baiano gay esquerdista que dar ditar ordens sobre aborto mesmo sendo incapaz de engravidar uma mulher malandramente se candidatou por um partido no Rio de Janeiro que tem uma feminista comunista caloteira, Jandira Feghali, como deputada. Cada estado do Brasil tem os seus cânceres esquerdistas ou coronéis da política corruptos até a alma.

Mas o Rio Grande do Sul aqui se supera e para o pior. Possuem Luciana Genro, feminista defensora da ditadura venezuelana, a comunista Manuela D’Ávila e a Maria do Rosário, muito conhecida do nosso blog também. Todas feministas, esquerdistas, que vivem com conforto e vinda de um Estado inchado que vive da cultura de concursos  e com universidades que ao invés de ensinar lavam cérebros de estudantes. Causa e consequência da escolhas de um povo.

O que anda acontecendo com os gaúchos para elegerem tantas mulheres ricas, esquerdistas, feministas e psicopatas?

Feministas que sujaram a cidade de Porto Alegre odeiam as mulheres trabalhadoras

Recentemente, o Rio Grande do Sul mostrou como uma cidade dominada por feministas funciona. Feministas vandalizaram paredes da cidade com aquele mimimi feminista de sempre (aborto, machismo, oprimida,….). No outro dia, mulheres da secretária de serviços urbanos de Porto Alegre, foram obrigadas a limpar as sujeitas de feministas.

A menina de 14 anos que morreu dentro da sala de aula da Escola Estadual Luiz de Camões, em Cachoeirinha, Porto Alegre, nesta quarta-feira (8) teve os músculos do pescoço rompidos por conta da força que foi enforcada pelas outras estudantes

Na mesma época, uma menina foi enforcada e morta devido a motivos banais por uma gangue de meninas em uma escola de Porto Alegre. As feministas ficaram caladas. Imaginem se acontecesse algo como um menino atacando o que aconteceria?

Os gaúchos deveriam começar a ver o quer realmente acontece no estado deles e ajudar a eliminar este câncer que inclusive se alastra pelo Brasil.