Arquivo da tag: UFRJ

Marginais soltos, caos na segurança pública, marxismo cultural, valores invertidos e universidades marxistas.

Padrão

ufrgs

“Oi meninas. Tudo bem?

Meu nome é Adriana e sou do Rio Grande do Sul. Faz alguns dias eu me lembrei do que é escrito aqui no blog pois começo a perceber que é pura verdade. O que me fez pensar foi um debate sobre segurança aqui em Porto Alegre. Em resumo: dois marginais foram presos aqui em Porto Alegre depois de terem cometido um crime. Os marginais cometeram um crime e enquanto fugiam dispararam tiros em uma rua bem movimentada que poderia ter atingido qualquer pessoa. Os marginais depois foram presos graças aos policiais que deram uns sopapos neles.

Logo depois um jornalista aqui do sul, o Lasier Martins, fez um comentário no Jornal do Almoço, programa da RBS (filiada da Globo), defendendo os dois marginais que que foram presos pela BM na rua Cristiano Fischer, comentando que os “pobrezinhos” foram agredidos pelos  policiais. Lembrei do blog, do post sobre segurança que foi escrito sobre os problemas do RJ e SC (aqui) e pensei: Valores invertidos>governo e propagandas marxistas culturais> povo marxista cultural> problemas de segurança, caos social, terra sem lei, sem certo e sem errado.

Começo a perceber que isto é mais comum do que pensamos. Eu achava que estava sozinha quando pensava isso e agora entendo o porque. Aqui no Rio Grande do Sul ainda existe a Universidade Federal do Rio Grande do Sul que embora seja boa é um ninho de professores marxistas culturais que quase sempre defendem causas tortas por um “mundo melhor”. Os estudantes de alguns cursos da Federal daqui adoram chamar quem segue o senso comum de fascista e reacionário. Parece que eles vivem em mundo parelelo e fora da realidade.

Noto que é  por causa dos comentários destes que vivem fora do mundo real que nós POPULAÇÃO estamos cada vez mais encarcerados e notamos criminosos barbarizando a população, porque sempre tem alguém para defende-los procurando uma justificativa. Mas defender quem trabalha, estuda e é honesto ninguém quer. Talvez marxistas culturais sejam massa de manobra mas defendem de modo direto ou indireto por politicamente correto algo que deve ser condenado. Teve também uma mulher que filmou e mandou para o jornal o ocorrido e aposto que essa no dia em que for assaltada vai reclamar.

Por esse tipo de gente que esses criminosos se proliferam e nós pessoas de bem ainda temos que conviver com isso. Também não é mero acaso que dois importantes nomes do marxismo cultural no governo do Brasil como Tarso Genro e Maria do Rosario sejam daqui. Tarso inclusive é a favor da lei da imprensa que ao meu ver cheira censura e é o mesmo que defendeu aquele terrorista italiano. Talvez o RS seja o estado mais marxista cultural do Brasil infelizmente. Eu pessoalmente acho que a UFRGS é a universidade mais marxista cultural do Brasil. Muito estudante compra a idéia de ser visto como intelectual, moderno, sem regras que os professores marxistas vendem com o objetivo do mundo melhor em um modelo marxista. Por isso muitos apoiam o feminismo e causa assim, mesmo que depois se lamentem do estado da sociedade do Brasil, problemas de segurança, etc.

Conheço também pessoas que fazem mestrado ou doutorado no exterior em lugares até conservadores e ficam felizes com a objetividade e valores morais destes  mas que querem que  o Brasil se tranforme em Cuba ou qualquer outro estado marxista. Eu acho que nem os marxisas sabem do que falam e nem realmente acreditam no que pregam. Isto também vale para as feministas que vivem em um mundo fora da realidade. Por exemplo, no meu curso 80 é composto de outras mulheres e 20% de garotos. Se ainda fossemos oprimidas isso seria diferente. Sei que as mulheres sempre estudaram pois li isso aqui. Mas as feministas fecham os olhos para isso. Feminismo virou religião, assim como qualquer doutrina marxista cultural.

Publiquem o meu e-mail se acharem interessante. Obrigada pelo espaço.”

Adri

Recebido via e-mail no dia 18/04/2013. Deixamos aqui algumas  perguntas: Qual seria a universidade mais marxista cultural do Brasil? Os estudantes percebem que são doutrinados e se tornam massa de manobra como no caso de estudantes daquela professora, a Tatina Lionço, que defende teses absurdas e ganha para ainda para “pesquisar”? Os professores marxistas culturais percebem que são manipulados e manipulam criando uma cascata de valores invertidos que atinge a todos, inclusive eles mesmos? As pessoas realmente depois querem debater por acreditarem nestas mentiras marxistas culturais ou isto é somente hipocrisia para passar por intelectual e depois reclamar do caos no mundo sem fazer nadar para mudar?