Arquivo da tag: turismo sexual

Mark Manson, você pediu esta resposta….

Padrão

 

 

Se você não vive em Marte provavelmente viu alguém compartilhar no Facebook o texto “Uma carta aberta ao brasil”de Mark Manson. Um texto que viralizou na Internet por algum motivo. Devemos analisar com muita calma textos escritos no achismo por “gurus” de auto-ajuda como este, e principalmente, sem nacionalismos de “orgulho brasileiro cego” ou “raiva do Brasil por termos problemas de nos aceita” e cair no deslumbramento de achar que todo estrangeiro é um Deus (como foi o caso de pessoas que apoiam este tal Mark).

Mark Manson é um estrangeiro que veio ao Brasil atrás de festas e da imagem da mulher brasileira put@, jeitinho que ele agora critica e carnaval (bem, aquela que possuímos no planeta todo e que o blog Povo Deslumbrado mostra aqui). Mark tem textos no esquerdista Huffington Post e é um blogueiro que cria teses muito estranhas para ganhar dinheiro. E nas suas vindas e idas ao Brasil ele achou provavelmente terem sido suficientes pra entender nossa história e nossos problemas. Desculpe, pessoas, mas Mark não teve sucesso.

Os problemas do Brasil são:

1-Relativismo moral: desculpas do povo ou teorias de intelectuais/professores universitários para defender o indefensável (de crimes, roubos, corruptos, obras de engenharia social, lavagem cerebral em escolas por esquerdista, etc). Isto gera um grande abismo moral aonde sobra falta objetividade e leis duras para todos. O jeitinho surge aqui: e nem todo brasileiro adora o jeitinho;

2-Falta de liberdade econômica e alta intervenção estatal do Governo (impostos, burocracia). Cultura de depender do Estado ao invés de ficar livre dele;

3-Cultura do carnaval, samba, festa, praia e bundas que é defendida por nacionalistas como símbolo do Brasil. Mark, você por sinal veio para o Brasil procurando isso. E sua esposa ou namorada provavelmente “se apaixonou” por você como tantas outras fazem em Copacabana;

4-Negação dos valores base de uma sociedade como liberdade – responsabilidade, direitos- deveres. Negação das bases da civilização Ocidental como uma afronta nacionalista contra o sistema;

5-Culto ao passado como causa dos problemas: “somos assim por causa dos portugueses”, etc como se não tivéssemos tido tempo  o suficiente para iniciar uma nova fase.

6-Culto ao esquerdismo aonde intelectuais e políticos ainda acham o esquerdismo como melhor sistema. Os políticos oposicionistas (salvo Bolsonaro e alguns outros raros) não são nada mais ou menos que coronéis dos tempos modernos.

Em resumo, Mark. Isto nos falta e em nenhum caso você acertou. Tudo isso que citamos acima é o que faz uma nação desenvolvida e faz a sua nação ser o que é. O que você fez foi criar um post de achismos taxando brasileiros. Existe muito brasileiro e brasileira que detesta carnaval, baixaria que você veio procurar aqui e outros ainda trabalham muito.

Mark, você confessa que veio aqui atrás de sexo e carnaval, aquela imagem estereotipada que os gringos acham e piriguetes, funkeiras, feministas, nacionalistas e carnavalescos ajudam a divulgar (mas depois se fazem de vitimas). Mark inclusive você é autor do livro “Models: Attract Women through honesty”, e  se tornou sub-celebridade de internet pois uma pessoa “aleatória” lhe ofereceu dinheiro para ajudá-lo a conversar com garotas.

Você veio ao Brasil atrás daquele estereotipo do jeitinho. Irônico, não?

Engraçado. Agora você e um brasileira estão a se casar (golpe do passaporte??) e esta brasileira o ajudou a escrever um texto  demagogo, preconceituoso, cheio de rótulos sem noção, atravessado por avaliações fajutas de quem tem conhecimento igual a 0 sobre história, economia e sociologia.

Lindo que neste texto você, Mark, fala de tudo menos dos fatos em si que são a causa dos problemas do Brasil.

Muitos brasileiros numa dessas irão dizer que “Mark apenas generalizou a triste verdade, que o problema do Brasil está no DNA, nascido desde os tempos de colonização”. Por outro, lado os brasileiros esquerdistas que pregam um antiamericanismo irão culpar agora qualquer estrangeiro por tudo. E Mark vai ganhar dinheiro com mentiras polêmicas e vai ter o status de guru para desinformados.

Ambos os grupos de brasileiros erram feio. E basta ser um pouco perspicaz, segurar o nacionalismo ou revolta e pensar.

Para finalizar, Mark….

Mark os problemas do Brasil existem em qualquer outro lugar no mundo. Porém, em muitas nações isto vai ser pior ou melhor.

Mark, você era (ou é) um turista sexual. Sua mulher provavelmente se “apaixonou” por você para ter direito de entrar nos EUA.

Sua vaidade , amor pela demagogia e falta de conhecimento em criticar os fatos que são os nossos reais problemas podem lhe dar fama para desinformados. Mas para quem ainda pensa, você é somente mais um trambiqueiro e turista sexual.

Carnaval-Copa do mundo: Mulher brasileira é prostituta, Brasil é terra de bundas e as camisas da Adidas.

Padrão

Como muitos já sabem, a Adidas resolveu fazer camisas “homenageando” a  nossa cultura. Claro, com bundas. Vejam a imagem abaixo:

Ou seja, o estrangeiro enxerga o Brasil assim e o Brasil se VENDE assim pois  ser brasileiro ou brasileira é “adorar carnaval, futebol, samba e praia”. Observem:

Nossas escolas que deveriam educar relativizam o certo e errado e afirmam que isso é ” nossa cultura”. Vejam abaixo:

Este post passa longe de querer comandar a vida sexual alheia. Ele tem como objetivo questionar esta hipersexualidade pregada por feministas que querem se comportar como o cafa que elas dizem odiar amparadas na muleta da liberdade (como se vivessem no Oriente Médio rsrsrs), na total falta de responsabilidade aliadas a lógica  e principalmente o resto nada prazeroso disso tudo: a fama do Brasil de terra do turismo sexual e a fama de prostituta da mulher brasileira mundo afora que atinge qualquer mulher brasileira.

E sobre as camisetas?? O governo brasileiro fingiu um ataque de histeria com tal fato das camisetas. A patrulha politicamente correta saiu da toca, deixou o ufanismo tomar conta das emoções, e bradou: “Isso não. Somos “o império brasileiro agora na moda com a Copa aqui no nosso quintal”. Mas o fato é: A bunda feminina brasileira é um dos grandes atrativos nacionais no mercado de turismo internacional. Mulher brasileira no exterior é vista prostituta, vulgar, fácil. Todos sabem disso basta uma rápida procura na internet. E não é obra que se constrói em pouco tempo não…Enquanto alguém viaja para o exterior para ver a natureza, fazer compras, provar novos pratos, etc, o turista estrangeiro na sua maioria sabe que o Brasil é terra de bundas, sexo com um certa facilidade, futebol, carnaval, praias, turismo sexual e mais bundas.

Mas devemos ir procurar a fonte do problema….sem cair na coletivismo ufanista.

O Carnaval vem aí. A nosso cultura e nossos valores são relativizado e estereotipados ao extremo. Mais algumas toneladas de bundas de fora, rebolando, para todos apreciarem, a começar pela Globeleza (daquela Globo “conservadora”demais, né?). Os cartões postais são conhecidos: aquele bundão da mulata com o Pão de Açúcar ao fundo. Liga a TV: bundas rebolando, em tudo que é programa, desde Chacrinha, até Faustão, Caldeirão do Hulk, Pânico, etc. Baile funk: bundas, e mais bundas, descendo até o chão ao som de tá-tá-tá-tum-tum. Funkeiras louvado o seu feminismo e dizendo que surram com a bunda, adoram dar e distribuir. Há bunda pra todo lado. Somos o país das bundas. E tal imagem reflete algo ainda mais forte visto aos olhos de uma pessoa estranha a nossa cultura: o Brasil é uma terra de mulheres no cio e de extrema facilidade no assunto sexo. E tudo isso com o APOIO das feministas “meu corpo, minhas regras, fortes e modernas”. Vejamos:

Se alguém dizer que detesta carnaval (que nem uma festa brasileira é), ufanistas defensores de samba, axé e funk irão dizer que quem não gosta destes estilos musicais não é brasileiro de verdade. Hermes e Renato fazem piada com este assunto (veja abaixo) e lembram muito a feminista que postou aqui dizendo que brasileiro de verdade detesta rock por este ser capitalista opressor machista reaça (vejam o post aqui). Pois é, feminismo é doença mesmo….

O BBB deputado feminista Jean Wyllys e outros socialistas acham legal dar curso curso de inglês para prostitutas para melhor servirem durante a Copa do Mundo. Enquanto isso para taxistas, donos de restaurantes, pessoas que lidam com turistas, etc ….nada. Coisa de governo socialista que vive fora da realidade e pensa que ser mulher brasileira forte e moderna é ser piriguete, prostituta.

Outras feministas como a Tatiana Lionço querem que as crianças entrem na brincadeira e tenham direitos “sexuais”. Postamos sobre isso no passado. Procurem no blog.

E o que falar da prostituta-piriguete que pegou o turista sexual cantor teen Justin Bieber e postou na internet mundo afora? Feministas amam defender este tipo de garota e relativizam elas colocando-as no mesmo patamar de uam dona de casa, nutricionista, professora, etc. O piriguetismo é total filosofia feminista total “corpo dela, regras dela, faço o que quero, mulher forte e moderna”. Tal “jenia que pegou o Justin” quer copiar o comportamento do tipo de homem que deveríamos evitar. Nosso post sobre o tema pode ser lido aqui.

Em épocas de carnaval podemos ver em aeroportos e outros lugares cheios de turistas propagandas como: “Nesse carnaval o Brasil estará distribuindo X milhões de camisinhas gratuitamente. Com AIDS não se brinca.” E este é o mesmo tipo de propaganda que vai ser feito durante as Olimpíadas pois como disse a nossa presidente “Vamos trazer uma escola de samba e arrasar na abertura”. Ou seja, mais bundas. Nessas horas ninguém fala nada.

No Brasil, fora escola aonde alunas dançam funk,  feministas fazem tese de mestrado defendendo a funkeira Valesca que canta “traz a bebida que pisca, parei de dar e vou distribuir, hoje virei put@, etc.” Vejam:

Se alguém residiu ou reside no exterior sabe o que é o Brazilian day. Nele podemos ver brasileiras que adoram mostrar a bunda e toda a festa é feita em homenagem ao axé, samba, carnaval e mais bundas. Ser brasileira é sempre algo a ver com bunda e o pior, isso trazido por parte de mulheres também.

Se alguém for em algum salão de beleza feminino no exterior ou no Brasil vai saber que o que mais acontece é ter mulher brasileira alimentando o turismo sexual de um modo bem feminista. “Faço o que quero com o meu corpo e peguei muitos gringos ontem na balada, etc”, “Adoro ter marido GRINGO ou somente quero me casar com GRINGO, etc”. Mulher brasileira que vai viajar no exterior adora pegar-dar-distribuir para estrangeiros para contar para as amigas depois. Uma parte da mulher brasileira “feminista, forte e moderna” hoje faz turismo sexual. Do outro lado temos o turista sexual que tem na mente aquela fantasia da brasileira fácil, do carnaval, das bundas e nestas horas um alimenta o outro.

Ah, mas a culpa é do machismo? Sério.  Tentem  em um salão de beleza feminino falar de mulher para mulher e condenar estas mulheres acima como piriguetes, falsas conservadores e prostitutas que jogam a nossa imagem no lixo e que são vistas como modelos de comportamento em TVs, desfiles, na sociedade . Condenem as funkeiras nos bailes funks. Questionem o carnaval. Tentem dizer para todas elas mostrarem mais sobre o lado bom do Brasil ao invés de estereótipos para estrangeiro ver. Se você for homem como pai, marido, namorado, irmão tente  falar com uma destas criaturas para maneirar na sua “brasilidade” bundalizada. Elas irão taxar vocês de machistas rsrsrsrs. Entenderam? Nós também não.

Em resumo, possuímos os turistas sexuais de verdade, possuímos a falsa brasilidade de que temos que amar samba, axé, funk, carnaval pois para ufanistas isto é ser brasileiro ou brasileira ( o povo alegre que todos gostam mas ninguém respeita) e por outro lado temos todo um aparato construido por relativistas morais e feministas que abusam da falta de responsabilidade, invertem valores, usam de coletivismo barato, propaganda feminista e vitimismo aliados a impunidade.

Sem hipocrisia. Um país que faz de tudo para colocar a bunda das mulheres no topo da hierarquia dos valores nacionais com apoio de feministas que vandalizam a nossa cultura e nossos valores sociais e familiares, um lugar que prega a falsa brasilidade do samba, carnaval,  agora querer ser moralista e fingir não saber a causa do problema? Vamos acordar, meninas e ver que o problema parte de uma parte do povo brasileiro e da parcela tanto masculina como feminina. E as feministas apoiam isso com relativismo moral e falta de responsabilidade pelos próprios atos.

Justin Bieber, Tati Neves, turismo sexual, brazilian day: Rebatendo feministas e simpatizantes que adoram dizer a frase “se o homem pega todas, mulheres pegar geral também”.

Padrão

Slide1

Qualquer feminista ou simpatizante sempre diz esta frase: “se o homem pega todas, mulheres podem pegar geral também”.

Outras se ofendem e usam do politicamente correto quando chamamos uma piriguete de piriguete. Feministas defendem piriguetes com a frase feminista“meu corpo-minhas regras”.  Feministas defendem a Valeska Popozuda. Feministas gritam que fazem o que querem com o corpo delas, etc e etc. Feministas se taxam de vadias. Dizem ser contra a mulher objeto e o turismo sexual. E quase sempre a liberdade se transforma em desculpa ou muleta intelectual para elas agirem.

Pois bem. Quais são os fatos reais sobre isso tudo que elas falam?

Na sociedade Ocidental a liberdade existe e muito difere de outras sociedades. Aqui, mulheres e homens possuem um grande grau de liberdade. Uma mulher casa, faz sexo, trabalha e  namora com quem escolhe e porque QUER (e tudo isso sem dever nada ao feminismo mas aos costumes atuais e a fatos do passado como a II grande guerra). O mesmo vale para o homem.  Isso tudo na grande maioria dos casos. Hoje, uma mulher se veste como quiser e inclusive faz com o corpo dela o que quiser . Postamos sobre isso no passado. Qualquer pessoa pode usar o termo chulo ” pegar quem quiser”. Umas pessoas homens e mulheres inclusive pegam animais. Aquela coisa: papo feminista relativista moral mimimi “meu corpo minhas regras”. Qualquer uma/um pode pegar quem quiser mas nem todo mundo é obrigada/o a aceitar este tipo de comportamento que muito difere de um relacionamento amoroso  sexualmente e emocionalmente saudável.

Nesta onda de liberdade, o assunto mais falado nas redes sociais  foi o da brasileira ( infelizmente) que postou um vídeo no youtube com Justin Bieber na cama,  indo embora após supostamente ter feito sexo com o cantor em sua passagem ao Brasil. E não demorou muito para a identidade da garota que filmou o cantor dormindo, na casa alugada por ele no Rio de Janeiro, ser revelada. Se trata da “modelo” carioca Tati Neves. Além de postar diversas fotos de biquíni nas redes sociais – e de falar que o cantor tem o p@@@o  pequeno –  ela participou de concursos na Rede Globo (que idiotas dizem ser conservadora) deste ano. MAIS UMA piriguete (que feministas amam defender) joga o nome da mulher brasileira no lixo. Links de todo o mundo apontam mais uma vez o Brasil como terra de prostitutas, turismo sexual, etc.

Resumindo: a piriguete ( que feministas adoram defender com  a muleta de liberdade) QUIS fazer sexo com algum famoso que veio aqui fantasiando o que mundo fantasia: mulher brasileira= p@ta,vagabunda, etc. Brasil, terra do turismo sexual. A garota fez isso porque quis mas o relativismo moral feminsita DEFENDE ela como defende qualquer outra que se comporte com ela se comportou.

Aqui entra o feminismo mais uma vez que adora fugir da realidade ( E DA RESPONSABILIDADE). Vejamos o que as feminstas pensam nestas possibilidades:

Caso A – Se Justin Bieber tivesse estuprado a “modelo”  e fizesse sexo com ela sem ela querer, a culpa seria do “machismo”. Fato que as feministas negam: Estupro por sinal sempre foi crime.

Caso B- Se ele fizesse turismo sexual (viajar para outros lugares como intuito de fazer sexo) e ela não  quisesse (isso seria estupro também), a culpa segundo as feministas seria também do “machismo”. Fato que as feministas negam: Turismo sexual é uma coisa vista como negativa e novamente estupro sempre foi crime.

Caso C- Se uma garota que dorme com um turista sexual porque quer (afinal, mulheres fazem sexo com quem querem) a culpa também é do “machismo”. Fato que as feministas negam: filhas, neste caso aqui a garota ESCOLHE FAZER SEXO COM UM TURISTA SEXUAL. Cade aquela frase “meu corpo-minhas regras” agora? Aqui em geral o feminismo faz vitimismo e inocenta a garota. 

Caso D- Alguém taxar uma piriguete de biscate por jogar a nossa fama ainda  mais no lixo. Nest casos segundo as feministas a culpa/ responsabilidade não é das piriguetes (frases feministas surgem nesta hora: meu corpo- minhas regras, sou pu@a, sou funkeira, sou forte e moderna). Culpados/as? A culpa é de quem questiona as feministas e as piriguetes pois estas usam o corpo como quiserem. Fato que as feministas negam: responsabilidade.

Não estamos defendendo o JB e nem iremos defender qualquer outra pessoa que venha aqui fazer turismo sexual. Mas a falta de honestidade feminista chega a dar nojo. Piriguetes “fortes e modernas que comandam e escolhem” (que feministas amam defender) ESCOLHEM SAIR COM UM TURISTA SEXUAL nojento e depois o movimento feminista vem dizer que o “sistema e a sociedade” oprimem a piriguete quando ela usou a liberdade dela para sair com um cara que deveria ser evitado. Assim, funciona o feminismo: vitimismo e falta de responsabilidade.

Isso nunca foi novidade. Se alguma pessoa aqui teve  o azar de passar perto do tal Brazilian day (festa para brasileiros no exterior) vai perceber que o que mais existe é piriguete se enrolando na bandeira do Brasil e se jogando para cima de turista sexual ou qualquer homem estrangeiro durante esta tal festa. Mulheres deste tipo como elas e a tal “modelo” carioca Tati Neves nos envergonham e nos jogam cada vez mais no mapa de turistas sexuais. Elas adoram dizer a frase “se o homem pega todas, mulheres pegar geral também” sem questionar se o que elas fazem é certo ou não.  Elas adoram se apoiar na muleta da liberdade e esconder que elas MESMAS apoiam o turismo sexual.

As feministas com extrema desonestidade intelectual relativizam tudo e comparam Oriente, Ocidente  e relativizam tudo. O discurso feminista inocenta mulheres como estas abaixo que exibem um comportamento duvidoso e jogam mais a nossa fama no mais profundo lixo.  

Olhem a tal oprimida que alimentou mais a nossa fama e virou a nossa cara do exterior: http://uk.omg.yahoo.com/gossip/the-juice/justin-bieber-brazilian-tati-neves-secretly-films-him-hotel-room-bed-leaks-footage-twitter-122402507.html

Esta outra aqui posta fotos no facebook deste tipo: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=574715795888246&set=a.574715745888251.145594.100000494930983&type=1&theater

Lembram muito a feminista Valeska Popozuda com o relativismo moral que aumenta mais a fama do Brasil de terra do turismo sexual.

valesca popozuda Londres vergonha

v2

E essa outra abaixo que vive nua ao redor do mundo carregando a bandeira do Brasil?


544070_555135164508495_921475787_n

A mídia feminista: de Marília Gabriela a Andressa Urach, site yahoo, Globo e novelas

Padrão

Não é de hoje que Marília Gabriela  e outras pessoas representantes da mídia se mostram feministas ou apoiam o feminismo diretamente ou indiretamente. Mesmo que digam pregar uma coisa, adoram fazer o oposto, afinal a coerência nunca foi forte do feminismo. E aqui podemos incluir Marília Gabriela que representa o feminismo metido a intelecual-superior e Andressa Urach, que representa o feminismo 50 tons de cinza /estilo piriguete, este muito mais popular no Brasil.

Mas aonde surge aqui a incoerência da feminista “intelectual” Gaby?

A “jornalista” Gaby entrevistou a “modelo” Andressa Urach no seu programa e esta contou que sofreu abuso sexual quando era menor (dos 2 aos 8 anos). Como é de se esperar todo o mundo vai ter pena dela, afinal abuso sexual é coisa séria, crime extremamente sério. O estranho é que esta “modelo” é aquela que vira e mexe fica nua no Twitter. Ela é aquela mesma que é sempre candidata a miss bumbum Brasil. Pior, ela é aquela mesma que foi a Paris tirar a roupa e ficou enrolada na bandeira do Brasil. A mesma que fez a mesma coisa nos Estados Unidos. Ela é a mesma que foi para Londres durante os Jogos Olímpicos e também ficou quase nua e usando roupas com a bandeira do Brasil. Na verdade, ela usa de qualquer contexto para tirar a roupa e chamar atenção dizendo que é brasileira. Fora os boatos que era garota de programa. Mas se alguém questionar isso é “mulher machista”, “Amélia,”, “santa do pau oco,”etc.

Ela é a mesma que conta a sua vida sexual aos quatro ventos e diz que isso é ser “moderna e bem resolvida”. Ela é a mesma que diz ser bi, tri, pentasexual. Ela é a mesma que faz fotos vulgares em fotos para ginecologista ver e diz nos representar como mulher brasileira no exterior pois somos “lindas,sensuais e marvilhosas”. E depois disso tudo ainda exige respeito pelo seu “talento”. No mundo feminista de hoje politicamente correto devemos aplaudir esta garota ou ficarmos quietas afinal ela é “livre e faz o que quer” mesmo que jogue a nossa imagem no lixo.

Ou seja, ela faz de tudo para chamar atenção. Claro que ela pode estar falando a verdade sobre o abuso. Mas aqui surge a questão: Que coisa estranha.Ela sofre abuso sexual, e depois passa a venerar a própria bunda. O coerente seria ela ficar traumatizada, ter até medo de sexo e não venerar sexo/bunda e ser vulgar de doer.

Esse é um assunto muito sério, mas vindo dessa “modelo”, fica a dúvida, se não é apenas uma declaração, para continuar em evidência na midia como ela sempre faz ao mostrar o corpo e usar de temas tensos para aparecer. E quem lembra de sofrer abuso com 2 anos? Sofreu abuso durante 6 anos e não disse a ninguém? Ela não parece nem um pouco abalada ou carregar algum trauma. Talvez isso agora tenha virado moda (Xuxa?). Abuso sexual é um assunto sério que gera muitas outras coisas sérias. Tudo deve ser apurado com calma. Sendo comprovado o abuso, a cadeia é o caminho, seja para mulher ou homem. Mas tudo deve ser investidado, comprovado. Isso é justiça.

Mas e a Gabi? A feminista intelectual Gaby que deve repetir frases feitas feministas, ser contra o turismo sexual, contra a vulgaridade e pelo direito da mulher se valorizar acaba entrevistando a outra feminista que age de modo completamente inverso mas diz ter sido abusada. Logo, nesta sociedade politicamente correta a garota se blinda de outras perguntas e do seu estranho modo de agir. E tudo fica por issm mesmo. A coerência que deveria aparecer, é esquecida propositalmente pelas feministas.

Mas isso aconteceu no passado também. Gaby entrevistou a funkeira Valeska Popozuda e durante a entrevista deu muito apoio a funkeira que é a vulgaridade em pessoa e usa de vitimismos marxistas culturais para vender o seu “trabalho”. Ora ninguém pode questionar a sua incoerência por ser mulher, ora por ter vindo de uma classe mais pobre, ora porque “canta” funk e ser contra funkeira é preconceito,etc. Neste programa Gaby deixou a entender que colocar silicone e ser uma mulher bunda é legal pois “alguns homens também colocam no peitoral”. Logo a culpa é da sociedade machista e tirou a responsabilidade da funkeira que também diz representar a “verdadeira mulher brasileira e o Brasil”. Tudo completamente feminista, né?

A mesma Gabi ao entrevistar um doutor que falava da descoberta da pílula anticoncepcional masculina e da revolta feminista contra esta excelente descoberta gerou, acabou defendendo as feministas e tirou a responsabilidade do movimento feminista neste assunto sério para colocar a culpa na personalidade masculina vista como “neurótica”. Outra amostra de feminismo da jornalista sem credibilidade Marília Gabriela.

Podemos perceber na verdade que a feminista metida a intelectual apoia a vulgar e a vulgar vende a sua vulgaridade como “normal, algo bom e moderno” se apoiando na intelectual, porque ambas são feministas. Pouco importa se uma represente tudo o que a outra diz detestar. Basta que tudo isso de ibope e venda bem. Basta que isso suporte o feminismo e venda o feminismo como algo “bom, moderno, perfeito e futurista”. Pouco importa o caos que isso gere.

Se olharmos as novelas da Globo é a mesma coisa. Olhem como qualquer exemplo de mulher e homem que em nada são exemplares fazem sucesso. Enquantos os personagens bons nunca são valorizados. Isto vale o mesmo para o nosso dia-a-dia.

Voltando a nossa imagem, a mulher retratada como vulgar, baixa, prostituta, isso ou aquilo é sempre a “coitada, guerreira, exemplar, que sofreu”. Mãe solteira mesmo que sinta a falta de um companheiro para seus filhos é sempre a melhor se comparada a uma mulher casada decente. Bunda e vulgaridade é mais importante que exemplo, respeito e valores. Ser funkeira é ser mulher emancipada. Transar com qualquer um é ser moderna. Detestar funk é ser quadrada, recalcada. Se alguém for professora, médica, freira, estudante, dona de casa, empregada doméstica, uma pessoa normal, perde valor. Se alguém somar para a sociedade pede valor, se alguém disser que tem marido, namorado e o ama assim como ama os seus filhos, perder valor. Se alguém falar que acredita em valores familiares, em certo e errado é moralista. E a mídia feminista exalta sempre as de pior exemplo com o apoio das intelectuais que acham isso moderno (marxismo cultural puro).

No site do yahoo existe uma jornalista que adora pregar o feminismo e falar o que for de sexo. Adora dizer que tudo é liberado e ninguém pode julgar ninguém. Esta feminista teve até a idéia de defender a protagonista do livro 5o tons de cinza e o Mr Grey. Mas e quem discorda dela? Machista, antiquada, Amélia, etc. Pior é estas pessoas quererem ensinar sobre sexo por serem feministas “modernas” sendo que as gurus feministas que comandam elas pregam que quem faz sexo como homem porque quer apoia o estupro. Falamos sobre isso aqui em posts passados.

O que o feminismo quer é atrair a maior quantidade de mulheres que puder. Elas nos misturam todas em um grupo e colocam a culpa nos homens e no sistema. Elas usam de palavras de ordem (made in marxismo cultural) para tentar unir este grupo todo. Criam desculpas para umas que se comportaram de modo errado desde que elas acompanhem o feminismo. Ser coerente é com o que dizem pregar é pouco importante. A hipocrisia atrapalha na hora. Por isso o relativismo moral é uma arma feminista muito usada. Ninguém sabe quem é quem. A mídia feminista, de Marília Gabriela a Andressa Urach, site yahoo, Globo e novelas apoiam tudo isso.

Feministas e a hipocrisia feminista: “Meu corpo minhas regras, faço o que quero sem dever nada a ninguém”?

Padrão

valesca popozuda Londres vergonha

v2

Soubemos que a tal funkeira feminista adepta do “meu corpo, minhas regras, faço o que quero sem dever nada a ninguém” foi visitar a Europa  e fazer shows para divulgar a real “cultura brasileira” 😦

A “cantora” funkeira feminista vulgar além de ser uma mentirosa, foi se prestar a ir empinar a bunda perante um guarda em frente ao castelo da rainha da Inglaterra, um lugar que deve ser cheio de turistas. Nos informamos mais e ficamos sabendo que ela viajou por toda a Europa fazendo os seus shows de mau gosto e dizendo que isso é a “cultura do Brasil.”

mulher brasileira prostituta

Recebemos da leitora Vanessa Moura, algo pior, muito pior. A leitora nos enviou o endereço de um blog aonde outra mulher brasileira normal se lamenta da péssima fama que possuimos ao redor do mundo. Neste blog a autora postou a foto de um cartaz feito por uma garota de programa, enrolada na bandeira do Brasil fazendo publicidade de um bordel  estrangeiro e onde é escrito uma frase  liberal tipo “sem censura/ vida louca”. A autora do texto também reclama da nossa fama e de como somos vistas no mundo. Sim, somos vistas como prostitutas, mulheres vulgares e de extrema facilidade. Post do blog da Carla aqui.

544070_555135164508495_921475787_n

Para finalizar, outra leitora enviou fotos de uma ex- latinete vulgar que se orgulha de ter bunda/ ser objeto e vive fazendo fotos com pouca roupa ao redor do mundo em eventos mundiais e sempre fazendo questão de dizer que é brasileira. Ela faz isso no facebook ou no twitter. Ela age de modo igual a funkeira: repete “meu corpo, minhas regras, faço o que quero sem dever nada a ninguém”, diz que quem discorda dela tem inveja, que não pode ser julgada por ninguém, que quem discorda dela é machista que enxerga o corpo feminino como algo podre, que a sociedade é machista, etc.

Podemos notar que a latinete, a funkeira parecem estar felizes e fazem isso porque querem. O mesmo deve acontecer com prostiutas que usam o corpo delas por livre escolha e relacionam isso a fama de serem brasileiras para ganharem dinheiro.

Se formos conversar com uma feminista ela provavelmente vai repetir as frases da latinete vulgar como sempre fazem. Uma feminista provavelmente vai dizer que “ela tem o direito de fazer o que quer, afinal, o corpo é dela, que ela não pode ser julgada, que isto é um direito individual, que ela não representa ninguém a não ser ela, que tudo é culpa do machismo e do patriarcado que olham o corpo feminino como vulgar, que a nudez é uma coisa normal pois quando vivivamos nas cavernas andavamos nuas”  e todo este tipo de argumento feminista marxista cultural.

Isto prova que o feminismo é um movimento burro e feito por extremistas cegas. E que o feminismo muito colabora para esta nossa triste imagem.

Feministas são incapazes de diferenciar o grupo B do grupo C, feministas imaginam um mundo de utopia e são tão covardes que são incapazes de questionar uma outra mulher que age de modo errado SIM. Que vergonha em admitir isso, que medo. E sim, estas piriguetes infelizmente nos representam quando se enrolam na bandeira do Brasil, quando vivem dizendo que são brasileiras e andam peladas. Nos representam porque esta propaganda infeliz que elas fazem nos atinge mundo afora por falarmos o mesmo idioma ou por elas darem a entender que em terras brasileiras ser assim é normal, que isto é ser mulher brasileira.

Estas infelizes se escondem por de trás de frases feministas para fugir da própria responsabilidade e evitarem de serem julgadas (bem, isto é muito feminista). Fazem isso para ganhar dinheiro de um jeito pouco nobre, aonde a hipocrisia de ser uma mulher objeto nesta hora vale a pena pelo dinheiro ganho e tudo isso porque querem, por livre escolha. Pior é o governo de Dilma que comprou esta idéia e quer mostrar “mulata, samba e mulheres nuas” na abertura de futuros eventos importantes aqui no Brasil.

Mas o feminismo é incapaz de separar isso e deixa a entender que elas são oprimidas. Logo, o feminismo é incapaz de pregar liberdade individual e responsabilidade juntos. A cegueira feminista é coletiva por isso repetem frases de ordem nada objetivas enquanto o problema se torna pior. Para as feministas tudo isso é obra de alguém, de algo mais forte. O tal patriarcado. Pois bem, se todos homens obrigassem estas garotas a fazerem isso, concordariamos. Mas o que acontece se mulheres assim agem por livre escolha? Segundo, as feministas melhor esconder, censurar e fingir que é um caso isolado e deixar o problema a crescer por medo de questionar alguém. Percebemos é que o patriarcado hoje nada mais é que uma mentira contada para nos assustar, para termos medo e nos jogar em meio as feministas.

Mulhres exploradas existem? Sim, existem. O que podemos ver é casos de bandidas e bandidos que traficam mulheres para o exterior, casos de criminosos que exploram outras pessoas. Este é um caso e hoje é retratado em novelas. Mas é um caso de crime e criminosos (homens e mulheres) que exploram outra pessoas. E isto é crime, não é algo tolerado como dizem as feministas. Tais criminosas e criminosos merecem ser punidos e isso acontece pois é lei.

O segundo caso são os das fotos acima, aonde piriguetes, prostitutas e afins usam de vitimismo para não serem julgadas e colocam a culpa em alguém que pode ser a religião, homens, mulheres contra elas, o governo, etc, mesmo que tenham agido por livre escolha. Elas se defendem com frases feminisas, o feminismo para atrair mais pessoas usa de utopia e frases marxistas culturais isenta estas pessoas de responsabilidade, usa defalta objetividade ao solucionar estes problemas e uma bola de neve se cria.

Ao mesmo tempo, existe quem consome o produto. Homens, mulheres. Isto muito é usado como desculpa para as feministas minimizarem a responsabilidade individual e assim elas colocam a culpa no sistema. Na verdade, drogas e prostitutas sempre existiram e irão existir. O problema é nos basearmos por baixo, no pior, nos consumidores para justificar a falta de responsbilidade e tentar diminuir o problema. Este modo de criar desculpas é muito marxista cultural, pois nega a responsabilidade da pessoa para culpar alguém, justifica tendo o consumidor como desculpa e adiciona-se frases prontas de ninguém poder julgar nada, nada é errado (puro feminismo). Assim a bola de neve cresce até explodir. Se adotassem a idéia de que a responsabilidade é nossa, do uso consciente na nossa liberdade individual muita coisa mudaria 🙂

Algumas outras mulheres contra o feminismo opinam sobre o assunto:

“Feministas tendo ataques por dizer que ela “pode fazer o que quer com o corpo dela, ninguém pode julgar e achando a atitude dela contra o patriarcado, libertadora e tudo o mais”. Estas mesmas se lamentam da imagem da mulher brasileira. Modo feminista de pensar. Vergonha que existam mulheres assim, uma hora fortes, outra hora que fazem vitimismo para amenizar os seus erros.”

V.M.

“Fui à Alemanha em Dezembro. Viajei com croatas e eles me perguntavam de onde eu era: Quando respondi Brasil, caíram na risada. Brasil é país prá se fazer festa. Mulher lá é prostituta. Gente! Como me entristece saber que as mulheres são mal vistas lá fora e até mesmo as pessoas sérias pagam por isto e ainda vendemos este escândalo chamado carnaval e importamos a Marcha das Mulheres (respeitado às que merecem). Não vejo sentido chamar a minha classe de Vadia.”

S.G.A

“Feministas sempre defendem mulheres como elas e similares usando da desculpa de liberdade de usar o corpo, para justificar qualquer modo vulgar, nojento e ainda mentem nos representar. Como fica a mulher brasileira nisso tudo com um fama atual ruim? Cada vez pior. Estas terroristas perderam a capacidade de pensar. Isto é deplorável. Muita feminista defende esta mulher ou outras parecidas a ela. Vergonhoso.”

J.S.R

“Muito bem dito aqui: é por isso que as brasileiras são mal vistas em outros países… por causa dessas aberrações aí de cima como a tal popozuda, todos acabam julgando de forma universal as brasileiras. Que extrema falta de educação a atitude dela. Então é isso que ela quer, levar esta imagem deplorável das mulheres para outro país? É como também já foi dito: isso nem merece ser chamada de mulher!!!!”

P.C.J

“Se fosse um homem que fizesse algo semelhante para com policial mulher, as feministas diriam que foi machismo, falta de respeito etc! Claro que NÃO defendo que homens o podem fazer, só estou a mostrar a contradição feminista!”

T.M.

“Meninas, existe um porque disso tudo. Muita brasileira mistura a idéia de liberdade e libertinagem e ela mesma alimenta este ciclo embora tire o corpo fora e culpe o machismo em certas horas para fugir do julgamento. Vejo isso direto aqui na Europa e por isso evito dizer que sou brasileira. Muitas outras brazucas correm ao ver um estrangeiro para obterem o passaporte dele como esposas, um casamento por interesse descarado. Outras usam da desculpa do feminismo brasileiro que quer copiar os homens para dormirem com qualquer gringo pois ista gera um certo status e alimenta o ego destas loucas. Conheci outras mulheres aqui que transam com o cara nem sabem quem é e somente se for gringo, um deslumbre absurdo. E se somarmos ainda as prostitutas profissionais, possuimos um belo grupo que denigre a nossa imagem. Isto infelizmente está longe do fim. Uma pena “

P.M.

“Patriarcado? Machismo? Pelo amor de Deus, faz um bom tempo que somos emancipadas para fazer o que queremos porque culpar alguém por nossas escolhas? Eu passei por uma dessas. Falei com uma garota aqui na França que era vulgar e vivia dizendo que era brasileira para transar com os gringos. Falei o que pensava e disse para ela maneira pois de certa forma ela representava a nossa imagem de mulher brasileira. Pois bem, a garota me chamou de machista e antiquada e disse que a piriquita era dela. Além de feminsita era extremamente individualista. E pior que isso é tido como moderno nos dias de hoje. Na verdade a mulher brasileira hoje possui culpa por isso. Deveriamos passar longe desta gente e desmascarar elas sempre que pudermos. Assim a nossa fama vai mudar :)”

J.R.

Porque toda mulher brasileira e homem brasileiro deveriam odiar carnaval.

Padrão

eu odeio carnaval

Talvez por saber que muitos turistas sexuais venham ao Brasil encontrar prostitutas ou piriguetes e que assim a fama da mulher brasileira no exterior seja a pior do mundo. E porque o feminismo com o seu relativismo moral de “nada é certo ou errado” apoia isso indiretamente.

Talvez por que o carnaval represente aquela mentalidade que todo mundo detesta mas ninguém faz nada para mudar. A mentalidade de minimizar problemas, fugir deles e fingir que a responsabilidade é de alguém. Talvez porque o estado brasileiro domine o povo através da propaganda cultural de nunca levar nada a sério pois “é Carnaval, Copa do Mundo,etc”. E isso atrasa o Brasil sempre sem nunca nos permitir crescer.

Talvez por saber que tendo esta mentalidade de “somos os alegres e possuimos a simpatia do mundo”, sejamos na verdade os palhaços do mundo e não tenhamos o respeito de ninguém. Sim, possuimos a simpatia de todos mas o respeito de ninguém.

Talvez por saber que esta mentalidade de carnaval e de fazer piadinhas sobre assuntos sérios como a tragédia de Santa Maria, a seca no Nordeste, corruptos e tudo o mais seja vista como algo “normal de pessoas bem humoradas”. Na verdade é uma mentalidade coletiva de um povo idiota, arrogante, que não sabe respeitar nada e que nunca lutou por nada mas quer tudo pronto. Por isso uns vão morar em ALGUNS lugares mais desenvolvidos no exterior (nem todos o são).

Talvez  por saber que é uma festa que estagna a economia do país, fazendo-o ficar anestesiado durante os seus dias de festa. O carnaval é uma doença coletiva que nem brasileira é. Hoje é baixaria e vulgaridade. Mas quem é contra por motivos simples e racionais é definida como uma pessoa “preconceituosa e com vergonha de ser brasileira”. Quem teria orgulho de ser terra de vagabundo, prostitutas e aonde todos param para esta festa cada vez mais degradante e vulgar?

Talvez por detestar homens e mulheres que amam se afirmar dizendo que “pegaram tantas/ tantos” e trocaram saliva (aquilo nem beijo é) em lugares que nos representam no exterior (péssima propaganda) que viraram turismo de baixaria entre turistas sexuais.

Talvez por detestar as feministas piriguetes que querem pegar porque os homens pegam e depois mentem nos representar.
Talvez  por saber que a violência aumenta drasticamente durante os seus dias de festa.
Talvez  por saber que o carnaval é a páscoa dos traficantes brasileiros. É quando o consumo de drogas entre os jovens do país aumenta assustadoramente.
Talvez eu odeie o carnaval por saber que é a festa mais explorada pela indústria pornográfica, que aproveita para exportar a imagem do brasileiro para o exterior, como sendo um povo promíscuo e da mulher brasileira como vadia e vulgar. É também no carnaval onde aumenta assustadoramente o número de doenças sexualmente transmissíveis, gravidez precoce, gravidez indesejada, violência sexual. É como se o povo perdesse os seus princípios éticos e morais durante os dias de festa do carnaval e se deleitasse no banquete de Baco.
Talvez por saber que aqui isso virou tradição e se alguém discorda desta tradição é taxado de pessoa preconceituosa e que não é verdadeiramente brasileira.

Talvez por saber que o Ministério do Turismo do Brasil sempre associa esta droga de festa ao Brasil e que ela é associada com as coisas citadas acima.

Talvez por saber que durante os seus dias de festa o consumo de álcool aumenta muito e junto com isso aumenta o número de brasileiros mortos no trânsito. Durante os seus dias de festa, morre-se mais pessoas do que em alguns país que estão em guerra. A polícia militar do Estado de São Paulo proíbe que qualquer policial tire férias, ou licença prêmio, durante o carnaval para tentar conter a fúria de um povo ensandecido, encharcado de álcool e drogas, que toma conta das ruas, enquanto que a maioria dos brasileiros, que assim como eu, tem nojo dessa festa, vai procurar refúgio em cidades pacatas do interior.
Talvez  por ser uma festa que divulga, no exterior, a imagem da mulher brasileira como sendo prostitutas e o homem como sendo um néscio festivo, que não leva nada a sério e que jamais ameaçará a hegemonia da elite global.

Talvez porque aquela festa ingênua, com fantasias criativas, acompanhadas das marchinhas alegres, deu lugar para uma festa bizarra, engolida pelas drogas e o álcool, onde as mulheres trocaram as fantasias criativas pelos seios expostos. O desfile de carnaval atual nada mais é que um palco de exibicionismo, cheio de mulheres vulgares dispostas a tudo para conseguirem contratos com revistas masculinas.

Talvez porque ele revela um Brasil do qual qualquer um se envergonharia.
Talvez  porque há muitos anos sepultaram… o verdadeiro carnaval.

Talvez pelas mentiras ditas para as pessoas: “Uma festa que representa a “cultura brasileira” por todo o mundo? Afinal… o Brasil é conhecido como o país do futebol, bunda, mulher e carnaval (Ops, agora do MMA também). Uma festa tão cheia de alegria, que mal pode haver nela para que eu a odeie tanto?”

Bem, alguém ainda acredita nesta mentira que engana gente inocente de que o intuito do carnaval é alegria?

tumblr_lxiqfiM1MQ1qcimjpo1_500

é-carnaval!que-merda!

Citação

Oi meninas,tudo bem?Chamo-me Maria e me tornei leitora do blog.Amei o blog de vocês.

Estou escrevendo porém para discordar sobre um assunto que vi no facebook e discordei.Na verdade discordo parcialmente.Discordo sobre quem afirmou no post de vocês que o Brasil,nosso país é o lugar de bundas e de uma TV vulgar.

Isso tem seu fundo de verdade mas quem pensa que somente o Brasil tem isso é muito inocente ou idealizador.E irei falar sobre um lugar que comparado a nosso Brasil, nos deixa como a terra santa.

Imaginem um lugar aonde mulheres também sofrem closes na TV direcionados as nossa partes baixas.Imaginem um lugar aonde prostitutas são empregadas no governo ou usam da sua beleza para terem acesso a cargos de poder.Imaginem um lugar cujo CHEFE DE ESTADO aconselha garotas a casarem com homens ricos velhos que estes irão falecer antes e elas poderão herdar os bens.Imaginem um lugar aonde a TV tem uma baixa qualidade impressionate com a bundalização liberada.Imaginem este lugar aonde genitores de ambos os sexos estimulam as garotas a usarem de beleza para subir na vida.Imagine um lugar aonde programas de stripe-tease passam na TV aberta e outras garotas tiram a roupa porque querem mediante chamadas telefônicas.Imagine um lugar aonde chefes de estado envolvem-se com garotas de programa mediante pagamento e fazem orgias.Imagine um lugar aonde reallity shows acontecem com uma grande vulgaridade e mostrar bundas é alto comum.

Sim,esse lugar existe.Eu hoje moro na Alemanha mas convivi nesse lugar por seis meses.

Infelizmente como  citaram no blog,o Brasil e a mulher brasileira sofrem dessa imagem que grudou mundialmente infelizmente e pessoas retardadas como a Dilma acham isso normal e que vende uma boa imagem da nossa brasilidade.Essa mulher é uma jumenta.Desde quando isso é bom?Mas dizer que isso é coisa somente do Brasil é exagero.Vamos acordar.

Sinceramente,apesar da nossa TV ser ruim tampouco é a pior das coisas como muitos pensam.Existe lugar pior,podem acreditar e fazem programas com muito menos qualidade que a TV brasileira.Se alguém tiver oportunidade vejam um filme chamado videocracy.Assustador.

Nossa falha é acreditar que as TVs de fora tem qualidade e propagar somente coisa boa desses lugares.Aqui na Alemanha o povo tem aquela imagem do Brasil fantasiosa e inclusive muita brasileira adora aumentar essa mentira.Eu tento mostrar o labo bom mas aqui também conheço feministas piriguete que adoram o feminismo pois esse é bunda mole rsrs e aceita todas.Por isso também detesto o feminismo que depois chora em um vitimismo sem igual.

Vamos ser francas,existe mulher que sofre com abuso,com atitudes violentas do parceiro mas colocar piriguete nesse grupo por serem mulheres e defende-las por vitimismo e falta de liberdade nos tempos atuais é o mesmo que dizer que Maluf roubou porque foi mandado por um exu.

Estou enviando fotos desse lugar cuja TV é bunda,o povo é famoso por serem turistas sexuais,adorarem travestis e outras coisas bizzaras.O povo adora isso e muitos inclusivem falam mal das brasileiras por serem objeto e taxadas de prostitutas por serem diferentes deles.O macaco pelo jeito nunca olha o rabo rs.

Para as feministas sem responsabilidade que tem medo de separar o joio do trigo e piriguetes eu deixo a dica:só existe uma única raça que defende mulher promíscua,vulgar e baixa. A própria.E essas piriguetes fazem a péssima fama internacional de vocês também.

“A Itália é o país das mulheres nuas” e “Onde as mulheres são apenas objetos” foram os títulos que estamparam os dois principais jornais italianos nesta semana, numa referência às jovens bonitas, com pouco ou nenhum talento, que aparecem vestindo biquínis, sutiãs minúsculos ou microssaias em quase todos os programas televisivos e peças publicitárias no país.De acordo com as publicações, passadas três décadas da aprovação das leis que legalizaram o divórcio e o aborto, consideradas marcos das conquistas femininas, as italianas parecem não se importar com o fato de que estão sendo exploradas e tratadas como simples objeto.O assunto veio à tona depois que o jornal inglês Financial Times publicou um artigo de quatro páginas criticando duramente o tratamento reservado às mulheres na Itália: “o uso de bailarinas em todos os gêneros de programas televisivos, as peças publicitárias dominadas por alusões sexuais, o prevalecimento da mulher como objeto, destinada a excitar os órgãos genitais dos homens em vez do cérebro”.

Adrian Michaels, autor do texto, diz que o mais surpreendente é a ausência de protestos. De acordo com ele, “aparentemente, as mulheres não vêem nada de mal em terem seus corpos descobertos inutilmente para divulgar qualquer produto”.

Fonte: BBC Brasil

http://substantivolatil.com/archives/a-italia-nao-quer-se-tornar-o-brasil.php

Post recebido por e-mail.

Quebrando paradigmas:País das mulheres nuas,bundas e TV vulgar…e não é o Brasil.