Arquivo da tag: relativismo moral

Fim do mundo: meninos gays (um de 12 anos) se beijando em festa de aniversário e gritos de pura baixaria

Padrão

O mundo enlouqueceu completamente. Da Europa ao Brasil.

No Reino Unido, justiceiros sociais e politicamente corretos hoje chamam travestis para ensinar crianças de 02-03 anos que não  existe homem e mulher e ser travesti, gay é “bom e moderno”. Leiam neste artigo das Mulheres contra o feminismo do Reino Unido.

Bem, o Brasil como piora sempre tudo que chega do exterior (infelizmente nunca melhora o melhor) superou uma coisa tida como absurda. O assunto gerou amplo debate nas redes, com a maioria das pessoas se mostrando contrárias. Em especial por que pelo Artigo 217-A do Código Penal, é crime “Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos”.

Dois meninos gays de 12 anos se beijando em festa de aniversário e celebram com gritos de pura baixaria com o apoio dos pais. O filme causou revolta na internet e orgasmos nos movimentos LGBT, feministas e outros movimentos esquerdistas.

Bem, o que podemos comentar sobre tal acontecimento? Revoltante. Uma festa de aniversário de um casal formado por menino e menina seria igualmente revoltante afinal são crianças e não adultos.

O relativismo moral pregado pela esquerda que apoia tudo de mais nojento e degradante no Brasil e no exterior piora cada dia mais. Nem querem esconder mais. A coisa ficou escancarada.

Primeiro: Adolescentes não podem “namorar” com crianças. Isso configura crime. Gays conservadores igualmente ficaram chocados e contra o que aconteceu e consideram igualmente nojento e doentio celebrar uma atitude assim de crianças.

Segundo: os pais devem ser responsabilizados. A mãe do menino exala baixaria. O menino posta fotos sensuais vestido de menina mesmo antes dos 12 anos. Com certeza o menino já pratica safadezas desde muito cedo sob aval da mãe. Deixar o menino exposto a isso é uma espécie de abuso sexual, não de exercício de autoridade.

Terceiro: Pelo fim do relativismo moral. O certo sempre vai ser certo. O errado sempre vai ser errado. O relativismo moral existe no Brasil e no exterios mas em lugares como os Estados Unidos existe quem luta contra isso. Aqui no Brasil devemos parar de aceitarmos tudo dito pela esquerda.

Quarto: interessante ver como muitas mulheres simpatizantes do feminismo pensam: dizem que falta homem no mercado e dizem defender menores de idade mas apoima coisas deste tipo que afetam o crescimento de c.rianças

Ah, mas cada um faz o que quiser…. desonestos intelectuais como feministas podem dizer.

Pense: Um menor de 12 anos sabe o que quer da vida? Ele tem esta capacidade de decidir? Tudo deve ser liberado? Se os pais querem que a criança use drogas, vire prostituta, pode?

Enfim, devemos parar com esta covardia de aceitar o relativismo moral que abre as portas para pedofilia e tantas outras coisas. Fica um importante alerta aos pais, filhos e sociedade. É bizarro o que os esquerdistas fizeram com as nossas crianças. Sexualizaram a infância e induziram aqueles que ainda não têm condições de discernimento a escolherem sobre caminhos aos quais ainda não estão preparados para seguir. Lamentamos pelos garotos do vídeo e lamentamos por outras crianças que se enquadram no exemplo desses garotos. Isso nunca vai ser bonito.

 

 

Banco Santander de Porto Alegre promove exposição com quadros de pedofilia, zoofilia e similares

Padrão

Vejam as fotos acima aonde em uma delas 2 CRIANÇAS fazem sexo com um animal e outras mostram CRIANÇAS em poses sensuais e mensagens relacionadas ao movimento gay. Isto foi considerado arte em Porto Alegre.


Mais uma vez o Rio Grande do Sul se supera em atos nojentos. Mas o que esperar de quem possui faculdades de idiotas zumbis do Estado, pessoas que possuem o sonho de virarem concurseiros e figuras como Luciana Genro que apoiam ditaduras? E nem iremos citar a Maria dos Bandidos aqui que nem cuidar da filha sabe…..

Mas tudo isso foi superado…….e para a pior.

A exposição Queermuseu, feita no Santander Cultural de Porto Alegre/RS chamou a atenção não apenas pelos quadros com pedofilia e zoofilia, como também por seu financiamento: R$ 800.000,00 financiados por meio da Lei Rouanet.

A exposição foi  cancelada após mobilização da sociedade nas redes sociais pois algumas pessoas questionaram as mensagens das obras.

Detalhe: Tal amostra nojenta era destinada a CRIANÇAS. Leiam o edital da captação de recursos e esta lá  a quem foi destinado: escolas e crianças.

Muito preocupante o que consideramos como “Arte”. Hoje em dia qualquer imbecil pelada e gritando xingamentos virou arte (Funk carioca, que inclusive se trasnformou em tese de mestrado neste Brasil aonde tudo que for errado se torna modelo). Mais preocupante é não ter filtro algum ao selecionar o que será exposto ao público.

A fonte do financiamento, entretanto, foi pouco comentada: o próprio Grupo Santander Brasil financiou a obra por meio da Lei Rouanet, doando com isenção fiscal para que fosse realizada em suas dependências. Em outras palavras: o grupo deixou de destinar o valor – tirado de seus clientes pagadores de impostos – ao governo, destinou para uma exposição nas suas próprias instalações e obteve retorno com o capital “investido” por meio da venda das entradas. Um “negócio da China” que tem sido um padrão do grupo no Brasil. Fonte: ILSP

O editor do Zero Hora, jornal local do sul, inclusive quer “meter bala” em quem quiser boicotar esta tal amostra de arte. O rapaz para variar defende o esquerdismo total.

Mas relativistas morais, justiceiros sociais e idiotas esquerdistas de todo o Brasil agora iniciam a falar de ditadura e censura….Nudez e atos sexuais sempre foram usados como arte em pinturas e esculturas lindas que visavam mostrar a habilidade do artista com tintas, madeira e pedra. A nudez e o sexo pouco tem a ver com a revolta do povo contra esta atitude imbecil do banco Santander. O maior problema aqui é deixar a entender que tudo é possível em nome da arte. Incluindo as mais perversas ideias do ser humano pode ser exposto em nome da arte. Pode-se fazer peça teatral com pessoas sendo abusadas em nome da arte, podem ter animais abusados em nome da arte. Ou como fizeram os atores da obra de arte “macaquinhos” cheirar e enfiar o dedo na bunda alheia. E tudo se agrava quando destinamos esta obra paga com o nosso dinheiro  e visando atingir menores e escolas. Um objetivo sinistro existe com certeza.

Os relativistas morais que acham tudo liberdade, vivem na ilha da fantasia e chamam questionamentos objetivos de censura demonstram a mais baixa desonestidade intelectual. A falta de empatia ao notar um menor de idade sendo obrigado por professores zumbis da esquerda a visitar uma amostra dessas aonde um outro menor faz sexo com animais e outro se veste de forma sensual deixaria qualque familiar revoltado, mas este bando de idiotas acha tudo liberdade. Podem afirmar serem intelectuais defensores da liberdade sem limite, mas este grupo duvido que deixa os filhos sem limites. Acabam sendo manipulados pela esquerda que tanto dizem odiar.

Um ponto positivo: Finalmente a sociedade reage a revolução marcuseana. O engenheiro social Herbert Marcuse foi um sinistro iniciador de obras assim e cita a teoria no seu livro que ainda modela o pensamento de professores de universidades infelizmente.  É um alento para uma socidade de valores invertidos que  o povo democraticamente reagiu.

Queremos dar os parabéns para todos que se mobilizaram para mostrar que ali, no Santander Cultural, não se tratava de arte coisíssima alguma; muito menos de algo relacionado a “liberdade de expressão”, como alguns querem fazer parecer e assim triunfar no seu limpismo virtual, o que estava a disposição de excursoes de crianças naquele banco, é a continuidade de um plano nefasto.

Questionar, denunciar esse plano, boicotá-lo e dar nomes aos culpados. Este sempre vai ser o caminho. Arte boa deve ser louvada. Lixos deste tipo, boicotados.

A sociedade finalmente ainda respira um pouco de ar puro e senso comum. Obras de “arte” deste tipo deve ser boicotadas e achamos que o dinheiro deveria ser melhor usado.

 

Toda pessoa merece ser respeitada? Feministas dizem que sim, nós achamos que não

Padrão

respeito mulheres contra o feminismo

Feministas fazem sempre malabarismos intelectuais e morais para defender idéias tortas desde que suportem a agenda feminista. Muitas vezes em conversas feministas afirmam que toda pessoa (em especial, mulher) merece respeito. Tudo isso para mostrar como o feminismo é aquele paz e amor usando de muito relativismo moral e outros truques.

Uma feminista postou isso no facebook: “Nós só achamos que não importa se a mulher é “vadia” ela pode e deve lutar pelo que ela quer , e que converterá essa vadia tem uma história e tem que ser respeitada , aí vc fala mais ela tem que se dar o respeito , lógico que não.  Toda mulher merece respeito. Porque o respeito é dela por direito.”

Vejam a imagem abaixo de uma mulher contra o feminismo que foi atacada por uma feminista.

Olhem como o feminismo nos respeita. Basta discordarmos das feministas para afirmarem que merecemos ser estupradas.

E fica aqui  a pergunta. Toda pessoa merece ser respeitada? Toda mulher merece ser respeitada? Qual pessoa é ainda imbecil ou inocente o bastante para acreditar nas mentiras das feministas?

Segundo as feministas estas pessoas abaixo tem direito ao respeito por serem pessoas.

Respeito é uma via de mão dupla. Conquiste o respeito e será respeitada.

Mas”o respeito é dela ou de alguém por direito” ?

Claro que não.

Esta  geração acha que há direitos sem nenhum dever. Ninguém tem direito ao respeito. Este é adquirido conforme as atitudes. Uma pessoa com conduta exemplar no que a sociedade valoriza adquire respeito pelo reconhecimento do bem-moral presente em suas condutas. As vezes a sociedade é corrompida por valores tortos e incorretos (acontece pelo mundo e inclui o Brasil mas isto é outro papo).

Se toda conduta escrota como ser vagabunda ou ser um criminoso deve ser respeitada então o ser humano deverá respeito a todos os piores seres humanos possíveis, como as feministas, criminosos e corruptos. Por isso as feministas defendem o relativismo moral sempre. Elas não tem moral para nada e usam de qualquer pessoa para engrossar a camada de idiotas que as seguem.

Será que as feministas pensam que devemos respeitar aquelas malucas que protestam peladas ou que fazem vandalismo com igrejas? Que saem com as calças sujas do sangue menstrual? Que apoiam sexo entre pais e filhos? Respeitar pra elas significa idolatrar mulheres que praticam amor livre, poliamor, promiscuidade, adultério (feministas adoraram a Fabíola né?).Quanto pior for um ser humano (e em especial se for feminista) mais elas exigem algo que nunca fornecem: respeito. E chamam de “mente pequena” quem desmascara esta imbecilidade chamada feminismo.

Feministas também usam o golpe do “Eu não fico julgando ninguém , eu não cuido da vida alheia”.

Claro, podemos ver isso aqui de novo. Feministas não julgam, né? Que mentira.

Basta você ser contra a agenda feminista e contra o feminismo e você vai ser julgada. Pior, a sua família vai ser julgada, seus filhos vão ser julgados e elas irão te atacar. Porém, antes algumas tinham medo e hoje graças as #mulherescontraofeminismo muitas perderam o medo e a censura feminista e receio do ataque coletivo das feministas tem uma rival a altura.

Você que luta contra o feminismo não esta mais sozinha 🙂

O feminismo é tão poderoso que deixou algumas mulheres mais burras sem capacidade de contra argumentar pela falta de lógica, responsabilidade e abuso de feminismo + esquerdismo.

Quem tem mente pequena e fraca é mulher feminista que não refuta nada por ser um zumbi cego e burro.

Crimes e problemas sociais: amostras do relativismo moral feminista no nosso dia a dia.

Padrão

Muitas pessoas feministas ou simpatizantes dizem não se sentir atingidas pelo feminismo e o seu  amigo, o relativismo moral no dia-a-dia. Na verdades elas se lamentam destas coisas mas quando convém, elas se tornam super mulheres ou super homens fortes, de aço e fingem que nada os abala. E no nosso grupo adoram postar e posar de pessoas paz e amor com problemas com as palavras limites, leis regras, sociedade, respeito e responsabilidade. Neste discurso delas que é pura utopia cegueira feminista taleban, o marxismo cultural as impede de ver as coisas abaixo. Se tudo “é permitido, nada tem limites e tudo é gosto e escolha que deve ser respeitado” o Brasil demonstra bem o futuro que quer ter e o que iremos deixar aos nossos filhos. Nosso governo deve amar o relativismo moral. O povo sente isso no dia-a-dia. E a propanda de liberdade e alegria do forte marxismo cultural no Brasil em praticamente todos os meios blinda os nossos ouvidos de fatos que sentimos na pele diariamente como estes abaixo. Se nada é errado e tudo é certo, podemos entender os absurdos abaixo:

Diapositiva11) Bandido solto e defensor da justiça preso.

miss bumbum

2) “Oprimidas pelo homens e patriarcado”candidatas a miss Bumbum. Deveriam se candidatar a miss vulgaridade. Devem se lamentar depois da fama da mulher brasileira. Seria isso hipocrisia relativista moral?

215917_562712947076430_1189381733_n

3) Cantora que canta baixaria e é tida como mulher que revolucionou o sistema. Uma feminista comentou no nosso grupo no facebook que Valesca Popozuda é a nova guru feminista substituta de Simone de Belouvair. No Brasil é algo verdade mesmo.

4) O que falar de Jean Wyllys (aqui), deputado federal marxista eleitoral eleito por ajuda de companheiro de partido e que veio a fama através de um BBB que defende causas de alguns grupos e sem completa noção das prioridades coletivas para a realidade brasileira. O “nobre” deputado, que é contra a mudança da maioridade penal, deveria ver fatos como este. No Brasil relativista moral menor usa drogas, dirige, faz sexo, estupra, comete crimes mas é sempre aliviado pela sociedade aonde quem der umas palmadas leves no filhos é preso. Veja mais abaixo o resultado disso.

5) O que falar das mortes violentas em São Paulo e em Santa Catarina, com meios de transporte sendo incendiados, mortes e a população ficando indefesa. Claro, basta um criminoso ser investigado e condenado que os direitos humanos (comandados por feministas e simpatizantes) correm em defender bandidos.

6) O que falar dos corruptos investigados e condenados e que cujos defensores defendem ao blindar os ouvidos para FATOS comprovados criando teses absurdas para a defesa?

7) O que falar de casos como pesquisdoras de universidades criam teses absurdas sobre sexualidade infanatil? Leia mais no nosso post antigo aqui.

8) Novo modo de educar segundo pesquisadores de universidades brasileiras marxistas culturais abaixo.

Diapositiva1

9) E a advogada e empregada nossa (do estado) que foi que gravou um filme fazendo sexo e foi amplamente defendida pelos meios feministas e marxistas culturais. Este povo sabe o que é decoro? Defendemos que o rapaz que apareceu no filme com ela também seja punido.

Como dica olhe a imagem abaixo de um exemplo-armadilha de relativismo moral, aonde frases de efeito de alguém inocente, utopia e propaganda marxista cultural podem alimentar um grande exemplo de regimes doentes, extremistas e psicopatas.

Diapositiva1

Carnaval e o trabalhador que falou tudo sobre o Brasil. O que podemos aprender com eles?

Padrão

Diapositiva1

14748_426512854085882_1532350401_nNeymar relativismo moral Brasil feminismo553444_335934116494626_1949775146_n270924_472317736158475_991988057_n

Por este dias o vídeo de um trabalhador brasileiro se popularizou na internet.

O homem (que não parece ser um estuprador em potencial e nem opressor do patriarcado, ok, feministas?) deve ter se cansado de muitas coisas e desabafou enquanto alguém o filmava. Mesmo sendo um humilde artesão (ele diz que trabalha com artesanato), ele demonstra conhecimento de muitos problemas que atingem o nosso país. Foi perfeito em tudo o que ele falou. Ele demonstrou aos elitistas e a todas pessoas humildes que para se fazer questionamentos inteligentes ninguém precisa ser rico, embora muitas vezes uma boa educação ajude. Mas o mais importan é QUERER PENSAR E SABER FAZER BOM USO DO cérebro. Porém, deveriamos pensar de modo correto e não pensar de qualquer maneira.

Alguém vai dizer: Espere um momento. Isto é “frase de reaça contra quem quer revolucionar o sistema”. Nada disso. O problema é o tipo de prioridades da revolução que querem fazer. E nem toda revolução gera governantes bons preocupados com o povo. Que o diga Fidel e outros ditadores. O marxismo cultural gerou além de prioridades absurdas gerou também assassinos, estupradores e psicopatas como Che Guevara. Ninguém fala isso no Brasil pela forte propaganda marxista cultural em universidades e na nossa cultura. E assim casos como o da professara e pesquisadora que ensina em universidades aumentam, valores invertidos aumentam e tudo isso vira uma bola de neve. Leia mais aqui

Outra pergunta que deveria ser feita é: Queremos realmente o Brasil que ele citou? Queremos melhorar? Nossos governantes querem isso? Ou possuimos medo e nos omitimos com estes absurdos?

Perguntamos isso porque para fazer o que ele comentou muito bem, trabalho e mudanças demonstram-se urgentes. E este é um dos problemas do povo brasileiro. Queremos um país que funcione como algo de primeiro mundo, mas nunca lutamos para construir isto. NUNCA. Os Estados Unidos e alguns outros lugares tidos como primeiro mundo passaram por muito processos de questionamentos internos, revoltas, em alguns casos guerras e tudo o mais que transformou a mentalidade das pessoas locais com OUTROS valores, preservando a individualidade de cada um mas que unida soma ao coletivo. O bem comum é prioridade na maioria destes lugares mas sempre preservando a individualidade. Claro, outros lugares mesmo que mais ricos ou pobres que o Brasil possuem problemas semelhantes aos nossos.

Podemos exemplificar isso no Brasil que todo mundo sabe. Sabemos o que deve ser feito, mas ninguém faz. O verdadeiro culpado de tudo é povo mesmo. Reclamamos que aqui precisa melhorar, mas nunca fazemos nada para mudar. Nunca. Observe abaixo:

1) Feriados: O povo brasileiro adora feriados. Muitos se preocupam mais com praias, calor e boa vida que com todo o resto do ano;

2) Carnaval e o tempo de trabalho: A frase que muitos falam que a o ano começa depois do carnaval explica muita coisa. Quase 3 meses do ano com a mentalidade de “aproveitar a vida”. Depois muitas pessoas se lamentam do estado do Brasil e do povo. Em qual lugar que quer ser competitivo (China, EUA como exemplo), as pessoas ficam este tempo sem levar nada a sério?

3) O povo brasileiro nunca lutou por algo sério e adora ser relativista moral. O povo brasileiro em si, nunca lutou para melhorar o Brasil. Nunca. As pessoas  quem lutaram para melhorar o Brasil foram cortadas dos livros e esquecidas pelo tempo. O relativismo morou sempre priorizou e defendeu bandidos, criminosos ou pessoas de conduta duvidosa. Copiamos o modelo cubano: Che Guevara, um estuprador, assassino e criminoso foi beatificado. Aqui fazemos a mesma coisa. Na verdade, sempre fizemos. Somos a terra aonde crianças brigam para ser o bandido em brincadeiras de polícia e ladrão. Isto diz muito sobre a nossa identidade.

4) Relativismo moral e falta de prioridades: Podemos ver milhares que se manifestam pelo direito de fumar maconha. Milhares na passeata gay. Milhares pela alegria de sediar a Copa. Milhares que se manifestam por causas NADA importantes. Pela dia nacional contra a corrupção ou outros protestos inteligentes e urgentes, os organizadores precisam tirar leite de pedra para juntar algumas pessoas. Jean Wyllys e outros marxistas culturais adoram tudo isso, pois gera votos.

5) A frase relativista moral “Hipocrisia. Todo mundo gosta de carnaval”. MENTIRA. Nem todo mundo gosta de carnaval. Atualmente é durante este tempo de “festa e alegria” da mentirosa identidade do povo brasileiro que aumentam os casos de turismo sexual, de crimes e outras coisas. Isso seria algo para condenarmos, mas aqui é visto como “cultura”. Muita gente tem que “gostar” de carnaval por ser a Única Opção pois o Brasil para e todo o resto deixam de funcionar.

6) Carnaval: O carnaval é uma coisa nojenta em si e nem brasileiro é. Se antigamente esta festa que mentimos ser brasileira para gringo ver era um momento de alegria para o povo durante alguns dias, hoje é na verdade a festa da promiscuidade na maioria dos casos. Se antigamente o carnaval eram 3,4 dias de festa, hoje ele é uma semana. E em alguns estados do Brasil este tempo aumenta para 15 a 30 dias.

7) O “oprimido povo do carnaval”: Mulheres quase peladas nos desfiles. Pessoa fazendo sexo na rua. Homens se comportam como psicopatas que nunca viram mulhers. Mulheres se comportam como se nunca tivessem visto homem. Todo este povo que o feminismo chama de “oprimido” depois reclama do caos que é o Brasil. Claro, formado por pessoas desta laia.

8) Marxista culturais adoram chamar outras pessoas de elitistas. Bom seria se todos pudessemos ser elites e que lutassemos para melhor o Brasil, sem ostentar. O problema dos marxistas culturais e seu opositores é que eles se fecham neste debata guerra fria comunismo x capitalismo e blindam os seus ouvidos.  E nossas elites demonstram-se elitistas e ostentantes. Ser pobre nunca foi escolha. Sempre foi um acaso ou resultado de um ato com muitas causas. Ao mesmo tempo no Brasil ser rico é a mesma coisa que ser opressor (o que é mentira). Poucas pessoas pensam em casos de pessoas  ricas, nobres, que batalharam de modo honesto e vieram de baixo e que ajudam os outros sem querer ostentar e aparecer. Muitas pessoas pobres e ricas lutam pelo bem comum. Ou seja, existe a terceira alternativa que quase ninguém comenta.

9) A cultura do ser pobre, burro é ser brasileiro: Se alguém abrir um site de famosos podemos ver pessoas sempre com a mesma conversa. “Eu ia ser criminoso, bandido, mas começei a jogar futebol e hoje sou famoso”. Ou seja, a pessoa que era humilde MAS IRIA ESCOLHER uma péssima estrada ficou famoso ao JOGAR BOLA. A mentirosa mensagem que fica é “Para melhorar de vida eu deveria ser bandido ou fazer algo que os idiotas valorizam e é algo sica inútil mas o povo idiota valoriza”. Outras escolhas como TRABALHAR E ESTUDAR  para fazer o Brasil crescer NUNCA parecem ser consideradas. O mesmo vale para o nosso ex-presidente que passa a mensagem: “Nunca estudei e sou feliz assim” ou a nossa atual presidente que fez um discurso no Nordeste por estes dias e cometeu propositalmente erros gramaticais para se dizer “do povo”. Estimulamos sempre o errado.

Este texto e filme que circulam na internet falam outras verdades.

“Queria ser presidente por um dia. Faria uma lei que anulasse o carnaval em prol da nação. Argumentos lógicos não me faltam: Diminuição de acidentes;menor índice de HIV positivo; melhorar imagem do país no exterior; cortar semana ociosa para que aumentemos nossa renda; valorizar a imagem da mulher brasileira; investir os 2 bilhões por ano do carnaval em educação; diminuir consumo de drogas nesse período….
 
Acho que não teria o apoio popular pra isso. Já tivemos presidentes que 
afundaram a educação, a habitação, a reforma agrária, a inflação, a 
renda familiar, os empregos, e até mesmo presidente que roubou nossa 
poupança. Ninguém reclamou. Porém se eu acabasse com o carnaval 
certamente me matariam.
.
Mesmo sabendo o risco que corro, aceitaria essa missão suicida, afinal, é melhor morrer no país do 
carnaval do que viver no carnaval desse pais.”