Arquivo da tag: movimento GLBT

Grupo LGBT italiano desrespeita cristãos mas fica em silêncio quando muçulmanos atacam gays.

Padrão

Esta é para aquelas pessoas que acreditam que tudo que vem no exterior é melhor.

A Europa esta caminhando para um caminho sem volta pelo que parece.

Nesta ultima semana um grupo gay italiano causou ao divulgar uma imagem de Jesus e apóstolos na  santa ceia em versão gay se beijando e fazendo sexo. Vejam as imagens na Moça, não sou obrigada a ser feminista

A imagem obviamente foi vista com uma grande falta de respeito com os cristãos e o Ocidente. Afinal, o cristianismo é uma das bases da civilização ocidental.

Nesta mesma semana foi noticiado que o governo ISLÂMICO da Chechênia criou um campo de concentração para gays. Sabemos que o estado ISLÂMICO joga gays de prédios, o governo ISLÂMICO da Arábia Saudita executa gays, o governo ISLÂMICO do Irã, executa gays….

Mas claro que que versão gay de Maomé ninguém ousa fazer, né movimento LGBT? Seria isso medo?

Gays conservadores como o sagaz jornalista britânico #Milo Yiannopoulos desmascaram o movimento gay sem piedade. Aqui no Brasil também possuímos gays que detestam o movimento LGBT como os gays de direita que sofrem ataques da seita LGBT.

                                                 (Feministas enfiando o crucifixo no…enfim)

 

                                        (Feministas suecas baixando a cabeça para o Islã).

Fica cada dia mais claro que o movimento LGBT é um movimento com agenda similar as feministas que se comportam como prostitutas do Islã e da esquerda. Estes dois movimentos assim como o movimento africanista tem uma agenda como total apoio a esquerda e utiliza de muita desonestidade intelectual e relativismo moral para causar. O movimento LGBT deveria entender que não é desrespeitando a religião dos outros que irão conseguir respeito (isso se realmente desejam que gays sejam respeitados). E fica nítida aqui a hipocrisia deste movimento: um cristão é condenado e julgado por simplesmente não simpatizar como o movimento gay….

MAS….

Muçulmanos fazem absurdos

Esquerdistas matavam gays em gulas e campos de concentração 

E O MOVIMENTO LGBT fica caladinho.

Grande partes dos secularistas e ateus militantes sempre jogam pedras no cristianismo e por isso se acham superiores aos demais. Ao mesmo tempo, ficam calados quando o Islã faz das suas. Algo muito estranho para quem se diz superior e fiel seguidor de fatos. Este tipo de gente também prolifera na Europa.

Sim. Parece que a Europa caminha a passos largos para o seu fim.

A Itália é uma nação conhecida por ser bela e mais famosa ainda por liderar o índice de turistas sexuais. Travestis brasileiros ganham muito dinheiro na Itália por terem procura. E o índice de natalidade italiana é um dos mais baixos da Europa. Mas isso atinge todo o continente. Os índices de natalidade da Europa andam em baixa ao mesmo tempo que anos de esquerdismo e feminismo geraram mulheres tóxicas que pregam o aborto e enxergam a maternidade como um tumor. Os homens se tornaram afeminados ou viraram caçadores de prostitutas. A população européia cresce mas por causa do nascimento de filhos de imigrantes (em geral muçulmanos) que somada a população idosa (que hoje vive mais) geram um aumento populacional ilusório.

Certos estudos afirmam que o povo europeu vai acabar em poucas décadas.

Casais europeus jovens com muitos filhos diminuem cada vez mais. A quantidade de pessoas solteiras que enxerga o sexo oposto como inimigo é cada dia mais comum. Ou seja, a Europa hoje possui muitos idosos, muitos muçulmanos, muitas pessoas sozinhas e poucos casais nativos que fazem filhos.

Tudo isso regado a muito feminismo, fim de valores familiares, poder estatal sobre a família e outras coisas.

E claro: na Europa um homem ser gay e afeminado é coisa de “moderno”. Ao mesmo tempo as mulheres “modernas afetadas pelo feminismo” reclamam da falta de homem no mercado e masculinidade. Que bela lógica, hein?

Este é o resultado da agenda globalista e muitos anos de feminismo. A Europa vai acabar por causa dos próprios europeus que esqueceram os seus próprios valores? Tudo indica que sim.

Comissão de direitos humanos, Jean Wyllys, Marcos Feliciano, marxismo cultural e a cultura do bom exemplo.

Padrão

marxismo cultural Jean Wyllys feminismo

Impossível ficar indiferente a este debate que praticamente virou uma guerra. De um lado temos Marcos Feliciano e seus defensores. Do outro Jean Wyllys, todo o movimento GLBT e a mídia. Porém, saibam que estas não são as únicas alternativas. Além disso deveriamos  meditar sobre o real objetivo deste debate e o que provavelmente resulte dele. Ou quem sabe meditar sobre as reações que ele cause, pois mostra muito do que é feito o Brasil e do que valorizamos como povo.

Primeiro, achamos que brasileiros e brasileiras possuem outras prioridades reais. Existem n Ministérios, comissões, leis e afins  mais importantes e cujas funções nos golpeiam mais durante o dia-a-dia. A Comissão de direitos humanos é importante por um lado mas no geral é quase insignifcante perto dos problemas do povo brasileiro. Claro que deveriamos olhar por tudo e todos, mas se não cuidamos do que é importante, como iremos dar atenção para algo que quase pouco nos atinge? Prioridades, pessoal.

Este debate entre o ator Jean Wyllys, movimento GLBT e Marcos Feliciano muito agrada outras pessoas com pésssima intenções. Tira o foco de assuntos sérios e que poderiam gerar debates sérios. Muitas coisas acontecem nesta falta de prioridades brazuca que é de assutar pois aqui tudo é relativo. Neste meio tempo, políticos condenados no julgamento do mensalão por corrupção ativa e formação de quadrilha, tomam posse como deputado federal. E aqui ninguém fala nada. Ninguém protesta. Ninguém faz passeatas contra isso, pois o foco é o ex-BBB estrela e um pastor que tem como crime discordar do ativistas GLBT. Os artistas marxistas culturais como Caetano, Preta Gil e outros, sempre apoiadores de uma revolução por “um mundo melhor”, ao invés de usarem do seu poder para chamarem atenção para o crime, levam a luz do holofote para um tema QUASE sem importância. Tanto estes políticos condenados no julgamento do mensalão, como os artistas intelectuais como Caetano anti-capitalista mas que cobra caros por seus shows, como a mídia, Jean Wyllys e seus seguidores (movimento GLBT, feministas e afins) possuem um discurso de base marxista cultural. Seguem a cartilha perfeitamente e tudo isso passando por “modernos revolucionários” que prometem um mundo melhor.

E Marcos Feliciano e Jean Wyllys? Bem, além de servirem como fantoches, querem poder como todo político . Marcos Feliciano, não é santo e nem o apoiamos em tudo o que fala mas ele possui a sua opinião que é baseada no que acredita e tem o direito de falar isso. Seja isso certo ou errado, quem decide é o povo. Este é um dos lados da democracia, afinal teve votos o suficiente enquanto Jean Wyllys… não. Além disso, Feliciano pelo menos defende a família, sem relativismos morais e alguns valores de base para qualquer sociedade. Isso todas as pessoas possuem, independente de crença. Mas o “crime” que ele cometeu e por isso parece estar sendo perseguido hoje foi se opor ao que o movimento quer GLBT pregar como normal, como padrão, além do movimento GLBT perder dinheiro. Tudo isso gerou revolta de alguns militantes deste movimento.

O Jean Wyllys é um caso a parte e sua incoerência é totalmente feminista. Pseudo-intelectual que apoia marxistas culturais como Che Guevara (que estuprava mulheres além de mandar matar e torturar homosexuais dentro do regime cubano), ele fala de direitos humanos. Pertecente ao PSOL , ele clama por paz sendo que o fundador do seu partido queimou um homem vivo. Ex-participante de BBBs da vida ele quer falar de “nova cultura” mesmo que isso gere caos social. Defensor do orgulho gay ele quer criar lei para processar quem chama um gay de gay.Ele é o mesmo que quer um estado laico mas diz ter sido eleito a deputado por santos de crenças afro. Jean é a incoerência em pessoa.

Como marxista cultural ( o marxismo cultural usa de estratégias para a destruição da família, um dos seus objetivos), ele quer acabar com a família tradicional (mulher x homem) que ele enxerga como “antiquada e reaça”, pois todos devemos ser iguais e ter direitos iguais na sua utopia mental.Em uma futura etapa ele talvez deseje querer quem sabe exigir licença maternidade para homosexuais mesmo sabendo que é impossível duas pessoas do mesmo sexo se reproduzirem. A ditadura da igualdade é algo que deve ser forçado em prol de mundo melhor. E isso é algo muito similar ao modo como surgiu o nazismo.

Jean Wyllys que passar por cimas de leis constitucionais para criar leis especiais, que geram mais injustiças de modo proposital, para dar o troco. E isso em nome do que ELE acha certo, censurando as pessoas e sociedade ao seu redor, além de uma doutrinação nacional sobre a escolha sexual dele, que acha isso “moderno e futurista”.

Além disso, Jean Wyllys adora propagar a idéia do péssimo exemplo. Quem tem filhos e educa sabe que o ser humano aprende por exemplo. De um bom exemplo ao seu filho e ele vai ser uma pessoa do bem. E sim, existe o bem que nunca foi relativo. Ensine o seu filho a estudar, bons valores, bons exemplos, respeito, senso de justiça, empatia e toda uma sociedade vai melhorar e ser primeiro mundo. Mas o que vai Jean Wyllys? Ele quer que crianças brinquem sexualmente com outras crianças. Quer que prostitutas sejam legalizadas e vistas como nobres. E faz isso perto da copa do mundo e sabemos que muitos turistas sexuais virão ao Brasil pela péssima fama da mulher brasileira. Não seria melhor dar oportunidades a estas mulheres para sair desta vida ao invés de glamourizar esta profissão? Este BBB 😦

Alguém vai dizer: Espere, isto é homofobia? Errado. Simplesmente discordamos do movimento GLBT neste ponto e temos direito de fazer isso. Hoje tudo virou homofobia. O homosexual tem o direito de se relacionar com quem quiser e deve ser respeitado por isso. Casar? Adotar crianças? Discordamos deles sobre isso assim como outros homosexuais também discordam dos movimentos GLBT neste mesmo caso. Nem todos gays querem casar e adotar crianças. Sim, existem pessoas que querem simplesmente viver em paz sem querer dominar o mundo como faz Jean Wyllys, uma pessoa infantil que não sabe ser contrariada. Entendam de uma vez que Jean Wyllys e o movimento GLBT não representam os homosexuais. Eles representam eles mesmos e um movimento organizado. O mesmo que as feministas que representam somente elsa mesmas. Inclusive muitos homosexuais discordam do movimento gay e sofrem com este movimento marxista cultural que exige liberdade de opinar sem respeitar o que os outros opinam.

Sobre as prostitutas e outras leis: A falta de uma bússola de valores para Jean Wyllys e a sociedade brasileira.

Padrão
Diapositiva1

Podemos dizer que a crise no Brasil hoje deixou de ser financeira para ser uma crise moral por causa de pessoas como o ex-BBB Jean Wyllys e seus simpatizantes. Como a nossa cultura relativiza o que é certo e errado por simpatizar com o marxismo cultural, com a propaganda feminista marxista cultural e simpatizantes, uma ditadura politicamente correta nos é imposta todo o dia e deixamos de ver absurdos que agridem o senso comum de qualquer sociedade que queira paz e harmonia. E tudo isso vira lei, que com o tempo vira a ditadura do copiar o pior ou valorizar o pior. Valorizar outras prioridades ou quem trabalha bem, nada. Ninguém lembra disso. Na verdade, os corruptos ficam felizes com isso.

Neste Brasil que ainda deve melhorar em muitas coisas realmente sérias o que percebemos acontecer? Prioridades idiotas, censura politicamente correta ao opinar sobre o que qualquer ser pensante discordaria  mesmo se forem absurdos como demonstra a mais atual triste iniciativa de Jean Wyllys, que infelizmente mostra a realidade do nosso  país, campeão de leis absurdas. E tudo isso idealizado por feministas e outros marxistas culturais. Podemos perceber em leis como a lei da presidente Dilma sobre o “machismo” no nosso idioma e que exige que seja chamada de presidentA. Ou aquelas pessoas que querem mudar o nosso idioma e escrever tudo com @ ou x no final. Ou outras que querem leis que legalize a prostituição (assim como legalizaram o funk como “cultura tradicional do Brasil”) ou a tal lei de crimes cibernéticos mas que levou o nome de Carolina Dieckmann. Para quem desconhece, Jean Wyllys quer legalizar a prostituição.

Mas esta é a propanganda do futuro : “Vamos vender sexo ! Vamos Legalizar a Prostituição ! Vamos legalizar drogas ! Vamos Legalizar o aborto ! Tudo é hipocrisia e quem discorda é “reaça”. Nossa, como ficará o Brasil daqui a alguns anos ?

Podemos perceber o que acontece com a sociedade brasileira, com atos errados que se transformam em certos, valores invertidos que atingem até o marxistas culturais (futuro post) e tudo o mais. Mas como é proibido falar pela  censura/ ditadura do politicamente correto, deixamos isso crescer, crescer até que isso explode e nos atinge a cada dia mais.

Agora a prostituição vai ser legalizada como uma profissão. Quem deseja isso é o Jean Wyllys e seus simpatizantes. A sociedade cada vez mais denegrida e temos certeza que muitos aqui vão dizer, alias, já estão dizendo que, só os religiosos são contra, que é preconceito, que as pessoas devem respeitar os direitos das outras, que cada um usa do seu corpo como deseja e qualquer outra desculpa marxista cultural. E ninguém pode discordar porque isso é “oprimir” e ser uma pessoa “de mentalidade antiga”.

Agora o Jean Wyllys quer transformar o Brasil em Amsterdam quando os holandeses começam a perceber o erro que fizeram e reclamam disso. Coisas extranhas estão acontecendo. Seria porque é mais cômodo legalizar a prostituição do que tentar auxiliar de verdade as pessoas que são vítimas ou não são dela/ direta ou indiretamente? Direito que ninguém pode julgar? Ou talvez o governo brasileiro saiba que com os eventos como Copa do Mundo iremos ter aumento de turistas sexuais (o que gera impostos se legalizarmos as prostitutas) querendo provar o que o feminismo sempre pregou: a nossa péssima fama de mulher brasileira com frases sem responsabilidade de “meu corpo, minhas regras”, “ninguém pode nos julgar”. Tudo isso acontece misturado com o tradicional vitimismo marxista cultural.

Caro Jean Wyllys, ante de legalizar a prostituição vamos legalizar o feijão e o arroz no prato da população que é a melhor coisa a se fazer. Chega, o mundo não se resume apenas em pênis, sexo e vagina não. Deveriamos crira leis para dar oportunidade as pessoas e valorizar quem soma a sociedade em todos os sentidos. Ninguém vai para prostituição por vocação ou desejo (talvez marias chuteiras e afins). Temos certeza que a maioria das prostitutas gostariam é de uma oportunidade de verdade na vida, de novos empregos, de atendimento digno à saúde da mulher, não de abrir mais uma vala para as jogar ali dentro. Muitas matérias da imprensa hoje crucificam quem discorda de feministas- GLBT e afins e outra exaltando estes grupos a favor da remuneração da prostituição e outras leis absurdas. Acorda Brasil. Isto é querer um futuro assustador, ainda mais aqui aonde o errado é sempre certo. Olhem o que acontece no nosso dia-a-dia.

A defesa de valores errados são prejudiciais para a sociedade, ainda mais nessa nossa época em que as pessoas tem saído de uma mentira achando serem libertas para caírem em outra. Vamos parar de hipocrisia e utopias baratinhas, o mundo nao é essa liberdade maravilhosa e modernete que algumas pessoas idealizam. Precisamos que alguém presenteie Jean Wyllys e outros marxistas culturais com uma bússola de valores e que os ensine sobre o que é prioridade no Brasil ou deveria ser.