Arquivo da tag: instinto materno

Golpe baixo do feminismo:Feministas usam crianças em protestos.

Padrão

O blog é novo e aos poucos tentaremos escrever posts interessantes e questionadores. E hoje falaremos de pessoas sem alma, sem piedade e que apelam para o uso de anjos e crianças inocentes para tentar doutrinar os outros a força. E depois exigem respeito por isso. São as feministas, as falsas mulheres que dizem ser o exemplo de uma sociedade moderna mas que comportam-se como pessoas sem alma, coração, respeito e dignidade. Tudo isso para tentarem provar as suas idéias tortas de liberdade sem respeito, sem responsabilidae, a promiscuidade sem sentimentos e sem respeitar nossos limites como seres humanos. E isso não é exemplar, é nojento e infelizmente algumas garotas e garotos enganados aceitam essa idéia falsa como verdade absoluta, de liberdade e felicidade. Mas felizmente nem todas nós somos como elas e nem todas nós odiamos ser mulheres. Nem todas nós fugimos de responsabilidades e somos covardes e apelamos atitudes que nem os animais fazem com seus filhotes. Algo digno de quem nega o instinto materno. E quase tenho vontade de vomitar ao falar sobre essas mulheres que dizem ser fortes mas demonstram-se completamente covardes.

Nesse post queremos evitar falar sobre a marcha das vadias, a marcha do movimento feminista que tampouco nos representa mas de um assunto tristemente ligado a ele: o uso de crianças inocentes em um movimento vulgar para propagar essa idéia nefasta que é o feminismo. Somos mulheres que odiamos essa estratégia, não somos vadias, achamos uma ofensa essa palavra ou alguém nos chamar assim e tampouco usamos do corpo, um templo sagrado para muitas que amam ser discretas mas que feministas usam com vulgaridade para chamar a atenção. E essa é uma das armas do movimento feminista que une isso em um protesto vazio contra a falta de liberdade (hoje cada um faz o que quer) e chamando a atenção com suas palavras vazias o que na verdade gera cada vez mais a ridicularização das mulheres em uma lutas por nada, mas querendo exigir respeito sem combater de forma correta por ele.

Diferentes de mulheres que possuem  filhos, que adoram possuir esse nosso instinto natural as feministas odeiam crianças visto defenderem o aborto, acham a maternidade um peso e tudo de ruim mesmo que façam propaganda de “liberdade”. Isso é um fato. Claro que uma mulher pode não querer ter filhos. O assunto não é esse.Mas pregar a maternidade como uma fraqueza, algo ruim, um defeito genético e querer nos comparar a toda hora aos homens é um dos golpes baixos das feministas, que na verdade odeiam ser mulheres. Por isso o feminismo quer isso, que a mulher valorize atributos masculinos por na verdade elas odiarem ser mulheres. E pobre de quem discordar delas. Além disso elas usam as inocentes crianças em golpes baixos de publicidade barata quando querem e novamente pobre de quem as criticar,sendo homem ou mulher.

Eu particalarmente sou mãe de dois meninos além de uma menina. Muitas de nós somos mães de garotos o queremos ter filhos no futuro. Outras preferem outras escolha. Tudo bem. Mas respeitamos as crianças. Particularmente tenho medo do futuro dos meninos nessa nossa sociedade que odeia homens e quer os garotos cada dia mais afeminados. Apesar do pai deles ser presente e ser um bom pai acabo por notar que a sociedade em si quer inverter o papel de muita coisa e quer afeminar o homem. Muitas feministas querem impedir filhos dos outros ou até delas mesmas a ser o que devem ser:homem. Andei lendo sobre feministas que estimulam os filhos a usarem brincos, brincarem de bonecas ou estimulando as pobres dessas crianças a vestirem-se como meninas. Isso é algo nojento de pessoas que possuem algum problema mental.

Sinceramente, tenho muita penas dessas crianças cujas mães são traumatizadas e levam os seus traumas para os filhos usando-os como cobaias de teorias malucas. Infelizemte nessas fotos retiradas das marchas das vadias podemos percerber que feministas não sabem pensar, não possuem empatia e o senso comum das coisas e colocam anjos inocentes em guerras que elas lutam sozinhas e mentem dizer serem as “dignas representantes de todas as mulheres”, uma mentira deslavada.

Não podemos negar que existe o homem psicopata. Ele é também um dos opostos dessa guerra que os seres humanos criaram por não saber aceitar suas diferenças e limites, algo muito comum entre as feministas. Mas as feministas que tanto odeiam o sexo oposto,que dizem ser os exemplos de pessoas modernas, letradas e afirmam que “o machismo matou muitas pessoas,enquanto o feminismo não” devem também lembrar que quase a totalidade das feministas defendem o aborto e aborto ao nosso ver é a morte de um outro ser vivo. Ou que muita mulher feminista odeia homem e os mataria se pudesse ou prega tais idéias violentas(o caso da feminista Valerie Solanas, Robin Morgan e muitas outras gurus feministas).Ou seja, também existe a mulher psicopata e isso não é um caso isolado de um movimento que afirma ser pacífico e com sua utópica e conveniente igualdade.Isso é mentira e basta ler um pouco o texto abaixo com frases de mulheres líderes desse movimento cujas participantes possuem vergonham de serem mulheres:

“Subsistem ainda fêmeas com mente cívica, responsáveis, em busca de emoções fortes e prontas a subverter o governo, eliminar o sistema monetário . . . . e destruir o sexo masculino.(Valerie Solanas)”

“Sinto que o ódio aos homens é um ato político nobre e viável, e que os oprimidos possuem o direito de ódio de classes contra a classe que os oprime.(Robin Morgan)”.

PS: as fotos do post foram retiradas pois a feminista que bateu as fotos das crianças, Clarice M.S, pediu o direito das fotos mas as colocou na internet em um site feminista. Quem quiser saber sobre o uso de crianças pelas feministas em manifestos como a marcha das vadias pode visitar este link do blog omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/06/mulheres-enojadas-com-as-marchas-das.html

A feminista na verdade quer omitir a verdade:  quis impedir que as mesmas sejam divulgadas vinculadas ao feminismo que mente fazer essas coisas “lindas” pelo “nosso bem”. Liberdade estilo feminista 😦