Arquivo da tag: blog mulheres contra o feminismo

Feminista sem noção: surfista de SC comete suicídio, feminista culpa o “homem branco e o machismo”

Padrão

O surfista brasileiro Jean da Silva

Jean da Silva,  um campeão brasileiro de surfe em 2010, tirou a própria vida aos 32 anos. O atleta natural de Joinville (SC) foi encontrado morto na casa dos pais, na última sexta-feira. A causa da morte não foi revelada pelos familiares, mas amigos próximos afirmam que Jean, que nunca deu sinais aparentes de depressão, cometeu suicídio aos 32 anos. Neste domingo, diversos representantes de elite do surfe, como Gabriel Medina e Mineirinho, prestaram homenagens ao amigo, tratado por todos como uma pessoa alegre e serena.

Em suas redes sociais, Jean exibia com entusiasmo as fotos das diversas viagens que fazia em busca de ondas, sempre ao lado de amigos. A última postagem é de um dia antes de sua morte, relembrando uma passagem pelas Ilhas de Mentawai, na Indonésia.

Os amigos ouvidos de Jean pela reportagem pediram anonimato e disseram que ainda buscam explicação para o suicídio. Um deles disse que o fim de um namoro teria deixado o atleta, que não tinha filhos, bastante abalado. Ainda assim, não dava sinais de depressão. “Da última vez que conversamos ele estava normal, feliz, brincando com todo mundo”, contou um dos amigos.

Jean é filho de uma família tradicional de Joinville e sempre se dedicou ao surfe, virando profissional ainda na adolescência. Era patrocinado por uma marca de surfe, o que lhe garantia uma situação financeira estável. Segundo amigos, não usava drogas e cuidava rigorosamente da  saúde. Recentemente, vinha tendo mais cuidados com a alimentação e praticava yoga e meditação.

Pois bem, uma pessoa normal fica triste com esse acontecimento e deseja conforto aos familiares.

Mas não uma feminista sem noção e com tremenda falta de respeito.

Neste post  do blog Origem Surf uma feminista culpa o racismo e o homem branco pela morte do rapaz. Indo mais longe a feminista levanta a bandeira do lesbianismo, usa e abusa da guerra entre classes e defende que pessoas gordas continuem gordas. E diz que “suicídio é um tabu”.

O que isso tem em comum com a morte do rapaz? NADA.

Olhem a mente doentia da feminista que escreve frases to tipo abaixo:

“E se Jean tivesse sofrido um acidente de carro, ou estivesse entre as vítimas de um ataque terrorista? Alguma coisa mudaria? Teríamos tido tantos acessos? Acredito que não. O suicídio é um tabu, assunto abominado por séculos pela esmagadora maioria das religiões ao redor do planeta. O que torna o suicida um ser quase invisível,  e um pecador, claro.

Mas o surf, esse surf excludente atual, machista, misógino e preconceituoso, essa patotinha composta por surfistas incríveis, saudáveis, sarados e felizes da TV (#sqn), pode levar muita gente bacana pro buraco.

Vai ver se o surf afasta a depressão do surfista gordo, ou da menina feia e lésbica sem patrocínio, ou do atleta que fala errado porque não teve acesso à educação de qualidade, ou ainda porque é preto ou tem o “cabelo ruim”.

Jean não era pobre, nem preto, nem ignorante. Muito pelo contrário. Era de uma família tradicional de Joinville, sul do País. Teve acesso aos melhores colégios, era “branco”.


Mulheres contra o feminismo: Sinceramente, estas feministas tem problemas e parecem viver no mundo de faz de contas. E que tremenda falta de respeito com os familiares, viu?

Achar  que suicídio é um tabu? Logo vai querer quebrar o tabu, querida? Diga isso aos familiares que perderam uma pessoa amada: seu fiho quebrou um tabu.

O suicídio em si sempre vai ser visto como resposta para uma pessoa atormentada e muitas vezes depressiva. Esta pessoa precisa de AJUDA. Sem fazer malabarismo intelectual. Suicídio nunca vai ser ou deveria ser visto como tabu. Citar isso é menosprezar e aliviar uma coisa muito grave.

Agora o rapaz morreu e a feminista vai culpar ele por ser branco e nunca ter passado por dificuldades financeiras? Quer dizer que ricos podem morrer por serem ricos? Ou brancos pode morrer por serem brancos? Ou quem tem acesso as melhores escolas deve morrer por isso ? 

O que de relevante entre a morte do rapaz e o lesbianismo ou pessoas gordas ou pessoas feias?

 

 

 

Fim do mundo: meninos gays (um de 12 anos) se beijando em festa de aniversário e gritos de pura baixaria

Padrão

O mundo enlouqueceu completamente. Da Europa ao Brasil.

No Reino Unido, justiceiros sociais e politicamente corretos hoje chamam travestis para ensinar crianças de 02-03 anos que não  existe homem e mulher e ser travesti, gay é “bom e moderno”. Leiam neste artigo das Mulheres contra o feminismo do Reino Unido.

Bem, o Brasil como piora sempre tudo que chega do exterior (infelizmente nunca melhora o melhor) superou uma coisa tida como absurda. O assunto gerou amplo debate nas redes, com a maioria das pessoas se mostrando contrárias. Em especial por que pelo Artigo 217-A do Código Penal, é crime “Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos”.

Dois meninos gays de 12 anos se beijando em festa de aniversário e celebram com gritos de pura baixaria com o apoio dos pais. O filme causou revolta na internet e orgasmos nos movimentos LGBT, feministas e outros movimentos esquerdistas.

Bem, o que podemos comentar sobre tal acontecimento? Revoltante. Uma festa de aniversário de um casal formado por menino e menina seria igualmente revoltante afinal são crianças e não adultos.

O relativismo moral pregado pela esquerda que apoia tudo de mais nojento e degradante no Brasil e no exterior piora cada dia mais. Nem querem esconder mais. A coisa ficou escancarada.

Primeiro: Adolescentes não podem “namorar” com crianças. Isso configura crime. Gays conservadores igualmente ficaram chocados e contra o que aconteceu e consideram igualmente nojento e doentio celebrar uma atitude assim de crianças.

Segundo: os pais devem ser responsabilizados. A mãe do menino exala baixaria. O menino posta fotos sensuais vestido de menina mesmo antes dos 12 anos. Com certeza o menino já pratica safadezas desde muito cedo sob aval da mãe. Deixar o menino exposto a isso é uma espécie de abuso sexual, não de exercício de autoridade.

Terceiro: Pelo fim do relativismo moral. O certo sempre vai ser certo. O errado sempre vai ser errado. O relativismo moral existe no Brasil e no exterios mas em lugares como os Estados Unidos existe quem luta contra isso. Aqui no Brasil devemos parar de aceitarmos tudo dito pela esquerda.

Quarto: interessante ver como muitas mulheres simpatizantes do feminismo pensam: dizem que falta homem no mercado e dizem defender menores de idade mas apoima coisas deste tipo que afetam o crescimento de c.rianças

Ah, mas cada um faz o que quiser…. desonestos intelectuais como feministas podem dizer.

Pense: Um menor de 12 anos sabe o que quer da vida? Ele tem esta capacidade de decidir? Tudo deve ser liberado? Se os pais querem que a criança use drogas, vire prostituta, pode?

Enfim, devemos parar com esta covardia de aceitar o relativismo moral que abre as portas para pedofilia e tantas outras coisas. Fica um importante alerta aos pais, filhos e sociedade. É bizarro o que os esquerdistas fizeram com as nossas crianças. Sexualizaram a infância e induziram aqueles que ainda não têm condições de discernimento a escolherem sobre caminhos aos quais ainda não estão preparados para seguir. Lamentamos pelos garotos do vídeo e lamentamos por outras crianças que se enquadram no exemplo desses garotos. Isso nunca vai ser bonito.

 

 

Site esquerdista Catraca Livre: o desconstruir da masculinidade fingindo ser obra de arte

Padrão

A esquerda sempre tenta tenta desconstruir masculinidade e a feminilidade fingindo ser obra de arte. Isto sempre foi um golpe do movimento feminista e LGBT.

Olhem essa. Um rapaz afirma que em nome da arte vai fazer sexo anal e se penetrado.

Sim, para a esquerda isso é arte…Surprsa nenhuma isto surge no site esquerdista Catraca Livre.

Querer fazer sexo anal, ser gay, é problema de cada um. Exitem conservadores gays e tudo o mais. Agora usar de desculpas para fazer isso em público e dizer que é arte? É o absurdo do absurdo! Onde chegaremos? Não falta muito onde matar virará arte!

Este relativismo moral doentio anda sendo usado por maluco para fazer “arte”.

Isso agora virou arte? Usar de qualquer desculpa para realizar fantasias? O que aconteceu com o real estudo da arte? E o respeito com os reais artistas que infelizmente ficam quietos e andam ofuscados por estes doentes?

 

Titi Müller, feminista de Porto Alegre, se atira pra cima de gringo famoso acusado de agredir fã

Padrão

“Dane-se o machismo, tô com um boy gringo, rico e famoso. ”

“Mulher brasileira tem fama de vadia, prostituta e tudo o mais e sou contra o turismo sexual mas vou sair pra pegar aquele gringo para ostentar prasamiga pois sou empoderada e moderna seja no carnaval e copa do mundo”.  Se fiz besteira foi por culpa do diabo que me deixou beber.

Sempre a mesma coisa: vitimismo barato e mais uma feminista mostra a hipocrisia do movimento feminista.

Estamos falando de Tielen Müller, mais conhecida como Titi Müller , feminista de Porto Alegre que mente ser apresentadora, repórter e atriz. Definitivamente esquerdista caviar segundo fontes de onde estudou.

Em 2017, chamou a atenção da mídia ao comentar ao vivo as letras “machistas” do DJ israelense Asaf Borgore no festival Lollapalooza.

Ao mesmo tempo fica quieta quando funkeiras feministas e artistas como Beyoncee chamam mulheres de vadias e putas em suas letras.

Mas a coisa piora.

Sabe aquela feminista nacionalista que reclama que a mulher brasileira sempre foi mal vista mundo afora, tida como prostituta mas que sai pegando geral quando um gringo paga um prato de comida?

Sim, este é o modo de agir da dita “empoderada”Titi Müller. 

Ela simplesmente se jogou pra cima do  ator e cantor Jared Leto. O mesmo ator e cantor que foi acusado de agredir uma tiete.

Mas claro, com Jared Leto, não existe machismo e misoginia, né?

Aquela coisa que sempre dizemos: quando o cara rico tem status não é machismo e nem querem abortar. Agora vai ver um pobre coitado dando bom dia, até nazista o coitado vira.

Mas assim é a esquerda e celebridades: Madonna apanhou muito do Sean Penn (artisa esquerdista), marido dela na época dos anos 80.
Agora ela se diz feminista, ativista e disse que a única pessoa que ela amou na vida foi justamente Sean Penn o ex que a agredia.
Madonna também sempre se promoveu como objeto sexual e lucrou com isso mas fala mal do capitalismo.
Beyonce também com todo discurso feminista, fez um álbum chamado Lemonade , com uma musica falando sobre as traições de seu marido , enquanto ela ficava em casa esperando ele chegar da casa da amante.

Ou seja , elas são todas hipocritas e querem ainda serem modelos de conduta?

Não objetifiquem as mulheres? Feminista tem a vagina tocada por ambulantes em lugar público como forma de protesto

Padrão

Muita gente que nunca morou fora, nunca pesquisou ou estudou acha que no exterior tudo se iguala a perfeito. As pessoas acham que não existem crimes, não existem pessoas doentes e mal intencionadas. Criam um exterior fantasia.

Pois bem, hora de ler e estudar, leitoras e leitores. No exterior e principamente na Europa que muito se difere dos Estados Unidos, tem muita coisa interessante mas muita coisa que faz os nossos esquerdistas aqui parecerem os defensores do Bolsonaro. Indo mais longe, podemos perceber que o Brasil infelizmente se baseia em sites como a #BBCBrasil e outros ligados a esquerda como sinonimo de coisa boa do exterior.  A BBC sempre foi um tumor ligado a esquerda assim como outros sites na Europa ou nos Estados Unidos.

E definitivamente nem tudo que chega do exterior tem a ver com coisa boa e de qualidade. ABRAM OS OLHOS.

Duvidam? Vejam este caso:

Milo Moiré, uma feminista suiça e psicóloga que anteriormente havia enterrado OVOS Em sua vagina, tem realizado polêmica como obras de arte e nua por anos. Em 2014, ela andou de ônibus nua (pintada com nomes de itens de roupas onde eles deveriam estar em seu corpo) durante a Art Basel na Suíça ficou nua fora de um museu de arte na cidade de Colônia, Alemanha, pintando uma folha branca de vermelha que escorria da sua vagina.

Mais recentemente, ela homenageou o trabalho nudista da década de 1960 de Valie Export e pediu às pessoas em Londres, Düsseldorf e Amsterdã que tocassem seus seios e vagina, escondidos em uma grande caixa espelhada com um buraco no meio. Ela gravou tudo e lançou um vídeo para mostrar a sua arte.

Enfim, pessoal, do Museu de arte moderna de SP, do funk carioca e chegando a Europa o lixo feminista se comporta do mesmo modo.

E este tipo de mulher nojenta diz nos representar por sermos mulheres.

As feministas definitivamente têm transtornos mentais. Quando vemos um protesto feminista, podemos sempre esperar algo grosseiro, ilógico e estúpido.

Bem, as feministas estão fazendo isso para nos “ajudar”como mulheres? Mesmo? Não, em nosso nome. Veja abaixo:

Feministas como o maldito tumor esquerdista que sempre foram não nos representam.

Cada dia menos mulheres se consideram feministas e hoje, graças a mídias alternativas, mais mulheres estão expondo o feminismo.

Isso não é arte. Isso nunca vai ser luta por  justiça. Isto é maia uma estupidez feminista entre tantas as outas sob a aparência de “arte e experiências sociais” para justificar 15 minutos de fama. É sobre o que é o feminismo: nenhuma substância intelectual maquiado de luta e palavras bonitas

O velho e o novo feminismo são o mesmo alimento de doença. O tumor antigo que gerou o novo.

Curiosamente, esses idiotas muitas vezes estão protestando contra a objetivação das mulheres (Beyoncé e celebridades gerais), mas são as primeiras a ficarem peladas ou se chamar de vadias e put@s.

O Brasil passa longe de ser perfeito mas uma onda conservadora e liberal cresce (pois as pessoas hoje estudam mais) e isso somente coloca o Brasil em um bom caminho. Claro que as feministas e o resto da esquerda piram e emboram sejam extremamente nacionalistas cegos, tentam a todo custo afirmar que muitas vezes o exterior tem modelos melhores (desde que esquerdistas) que o Brasil.

Fica o alerta a este golpe e sugerimos muita calma ao aceitar tudo o que chega de fora.

Texto traduzido e adaptado das Mulheres contra o feminismo do Reino Unido (recomendamos seguir e curtir).

 

Feministas se manifestam em Porto Alegre a favor da mostra do Santander ficando nuas  e se masturbando em praça pública no meio da tarde.

Padrão

Faz poucos dias que as feministas queriam mostrar um tipo de arte que incluiu pedofilia e zoofilia para menores com o apoio de um banco internacional com o apoio da doente Luciana Genro. Isso aconteceu em Porto Alegre. Leiam mais aqui.

Mas como sempre acontece com a esquerda e feministas tudo somente tende a piorar….e muito.

Sabemos que toda feminista e simpatizante tem transtornos mentais pois estas malucas vivem fora da realidade. O pais vive um caso de tensão social, submerso em corrupção, afundado em crise econômica, gente morrendo no corredor de hospitais e baleados nas portas de suas casas,  mas feminista artista quer torrar dinheiro público visando abrir debates sobre penetração em animais. Isso que elas ainda usam filhos como cobaias se este sobreviveu ao aborto. Mas elas adoram mesmo quando tentam doutrinar o filho dos outros.

Sabemos que o banco Santander cedeu as pessoas que acharam de mal gosto e apelativo as tais obras de arte do RS. O banco sabiamento cancelou a amostra. Mas as feministas “artistas” lacradoras se manifestaram em Porto Alegre a favor da mostra do Santander Brasil / Santander Cultural com pedofilia e zoofilia. Como? Ficando nuas  e se masturbando em praça pública no meio da tarde.

Assistam no link aqui.

É incrível como os vermes esquerdosos sempre representam absolutamente o oposto de tudo que dizem combater. São ATRASADOS e RETRÓGRADOS ao extremo e odeiam tudo de civilizado. Ou será mesmo que retrocesso é a palavra correta? Aposto que nem nossos ancestrais da Idade da Pedra ficavam andando pelados por aí, futicando no ## dos outros, defecando em tudo quanto é lugar ou fazendo sexo com animais e crianças. A ESQUERDA É TÃO PODRE E NOJENTA que não existe um adjetivo que defina com precisão seus seguidores, mas tenho alguns que chegam perto: RETRÓGRADOS, ESQUIZOFRÊNICOS, PERTURBADOS, DOENTES MENTAIS E CRIMINOSOS.

Se estas retardadas tivessem que trabalhar de verdade para ganhar dinheiro não iam ter tempo de ficar fazendo papelão no meio da rua durante a tarde…vergonha alheia!

O mais incrível dessa história toda é ver socialista defendendo banco capitalista e estrangeiro. Isso não tem preço! Isso prova que pra esses retardados a ideologia sempre vai estar acima da lógica. Se a direita é contra eles apoiam, se é a favor eles são contra. Sim, esquerdismo é doença.

Uns “artistas ” de arte moderna criaram uma legião de idiotas pseudo intelectuais, que conseguem enxergar conceito artistico até em cocô de cachorro.
Isso não é arte. Michelangelo é conhecido pela pintura da Capela Sistina usando de talento e habilidade. Nos dias atuais no Brasil seria famoso por desenhar em paredes usando o próprio cocô e rebolando ao som do funk.

Quem apoia socialismo comunismo e movimentos derivados como o feminismo apoia a inversão de valores e estes absurdos.

Outro artigo sobre este tema aqui. 

O suposto estupro da feminista Clara Averbuck e o desserviço prestado às mulheres

Padrão

Por Vanessa Rodrigues

No último dia 28 de agosto, a “escritora” Clara Averbuck escreveu em seu perfil no Facebook ter sido vítima de estupro durante uma corrida com um motorista do aplicativo Uber. No texto, a escritora afirma que estava bêbada quando ocorreu o fato e que o motorista em questão aproveitou-se da situação para praticar o suposto crime. Entretanto, o que mais chama atenção no relato é que Clara afirma que não irá realizar nenhuma boletim de ocorrência, visto que não quer se submeter ao que entende como “a violência que é ir numa delegacia da mulher ser questionada” ou “violência do estado”.

O argumento de Clara não faz sentido algum, principalmente partindo de alguém que se diz feminista. Ao recusar-se a realizar uma denúncia de maneira formal, a escritora está deixando que um suposto criminoso deixe de ser punido pelo crime gravíssimo que cometeu. Em plena era da ” lei do feminicídio”, algo tão defendido pelas feministas, faz algum sentido que uma militante deixe um estuprador impune? O Uber baniu o motorista e possui todos os dados sobre ele, incluindo duração da corrida, local de embarque e desembarque, tempo em que o carro ficou parado, etc. Se o Uber consegue identificar, o que impediria que o suposto estuprador fosse identificado pela polícia e respondesse pelo crime? Absolutamente nada.

Clara também afirma que seria julgada e questionada como vítima na delegacia da mulher. Faz algum sentido que alguém que esteja com medo de julgamentos divulgue a sua história no Facebook? Redes sociais são os melhores lugares para que as pessoas questionem relatos ou duvidar diretamente do que está escrito. Não faz sentido algum ter medo de um suposto questionamento da polícia, mas não ter medo de questionamentos e linchamento virtual.

A mesma pessoa que “teme julgamentos” fez questão de falar sobre o caso também em vídeo (cujo texto foi transcrito por diversas mídias, como o Estadão). De acordo com Clara, ela “não confia no sistema” e, por isso, não fez o boletim de ocorrência na polícia, dado que não tem como provar o suposto crime. Segundo ela, “violência sexual é o único crime que quem tem que provar é a vítima”. Não, querida: QUALQUER crime depende de provas para punir o criminoso. Ou você pensa mesmo que textão no Facebook deve ser suficiente para colocar alguém na cadeia, um local onde estupradores têm que ficar afastados dos demais presos se quiserem continuar vivos?

Para completar a história muito mal contada, Clara afirma que “o cara sabe onde eu moro, não me deixou na frente da minha casa, senão teria câmera e seria muito mais fácil identificar; ele parou na rua ao lado da minha casa porque já estava mal intencionado”. Ué, amiga: se você está com medo do cara que supostamente te estuprou, fazer textão no Facebook, divulgar no Instagram, fazer um vídeo e agendar uma aparição em um programa de televisão para “falar sobre feminismo” não me parece ser uma boa forma de se manter no anonimato, não acha? Sabe aquele boletim de ocorrência que você não quer fazer? Pois é, com ele a polícia poderia obter imagens de quaisquer câmeras, incluindo as da rua ao lado da sua casa.

Em resumo: Clara é só mais uma feminista prestando um desserviço às mulheres. A necessidade de exposição para ganhar curtidas, comentários, seguidores e mídia é tão grande, que entre denunciar um estuprador para a polícia e escrever textão lacrador, ela preferiu a segunda alternativa. Aliás, reitero que não duvido que o estupro tenha de fato acontecido, da mesma forma que não duvido que seja mais uma história fictícia, as já famosas “fanfics”. Não sabemos e provavelmente nem saberemos o que de fato aconteceu, visto que não haverá investigação policial sobre o caso, e tudo o que temos é mais um texto lacrador que viralizou na rede para ser em breve esquecido.

Minha única certeza sobre o caso é que Clara Averbuck deu um péssimo exemplo, deixando claro que é preferível lacrar nas redes sociais, colocando a culpa nos “homens que reproduzem a violência que eles conhecem”, do que tentar prender os estupradores. Na lógica de Clara, quem estupra deve permanecer impune e livre para fazer vítimas porque “estuprador não é monstro”, mas rende seguidores e mídia que é uma beleza.


Mulheres contra o feminismo: Excelente texto da Vanessa sobre este estupro aonde a suposta estuprada teve um comportamento muito suspeito. Estupro sempre foi um crime grave e sempre pregamos uma pena dura para o estuprador ou estupradora. Mas antes tudo deve ser bem investigado.

Clara reclama do estupro mas vai no Facebook reclamar para todo o planeta ler mas se nega a permitir que policiais investiguem o tal estupro.

Reclama da “cultura do estupro” mas certamente é contra revogar o estatuto do desarmamento para permitir que mulheres andem com uma arma na bolsa e mandem o criminoso para o colo do capeta.

Reclama do estupro que teria sofrido mas certamente é contra redução da maioridade penal; se o estuprador fosse um menor, portanto, o que ela faria?

Reclama que as mulheres tem medo de serem estupradas quando andam nas ruas mas certamente acha que “a polícia prende demais no Brasil” e que “cadeia não resolve, só entra no crime quem não tem oportunidade”.

É muita contradição…….

Ela simplesmente está incentivando mulheres a não denunciarem seus abusadores e deixarem estupradores livres e impunes para estuprar outras mulheres, quando ela faz todo esse terrorismo sobre a delegacia da mulher. Um completo desserviço.

Além do mais pelo relato dela o sujeito abusou dela passando-lhe mão, ele não chegou a estupra-la, isto é, força-la a fazer sexo com ele, não houve de fato estupro, por mais que a extrema esquerda tente mudar o significado da nossa linguagem e tentar redefinir a palavra estupro como qualquer tipo de assédio.