Ator que interpreta Super-Homem diz que não flerta por medo de ser acusado de assédio e estupro

Padrão

O (muito lindo) ator britânico Henry Cavill conhecido por interpretar o Super-Homem nos filmes mais recentes da DC Comics –O Homem de Aço (2013), Batman vs. Superman e Liga da Justiça  recentmente afirmou que não flerta por medo de ser acusado de assédio e estupro durante uma entrevista à GQ Australia.

– As coisas têm de mudar, absolutamente. É importante também manter as coisas boas, que eram uma qualidade no passado, e se livrar das coisas ruins – destacou Cavill sobre o comportamento dos homens.

O ator de 35 anos prosseguiu com seu raciocínio:

– Há algo de maravilhoso em um homem indo atrás de uma mulher. Eu acho que uma mulher deveria ser cortejada e perseguida, mas acho que eu sou tradicional por pensar assim.

warner / Divulgação

Na entrevista para a publicação, Cavill expôs suas inseguranças.

– É muito difícil fazer isso se há certas regras no lugar. Porque é assim: “Bem, eu não quero levantar e ir falar com ela, porque eu serei chamado de estuprador ou algo assim”. Então você fica, tipo: “Esquece, eu vou chamar uma ex-namorada, e depois voltar para um relacionamento que nunca funcionou de verdade”. Mas é mais seguro do que eu me jogar nas chamas de um incêndio, porque eu sou alguém que está sendo observado pelo público, e se eu flertar com alguém, quem sabe o que pode acontecer? – divagou. – Agora você não pode tentar persuadir alguém que disse “não”. É tipo: “Ok, tá bom”. Mas depois é: “Ah, por que você desistiu?”, e eu penso: “Bem, porque eu não queria ir pra cadeia?” – concluiu.

O ator foi atacado pelas feminazi e justiceiras sociais por justamente mostrar os fatos sobre a vida de um homem. Aquela censura feminsta de sempre. Hoje em dia não se pode falar certas verdade.


Mulheres contra o feminismo: O ativismo feminista e o politicamente correto estão conseguindo que casais não sejam formados na sociedade. O foco sempre foi e sempre será o ataque direto e indireto ao projeto chamado família. Certas mulheres não podem se queixar que os homens não chegam mais pois foi isso que conseguiram ao apoiar esse ativismo feminista que acha um simples “oi” um estupro ao mesmo tempo que apoiam o ativismo gay sendo que reclamam que falta homem no mercado.

Depois das feminazi terem agora o direito de pagar a mais na balada, do direito de apanhar de traveco no MMA e do direito de levar bolada de homem no vôlei, parece que agora as feminazis conseguiram mais uma conquista: a de morrerem sozinhas e sem filhos. George Soros e sua família tradicional que vai perdurar séculos continuam dando risada do fato que seus cãezinhos obedientes chamados feministas acham que quanto mais repetem mantras politicamente corretos que só passaram a existir ontem estão sendo “livres”.

As feministas com seus mantras politicamente corretos conseguiram que casais não sejam formados e deixam de procriar e hoje mais pessoas andam ficando sozinhas. Mas querem que gays tenham filhos e pessoas casem com cachorros, pontes ou madeira. A Europa parece ser um exemplo decadente neste caso e inclusive pessoas como o bonito ator acima igualmente sentem na pele os efeitos da sinistra onda feminista.

 

Uma resposta »

  1. Sou negro e em uma noite em 1992 eu me desviei de uma mulher branca na calçada, para não ser acusado de assalto por ela,hoje em 2018 me esquivo de qualquer mulher seja ela negra, branca ou de qualquer outra cor para não ser acusado de estupro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s