Cultura e arte no Brasil? O fiasco de Anita e Paula Fernandes no show com Andrea Bocelli

Padrão

paula-fernandes-andrea-bocelli-vergonha-fiasco

Vamos falar de cultura e arte no Brasil e como o show de Andrea Bocelli com Anita e Paula Fernandes mostram o nível brasileiro em arte e cultura? Feministas e guerreiros da justiça social usam e usam de manobra para relativizar a arte e cultura por sinal.

Vamos esclarecer o que é cultura e o que é arte.

Cultura significa todo aquele complexo que inclui o conhecimento, a arte, as crenças, a lei, a moral, os costumes e todos os hábitos e aptidões adquiridos pelo ser humano não somente em família, como também por fazer parte de uma sociedade da qual é membro. Inclui desde a dieta, modo de relacionar, se vestir e outras coisa mais, incluindo a arte.

Arte (do latim ars, significando técnica e/ou habilidade) pode ser entendida como a atividade humana ligada às manifestações de ordem estética ou comunicativa, realizada por meio de uma grande variedade de linguagens, tais como: arquitetura, desenho, escultura, pintura, escrita, música, dança e cinema, em suas variadas combinações. O processo criativo se dá a partir da percepção com o intuito de expressar emoções e ideias, objetivando um significado único e diferente para cada obra.

Recomendamos assistir estes vídeos do professor de canto maluquinho Marcio Guerra que analisa muito bem e tecnicamente o fiasco da Anita e Paula Fernandes.  E também adicionamos um vídeo do Nando Moura que também é musico. Ambos sabem e entendem de arte (técnica e/ou habilidade) no campo musical.

A cultura pode ser julgada como melhor ou pior embora exista alguma polêmica com relativistas culturais que acham toda cultura igual. Mas a arte definitivamente pode ser julgada. Nem toda arte é boa pois a arte tem a ver com habilidade, talento.

Mas o que isso tem a ver com o show de Andrea Bocelli com Anita e Paula Fernandes? Não queremos comentar aqui como fãs de uma ou outra/ outro que cegos por fanatismo deixam de ver os fatos sobre o cenário cultural do nosso Brasil. Bom lembrar que talentos temos de sobra. A mídia valoriza o fútil, por isso escolheram duas figuras que envergonharam o país ao lado de Andrea Bocelli.

Entretanto, vale lembrar que a mídia segue o mercado (amoral) que é dirigido pelo que as pessoas valorizam. As pessoas fazem escolhas baseadas em valores e estes valores refletem muito a cultura de um povo. Causa e efeito.

A cultura do brasileiro em geral é aquela do improviso, falta de planejamento e estudo. Falamos a grosso modo é claro pois sabemos que existem pessoas que planejam, estudam e focalizam nos seus objetivos. Mas isso passa longe da nossa cultura. Quem planeja e estuda aqui é visto como pessoa chata, certinha e amante da monotonia.

No Brasil queremos o atalho e a mentalidade vergonhosa que impera é: Para que estudar musica e ser um músico ( ou qualquer outro profissional de verdade) dominando a arte se posse ser um famoso? Esquecemos que a arte na sua base significa habilidade. E habilidade sempre necessitou de estudo, mesmo entre pessoas com talento. Wolfgang Amadeus Mozart, um talento nato, ESTUDAVA MUITAS HORAS POR DIA desde criança.

Falta de estudo e fama sem bagagem técnica: este foi o retrato do show que envergonhou o Brasil. Nossas “cantoras” neste show com Bocelli mostraram que são nada mais que pessoas desinibidas com muita vontade de aparecer que tentaram pegar carona nas costas de um músico famoso de real talento. Uma pessoa que realmente estudou a arte musical.

Esta mentalidade do improviso sem estudo, querendo criar atalhos ou  arrogantemente revolucionar um mundo complexo sem conhecimento e uma base de verdade arte é o que fazem que todo mundo hoje seja “cantor” e que funk vire arte. Nem o tal conhecido funk na verdade funk é. A falta de estudo fez com que arruinassem o que é realmente funk.

Enfim, fica este alerta, cara leitoras e caros leitores. Isto vale para qualquer campo profissional. Neste mundo online aonde todo mundo arrogantemente se acha “cantor, artista e intelectual”, o grande truque é ESTUDAR, ESCUTAR QUEM SABE MAIS E APRENDER sem se render a modas que usam de atalhos.

A arte agradece.

Uma resposta »

  1. Artes e culturas eruditas não são sinônimos de decências, de disciplinas e de ordens, pois muitas delas são tão imorais quanto as muitas populares. A obra erudita “FLAUTA MÁGICA”, de Mozart, é uma obra maçônica. Outra erudita, “ADÁGIO EM DÓ MENOR”, de Yanni Chrysomallis, está relacionada à Nova Era. Existem obras populares que não são desordeiras nem indecentes, mas que infelizmente muitas delas podem ser subliminares, como “A MÃO DO MESTRE” (Cristina Mel), “ALVORADA VORAZ” (RPM), “BLUE CITY” (Ry Cooder), “COMO É GRANDE O MEU AMOR POR VOCÊ” (Roberto Carlos), “EVA” (Rádio Táxi), “ELE É JESUS” (Welington Camargo), “SUPERFANTÁSTICO” (Turma do Balão Mágico), “TEMA DA VITÓRIA” (Roupa Nova) e outras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s