A feminista Valesca Popozuda, a cara do novo modelo da educação brasileira?

Padrão

Diapositiva1

Pessoas de todas as classes e ideologias postam no facebook e em redes sociais que uma “educação de qualidade” é algo que vai melhorar a sociedade. Ficam revoltadas/os com absurdos, valores invertidos, caos social, etc. Todos defendem que a educação é a solução para nossos males, mas poucos questionam: qual modelo de educação?

Nestas horas basta observar fatos ASSUSTADORES nos dias de hoje. Caiu na rede a matéria do professor que usou a guru feminista piriguete Valesca Popozuda como modelo de pensadora aos seus estudantes. Sim, a mesma que foi ASSUNTO DE TESE DE MESTRADO FEITO POR OUTRA FEMINISTA. A mesma que é tida como modelo para as adolescentes como podemos ver na imagem acima. A mesma que viaja ao exterior queimando mais ainda a imagem da mulher brasileira, vista cada dia mais como uma prostituta no exterior  e isso com o apoio de feministas como Valesca.

Depois de causar,  a piriguete (feministas detestam falar tal palavra por mimimi) Valesca postou no seu facebook que quem critica o funk é por “preconceito”. Quem critica ela é por “ela ser mulher”. Quem critica o funk é porque “detesta o povo negro da favela”. Etc e etc. A feminista funkeira usou do que feministas usam como sempre: vitimismo, apelar para a guerra de classes, relativizar o bom e o mal  e ironizar pensadores para passar como “oprimida”.

O professor que pegou ela como exemplo fez a mesma coisa. Enfim, piriguete virou exemplo de conduta na sociedade, novela, cinema, livros, etc. Pior, isso entrou na escola. Se isso acontece na escola aonde o exemplo do melhor deveria ser dado, o que esperar da sociedade e futuros adultos ? Estamos andando no caminho do quanto  pior, melhor. As novelas da “conservadora” rede Globo colocam as piriguetes, prostitutas, traficantes, bandidos ou mulheres como Valesca no auge e tidas como “fortes, modernas, poderosas, exemplares”. Depois queremos reclamar da sociedade e valores invertidos como? Pior, na verdade muitas pessoas assistem tudo isso de modo passivo e sem nem saber o motivo disso tudo.

Duvidam_ Olhem o que prega esta feminista quando “canta”:

Sabemos que isto acontece faz tempo e foi planejado. Durante muitos anos o governo marxista e socialista (pais das feministas) vem modificando a cultura, a escola e as universidades procurando atingir  as pessoas desde a mais tenra idade, relacionando inclusive sexo como qualquer assunto como faz Valesca e o professor “moderno” que acha ela exemplar. Na verdade, o governo abriu as portas para este tipo de pessoa e  para o modo de educar relativista moral politicamente correto do socialista Paulo Freire (adorado por feministas e pelo Jean Wyllys) que doutrina ao invés de ensinar. Procurem sobre as cartilhas sobre sexo para menores de idade.

Este objetivo de doutrinar desde cedo e atacar  cultura nasceu durante o regime militar. Militares nunca entenderam a guerra cultural e deixaram escolas e a academia serem comandadas por gente  deste tipo como marxistas  que querem atacar os valores de base da sociedade.  A Ana Paula Campagnolo e muitas outras pessoas denunciam casos absurdos no nosso sistema de educação doutrinar alunos e alunas sem esconder os motivos.

Ah,mas e o MEC? O MEC também nunca foi coisa que prestasse. Ainda no governo do socialista THC (popular FHC),  foi implantado em escolas de todo Brasil, como material didático da cátedra de Historia, o famigerado livro de comédia de Mário Schmidt. Quando se pensou que havíamos chegado ao fundo do poço, eis que um analfabeto foi eleito presidente da república e deu novas diretrizes ao MRC, provando que a coisa poderia ficar cada vez pior.

Nisso tudo, entrou na moda o embuste do tal “preconceito linguístico” (“nois pega os peiche, as mina e os manu”), o que levou Marcos Bagno a fazer fama e fortuna e crianças e adolescentes brasileiros a serem convencidos de que escrever e falar errado é “algo normal e moderno”. As funkeiras e funkeiros adoraram. Além de pregar baixaria, vulgaridade, estimular o turismo sexual e o uso de drogas, os funkeiros e funkeiras começaram usar da guerra de classes para causar e ganhar mais dinheiro. E muitas usam daquela frase tipo “se você não gosta de funk, samba ou axé não é brasileiro/a de verdade”.

Por outro lado, a importância da família na condução da educação dos filhos em contraposição ao Estado  é algo que deveria ser forte. Ao mesmo tempo, o estado marxista brasileiro faz de tudo para destruir o modelo familiar existente como querem seguidores feministas, militantes GLBT como Jean Wyllys e demais marxistas. Jogam a esposa contra o marido e vice-versa, os pais contra os filhos, filhos contra pais, etc. Assim fica mais fácil dividir as pessoas para conquistar, sempre oferecendo o estado como “remédio para tudo”.

Resumindo: fim do tempos. Nissos filhos e filhas viram cobaias de obras da mais pura engenharia social. Ser bandido virou coisa boa, piriguete exemplo de mulher, a novela prega isso, o cinema, os “artistas” pregam modas grotescas, tudo virou arte boa (sem nada poder ser questionado),….O resultado: casos como os de Valesca, Mc Catra e toda uma corja metida a intelectual sambando na mente dos nossos filhos e filhas.

Temos que bater na tecla do ”homeschooling” (ensino escolar feito em casa) pois é a forma mais rápida de começarmos a mudar este quadro e questionarmos os professores que lavam o cérebro de nossos filhos.

 

»

  1. Grande pensadora contemporânea?? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Funkeiros são um poço de vitimismo(podem andar de mãos dadas com as feministas) eles não admitem que exista gente que veja a “música” deles como realmente é,um lixo!!!
    Se alguém ousa falar mal,é preconceito porque eles são pobres, mas tem muito pobre que também detesta essa porcaria e ai?! Aliás tem muito cantor que era pobre e faz música de qualidade.
    Eles sabem mas não querem admitir que não tem talento nenhum,só estão na mídia porque brasileiro em geral gosta de porcaria.
    Eu não gosto simplesmente porque é ruim demais,não tem conteúdo,não diz nada com nada,é uma batida só para todas as músicas,vulgar,banaliza amor,sexo,drogas,lixo puro!Eu não entendo como alguém pode aguentar ouvir isso.

  2. Meninas, estou conhecendo este ótimo blog e deixando este primeiro comentário, para dizer que vocês atinaram para a luz no fim do túnel: o homeschoolling.

    Devemos bater nessa tecla e muito! Notem que não é por acaso que os “progressistas” temem e rechaçam tanto a educação em casa. Nada mais ameaçador para a reengenharia social deles que livrar as crianças e adolecescentes da sua (des)educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s