Criando filhos Parte 2: A sexualização nas escolas apoiada pelo governo.

Padrão

Este post se relaciona com o post anterior. Adolescentes e crianças cada vez mais cedo caindo no “conto da liberdade sexual”. Muitos e muitas sucubem a tal propaganda sem serem maduros o suficiente para lidar com o resultado disso tudo que quase sempre os/as afeta de modo prejudicial.

Reparem como hoje possuimos cada vez mais menores de idade de 7 anos para cima (ou menores ainda) sendo filmados rebolando ao som de funks e outras obras musicais grotescas. Reparem no que acontece ao nosso redor com os nossos filhos.  Um exemplo aqui neste filme via facebook.

https://www.facebook.com/photo.php?v=440416926062355&set=vb.429992453771469&type=2&theater

A doutora Damara Alves denunciou isso no passado. Vejam abaixo:

Uma outra mulher notou isso e denunciou no blog escrito por ela mais absurdos como este (texto abaixo). Denunciamos no passado algo similar ao falarmos da “expert” Tatiana Lionso que pregava absurdo do mesmo tipo junto com Jean Wyllys.

Marxismo cultural, novos modelos familiares, valores invertidos, crianças sendo estimuladas ao sexo cada vez mais cedo,etc. E tudo isso pintado como ” moderno” e  a um passo para legalizar a pedofilia.

Tal modo de agir atinge menores de idade ligados ao movimento MST aonde o estrategema se repete: doutrinar menores de idade para que apoiem grupos marxistas ligados ao governo. Vejam abaixo:

————————————————————————————————————————————————-

Texto de Camila Hochmüller Abadie, mãe, esposa e mestre em filosofia.

Na última edição do programa Encontrando Alegria, que teve como a sexualização nas escolas, nossa entrevistada, a psicóloga e psicanalista Rejane Soares, relatou o episódio vivido por suas duas filhas em uma das mais renomadas escolas católicas de Belo Horizonte – MG. As meninas foram submetidas a uma aula de educação sexual perturbadora, para dizer o mínimo.

Abaixo, complementando a entrevista, publico algumas das fotos que Rejane mo enviou antes de gravarmos a entrevista, para que eu visse sobre o que ela se referia. ADVIRTO: AFASTEM AS CRIANÇAS DE PERTO DO COMPUTADOR. As imagens são “fofinhas” porque o estilo é infantil, mas o conteúdo não é.

img1

Canto inferior esquerdo: os pais como tolos, assustados, inseguros.
A professora na imagem principal como a pessoa certa
para responder as questões e ensinar sobre sexo.

img2

A identidade sexual como algo a ser construído.
“Não é beeeem assim essa coisa de ser menino e ser menina.”

img3

Pais idiotas e indiferentes.

img4

Subversão total da autoridade: os pais na cadeira dos réus,
as crianças julgando e a professora dando a sentença. O governo deixa a entender que os pais estão errados. A teoria da guerra entre classes (vinda do marxismo) agora pregada no meio familiar e leis de engenharia social (como a lei da palmada) aonde desmoralizam mais os pais, implantam o politicamente correto e colocam nossos filhas e filhas  nas mãos do estado.   

img5

Sério: quem, tendo vivido uma infância sem abusos e superexposições,
é capaz de colocar-se tais questões aos 10 anos de idade?!

img6

Sutil, não?

img7

Jogando querosene na imaginação das crianças.
Mais explícito que isso só num filme pornô.

 

img7

Riscando o fósforo.
Descrição detalhada.

Restam dúvidas sobre as intenções do governo com tais cartilhas?Repito aqui o que disse no programa (e vou um pouco além): a exposição precoce das crianças a tais conteúdos nada mais é do que o outro lado da moeda que defende a descriminalização e legalização da pedofilia. Ou seja, pretende-se forçar um despertamento sexual cada vez mais cedo para que, quando a pauta pedófila prevalecer, as crianças já não tenham mais a menor chance de proteção e defesa: nem da lei, nem da cultura, nem dos pais, nem mesmo dos seus próprios sentimentos de estranhamento e rejeição, pois já terão sido expostas a um conteúdo com o qual não possuem condições psíquicas de lidar e diante do qual não conseguem resistir.Meu recado aos pais que têm filhos na escola: fiquem de olho! E demonstrem aos professores e coordenação que estão de olho! Conversem com os outros pais, troquem informações, convivam, tomem iniciativas juntos. Peçam as listas de livros que serão adotados no ano seguinte, pesquisem antes, intervenham, façam outras propostas quando as que a escola oferecer não forem boas. Enfim, não deixem a coisa correr à revelia! Cheguem junto! E se a coisa piorar e não houver chance de mudança da situação, exijam que as crianças sejam dispensadas da aula. E se nada disso resolver, o homeschooling está aí para isso.

Fonte: Camila Hochmüller Abadie é mãe, esposa e mestre em filosofia. Edita o blog Encontrando Alegria, e apresenta o programa ‘Encontrando Alegria’ na Rádio Vox.

»

  1. A família perdeu a capacidade de educar os filhos? Em universidade pública recentemente presenciei um fórum aonde feminista foi aplaudida espalhando seu veneno, gente da infância até a universidade tá tudo contaminado, e agora, e que as pessoas que usam a razão, e querem o bem de todos, e não usam de enganação como eles podem fazer para o bem da humanidade, se é tão fácil comprar a mentira, a falácia.

  2. Senhoras do MULHERES CONTRA O FEMINISMO, quero avisá-las que esta erotização/sensualização (ou afetivização) escolar-estatal não é de hoje, pois desde milênios atrás já existiam, também, outras desgraças, como as pedofilias e assim sucessivamente. Infelizmente existem, também, os iscariotismos, traições afetivas, que envolvem afagos, amplexos, cócegas, euquímanos, ósculos e outras. Iscariotismos começaram a existir por causa de Judas Iscariotes, o qual traiu Jesus Cristo com um ósculo facial. Estas erotizações/sensualizações (ou afetivizações) primordialmente infantis também ocorrem por falta de censura prévia severa, como aquela que ocorreu no período de 1964 a 1985, por meio dum órgão estatal chamado “DCDP” (“Divisão de Censura de Diversões Públicas”). Tudo era censurado neste período, que ia de poesias a programas televisivos. Também existem outras coisas que contribuem para estas erotizações, como afetividades, incluindo saudações, brincadeiras, cosméticos, jogos, incluindo os azarentos, livros, músicas eruditas ou populares, poesias, programas televisivos, roupas, sítios da Internet e outros. Por isso é melhor sermos Joães Batistas do que sermos Judas Iscariotes. Agradeço-lhes de todo o meu coração! Obrigado!

    • Leonardo,vc precisa estudar muito sobre o período do qual citou,ao afirmar que tudo era censurado é uma mentira ridícula,esse tipo de falsificação não cola mais.Então pq o cinema,que era oposição do governo militar,como a EMBRAFILMES que foi criada e sobreviveu com dinheiro do governo?livros de comunistas receberam prêmio dos militares,Ênio Silveira,que era o representante da editora que mais criticava os militares,afirmou que se manteve nesse período com o dinheiro dado pelos militares.Se compararmos o controle que os militares tinham naquela época não chega um décimo do que os esquerditas controlam hoje a mídia.

  3. escola está relamente assumindo um papel que deveria ser dos pais. Por quê? Porque os pais ou são ausentes ou tratam isso como tabu, e a realidade hoje é de gravidez não planejada em idades cada vez menores. Logo, a escola, que não é local só de ensinar matéria, incorpora essa missão. E se tem acontecido com crianças, isso tem que ser discutido com crianças. A realidade e o público de uma escola pública terá criança de 10 anos de maturidade muito diferente do que crianças de berço de ouro.
    Além do mais, é muita inocencia achar que crianças não sabem o que é sexo, ou nunca viram, quando cada vez mais isso está estampado em cada filme, novela ou propaganda. Pode-se criar um imaginario de duvidas na cabeça dela, ou discutir isso de forma madura- assim como discutir homossexualidade na escola, isto não é ‘propaganda’, mas informação.
    E quebrar padrões de gênero na escola é absolutamente necessário (O “nem tão rosa, nem tão azul” na cartilha). Mas isso é outra discussão.

  4. Estou encantada com este blog. Juro que cheguei a achar que era uma conspiração de um grupo feminista, um grande fake para desmoralizar as pessoas “anti-feministas”, onde muitos absurdos infundados com argumentos totalmente sem noção e preconceituosos são despejados, fazendo com que as pessoas que leiam não consigam dar a mínima credibilidade ao que está escrito, causando um descrédito ao movimento anti-feminista. Mas agora entendi que não é uma conspiração. Tem gente que realmente pensa assim!!! Isso é simplesmente impressionante! E saibam que mesmo a intensão não sendo desmoralizar discursos anti-feministas, este foi completamente alcançado, pois em nenhum momento NADA do que li aqui fez o menor sentido.

    E realmente aquele vídeo com crianças do MST me deixou indignada! Como podem crianças se organizarem para pedir melhorias na sua educação! Estes marxistas são mesmo uns ignorantes!

  5. Engraçado as pessoas tratarem educação sexual como um tabu. Acho que mais válido ensinar direito, do que tentar privar as crianças de conhecimento.
    Só vão tratar sexo como putaria, se os pais não souberem ensinar o valor do ato.
    Ensinar como funciona, não tem nada de errado. A escola tá fazendo o papel dela, ensinando.
    Quanto aos pais….bom… Se são incompetentes, a culpa não é do ensino! ;D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s