Ficar em forma ou engordar? A luta feminista a favor da obesidade maquiada como “direito de escolha.”

Padrão

Diapositiva1

Feministas em geral detestam ficar em forma. Uma ou outra que usa de EUPIRISMO ou EGOPIRISMO pode dizer que se exercita pois é “a feminista diferente” mas uma boa parte dos argumentos do movimento feminista é que cuidar do corpo é “obra de mulher submissa, Amélia e burra mandada pelo patriarcado”. Isso na verdade é uma forma de preconceito pois uma mulher com um corpo legal também pode ser inteligente mas quando as feministas  falam o preconceito é maquiado por politicamente correto e vira uma coisa “moderna e contra o sistema” permitida. Isto é muito usado por marxistas culturais para justificar todos seus atos.  Assim elas podem ser preconceituosas. Se olharmos feministas como a blogueira Bola (ops, Lola) e outras gurus que comandam a massa de manobra podemos notar que esta conversa vira  um lema que é seguido por grande parte do movimento feminista. Ser obesa é legal, ser moderna e contra o sistema “que nos oprime.” Vitimismo e feminismo andam sempre juntos e atos como estes das feministas que pregam “que tudo nos oprime” é somente um modo para atrair jovens desavisadas que de tanto terem o cérebro lavado acham que virar funkeira como a Valesca é coisa chique ou ato de orgulho de uma “luta pela liberdade”. Feministas sempre copiando o mal exemplo. Sempre.

Qual o problema disso que inclusive é pregado em livros feministas e sites feministas?

Bem, apesar da liberdade de cada pessoa fazer o que quiser existir, a apologia neste caso a obesidade gera alguns problemas como:

A)     A cultura do mal exemplo vista como moderna ou a falta da cultura do bom exemplo. Aqui no Brasil isto é muito comum e é pregado como modelo moderno para as crianças por professores as doutrinam desde cedo. Jogue a liberdade usada como desculpa para tudo e o direito de escolhas usadas de modo infantil e misture a uma teoria doida e criamos um monstro, que em muitos casos viram leis e na nossa terra cada vez mais sem moral. Nossos exemplos se tornam o que deveria ser combatido. Relativize o que é certo e errado e negue o senso comum. Neste lugar, ser certo é errado e ser errado é certo. Neste lugar funk vira tese de mestrado e estudar de verdade é coisa antiquada. Neste lugar ser acima do peso é sinal de ser intelectual. Pessoas loucas como feministas e marxistas ainda justificam isso com teorias sem pé nem cabeça. Uma governante de esquerda certa vez disse que a diabetes “era doença de rico”. Um ex-presidente nosso afirmava que nunca precisou estudar. Reparem que o que se esconde nestes argumentos é sempre a mesma coisa e a longo prazo isto somente colabora para problemas e mais problemas pois o que é bom é visto como “antiquado e opressor”.

B)      Apologia a obesidade. A obesidade é uma das doenças que mais cresce no mundo moderno e atinge inclusive crianças. Muitas delas serão adultos obesos com o nosso atua estilo de vida. Imaginem o futuro delas se ainda forem estimuladas a serem obesas por teorias feministas e afins. A obesidade gera outros problemas como infartos, derrames e muitas outras doenças se associam e levam a morte. Tudo isso se combate com a “opressora” idéia de exercícios e uma alimentação correta. Mas para as feministas cuidar do corpo é “ser oprimida”.

C)      Gastos de dinheiro. Como este é um problema de Saúde Pública, se existisse uma campanha para educar o povo a se exercitar muitos gastos poderiam ser cortados.

D)     Depressão. Pessoas obesas podem dizer o que quiserem mas em geral elas tendem a ser mais depressivas. Se exercitar ajuda a pessoa no aspecto mental e social também.

E)      Problemas ao se locomover, com o metabolismo  e função de órgãos vitais . Que tem ou teve algum familiar obeso sabe como é complicado para estas pessoas se locomoverem. Algumas pessoas são obesas como resultado de outras doenças associadas com metabolismo e possuem problemas (o que é um outro caso e que muito difere da apologia a obesidade feita por feministas).

Longe de dizer que todo obeso é um criminoso. Muitas desta pessoas tem problemas de auto-estima, traumas, doenças severas etc e devem possuir ajuda que pode vir através de certo conselho adequado. Claro  que alguns obesos são alegres e felizes. Mas falando no geral não sobre o pessoal mas sobre a obesidade em si, esta nunca foi uma qualidade ou algo digno de ser estimulado como é pregado pelo movimento feminista que acha isso um “direito de escolha”.

Ninguém precisa ser uma Suzana Vieira da vida que tem medo de envelhecer e se comporta como uma adolescente mimada e é obcecada pelo culto ao corpo. Envelhecer é normal assim como um certo aumento de peso com a idade. Ninguém precisa se comportar como piriguetes, Valescas e outras mulheres prostitutas idiotas que as feministas nesta caso apoiam por quererem atrair mais seguidoras com frases de ordem “corpo e regras” sem objetividade de certo e errado. O problema é fazer apologia a obesidade que é um assunto sério e uma importante questão de Saúde Pública.

Lembrem-se: Quem  não valoriza cuidar da saúde uma hora vai ter que valorizar o tempo para cuidar da doença.

»

  1. Concordo com o texto mas acho que a agressividade gratuita (chamar lola de bola por exemplo) faz que o argumento de vcs acabe perdendo força. Podem falar as mesmas coisas sem insultar ninguém.

      • A Lola é a maior desonesta intelectual da internet brasileira.
        Pega alguns poucos adolescentes como se fossem os representantes do masculinismo no Brasil e os ridiculariza no blog dela, mas, quando aparece alguém com bons argumentos, ela deleta os comentários, insulta e não dá direito de resposta.
        Sou louco para entrar em um debate com a dona Lola, só para esfregar algumas estatísticas na cara dela e desmascarar as mentiras dela.

    • Estou dez quilos acima do meu normal do imc, e me sinto péssima, com dores, etc. Tento de tdo, mas não consigo emagrecer, então com certeza é horrível estar gorda e se sentir um lixo por isso.
      Mais que pelo aspecto físico, quero minha saúde de volta. Então, sorry feministas, não, não é legal ser gorda.

      • Já procurou uma academia e um profissional em nutrição ? Não adianta ficar chorando e comendo o seu cheeseburguer sentada na mesa do computador ! Vamos lá , quanto mais rápido você se mover melhor! Se já fez isso que eu disse e não está adiantando procure um médico =]

      • Wagner, eu não como Xis Burger. EU levanto as seis da manhã, tomo suco de couve com maçã, saio pra trabalhar e volto a noite. O dia todo, mas comendo apenas coisas saudáveis (feijão, arroz, etc ou fruta). Apenas, eu tenho problemas de saúde e tomo corticoides. Apenas manifestei uma opinião, não seja tão agressivo.

  2. Agora bem, acho que vcs – como é habitual – estao distorcendo esse aspecto, as feministas nao defendem a obesidade, elas defendem que o padrão de beleza feminino (que é muito mais cobrado que o masculino) nao seja um empecilho para a vida e a profissão das mulheres.
    Vejam bem, eu trabalho com empresas internacionais, quando ocorrem eventos se exigem que as recepcionistas nao so saibam falar ingles e portugues como sejam obrigadas a entrar num manequim 36-38. Oras, por que isso? O que importa é que a recepcionista saiba os dois idiomas, tenha dons de gente, seja agradável e tenha boa presença, independente se sao manequim 36 ou 42 ou inclusive 50.
    Vcs tem que rever os conceitos de vcs. Tenho acompanhado a pagina que NO INICIO estava boa e eu concordava com quase tudo, mas agora vcs estao com tanto ódio do movimento feminista que estao perdendo a objetividade. Uma feminista fala ou faz uma merda e TODAS sao assim.
    Eu tb concordo com vcs que é absurdo Valesca popozudas, funk carioca, “meu corpo minhas regras” . Nesses pontos concordo com vcs, mas o ultimo post porque uma feminista louca defende o estuprador, oras esse é um caso isolado, qual mulher defenderia um estuprador (se é que nao estao com o síndrome de Estocolmo, claro). Vcs as vezes atuam como elas, querem tanto serem as donas da verdade que acabam colocando tudo num mesmo saco, elas dizem “homens sao estupradores” vcs dizem “feministas gostam de ser estupradas”. Peraí gente! Vamos ser mais objetivas, certo?

    • – Agora bem, acho que vcs – como é habitual – estao distorcendo esse aspecto, as feministas nao defendem a obesidade, elas defendem que o padrão de beleza feminino (que é muito mais cobrado que o masculino) nao seja um empecilho para a vida e a profissão das mulheres. –

      R – Se os homens não são tão cobrados no aspecto físico, eles são cobrados muito mais no aspecto financeiro. Mas isso feministas não gostam de falar.

      Na cabeça de feministas tudo é opressão machista. Se os homens não querem relacionamento com mulheres gordas que ficam o dia inteiro comendo bolacha e vendo televisão, a culpa não são delas e sim da sociedade machista opressora que obriga as mulheres a serem magras.

      É muito mais fácil nessa sociedade politicamente correta posar de vítima do que fazer algo para melhorar a sua própria situação, como fechar a boca e entrar em uma academia.

      – Vejam bem, eu trabalho com empresas internacionais, quando ocorrem eventos se exigem que as recepcionistas nao so saibam falar ingles e portugues como sejam obrigadas a entrar num manequim 36-38. Oras, por que isso? O que importa é que a recepcionista saiba os dois idiomas, tenha dons de gente, seja agradável e tenha boa presença, independente se sao manequim 36 ou 42 ou inclusive 50.

      R – Existem empregos aonde a imagem é fundamental. Você compraria um tônico capilar de um homem careca? Você compraria um creme de beleza de uma mulher cheio de manchas no cara? Você seguiria uma dieta de uma pessoa obesa? Não né.

      Uma recepcionista não é diferente porque ela lida com pessoas e representa a imagem da empresa, portanto a imagem é fundamental.

      Vá fazer algo para melhor sua aparência, sua qualidade de vida ao invés de você ficar posando de vítima.

      • Bruno leia direito, eu nao sou recepcionista. Eu falei que quando fazemos eventos workshops, seminários as recepcionistas desses eventos (cuja função esta em atender o publico se necessitam sair, informações, dar o crachá, etc) sejam obrigadas a entrar num manequim 36

        Eu sou CEO e nao sofro com isso. Eu falei do que vejo na minha empresa o que acontece e acho errado. Quanto mais alto a posição dentro da empresa mais o teu talento e conhecimentos sao valorizados e menos a sua aparência física. Lógico que nao posso ir de moletom mas se sou uma 42 e nao uma 38 isso nao é importante, ja na base da empresa é mais importante se a mulher é uma 36. E aqui também concordo que existe uma discriminação porque nao so devem ser uma 36 como tem que ser mulher. Isso eu tb acho errado.

        Outra coisa, gordura nem sempre é sinônimo de doença. Venho de familia vegetariana, todo mundo magro e comendo saudavel, tenho tios que ainda com 60 anos e gostam de aventuras e subir montanhas. E ironicamente as cardiopatias, canceres e diabetes fazem a festa dentro da minha familia.
        Por isso acredito mais na genética que bons hábitos alimentares

      • Lia nem sempre genética favorece e tem que cuidar do corpo e da alimentação e se não praticar esportes da sedentarismo e atrofia o corpo,e mais problemas cardíacos e diabetes porque come doces demais e também fumam e bebe bebidas alcoólicas e não porque a sua família tem doenças cardíacas e diabetes que tem se descuida da saúde e ser relaxada com a alimentação isso é discurso de gente arruma desculpa para quem quer não se cuida não passa de uma pseudofeminista pergunta para algum médico ? ele te refutada direitinho.

    • A autora não está distorcendo nada, ela está falando a verdade. Para as feministas, mulher magra, em forma, é algo imposto pelo ”patriarcado opressor”. Agora vamos ser sinceros, a MAIORIA dos homens preferem as magras, o mesmo vale pras mulheres em relação aos homens.

      Quanto ao seu trabalho. No MMA, que na sua grande maioria os lutadores são homens; antes de cada luta eles são obrigados a bater o peso da categoria, e para isso eles recorrem aos regimes mais cabulosos possíveis, como por exemplo, entrar dentro de uma sauna e ficar lá durante horas derretendo num calor escaldante pra poder ”secar”, caso não batam o peso eles ficam impedidos de lutar.

      Curiosamente eu não vejo ninguém da sociedade,direitos humanos etc… falando alguma coisa por esses homens. Além do mais, eles estão seguindo NORMAS da empresa (UFC) se não estão satisfeitos podem pedir pra sair.

      O mesmo vale pro seu trabalho, a empresa exige uma profissional que saiba falar um bom português,inglês e que esteja em BOA FORMA. São normas da casa.

      • Sério que você comparou entrevista de emprego de recepcionista (que vai trabalhar recepcionando pessoas) com lutadores de MMA (que vai trabalhar lutando fisicamente com outro em condições físicas equivalentes, daí ser dividido por categorias)? O.o

      • Desde quando tamanho do manequim pode ser usado para garantir que alguém está em BOA FORMA? Como profissional da saúde, acredite que se eles tivessem o objetivo de avaliar a BOA FORMA das profissionais, tamanho da roupa não seria o mais adequado. Quanto ao MMA, você mesmo explica a diferença entre uma profissão e outra: no MMA, o lutador se enquadra DENTRO DE UMA CATEGORIA, então, para A LUTA SER JUSTA e tudo, deve BATER O PESO DA CATEGORIA. Agora porque essa mesma regra para as recepcionistas? É a categoria RECEPCIONISTAS MAGRAS?

        “Agora vamos ser sinceros, a MAIORIA dos homens preferem as magras, o mesmo vale pras mulheres em relação aos homens.” Assim é que é bom, você sabe toda a preferência da humanidade, argumento fortíssimo o seu.

        Vamos ser sinceros, essa página destila ódio em cada post e essa vai ser a primeira e única vez que comentarei, porque não quero mais ler os horrores que vcs escrevem. Só me entristece que, apenas por uma má experiência no movimento feminista ou por pura falta de informação mesmo, vocês venham aqui agredir um movimento que MUDA a vida de muitas mulheres PARA MELHOR.

        Não é perfeito, nem verdade absoluta, mas AJUDA.

        E sim, o blog é MACHISTA. Não porque vocês “questionam” (deveria dizer, escracham) o movimento feminista, mas porque em muitos posts vocês repetem valores que oprimem o gênero, mesmo sem perceber. E me entristece que vocês confundam “reconhecer a opressão” com “fazer-se de vítima”, quando o discurso feminista fala claramente da FORÇA, CORAGEM E CAPACIDADE DE MUDANÇA de toda mulher.

        Chamar Lola de gorda prova meu argumento. E prova que vocês tem um discurso de ódio, que se congratula em agredir outras mulheres. Já ouviram falar em SORORIDADE? Se não, parem pra se informar. Ódio faz mal, ladies. Ladies? Uma lady de verdade não agride outra da forma que vocês fazem.

        Até nunca mais, porque eu não volto a ler esse blog. Desejo a vocês, mais informação e reflexão, e menos ódio.

      • Feminista que usa da desculpa de dizer “ser profissional” para destilar veneno feminista e suas mentira. Agora obesidade virou coisa boa? Falamos de obesidade aqui, ok? Nunca falamos de anorexia ou patologias similares. Que bela profissional vc se demonstra. Foi a universidade para protestar e se esqueceu de estudar.

      • Gisele, onde foi que a Lia citou no comentário dela, que ela passou por uma ”ENTREVISTA DE EMPREGO”, e sofreu preconceito por causa do peso?????

        Sabe, eu bem que pensei em refutar teu comentário, mais pensando bem…. nem vale a pena… tentar explicar meu argumento pra uma pessoa que não sabe nem interpretar texto é phoda.

    • Defendem a obesidade sim.
      Basta vc fazer uma apologia a dieta e exercícios físicos que aparece uma legião de feministinhas dizendo que gordo é mais saudável do que magro, como se isto fosse uma regra.
      Se isto não é apologia à obesidade, é o que?
      Pior que é uma apologia mentirosa, baseada em falsas premissas, pois realmente alguns obesos ativos podem ser mais saudáveis do que magros sedentários, mas isto está longe, muito longe de ser regra.

  3. Olá,

    Também sou contra o feminismo. Por isso, acho que não faz nenhum sentindo mulheres estarem escrevendo blogs de opinião na internet, e sim estarem bem quietinhas, obedecendo os pais, irmãos e maridos. Tem certeza que suas casas estão limpinhas? Cuidado: sempre sobre uma cortina para lavar, um cantinho aqui ou ali para limpar ou umas roupinhas para lavar. Lugar de mulher é dentro de casa, limpando, cozinhando, cuidando dos homens. Lugar de mulher NÃO é querendo falar o que acha ou o que não acha na internet: o correto é ser bem bonitinha e ficar caladinha, ok?

    ABAIXO O FEMINISMO!!!

    • Eu gostaria de entender porque alguém cuidar da casa, dos filhos, do marido, da família e ser cuidada por ele ofende tanto. Fico pensando e já disse aqui: “Quem limpa a casa das feministas? As cortinas nunca são lavadas por lá? Quando elas comem, a comida aparece misteriosamente nas panelas e nos pratos? Quem lava os pratos? Se quem faz o serviço é a empregada, então o feminismo libertário só serve para as patroas e não para as empregadas? Se são solteiras, cozinhar e cuidar da casa é tão depreciativo quanto quando se é casada? São perguntas interessantes. E sim, a família é muito mais importante que a internet, que opiniões, blogs e etc. E se for necessário abrir mão dele pra cuidar melhor da família, lindo isso. Pessoas são prioridade, amor ao proximo, cuidado e educar os filhos é prioridade. Sim, e isso é lindo. Se todas as pessoas vissem isto, o mundo não estaria tão feio. Mas é muito difícil para alguns entenderem isto. E sim, minha casa está bem limpinha. Vou procurar agora mesmo alguém entre meus familiares que esteja precisando mais de carinho e ajuda. Então, com licença.

      • Também acho que estão falando demais de política. Aliás… escrevendo! Como é que é isso? Mulher alfabetizada? Que falta de vergonha!

  4. Respeitar a Lola por que?Como se ela fosse uma santa.Essa mulher não passa de uma manipuladora,suas seguidoras são ovelhinhas que concordam com tudo que ela diz.As poucas pessoas que postam comentários discordantes são ridicularizados.Isso quando ela posta .Lola só publica os comentários favoráveis a ela e sua legião de paranóicas alienadas abiboladas.Pra mim todos aquelas histórias de pessoas pedindo conselhos são frutos da imaginação da própria dona do blog.
    concordo com o texto,as feministas impoem o total abandono do cuidado com o corpo,e isso é ridículo.

  5. Pois imaginem uma professora com as ideias que adquiriu no site que sempre me lembra o filme alemão Corra Lola Corra, pois é um verdadeiro ataque zumbi! Dia 5 de agosto.

    “…eu leio diariamente a quase 2 anos. Eu cresci muito com ele. Aprendi me aceitar, sou gorda…”
    “…E derrubei vários preconceitos, o que foi bom para meu crescimento pessoal e que pretendo um dia passar também para os meus alunos. (Sou professora inglês e de História)…”

    Eu apoio o crescimento social e profissional da mulher. Mas sem ataques extremistas e manipuladores!

  6. Hyoga eu nao disse que EU SOFRI PRECONCEITO por causa do MEU peso numa entrevista de emprego. Como CEO eu nao tenho nenhum problema devido ao meu peso. Lógico que devo dar uma boa aparência mas sou tratada igual aos homens, o que se espera de mim é o meu talento e como muito estar bem vestida. Ponto.
    O que eu reclamei foi quando temos que fazer palestras, workshops, etc. E as mocinhas desses eventos em especial cuja única função é distribuir os crachás e ajudar os participantes a encontrarem a portado banheiro… Serem obrigadas nao so a falarem 2-3 línguas (para ajudar os participantes, ok ate aí) mas serem obrigadas a vestirem entre uma 36 e 38. Ultimamente isso tem mudado e podemos encontrar ate senhoras mais velhas como recepcionista o que, adivinhe, sao as mais procuradas pois tem mais conhecimento e sabem lidar melhor com o publico do que uma mocinha que esta começando.

    Essa foi a minha reclamação.
    Ninguém disse que elas tem que ir de moletom pra trabalhar.

    Mas eu nao sou feminista, se fosse teria que ser comunista, e agora como é a tendência dos posts da lola defender estupradores…..

  7. Lia, não foi eu que disse que vc sofreu preconceito por causa do peso em entrvista de emprego, quem disse foi a colega aí de cima.

    A minha critica é que as feministas só querem mostrar o lado da mulher que sofrem preconceito por causa do peso, e ignoram totalmente os homens, que sofrem preconceito tanto quanto as mulheres.

  8. Eu tenho um probleminha quase imperceptível no joelho. Quando engordo um pouquinho, sinto dores e precismo emagrecer. Uma amiga feminista sabe muito bem disso, mas sempre que me queixo, ela diz que sou manipulada pela mídia e mais uma vítima do patriarcado. Acho um absurdo ela me dizer isso quando, na verdade, sou obrigada a emagrecer para não sofrer tanto com as dores que me vêm. Feministas têm mania de colocar suas ideologias baratas acima de qualquer coisa. Francamente, é algo que me irrita por completo. Além disso, eu não gosto de me sentir gorda por mil e um motivos, pois, atualmente, sabemos perfeitamente bem dos males que isso pode nos trazer, sendo assim, cuido da minha alimentação e, de brinde, ganho um corpo bonito e que eu amo. Elas pregam tanto que nós devemos nos sentir bonitas e lindas, então porque eu recebo essas críticas quando demonstro gostar de ser magra? São todas hipócritas. Simples assim. Ou então a regra delas só vale para as gordinhas porque, certamente, são ideais(na cabeça das feministas) para serem usadas como vítimas. Em alguns momentos eu realmente não sei se é intencional ou não, mas assim como existe uma apologia disfarçada à prostituição, galinhagem e vulgaridade, existe à obesidade. O pior é que se alguma delas ler o que eu publiquei aqui, já vão usar a desculpinha de que eu tenho que estudar mais sobre o feminismo e, além disso, serei chamada de preconceituosa. rs Tenhamos muita paciência! rs

  9. A midia reamente impoe um padrao de beleza, uma beleza que foge da realidade, mulheres bombadas, so tomando testosterona pra conseguir aqueles corpos, alem de ser feio mulher musculosa, faz muitas se matar pra conseguir aquilo, as mulheres deveriam nao ligar tanto pra midia, e normal a mulher engordar um pouco, por causa dos hormonios femininos, as mulheres deviam para de seguir o que a midia impoe, as gordinhas sao lindas, sinto muito mais atraçao por elas, mas nao obesa, assim ja fica feia, e corre risco de ter varias doenças.
    Se a lola nao fizesse apologia a obesidade, ela teria razao, a midia impoe certos padroes fora do normal, mas a culpa e das mulheres mesmas que fica seguindo.
    Chama a lola de bola e uma atitude estupida, ela pode usa isso pra chamar voces de gordofobicas, ela maniula e aumenta o que voces falaram, igual o que ela faz com os masculinistas burros, aqueles que xinga, ela pula de alegria quando um deles xinga elas, ela posta no blog e ainda aumenta, por isso e muito estupido quem xinga, tem ums masculinistas que fazem alguns comentarios machistas, outra vez as feministas pula de alegria, ja podem acusar de machistas, por isso voces que sao contra o feminismo tem que pensa no que vai fala, ja percebi que a maioria da um deslise, e o que as feministas precisam pra acusar.

  10. parece que você são cegas,pessoas gordas tem depressão por que? porque a midia nos empurra um padrão de beleza doentio,que é praticamente impossível para qualquer uma alcançar.
    para a sociedade gordos são nojentos,preguiçosos,então a solução brilhante de vocês é mandar todo mundo emagrecer? e as pessoas que se acham no direito de insultar o outro?
    a solução das feministas é fazer com que todos sejam respeitados,seja gordo,magro,baixo, está longe de ser apologia a obesidade.

  11. Eu sei que irá destoar um pouco do assunto do post, porém já faz um certo tempo que eu necessito dizer isso:

    Por que feministas sempre chegam argumentando de uma forma totalmente agressiva e baseada em suposições? Se basear em achismos em seus argumentos não lhe tornam, de forma alguma, a dona da verdade. Vocês agem como se toda mulher que fosse contra o feminismo ou o feminismo extremista (que é o meu caso), passa-se o dia inteiro limpando a casa e cozinhando para a família. Vocês se baseiam em teorias de “igualdade”, quando na realidade agem como se mulheres que são donas de casa fossem menores que vocês. Vendo os posts de algumas páginas feministas do Facebook, percebi o quanto as chamadas “feministas” são, na realidade, TOTALMENTE MACHISTAS, pelo fato de acharem que os homens e mulheres não devem ter os mesmos direitos. Fizeram um post brincando com os homens, falando como se eles se fizessem de vítima quando dizem que também querem direitos iguais. Vocês se chamam de feministas e no fundo são totalmente preconceituosas e sem argumentos cabíveis para uma discussão civilizada (com argumentos sem embasamento em achismos, sem uso de nomes pejorativos como “Amélia” ou simplesmente sem desejar que sejamos estupradas). Parem de quererem liberdade e censurem quem é contra vocês. PAREM de ditar regras sexistas e encherem a cabeça de crianças inocentes que ainda não tem um senso crítico e não conhecem muito sobre história para saberem que vocês seguem modelos comunistas e marxistas (como Che Guevara, o assassino e estuprador que vocês tanto AMAM endeusar).

    Agora o assunto do post…

    A realidade é que as feministas querem a tal “liberdade”, porém se esquecem da saúde e integridade física e moral do ser humano. A mídia nos expõe um modelo de beleza quase impossível de conquistar sem colocar sua saúde em risco. Porém, um fato é que ser gordo influencia sua vida de muitos modos, na saúde, na aparência, na vida sexual e afetiva, no convívio social e muitos outros aspectos. A grande maioria de pessoas gordas é deprimida e por isso desconta na comida. Não venham me dizer que gordura é sinônimo de saúde e ser livre, porque a maioria das pessoas gostaria de emagrecer pois sabe todos os riscos de vida que correm mantendo esse peso. Erradas são as pessoas e a mídia. As pessoas gordas não podem ser vistas como vítimas da sociedade porque elas devem reconhecer que precisam emagrecer para ter saúde. Devemos reparar 2 pontos.

    1º A mídia é errada por fazer pessoas (principalmente adolescentes) desenvolverem anorexia, bulimia e tentar fazer dietas absurdas para emagrecer.
    2º As pessoas gordas devem parar de se conformar em serem gordos e perceberem o que estão fazendo com a própria vida.

    Ressumindo: Pessoas e mídia são erradas, o que deve-se ter é o senso do correto, que muitas pessoas estão perdendo pela Globo e o feminismo extremista que colocam na cabeça das pessoas que o certo é errado e o errado é o certo!

    • Vc disse umas verdades. Gostariamos de lembrar mais uma vez aqui que NUNCA defendemos anorexia, bulimia,etc. Isto ficou claro no texto. Defendemos cuidar do corpo pois isto gera uma qualidade de vida melhor e evita doenças. Obesidade gera mortes. Simples. Feministas adoram usar de marxismo cultural para desconstruir o que o senso comum afirma e adoram causar ou desvirtuar blogs/FB de quem discorda delas.

      Seja bem vinda!

  12. Essa conversa de o povo está preocupado com a saúde dos gordos é pura mentira,o que incomoda é o fato da pessoa gorda n atender os padrões de beleza.
    Não são só gordos q se alimentam mal mas entre um gordo e um magro se entupindo de fast food quem é que vai ser alvo da” preocupação”? O gordo obviamente .pq é a aparencia dele q esta diferente do considerado bonito.
    E doente qualquer um fica.ao contrário do q adoram pregar existe gordo saudável,do mesmo jeito q tem magro todo ferrado com diabetes,pressão alta…

    Um fumante n recebe tanta atenção de gente querendo seu bem,ninguém zoa um fumante na rua,n dizem insistentemente para ele parar de fumar.
    Um maconheiro tb n recebe atenção de tanta gente bondosa…

    • Você deve ser magra. Imagine-se com fadiga mental, apnéia, enxaqueca, dor na coluna, dor nos joelhos, nos tornozelos, diabetes, hipertensão, depressão. Ruim, né? É assim que vive o obeso. E não tem graça nenhuma viver sofrendo. Se a mídia empurra um padrão-magreza que é prejudicial, usar outro padrão ruim não vai equilibrar o jogo.

  13. Equilíbrio é o desafio da humanidade. .. ser
    magrela com pressão baixa, anêmica, lapsos de
    memória, sono contínuo, depressão … ou ser
    gorda com pressão alta, diabetes, colesterol, falta
    de ar, indisposição ouuuuu ser equilibrada comer
    o suficientemente para alimentar o corpo… a
    pergunta é : Devemos comer (demais ou de
    menos) para morrer ou para viver?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s