Quem é a “Reaça” aqui? Reaça ou cansadas do marxismo cultural feminista?

Padrão

524609_343171905782399_1544623787_n

Discordar de uma feminista ou simpatizante de algum movimento marxista cultura é pedir para ser apedrejada por alunos e professores de federais que “querem um mundo melhor”, por hippies que odeiam o capitalismo mas tem I-phone e usam internet, por clones que idolatram e copiam Che (que era um estuprador) e que querem revolucionar o mundo pela “paz e amor”. Ser taxada de reacionária ou reaça por eles/elas é uma coisa quase normal, comum.

Tais ignorantes pouco sabem do significado desta palavra. O mesmo vale quando nos ofendem de fascistas, racistas, machistas, FDP,etc. Ataque pessoal é tudo para esta turma que inventa uma realidade paralela para provar suas teorias.

Nada disso é novidade. As feministas, como marxistas culturais possuem todas “qualidades” que todos marxistas tem pois o feminismo é um movimento marxista. E todos este grupos pagam de rebeles, lutadores, paz-amor-liberdade adoram ofender quem discorda delas de reaças, etc. Ver os fatos do mundo de verdade foi algo que estes grupos nunca gostaram de ver. Preferem achar pelo em ovo e sonhar com mentiras. Talvez a massa de manobra cega acredite inocentemente, mas as gurus, as cabeças SABEM MUITO BEM o que fazem e sabem que o discurso feminista é propaganda pura e muito difere dos seus objetivos reais.

Mas quem é a pessoa reaça e fascista aqui?

Reacionária ou reaça é a pessoa que luta contra a mudança do sistema. Contra o novo. O reaça é a pessoa que tomou o poder e continua no poder. Esta palavra deixa a entender de modo falso que o passado é mau e o novo é bom. Um jogo de palavras muito usado por feministas e outras marxistas culturais.

Fascista é a pessoa que defende que o estado controle tudo, afinal, fascismo é o regime aonde o estado é priorizado acima dos interesses da pessoa e da individualidade de cada um.

Vejamos alguns exemplos modernos de reaças :

Fidel Castro é um reaça. Continua no poder de forma ditatorial por muitos anos e nunca demonstrou simpatia por alguém que se oponha a ele ou proponha mudanças. O governo da Coréia do Norte, idem. Os reaças marxistas embora até hoje se baseiem na sua propaganda de “revolucionar” para se manterem no poder.

No Brasil, o governo dos “trabalhadores” mantém o poder por 3 mandatos seguidos e usa da censura politicamente correta para se manter no poder, taxando todo mundo que o questiona de “reaça”, dizem que foram oprimidos, censurados e torturados quando querem hoje censurar, também mataram e torturaram e hoje fazem um grande desvio de $$. Os reaças marxistas se aliaram inclusive a Sarney, Malluf, etc. Outros reaças.

Jean Wyllys, o BBB  marxista cultural revoltado e contra o sistema é CONTRA a mudança da maioridade penal, algo que é urgente para a realidade brasileira. O mesmo vale para o voto popular sobre aspectos relacionados ao assunto homossexualidade. Militante reaça GLBT.

Dilma também é contra a a mudança da maioridade penal. E isso se repete em um comportamento comum em grupos marxistas culturais que lutam por um “mundo melhor”. Reaça.

Para compensar, querem “revolucionar” ao legalizar  a prostituição (como se isso ajudasse e a mulher brasileira não sofresse com esta nossa triste imagem no exterior),ao dizer que o funk obtém status de cultura brasileira, querem retirar os nomes dos pais da carteira de identidade, mudam o status de presidente para presidentA, etc e etc. Isto é “revolucionar” segundo eles e ser uma pessoa moderna e progressista. Mudanças muito importante para a sociedade (Ironia ON).

Somos as “reaças contra a mudança” ou cansamos deste jogo marxista cultural ora forte, ora vitimista, ora isso, ora aquilo, sem postura e com valores invertidos que nos atingem todo o dia? Que mudança querem nos fazer aceitar com muita propaganda e censura ao tentarem patrulhar as nossas idéias? Seria esta mudança realmente para o bem e para a melhor? Toda mudança que realmente some é bem vinda mas os absurdos que feministas e outros grupos marxistas culturais querem fazer chega a ser assustador. Procuram pelo em ovo totalmente.

Resumindo, a  palavra reaça é uma forma de censura por manipular inocentes que ficam com medo de se pronunciarem. Esta estratégia mistura uma sutil censura e uma ofensa direta com o incorreto sentido da palavra. Mas os marxistas quando convém adoram serem reaças. Estratégia muito utilizada por feministas e outros grupos simpatizantes. Bom lembrar que quando convém a palavra reaça deixa a idéia de  um  falos sinônimo de algo retrógrado como algo mal e do novo como algo bom. Isto é uma mentira e uma falsa dicotomia e é muita usada pelos marxistas culturais que adoram patrulhar idéias alheias.

»

  1. Pessoal, quem acompanha o blog, apesar de não gostar de falar ou me envolver em assuntos políticos, ontém surgiu uma notícia interessante a respeito de um movimento visando a recuperação dos valores de família, o interessante aqui é notar que a coisa está ficando tão feia que movimentos políticos desse tipo já são usados como propagandas de campanha, para quem quiser dar uma olhada.

    Fonte: http://www.opovo.com.br/app/politica/ae/2013/05/08/noticiaspoliticaae,3052772/na-tv-feliciano-defende-recuperacao-da-familia.shtml

    • Vocês, mulheres, devem então marcar presença nos piores, mais sujos e mais perigosos trabalhos, devem também receber salário igual para realizar as mesmas tarefas mais indesejáveis, além de ter o privilégio da defesa TPM suprimida, só pra citar alguns privilégios.

  2. “Jean Wyllys, o BBB marxista cultural revoltado e contra o sistema é CONTRA a mudança da maioridade penal…”

    Peraí, isso é coisa de “reaça”?

    Sou contra o marxismo cultural também, mas a redução da maioridade penal só vai piorar as coisas! Ela vai fazer os bandidos recrutar crianças cada vez mais novas pra burlar a idade! Quando cair pra 16, vão aumentar os bandidos de 15 anos; aí vão querer diminuir pra 14 e aumentar os bandidos de 14.

    Isso é querer aumentar um problema já grave! Palavra de quem não tem comprometimento político NENHUM!

  3. Temos que atiçar o povo para uma revolução contra o degradante moralismo de esquerda e a ditadura da classe dominante comunista que quer ser exclusiva e vitalícia no Brasil.

  4. O marxismo cultural inverteu os valores de bem e mal. Fez isso através da mídia, de modo que as pessoas, hoje, acham que usar drogas, ser depravado sexual, odiar a religiosidade e defender o aborto são coisas “do bem”.

    É um processo muito astuto e curioso, em que a visão de mundo é invertida sem que as pessoas percebam e elas passam a enxergar o mundo ao contrário. Matar fetos é visto como um ato sublime de defesa da vida, propagar o uso de drogas e promover a promiscuidade são vistos como exercício de liberdade e não como um ato que prejudique as pessoas e a sociedade. Tudo se inverte e as pessoas lutam em defesa do mal, acreditando que defendem o bem!

    A grande responsável por tudo isso é,principalmente, a mídia, com seus artistas politicamente corretos a martelarem constantemente o moralismo esquerdista na mente da população.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s