Arquivo mensal: março 2013

Violência por procuração: Os homens que sempre defendem as mulheres (Todas as mulheres)

Padrão

homem feminista

No nosso facebook muitas vezes aparece este tipo de pessoa para comentar. Perfil geral: Homem que enxerga as mulheres como seres perfeitos, sem falhas e que nunca devem ser responsabilizadas por nada. Eles conseguem defender todas as mulheres, todas, pois para eles sempre seremos perfeitas e isentas de culpa. Muitos destes rapazes possuem um trauma em relação a mulher por algum motivo ou cresceram idealizando fantasias de contos de fadas.

Como mulher, claro que em um primeiro momento fico feliz com isso. Acho isso convidaditivo como muita coisa que existe mundo afora. Mas nem sempre o convidadivo é a coisa certa a ser feita e se realmente queremos igualdade e justiça, devemos por um momento ignorar estas pessoas manipuladas pelo movimento feminista e pensarmos de modo imparcial. Toda mulher é um ser perfeito e sem erros? Isto é realmente verdade? Seria este o modo certo de pensar?

Em geral, estes homens que defendem todas mulheres a todo custo a qualquer preço são feministas ou simpatizantes e lutam para punir o sistema como todo grupo marxista cultural faz. Bem, na verdade existem homens violentos sim como também existem mulheres violentas. Ambos devem ser punidos. Também existem homens que defendem mulheres indefesas com razão e as salvam em momentos de perigo como aconteceu no acidente em Santa Maria.  Estes comportam-se como heróis, como nossos companheiros que se importam realmente conosco. Mas destes o feminismo nunca fala, afinal todo homem segundo as feministas “é um estuprador em potencial, um bandido, um maldito psicopata”. Grande amor pelo lado masculino da humanidade (ironia). E os manipulados apoiam isso.

O problema do homem feminista, simpatizante ou que acha que toda mulher é perfeita é defender TODA E QUALQUER mulher simplesmente porque ela é mulher. E sendo imparciais isso nunca foi justiça e pode inclusive gerar injustiças. Se somarmos isso com a propaganda feminista que “todo homem não presta”, possuimos um falha que pode gerar coisas absurdas se não pararmos para analizar tudo com calma. Se formos passionais iremos criar a fantasia de um grupo que vai ter sempre defesa e é isento de responsabilidade. Um exemplo disso é o caso de mulheres que estupram, cometem pedofilia e tudo o mais como postamos aqui mas ninguém fala nelas. Feministas negam que elas existem e crianças, mulheres, homens e outras pessoas continuam a serem abusadas. Erin Pizzey, a ex-feminista que trabalha com casos de violência doméstica sempre alerta para estes fatos :Mulheres podem ser até mais violentas que os homens.

Ser uma pessoa violenta não quer dizer somente bater no outro com socos e chutes. Uma pessoa violenta pode usar de objetos para machucar, usar de psicologia para manipular e fazer outra pessoa violentar alguém por ela, etc. Ninguém pode negar que existem mulheres manipuladoras e psicopatas, assim como existem homens assim. Ninguém pode negar que existem assassinas, estupradoras assim como homens. E querer criar desculpas para um porque o outro também faz, algo muito usado por feministas, demonstra-se algo extremamente criminoso.

Muitas pessoas dizem que por sermos mulheres contra o feminismo somos iguais aos homens feministas. Grande mentira. Enquanto eles defendem (por serem manipulados e gostarem de serem manipulados) uma classe de mulheres extremistas que odeiam /possuem inveja de homens, por repetirem frases antigas com um mundo hoje bem diferente do que reclamam, o nosso grupo é feliz por sermos mulheres, gostamos das nossas qualidades e defeitos femininos, encaramos os homens como nossos companheiros, sabemos que existem estupradores malucos mas existem homens legais, bons maridos, namorados e que nos complementam. Estamos muito longe de sermos usadas como massa de manobra por um movimento que mente nos representar e coloca pobres seres manipulados para lutar por elas, com promessas mentirosas e propagandas revoltadas por uma vida infeliz. E se hoje podemos fazer muita coisa foi sem dever nada ao feminismo. NADA.

Mas porque o homem que defende todas as mulheres age assim. Vejamos:

o) Passar pelo amigo querido para ser aceito entre um grupo de mulheres;

1) diz que estamos sempre certas por algum interesse;

2) Usar de tal estratégia para conseguir sexo mais facilmente conosco;

3) Pousar como o homem moderno. Uns inclusive adoram dizer que se comportam de maneira muito feminina e fazem tudo o que uma mulher faz;

4) Por ser manipulado, ser massa de manobra e combater alguém por procuração da violência. Explicando, se A agride B e B bate em A, isto é um caso violento direto. Se A agride B e B avisa C que foi agredido para ser defendido por este, isto demonstra-se um caso de procuração da violência aonde alguém estimula outra pessoa a lutar por ela. Isso pode ser justo ou não. Um dos problemas do homem que defende todas as mulheres é que ele é manipulado e pode cometer muitas vezes um ato violento contra outra pessoa sem pensar e analizar o caso com calma. Ele se comporta de maneira passional assim como fazem as feministas que fazem eles comprar a briga delas. Ou seja, os homens feministas se comportam como escravos e massas de manobra barata.

O que os homens feministas deveriam saber? Respondendo o que afirmamos acima:

0) Nenhuma mulher quer um inimigo ou psicopata do lado, queremos um companheiro mas existe um limite entre ser amigo para ser um namorado, esposo. Nenhuma mulher se sente realmente atraida por alguém que ela é amiga 100%. Cada pessoa tem a sua individualidade e ela deve ser respeitada e isto vale para ambos;
 
1) Puxar o saco é falta de caráter e atitude. Ninguém gosta de ser contrariada somente por ser mas muito pior é ter alguém que não demonstre opinião ao defender um ponto de vista. Talvez (repetimos talvez) isto explique porque algumas prefiram bad boys. Atitude e confiança no taco para algumas é muito mas atraente que um papagaio que sempre diz sim para tudo;
 
2) O golpe do homem amigo funciona com meninas desavisadas e carentes. Além disso demonstra que o homem “amigo” é extremamente canalha ou até pior que o bad boy que nunca omitiu suas atitudes (não estou defendendo aqui os bad boys, ok?) ;
 
3) Você pode se passar por homem moderno quase afeminado mas ainda gostamos do masculino, de homem que seja homem e que cultive o seu lado masculino com características masculinas que é justamente o que nos atrai em vocês. Feministas, ninguém aqui falou de namorar um psicopata maluco mas sim de homens com jeito de homem ao invés de pessoas inseguras que adoram fingir agradar;
 
4) Entenda uma coisa: somos diferentes. Você é homem e nós somos mulheres. A graça é justamente esta. Existem inclusive mulheres psicopatas, doidas, malucas, estupradoras assim como existem homens que agem deste modo. Existe o inverso também, mulheres boas e homens bons. Tenha orgulho de ser homem assim como possuimos orgulho de sermos mulheres e deixe de ser manipulado por feministas marxistas cultuais que enxergam vocês como estupradores em potencial e tudo o mais. Inclusive se pararmos para pensar de modo imparcial perante as leis brasileiras talvez vocês saiam perdendo. Cade a igualdade e justiça nisso tudo? Seria o meu filho um futuro criminoso por ter nascido homem e que deve ter vergonha de ser o que é? Deveria ser ele jogado as cobras porque feministas dizem que isto é certo?
 
OBS: Post enviado por e-mail pela leitora Patrícia Marinho (editado)
 
Vejam mais sobre violência por procuração abaixo:
 
 

Marxismo cultural no dia-a-dia parte II: maioridade penal, direitos humanos, segurança pública, atentados em SP e SC

Padrão

5fev2013---policia-militar-faz-escolta-de-onibus-em-terminal-da-palhoca-sc-na-noite-de-quarta-feira-5-em-sete-dias-de-atentando-em-santa-catarina-a-policia-militar-registrou-sessenta-ataques-em-1360166155014_956x500

O marxismo cultural nasce com o marxismo como modelo econômico e nos golpeia todo o dia até hoje em forma de propaganda. Mas enquanto este na economia mostrou-se um tremendo desastre que pode ser comprovado pela total falha de países que possuiam este sistema embora extremistas ainda achem lugares como Cuba a “ilha da fantasia”, o marxismo cultural usou de outra arma: propaganda, frases prontas contra um sistema ou alguém e a promessa de um mundo melhor, afinal quase ninguém parece ser feliz com o modo em que vive e outras estratégias.

Aqui no Brasil ele é visto como algo legal, moderno e alguns intelectuais e professores pregam livremente suas idéias como sendo a doutrina perfeita para melhorar o ser humano, possuimos algo extremamente forte também na nossa cultura que favorece o marxismo cultural. Ele é muito popular nas universidades, livros e escolas pois é  algo extremamente atrativo.

O marxismo cultural possui algumas diretrizes base para perpetuar a sua propaganda e pela cultura do povo brasileiro (futuro post) podemos também perceber porque ele sempre é visto com algo “legal” no Brasil. Ele é sempre convidatitivo. Suas diretrizes podemos ler abaixo:

1) O marxismo cultural  como todo regime marxista prega que sempre alguém oprime alguém mesmo que isso nem seja verdade hoje ou nega o que historiadores falam sobre o passado se isso ofende esta diretriz. Exemplos de discursos marxistas culturais: brancos oprimem negros, homens oprimem mulheres,  heteros oprimem GLS, ricos oprimem pobres, estudantes oprimem estudantes, professores oprimem estudantes, pais oprimem filhos, etc.

Eles negam fatos de que negros, mulheres, grupos, GLS, crianças e adolescentes possuem capacidade de fazer coisas boas e ruins. Que hoje a sociedade mudou e a liberdade existe para quase todas pessoas. Mas para terem apoio minimizam a responsabilidade de tais grupos para manter a sua diretriz de opressor x oprimido.  O livro Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil fornece um exemplo disso: Zumbi, popular representante em lendas populares na defesa pela liberdade dos negros, comprovadamente possuia escravos negros. Existem outros exemplos denunciados por historiadores sérios (contra o marxismo cultural, algo infelizmente muito comum nas nossas universidades). Outro exemplo, feministas censuram fatos de mulheres que violentam e estupram outras mulheres como denunciamos aqui. Estes parecem ser somente alguns exemplos mas hoje quem somente discorda do que os marxistas culturais pregam geralmente é taxada/o de alguma maneira ofensiva;

2) O marxismo cultural promete revolucionar para a melhor, usando leis que hoje devem punir quem no passado “oprimia” pois isso é a “justiça” e no seu mundo perfeito, sem falhas e que toda mudança é para a melhor. Aqui muitas vezes a utopia desta filosofia é misturada a demagogia. A utopia é algo quase sempre presente no marxismo cultural que usa de psicologia e do ser humano instatisfeito para conseguir o seu apoio;

3) A  desconstrução como base para algo “melhor”. O marxismo cultural usa da diretriz de desconstruir o que existe por ser “antiquado, careta, antigo, reaça e opressor” para algo “que ajude a melhorar o mundo e as pessoas”. Muitas pessoas querem fazer uma revolução contra qualquer coisa que represente o antigo sistema (sempre visto como opressor) para algo mais moderno que sirva a “liberdade, igualdade, amizade, caridade” e toda qualquer outra propaganda amiguinha marxista cultural. Um dos grandes objetivos de grupos marxista cultural hoje é destruir o modelo familiar atual com mulher, homem e filhos/as. Este é somente um exemplo;

4) Em geral, marxistas culturais sempre apresentam incoerência e hipocrisia pois agem ou agiram de modo contra o que afirmam e sua cegueira extremista os impede ver que seus gurus se comportam como o maior opressor capitalista ou qualquer outra pessoa “opressora”. Aqui podemos ver feministas que defendem o Mr Grey ou o Mc Catra,  estudantes ricos que estudaram em escolas boas que nunca sofreram e que lutam por cotas em universidades como se fossem minorias e pagam de pobres ou caridosos com outras pessoas, artistas anti-capitalismo como Chico Buarque  e Caetano que fingem serem do povo e populares mas cobram caro por seus shows, etc.

5) No Brasil isto ainda é mais forte pois na nossa cultura o mérito nunca foi valorizado e nossos exemplos de sucesso sempre foram alguém que taxamos como “grupo oprimido”, que temos pena e devemos recompensar. Vivemos no passado neste quesito e criamos falsos remédios como o assistencialismo para problemas das origens da  nossa cultura e estes sempre geram mais problemas futuros. O mérito aqui quase nunca existiu e uma seleção natural que geralmente acontece em casos aonde a quantidade de vagas é inferior a procura foi sempre mal vista como opressora (vestibular), afinal na utopia do marxismo cultural o que impera é a sociedade alternativa sem leis e a utopia que devemos ser iguais.  Objetividade ou regras baseadas no senso comum sempre foram denegridas no Brasil, bom mesmo é ser o diferente;

6) Quem revolucionou ontem vai oprimir/ falhar no futuro ou vai ser incapaz de gerar algo melhor pois é incapaz por ser sem mérito (falta de conhecimento) para uma futura responsabilidade governativa ou profissional. Que o diga o povo cubano;

7) Nossos exemplos de sucesso nunca foram pessoas que estudaram, trabalharam duro e conseguiram o sucesso como é o modelo dos Estados Unidos ou de outros lugares que criam tecnologia e pesquisa. O nosso modelo de sucesso nasce de Macunaíma, o errado sem honra, moral e valores que acaba sendo algo bom mais por sorte e jeitinho que mérito. Qualquer semelhança com o nosso ex-presidente que nunca foi chegado nos estudos nasce da nossa cultura pois pensamos que isso é certo.

Mas o que isso tudo é relacionado a segurança ? Tudo, absolutamente tudo. Pense como raciocinam os marxistas culturais: O sistema opressor governado por pessoas das elites (segundo marxistas qualquer um que discorde deles é elite) é uma  seita secreta formada por pessoas de classe alta, rica e branca e que governa de forma injusta e ordena a policiais que calem povo. Estes agem punindo bandidos de forma injusta pois os bandidos foram oprimidos e tem motivo para fazer o que fazem, por falta de oportunidade. Logo a culpa é de classe A (adicione aqui qualquer qualidade vista como opressora) que oprime a coitada classe B. Todos deveriam ser iguais bla bla bla, ter acesso a tudo bla bla bla  e outras utopias marxistas culturais). Aqui surgem os direitos humanos em muitos casos gritando contra os policiais e defendendo os bandidos de algum modo.

Claro que existem abusos por partes dos policiais e o governo feito por elites sabe disso. Mas a elite hoje é justamente feita por pessoas que eram do povo antes.  Algo mudou realmente? A elite pode ser de direita, centro, esquerda que vai continuar sendo elite e elites sempre existiram. Sem utopia. O que os marxistas culturais  fazem é um absurdo ao negar fatos como responsabilidade para todas as classes, que todo mundo possui a sua parcela de culpa e que educar é a melhor escolha para diminuir o crime. Ficar criando guerra entre classes pouco ajuda, afinal,  quase todo ser humano deseja viver em paz. Educar é pensar muito além da escola. Educar é pensar em casa, nos pais. Responsabilidade é outra cosia ao invés de querer mimar crianças e criar leis contra chineladas ou outras picuinhas sem fundamento por politicamente correto. Mas os marxistas culturais como adorem serem incoerentes ainda querem destruir a família, que é o primeiro exemplo de sociedade que educa. Mas reclamam depois do “mundo violento”.

Exemplos de marxismo cultural na segurança pública:

1) Menores de idade hoje diferem muito de crianças de alguns anos passados. Menores sem valores ou estrutura familiar (mas marxistas culturais quase sempre são contra a família) cometem crimes  muitas vezes. Alguns cometem crimes graves como assassinatos e estupros. Tudo isso é uma pena mas não justifica que o menor seja impune. O que fazem os marxistas culturais e direitos humanos? A culpa é do sistema, do mundo, etc, o menor nunca tem responsabilidade pois é o “coitado”.

Um grande defensor desta teoria é o deputado Jean Wyllys , reacionário que é contra a mudança da antiquada lei sobre maioridade penal ainda hoje existente no Brasil e que não condiz com a atual realidade brasileira;

Por outro lado hoje menores votam, fazem sexo, fumam, bebem e se alguém falar algo é uma pessoa “antiquada, opressora.”

2) Bandidos comete assassinatos de policiais e atentados em Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo, queimando meios de transporte público. Marxistas culturais reclamam destes absurdos mas sempre são os primeiros a defenderem criminosos perigosos com os direitos humanos no Brasil, passando por intelectuais que defendem ” a causa dos oprimidos”;

3) Muitos grupos de marxisas culturais consomem drogas e se auto-enganam criando alguma causa nobre. Mas depois reclamam dos atos violentos dos traficantes e de seus atos terroristas;

4) Marxistas culturais dizem que isso é reflexo dos nossos goverantes e que que estes devem ser punidos. Ok, verdade. Mas isto não impede que outros criminosos que representam risco para a sociedade não possam ser punidos. Justificar o crime de uma pessoa que faz parte de um grupo tido como “coitado” com palavras bonitas de ordem contra o sistema é infantilidade e falta de objetividade que fazem o crime crescer, nada mais;

Vejam mais absurdos sobre seguranças nos vídeos abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=n_pWQ5NV-xY

https://www.youtube.com/watch?v=D266IGzkbIU

https://www.youtube.com/watch?v=4EitkpO8NFo

https://www.youtube.com/watch?v=jk_MRssntG8

https://www.youtube.com/watch?v=5JSLAwAJwaU