Universidades brasileiras, professores e pesquisas “estranhas”: o marxismo cultural na figura de Tatiana Lionço

Padrão

ScreenShot001

Nenhuma pessoa representa mais o feminismo e outros movimentos sociais que prometem “liberdade contra quem nos oprime” que a figura de Tatiana Lionço. Ela é uma das representantes do marxismo cultural/ feminismo no Brasil e que talvez explique um pouco a nossa sociedade doente e os nossos valores (ou a falta deles) pois aqui tudo é relativo. Protestamos por causas estranhas e relativamos o certo e o errado, mesmo que depois o errado possa nos atingir.

Professora universitária e pesquisdora federal (ou seja, paga com o nosso dinheiro) ela é uma feminista e simpatizante que prega uma doutrina (marxismo cultural) e defende grupos com interesses bem definidos (feministas, GLST, etc). O atual modelo familiar é visto como antigo por ela. O atual modelo de educar crianças é visto como antigo por ela. Feministas e simpatizantes, que em geram seguem cegamente ordens de gurus feministas (em geral, lésbicas revoltadas que condenam fazer sexo com homens como postamos aqui) aceitam de bom grado a propaganda feminista em geral pelo politicamente correto e agem do mesmo modo além de compactuar com idéias similares. Com Tatiana, não é diferente. O diferencial dela é que ela como professora ajuda a formar pessoas e a propagar a sua ideologia o que é perigoso para uma terra sem valores morais como o Brasil.

Como diria a cartilha marxista cultural, se infiltre nas universidades e escolas, afirme que isso é politicamente correto, pregue a idéia de uma sociedade perfeita, lave o cérebro de estudantes e destrua a sociedade. Os absurdo pregados por ela e outros professores “intelectuais” demonstram o porque do Brasil ser o que é. Porque importamos ainda tecnologia? Porque o nosso governo ao invés de fazer pesquisas sérias paga para marxistas culturais que defendem grupos com interesses. E estes pesquisam sobre procurar pelo em ovos e outras coisas. Tudo pelo “social”.

Sabemos que marxistas culturais sempre quiseram doutrinar a maior quantidade de pessoas que pudessem. Nada melhor para isso que usar universidades para isso e misturar uma propaganda  de “liberdade, revolta, igualdade” com utopia e propagandas de um mundo melhor.

A psicóloga Tatiana Lionço que é tida como uma professora, pesquisadora e pensadora “moderna” é uma das pessoas que passam por exemplares na sociedade pelo seu status tido como “intelectual de universidade” mas é uma farsa. Ela é somente exemplar como marxista cultural pois isso fica claro nos exemplos de suas teorias que entram nas universidades brasileiras e viram doce na boca de estudantes cabeça fraca que acham que o marxismo cultural é “luta contra o sistema, liberdade, igualdade” ou qualquer outra frase de efeito usada como propaganda mentirosa para um “mundo melhor e mais moderno contra o sistema”. Feministas usam da mesma propaganda.

Tatiana, como boa feminista e simpatizante do grupo GLST, adora falar sobre diferenças sexuais entre homens e mulheres, questão de gênero e modelos familiares sendo que leva isso para o lado das crianças. Leiam o discurso de  Tatiana Lionço no IX SEMINÁRIO LGBT PARA A INFANCIA:

…….“As brincadeiras sexuais infantis também podem envolver outros: MENINOS buscando conhecer os corpos de outros MENINOS e MENINAS buscando conhecer os próprios corpos e os de outras MENINAS e MENINOS. Então, quando MENINOS e MENINAS brincam inclusive sexualmente em seus corpos, com outros MENINOS e MENINAS, eles não estão sendo gays ou lésbicas, quando fazem isto com pares do mesmo sexo. Não é disso que se trata. Que deixem as crianças brincarem em paz... (SEXUALMENTE)…….

Mulheres contra o feminsimo: aqui o texto diz tudo. Parece uma propaganda ou apologia a homossexualidade para crianças, quando crianças deveriam ser tratadas como crianças e terem outros objetivos em mente.

……”Isto as tornarão adolescentes e adultos mais inteligentes e potencialmente mais perspicazes no enfrentamento e na transformação do mundo que lhe deixamos como herança”…...

Mulheres contra o feminsimo: Ou seja, ela deixa a entender que a pesssoa ser homossexual é ser “inteligente” e ser “hetero” é ser qualquer outra coisa.

Pessoas como ela defendem teorias que se não fossem pelo status de “intelectuais de universidades” talvez fossem presas pelo tamanho absurdo que pregam em nome de “um mundo melhor, mais moderno e evoluido”. O que ela prega descaradamente deixa portas abertas para pedofilia e outras coisas mais. Mas na sociedade brasileira marxista cultural isso é “normal”. Aqui tudo vira “normal”.

Além disso, esta pessoa que no Brasil hoje é tida como exemplar, moderna e forma futuros profissionais, faz apologia a idéias que de longe nada somam para a nossa sociedade. Nossas prioridades deveriam ser outras e podemos ver isto todos os dias. Nos falta tecnologia, pesquisas em campos produtivos e uma feminista manipula a psicologia para defender interesses de grupos que querem tratamento especial. Mas isto no Brasil é visto como algo moderno pelo marxismo cultural que é muito forte aqui e  normalmente é lei nas universidades brasileiras.

Percebemos que hoje está havendo uma grande confusão aos que querem usar os DIREITOS HUMANOS para obter todos os seus anseios e liberdades. Grupos que apoiam Tatiana hoje misturam A+B e mentem que isso é luta pelos direitos e conquistas para uma sociedade “melhor e moderna”. Usam de qualquer meio. Usam crianças, se mesclam a minorias usando de propaganda marxista cultural e dizem que isto é “o melhor” para a sociedade.  Ao mesmo tempo, uma pessoa que discorda deles e de suas estratégias que querem praticamente impor uma ideologia é taxada, ofendida e censurada pelo politicamente correto ou com frases que fazem parecer uma pessoa conservadora como pior, antiga. “Reaça” é um exemplo? Mas o que falar do reaça Jean Wyllys que é contra a mudança da maioridade penal?

Ficamos a nos perguntar o que será que vão ensinar aos nossos filhos nas escolas no futuro  já  o que está sendo ensinado hoje é absurdo. Seria melhor educar os nossos filhos em casa?

Para finalizar postamos algumas fotos da dita professora intelectual que ajuda a formar nossos jovens. Cada um usa o seu corpo do modo que desejar mas é um tanto estranho ver uma professora (fotos acima) que forma crianças e jovens afirmar que poderia ser uma atriz de filmes adultos e ter as costas beijadas por um ator gay de filmes adultos. Que exemplo bem estranho estamos querendo implementar como modelo “moderno” para as nossas filhas e filhos.

»

  1. É impressionante o NOJO que esse MALDITO FEMINISMO e esse MALDITO MARXISMO CULTURAL incentivam tantas PORCARIAS. Além do mais, o SEXISMO (discriminação contra homem ou mulher), a SEGREGAÇÃO SEXUAL e outros MALES, também são próprios do SATANÁS. Não sabem quanto isso me deixa revoltado, todo santo dia. É vergonhoso isso, ainda mais essas universidades.

  2. Não dá nem vontade de iniciar uma resposta. é muito medíocre alguém que se opõe ao feminismo sob a escusa de “marxismo cultural” e tem a audácia de falar sobre “moral e bons costumes”. Não possuem nenhum conhecimento na área da psicologia, mas se expressam como psicólogos dos anos 50. Reaças reaçando, apenas reacionários baratos que gostariam de ser liberais, mas não possuem capacidades intelectuais suficientes para tal. O Brasil é incrível nessa área.

  3. Sério, suas submissas reaças de merda: quem vocês acham que são? Descontextualizando coisas PESSOAIS de uma professora universitária, interpretando de forma BURRA as suas palavras, sendo pessoas dignas de PENA. Por favor, vão aprender a ler e PENSAR.

  4. O que seria relativismo moral para você? E o que você quer dizer com “a culpa é das outras pessoas?” ?

    Eu visitei esse site porque pensei que acharia bons argumentos contra o feminismo, mas me enganei porque esse texto principalmente é uma total má interpretação de texto, ou propositadamente uma tentativa de distorcer as palavras de pessoas que se dizem feministas com o intuito de achar uma ‘deixa’.

  5. Pingback: Mulheres antifeminismo: Como feministas querem que nós mães eduquemos nossos filhos e filhas. | Mulheres contra o feminismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s