O arrependimento, sociedade machista, princípios, liberdade, bizzarices e feministas

Padrão

gretchen-15032013

v2

Oi meninas. Tudo bem?

Encontrei o blog mulheres contra o feminismo e me identifiquei completamente. Nunca fui defensora das feministas e as teorias delas. Sempre fui educada na maior parte do tempo por homens e muito aprendi com eles. Perdi a minha mãe cedo mas isso nunca me impediu de também valorizar a minha feminilidade e ter me transformando em um Zézinho.  Sigo o blog e leio quando possso. Hoje decidi escrever este e-email para contar sobre o que presenciei por estes dias. O maior exemplo de cara-de-pau sobre o uso da liberdade.

Tenho 22 anos e estou na faculdade. Tenho uma amiga muito bacana e ela me apresentou uma conhecida que iria começar a estudar na nossa faculdade. A menina parecia gente boa mas eu gosto de ter mais tempo para realmente fazer amizade. Apresentamos mais pessoas para ela e tudo estava indo bem.

Pois bem, esta aluna nova  ficou balançada pelo garoto que aqui é conhecido como o “pegador”. Acho que toda universidade, escola possui os mesmos tipos, né? Eu namoro, sou super na minha e sempre fui educada pelos meus tios, tias e o meu pai que podemos escolher quem entra nas nossa vidas. Ou seja, muita vezes a responsabilidade é nossa. Tenho hoje o meu segundo namorado (na verdade o primeiro namoro sério) que é um cara super legal e embora ainda sejamos jovens, fazemos alguns planos para um futuro. Mas tudo sem pressionar um ao outro.

Continuando sobre a nova garota, avisamos a ela que o “pegador”  era chave-de-cadeia. O “pegador” é um cara escroto, mulherengo, trai namoradas com melhores amigas, fala mal das garotas depois, etc. Na minha cabeça a garota tinha entendido a mensagem que o “pegador” era um garoto que deveria ser evitado. A garota disse que odiava homens assim, que era forte, livre, decidida, nunca quis homens assim, queria ter intimidade com alguém antes de fazer sexo, etc. Pois bem, descobri esta semana que faz 15 dias que a garota transou com o cara e este começou agora a falar dela.

Aviso aqui que não estou defendendo ou defenderei o garoto de nenhum modo, ok? Pois bem….

Fomos falar com ela e tudo o mais e ela estava triste. Disse que saiu com o cara e transou de primeira. Tentamos dar força e falamos que haviamos avisado ela. Para a nossa surpresa ela quis brigar com a gente e começou a falar que a culpa era da sociedade, dos homens, machismo, do patriarcado e tudo o mais. Por isso, decidi escrever este e-mail.

Nem sei muito sobre o feminismo pois tenho que estudar coisas mais importantes,  fora o meu trabalho. Sei algumas coisas que todo o mundo sabe e li alguns livros feministas que por sinal detestei. Não quero patrulhar a vida sexual ou julgar ninguém mas para mim é um tanto claro de quem é a culpa nestas horas sobre o que aconteceu: da garota que agora é minha ex- amiga. Ela foi avisada sobre o risco de se envolver com um homem canalha escroto. Ela sabia de todos riscos que falamos para ela como aviso mas ela não quis ouvir. O pensamento é: se o fogo queima porque vou mexer com fogo?  Se a sociedade é assim como ela diz porque eu nunca sofri com isso? Porque outras também não? Se os homens são assim porque eu nunca sofri com eles? Simples: porque eu tenho responsabilidade dos meus atos e tenho os meus valores e princípios. Eu escolho as pessoas que entram na minha vida, homens, mulheres e tenho noção do que faço. Ou seja, eu sei fazer escolhas.

Alguém talvez diga: sim, mas ele transou com ela e com muitas outras mas não vai ser julgado por isso por ninguém. Sinceramente isso é algo que podemos chamar de inveja do mal. Primeiro, este cara escroto também é julgado por pessoas como eu, outras mulheres e outros homens que condenamos o que ele faz. Segundo,  para ele transar com alguém a mulher tem que aceitar/ escolher e querer pois do contrário é estupro segundo as leis brasileiras ou leis ocidentais. O que me causa supresa é que mesmo avisadas as garotas ainda transem com ele que é um escroto completo. Terceiro, não é porque ele faz que é uma coisa certa e devemos copiar. Quarto, é muita covardia tirar o corpo fora e colocar a culpa no mundo ou no sistema, ainda mais hoje.

Desculpem o desabafo mas isso é o que mais vejo. Umas garotas e arrisco dizer maioria pensam serem as mulheres maravilhas uma hora, depois de agirem de modo errado ou compactuarem com algo errado choram como crianças e culpam a sociedade. Mas agiram porque queriam, né? E também vi amigas, amigos e pais aconselharem garotas com problemas deste tipo. Elas acham isso machismo (um conselho ou uma dica), agem errado porque querem e depois colocam a culpa no machismo novamente.

Bjos

Milene.

________________________________________________________________________

Fora este e-mail podemos divagar sobre o mesmo tema pois ao abrir um portal da internet vimos algo mais ou menos assim: “Gretchen e a pornografia. Quero esquecer os filmes pornôs que eu fiz. A única coisa que eu me arrependo foi de ter feito aqueles filmes. É uma coisa q eu não gosto de comentar. Isso vem contra os meus princípios. “

Como disse a Milene acima não queremos patrulhar a vida sexual ou julgar ninguém mas é muita cara-de-pau e apelar para o relativismo que feministas adoram. Se realmente fosse contra os princípios dela, ela jamais teria feito, né? Liberdade na hora de agir, é forte para gritar que é feminista mas na hora da responsabilidade por se envolver com coisas duvidosas bate o arrependimento e o choro. Olhem, ninguém é obrigada a fazer o que não gosta hoje, salvo raros casos que a lei comum pune. Sem hipocrisia mas na hora de receber o cachê ela gostou, agora que o dinheiro já deve ter acabado vem falar que está arrependida ou que ninguém pode julgar. Isto é muito feminista. E outra porque feministas adoram dizer que ninguém pode julgar nada? Talvez seja por isso que para feministas  é algo normal usar crianças em marchas vulgares, defender piriguete funkeiras ou quem sabe condenar criminosos no Brasil seja algo errado pelos direitos humanos (em geral, comandados por feministas). Se tudo é relativo, nada é errado, nem o crime, né?

Claro, tudo hoje virou normal e nada pode ser julgado. E viva o caos da nossa sociedade, praticamente uma anarquia.

Mas ok, sem falar de arrependimento e falando de princípios. Quem tem princípios, jamais os perde. Quem valoriza algo e o acha nobre, não se vende, salvo em casos de extrema miséria e mesmo assim muitas vezes nem pessoas assim se vendem. Já pensaram se todas mulheres ou homens que passassem por necessidades fizessem isso. O que seria? O poder de decidir que possuimos hoje é usado de modo leviano e quando convém a culpa é “do patriarcado”. Sinceramente, ou alguém possui responsabilidade pelo que faz ou não. Uma coisa ou outra. Ficar nesse meio-termo é o fim e a maior amostra de covardia. O mesmo serve para o caso da garota que a Milene escreveu.

E para acabar este caso aqui muito bizzaro: “ESPOSA denuncia marido que a trocou por uma cachorra”

http://w180graus2-teste.tempsite.ws/geral/esposa-denuncia-marido-que-a-trocou-por-uma-cachorra-587182.html

Fora o absurdo deste doente aonde na Alemanha e outros lugares algumas pessoas querem legalizar  e achamos errado (mas segundo as feministas talvez seja permitido, afinal, “meu corpo, minhas regras”  e “ninguém pode julgar o que é certo e errado”) é interessante observar uma coisa:

a) A esposa ainda continua com o marido (um doente);

b) Ela foi denunciar ele a Delegacia da mulher (deveria ser alguma entidade ambiental) porque foi trocada por um animal e não para proteger o animal;

c) A culpa é do machismo e da sociedade (????);

d) As pessoas podem se divorciar, logo, porque continuar junto?

»

  1. Uma curiosidade: este blog é sério? Vocês são mesmo contra o feminismo ou é só um “troll”? Confesso que ainda só consegui ler duas postagens de vocês então não posso falar muito, mas já dá bem pra deduzir o “conteúdo””do resto dos posts e fico surpresa com tamanhã ignorância. Não @s estou ofendendo, quando digo ignorância é no sentido de falta de conhecimento mesmo ( o que leva a reprodução de absurdos, como os daqui). Estou começando a conhecer o movimento feminista, há um ano, aproximadamente, e uma das coisas que me chateia mais ( e isso em qualquer movimento) entre os/as opositores/as é o quanto não conhecem antes de criticar/acusar/apontar… Por mais que eu esteja ainda engatinhando no movimento já aprendi tanto com ele e ele faz tanto sentido que me entristece encontrar blogs como esse, mas não me surpreende, infelizmente. Vou ser breve, senão não saio daqui tão cedo, mas antes gostaria de pedir que leiam um pouco mais sobre o real feminismo. Estudem o conceito de patriarcalismo, machismo enfim, os conceitos básicos tão citados e distorcidos fora e dentro do feminismo (impossível negar que há pseudofeministas que atrapalham bastante…). E tão distorcidos.

    Aí vão algumas dicas de leituras: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2013/03/e-dia-internacional-da-mulher-e-quem.html

    E em relação ao post, a parte da cachorra, que coisa horrível para esse animal. Tenho pena dela e defendo firmemente uma punição a ambos, marido estuprador e mulher conivente. Mas opiniões à parte, gostaria de dizer que a luta contra a tríade especismo – racismo – machismo é crescente dentro do movimento feminista, há inclusive uma vertente feminista vegana que faz um trabalho maravilhoso em prol dos animais. (http://feminismoevegetarianismo.blogspot.com.br/ ; http://blogueirasfeministas.com/2012/07/a-politica-sexual-da-carne/ ; pessoal legal pra se conversar sobre: https://www.facebook.com/events/421451897941367/?ref=22) Houve um caso de machismo explícito aí, tanto da mulher quanto do homem, porém, quem escreveu o texto, que é obviamente muitíssimo mal escrito e está longe de ser um texto jornalístico de verdade, não soube sequer empregar o conceito corretamente. Sugiro, blogueir@s, que usem fontes mais confiáveis para produzir seus posts, isso dá bastante credibilidade à página de vocês.

    Interessante saber a opinião de quem é contra o feminismo, mas é bem frustrante a pobreza na argumentação. Esperava ( e ainda espero) mais. Quem sabe um dia eu não deixe de ser feminista também?! haha

    Espero por mais estudos.

    Abraços.

    • Agora a culpa das pseudofeministas que distorcem o movimento. Engraçada esta estratégia de sempre culpar alguém.

      Estas que vc cita como “pseudofeministas anti-homem e raivosas” muitas vezes lideram as feministas “de verdade” como vc.

      Logo, vc é massa de manobra.

    • Acho que seria a senhorita a precisar estudar mais nesse caso.
      Quer dizer que quando você vê algo contra a sua ideologia você a ignora?Sequer pensa o porquê daquela pessoa ter falado aquilo?
      Não acho que isso que tu fizestes seja ignorância,mas que és ingênua,isso és.E pessoas assim são as mais cobiçadas por movimentos como o feminismo,já que só olham para um lado e que se dane o outro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s