Porque toda mulher brasileira e homem brasileiro deveriam odiar carnaval.

Padrão

eu odeio carnaval

Talvez por saber que muitos turistas sexuais venham ao Brasil encontrar prostitutas ou piriguetes e que assim a fama da mulher brasileira no exterior seja a pior do mundo. E porque o feminismo com o seu relativismo moral de “nada é certo ou errado” apoia isso indiretamente.

Talvez por que o carnaval represente aquela mentalidade que todo mundo detesta mas ninguém faz nada para mudar. A mentalidade de minimizar problemas, fugir deles e fingir que a responsabilidade é de alguém. Talvez porque o estado brasileiro domine o povo através da propaganda cultural de nunca levar nada a sério pois “é Carnaval, Copa do Mundo,etc”. E isso atrasa o Brasil sempre sem nunca nos permitir crescer.

Talvez por saber que tendo esta mentalidade de “somos os alegres e possuimos a simpatia do mundo”, sejamos na verdade os palhaços do mundo e não tenhamos o respeito de ninguém. Sim, possuimos a simpatia de todos mas o respeito de ninguém.

Talvez por saber que esta mentalidade de carnaval e de fazer piadinhas sobre assuntos sérios como a tragédia de Santa Maria, a seca no Nordeste, corruptos e tudo o mais seja vista como algo “normal de pessoas bem humoradas”. Na verdade é uma mentalidade coletiva de um povo idiota, arrogante, que não sabe respeitar nada e que nunca lutou por nada mas quer tudo pronto. Por isso uns vão morar em ALGUNS lugares mais desenvolvidos no exterior (nem todos o são).

Talvez  por saber que é uma festa que estagna a economia do país, fazendo-o ficar anestesiado durante os seus dias de festa. O carnaval é uma doença coletiva que nem brasileira é. Hoje é baixaria e vulgaridade. Mas quem é contra por motivos simples e racionais é definida como uma pessoa “preconceituosa e com vergonha de ser brasileira”. Quem teria orgulho de ser terra de vagabundo, prostitutas e aonde todos param para esta festa cada vez mais degradante e vulgar?

Talvez por detestar homens e mulheres que amam se afirmar dizendo que “pegaram tantas/ tantos” e trocaram saliva (aquilo nem beijo é) em lugares que nos representam no exterior (péssima propaganda) que viraram turismo de baixaria entre turistas sexuais.

Talvez por detestar as feministas piriguetes que querem pegar porque os homens pegam e depois mentem nos representar.
Talvez  por saber que a violência aumenta drasticamente durante os seus dias de festa.
Talvez  por saber que o carnaval é a páscoa dos traficantes brasileiros. É quando o consumo de drogas entre os jovens do país aumenta assustadoramente.
Talvez eu odeie o carnaval por saber que é a festa mais explorada pela indústria pornográfica, que aproveita para exportar a imagem do brasileiro para o exterior, como sendo um povo promíscuo e da mulher brasileira como vadia e vulgar. É também no carnaval onde aumenta assustadoramente o número de doenças sexualmente transmissíveis, gravidez precoce, gravidez indesejada, violência sexual. É como se o povo perdesse os seus princípios éticos e morais durante os dias de festa do carnaval e se deleitasse no banquete de Baco.
Talvez por saber que aqui isso virou tradição e se alguém discorda desta tradição é taxado de pessoa preconceituosa e que não é verdadeiramente brasileira.

Talvez por saber que o Ministério do Turismo do Brasil sempre associa esta droga de festa ao Brasil e que ela é associada com as coisas citadas acima.

Talvez por saber que durante os seus dias de festa o consumo de álcool aumenta muito e junto com isso aumenta o número de brasileiros mortos no trânsito. Durante os seus dias de festa, morre-se mais pessoas do que em alguns país que estão em guerra. A polícia militar do Estado de São Paulo proíbe que qualquer policial tire férias, ou licença prêmio, durante o carnaval para tentar conter a fúria de um povo ensandecido, encharcado de álcool e drogas, que toma conta das ruas, enquanto que a maioria dos brasileiros, que assim como eu, tem nojo dessa festa, vai procurar refúgio em cidades pacatas do interior.
Talvez  por ser uma festa que divulga, no exterior, a imagem da mulher brasileira como sendo prostitutas e o homem como sendo um néscio festivo, que não leva nada a sério e que jamais ameaçará a hegemonia da elite global.

Talvez porque aquela festa ingênua, com fantasias criativas, acompanhadas das marchinhas alegres, deu lugar para uma festa bizarra, engolida pelas drogas e o álcool, onde as mulheres trocaram as fantasias criativas pelos seios expostos. O desfile de carnaval atual nada mais é que um palco de exibicionismo, cheio de mulheres vulgares dispostas a tudo para conseguirem contratos com revistas masculinas.

Talvez porque ele revela um Brasil do qual qualquer um se envergonharia.
Talvez  porque há muitos anos sepultaram… o verdadeiro carnaval.

Talvez pelas mentiras ditas para as pessoas: “Uma festa que representa a “cultura brasileira” por todo o mundo? Afinal… o Brasil é conhecido como o país do futebol, bunda, mulher e carnaval (Ops, agora do MMA também). Uma festa tão cheia de alegria, que mal pode haver nela para que eu a odeie tanto?”

Bem, alguém ainda acredita nesta mentira que engana gente inocente de que o intuito do carnaval é alegria?

tumblr_lxiqfiM1MQ1qcimjpo1_500

é-carnaval!que-merda!

»

  1. Bom, discordo dessa ojeriza ao carnaval. O problema não é o carnaval, é a sociedade e a vulgaridade, o amor ao alcool e ao sexo. Trata-se de falta de valores morais e excesso de permissividade, não do carnaval. Minha cidade tem uma festa de aniversário, e festa do trabalhador, e nas duas é a merma porcaria do carnaval. E é assim em qualquer cidade. Qualquer festa que se ofereça se tornará isso que você falou, com exceção ao turismo sexual, pois isso se dá por ser o carnaval uma festa nacional com data fixa, mas é só decorrência da sensualidade excessiva e da permissividade…

  2. Meninas,

    gostaria apenas de comentar sobre Baco. No meu blog, Arcanjo Suburbano, eu cito Baco ou Dionísio em alguns poemas. É necessário entender que Baco simboliza na mitologia o império do desregramento, dos excessos, do caçador que devora a presa, do indivíduo que se dissolve na natureza. Esse é o conceito de Baco. É uma face do nosso espírito, é a sua animalidade, configurada na imagem de um deus que rege a loucura, o estado de desrazão.

    Isso é uma coisa.

    Outra coisa completamente diferente é o carnaval brasileiro. A violência sistemática, a exploração sexual, o tráfico de drogas, a promiscuidade desenfreada, essas coisas não têm nenhum sentido ritual, & nem podem ser institucionalizadas como ritos. São pura & simplesmente a manifestação do elogio nacional ao crime & à dissolução da sociedade. Todos os sociólogos & jornalistas que escrevem louvores ao carnaval nada mais são do que burgueses comodamente instalados em seus gabinetes, sem nenhum contato com a malandragem que grassa nessa época.

    Se em meus poemas eu enalteço a figura de Baco, o deus marginal, entendendo que havia, entre os gregos, uma sacralidade naquele rito, não exalto, contudo, o carnaval brasileiro. Pois para mim o nosso carnaval é o retrato do que nós temos de pior: a exposição da corporalidade nua & crua, com todo o seu ônus.

  3. Olá

    Eu tenho outra visão. Eu apoio o carnaval pois ele é um babyboom e ótimo criador de mão de obra.

    Ele ajusta e faz aumentar a população fazendo com que não haja erros(maiores do que já tem) no INSS ou seja não entremos em bancarrota como o japão.

    • Excelente baby-boom de marginais e filhos de mães solteiras. Os indesejados serão vítimas da indústria do aborto. O carnaval cria mão de obra só se for para lavar latrinas de prisões e de fazedores de aborto… Parabéns pelo discernimento, cara!

    • Sinceramente falta de cultura, nivel educacional baixo. No exterior mulher brasileira e sinonimo de vulgaridade e sexo gratuito, facil. Vergonha!!!

  4. Carnaval só dá despesa aos cofres públicos e lucros para os fazedores de barulho. O prejuízo moral é incalculável!

    Excelente blog!

  5. Infelizmente o carnaval deixou de ser uma festa do bem para ser uma bandalheira. A alegria deu lugar a bebedeira, a promiscuidade, ao adultério, acidentes horríveis.
    O país para, nada funciona, são cinco dias de ócio desnecessário.
    Quando as pessoas vão perceber a palhaçada que é o carnaval hoje?
    Ainda bem que esse acabou.

  6. É carnaval, é futebol, é putaria. Toda noite, todo dia, nesta época é sempre assim. Turismo sexual é bastante comum em todos os países tropicais, como esse, pois as mulheres, meninas e adolescentes costumam usar roupas curtas, coladas ao corpo, mais os biquinis quando vão à praia ou à piscina, expondo as vaginas gostosas e as bundas gostosas, de chupar e de comer. Mas nem mesmo para sexo elas prestam. E mais. Como Maria Fernanda mesma disse, infelizmente o carnaval deixou de ser uma festa do bem para se tornar uma bandalheira. A alegria deu lugar a bebedeira, promiscuidade, adultério, acidentes horríveis, etc. E mais: muitos aproveitam para beijar na boca em público. Mas o beijo na boca exige muita intimidade, principalmente entre homem e mulher. Imagine se estivessem chupando pênis ou vagina em público nesse período? Imagine se um homem gozar na boca da mulher e vicec-versa? O que vocês pensariam dessa palhaçada? O mundo é moderno e está perdido mesmo. E o PIOR, homens vestidos de mulheres, e mulheres vestidas de homens! Uma PORCARIA! Um absurdo isso! Não adianta. Vivemos num país tropical mesmo. Cheio de tanta sensualidade. Aqui só pode fazer sexo. Pornografia, seja adulta ou infantil, pedofilia, sexo forçado, tem que ser legalizado. Não concordam? Mas temos que concordar, pois país tropical, cheio de periguetes, sensualidade e vulgaridade, até mesmo em crianças, é assim mesmo.

  7. É bom que vocês saibam que não é regra todo estrangeiro acreditar nesses estereótipos exportados. Na verdade, muitos estrangeiros sabem que o Brasil é uma nação enorme e riquíssima culturalmente e racialmente. Alguns portugueses, por exemplo, não acreditam que existem brancos brasileiros, alguns noruegueses, como eu e minha família, sabemos que aqui é um mini-mundo.
    Quem pensa que Noruega é apenas gelo, bacalhau e Black Metal é uma pessoa que não conhece o básico importante sobre Noruega, e quem pensa que Brasil é apenas Futebol, sensualidade e Carnaval não conhece o básico importante sobre o Brasil.

    Ae um brasileiro reclama que foi destratado no exterior, não é porque existe a crença no estereótipo do todos iguais, é porque costuma acontecer de muito brasileiro que foi ao exterior comportar-se mal, deixando a imagem ruim e provocando uma reação defensiva.

    Não entenda isso como lisonja, nem como xenofobia, o que há, isso é apenas o meu ponto de vista, tirando de tudo que vivenciei até agora.
    Todos os povos tem estereótipos negativos e nenhuma nação é perfeita. Uma pessoa mais culta e mentalmente saudável não vai tratar mal outra pessoa apenas pela nacionalidade, ou generalizar uma nação inteira apenas pelo que os media mostram. Isso é muita ingenuidade.
    Ha nacionalidades respeitabilíssimas em todos lugares do mundo, todo mundo sabe. Ha falhas morais em todo lugar.

    Perdão a qualquer ofensa, ok?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s