Arquivo do autor:Mulheres contra o feminismo

A verdade sobre a Mutilação Genital Feminina: o que as feministas escondem ao mesmo tempo que apoiam tal absurdo.

Padrão

A Mutilação Genital Feminina (sigla MGF), termo que descreve esse ato com maior exatidão, é vulgarmente conhecida por excisão feminina ou Circuncisão Feminina. É uma pratica realizada em vários países principalmente da África e da Ásia. Enquanto aqui no “Ocidente opressor do homem branco capitalista machista mimi” a liberdade impera tendo inclusive feministas protestando para fazer orgia com 5, 6 ao cantar funks “revoluça”, em outras terras o assunto é sério. E a Mutilação Genital Feminina é um dos grandes problemas, sendo um ato feito e coordenado por mulheres para mutilar outras mulheres. As feministas apoiam isso indiretamente ao apoiarem o relativismo moral (cada um faz o que quer), o relativismo cultural (mimimi nenhuma cultura é melhor que outra mimimi) e a demonização do Ocidente (aonde somos mais livres aqui mas aonde as feministas fantasiam como se em outros continentes as mulheres não sofressem de verdade).

Como feministas sempre fogem da realidade e querem negar os valores ocidentais e a estrutura Ocidental (como boas marxistas que são) , elas relevam os absurdos cometidos em outras civilizações ainda mais porque nestes lugares e em especial neste caso da mutilação genital  são outras mulheres que violentam outras mulheres (muitas vezes as próprias filhas).

Observem esta foto da reportagem e este ato absurdo aonde uma mulher (e mãe) da Somália se vangloriou sobre como ela vai usar uma lâmina de barbear para circuncidar sua outra filha e sobre ter circuncidado suas outras filhas. ” A mulher estava sentada com a  filha de 10 ANOS  ao seu lado e explicou calmamente porque ela terá uma lâmina de barbear para ela neste verão. ” Eu sou um circumciser “, declarou ela . ” Este jovem ainda não tinha sido circuncidada ” Os profissionais da saúde nos deram conselhos de saúde sobre a MGF “, ela disse, “mas eu não sinto nenhum problema fazendo isso porque é a minha profissão. Embora eu saiba que a menina está sentindo dor , é minha profissão e eu estou fazendo o que a mãe quer “.

A ONU admitiu que é mães que organizam a Circuncisão  de suas filhas:

“Mothers organize the cutting of their daughters because they consider
that this is part of what they must do to raise a
girl properly and to prepare her for adulthood and
marriage.”

“As mães organizam a circuncisão de suas filhas porque consideram
que isso é parte do que eles devem fazer para levantar uma
menina corretamente e para prepará-la para a vida adulta e
casamento “.

Em lugares na Europa que andam perdendo os valores Ocidentais (baseados no Cristianismo), com o migração descontrolada (apoiada por feministas) e pelo relativismo moral e cultural, a MGF começa a atingir também o Ocidente. É o que acontece quando deixam pessoas com problemas mentais como as feministas e simpatizantes assumirem movimentos sociais. Elas ficam mais preocupadas em andarem nuas, serem promíscuas, fazer orgias, cantar funk e abortarem em uma sociedade que protege a mulher do que defender quem realmente precisa em lugares que possuem uma cultura mais selvagem.

Fonte: Exposing Feminism

 

Inveja e a desculpa da igualdade: Não, não somos iguais e nem queremos ser.

Padrão
Estudante de 15 anos foi espancada dentro da sala de aula na Escola Estadual Castelo Branco, em Limeira (Foto: José Carlos Roque Junior/Acervo pessoal)

Olhando as novidades da semana na internet e uma coisa nos atraiu em especial pelo absurdo que muitas e muitos tentam justificar.

uma aluna de 15 anos foi espancada dentro de escola por outras colegas que filmaram tudo e colocaram na internet. Ah, a “clássica bondade do ser humano que não tem defeitos” e pensa ser acima das leis.

O motivo de tal ato agressivo: a menina ser mais bonita que as outras e também ser nova na escola. Feministas e toda uma horda de marxistas provavelmente apoiam tal motivo, afinal, a menina por ser bonita é uma criminosa que se destacou do grupo “oprimido pelo capitalismo machista”. A” beleza oprime, os feios libertam”, mais uma vez a guerra entre classes.

Na verdade este é mais um caso de inveja coletiva aliada ao vitimismo. Isto infelizmente é o retrato do Brasil hoje. Nossa cultura se impregnou disso e feministas apoiam isso diretamente  e indiretamente.

Adicione a desculpa de que existe liberdade “pois cada um faz o que quer” e que nada é certo ou errado e tudo é relativo, assim qualquer pessoa pode bater em outra. Finalize, culpando o mérito de alguém que se destaca com coisas boas por ter nascido assim ou por esforço próprio mais a valorização do coletivo sem responsabilidade acima da responsabilidade da pessoa e temos uma bomba que feministas e marxistas em geral usam como meio de extravasar a raiva,inveja e revolta interna que possuem. Claro, tudo isso é mascarado com palavras bonitas. Estes grupos, que monopolizam a bondade da boca para fora criam os mais absurdos motivos para cometer barbáries. Usam da guerra entre classes, uma mentirosa divida histórica e todo e qualquer motivo coletivista para serem violentos.

O grande perigo da pressão social movida pela inveja é impor um comportamento politicamente correto e covarde nas pessoas bem-sucedidas por mérito ou nascimento. A bela modelo fica constrangida porque a beleza incomoda, mas ela pediu para nascer bonita? Uma empresária, honesta e bem sucedida, tem vergonha de assumir que ganhou dinheiro (sendo isso não é pecado) fruto de seus méritos. A pessoa que era pobre negra/ branca/ oriental,/ocidental e melhorou de vida por mérito honesto é vista como traidora pois “devemos ser todos iguais e contra o capitalismo”.

Pior, a longo prazo o mérito vira algo como um crime danoso a sociedade gerando cada vez mais o pior pela criminalização injusta do melhor. Numa era de relativismo ético e estético o bom viram ruim e o mal vira excelente. Isso depois de muitos anos gera o caos na sociedade.

Repetir que “todos são especiais” é consolo para fracassado e o mesmo que dizer que ninguém é especial. Muitas pessoas desavisadas apoiam isso por medo, inocência ou para fugir da responsabilidade. O politicamente correto lavou os seus cérebros mas estas mesmo assim reclamam dos valores invertidos e caos em diversas áreas. Mas fica a pergunta: somos realmente todos/as iguais? Você é igual a Valesca Popozuda ou aquela feminista que acha normal fazer sexo com pai, filho, filha, mãe?

Fernandinho Beira Mar afinal é mais um ser humano que tem a liberdade de fazer o que quiser mesmo matar, estuprar, assassinar, etc? Você é igual a ele?

O caso de Rachel Sheherazade: Uma aula para feministas sobre a mentira da cultura do estupro.

Padrão

 

 

paulo ghiraldelli marxista apologia ao estupro Rachel

Feministas adoram fazer terrorismo mental. O feminismo é o ato de difundir o sexismo, ódio, injustiças, guerra entre classes e defender criminosas/os (desde que feministas ou simpatizantes) mas chamando isso de “igualdade paz e amor”. Feministas cometem crimes e defendem quem cometa desde que participante ou simpatizante do movimento feminista.

Mas e a tal falada cultura do estupro? Terrorismo mental para assustar, dividir  e conquistar. Um das grandes armas delas é criar a fantasia da cultura da estupro como se todo homem fosse um estuprador (e umas ainda dizem também defender os homens e querer igualdade rsrs). Para elas, como lunáticas quem sempre foram, qualquer coisa é estupro. Uma cantada, um elogio, um toque malicioso, etc. Tudo virou estupro. Vamos começar a desmascarar esta mentira ao definir o que é realmente estupro.

a) Estupro: Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso.

Ou seja, para ser estupro a estupradora ou estuprador DEVE usar de violência ou grave ameaça e deve fazer algum ato libidinoso sem a vontade da vitima.Uma cantada, um palavreado vulgar, etc, embora exista quem ame e quem deteste por n motivos podem ser outra coisa MAS NADA DISSO é estupro pois inexiste o contato sexual.

b) Estupro é crime faz mais de séculos no Brasil e no Ocidente em geral com penas de 6 (seis) a 10 (dez) anos. Se dele resulta lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 18 (dezoito) ou maior de 14 (catorze) anos a pena resulta em reclusão de 8 (oito) a 12 (doze) anos. Se seguido de morte a pena  resulta em reclusão de 12 (doze) a 30 (trinta) anos. Querem reclamar de algo em uma sociedade que cultua o estupro,  reclamem dos Talebans e outros lugares longe do Ocidente. Ah, mas estes lugares ficam longe dos valores Ocidentais, da cultura e valores Ocidentais que se baseiam no cristianismo. Neste lugares na verdade as feministas fecham os olhos e apoiam muita vezes o relativismo cultural e costumes selvagens destas culturas por serem tido como “minorias”. E obviamente possuem medo de talebans e movimentos semelhantes. Marcha das vadias nestes lugares como Valescas mostrando o bumbum? Jamais rsrsrs.

c) Desnecessário citar como os estupradores são tratados nas cadeias, né?  Se existisse a cultura do estupro realmente eles seriam amados quando na verdade o que acontece é que estupradores são estuprados e mortos.

d) Estupradores homens são minorias. Pesquisem no dicionário: MINORIA. Significa pequeno grupo ou variedade. A pesquisa da IPEA tentou ser modificada por feministas para afirmar que todo homem é um estuprador mas ninguém caiu nestas mentiras.Feministas são burras  e acham que qualquer pessoa que tenha um pênis é um violador em potencial e por isso acreditam nas gurus feministas (em grande parte lésbicas). Devem ter medo dos próprios pais, irmãos, namorados, avôs, etc. Ou que tal: Quantos estupradores você conhece?

e) O pensamento feminista desconhece lógica propositalmente por ser formada por psicopatas que compactuam com crimes para provar suas teorias. Se for feminista ou simpatizante PODE  estuprar ou fazer apologia ao estupro que é inocentada/o. Lola defende estupradores marxistas no seu blog criando teses insanas. O professor marxista e feminista Paulo Ghiraldelli  ameaçou a conservadora Rachel Sheherazade e as feministas FICARAM CALADAS. Michele Elliott, escritora e ex-feminista afirmou que mulheres também estupram e praticam pedofilia e foi ameaçada pelas feministas. 

f) Se alguém foi estuprada por algum pai, irmão, etc, dever procurar ajuda e a lei que citamos acima que pune o estuprador, mas por favor, deixe de passar a sua revolta para quem possui bons exemplos de homens na própria família.

g) A guru feminista Catherine Comins afirma o seu “amor” feminista pelos homens ao  acusar inocentes de estupro. Ela demonstra também o cumulo do privilégio ao FAZER APOLOGIA AO CRIME E COMETER UM CRIME sem ser punida por isso. Sua famosa frase  “…“Homens que são acusados injustamente (repetindo, INJUSTAMENTE) de estupro podem, às vezes, aprender com essa experiência”…” e as consequências penais dela (nenhuma) demonstram o quando o feminismo além de doentio prega a impunidade para criminosas (desde que feministas);

h) Mulheres cometem estupros, violência doméstica e crimes também. Michele Elliott, Erin Pizzey e tantas outra mulheres contra o feminismo mostraram isso e foram censuradas pelas feministas. Como agem as feministas nestes casos aonde a mulher é culpada e pega PENAS MENORES pelos mesmos crimes cometidos por um homem como o estupro?

Feminista no seu mundo lunático: Mulheres são perfeitas, superiores e a o gênero burro e criminoso é o homem. (Nestas horas o gênero masculino aparece e elas voltam a escrevem sem X ou @ rsrsrs).

Feministas quando desconhecem os fatos pela censura do movimento feminista: Ops, Mimimimi isso é uma mentira (feministas ainda mais ignorantes revoltadas tentando censurar os fatos que fizeram o mundo feminista delas cair por terra ).  

Feministas quando sabem: Miimimimi isso é uma minoria e/ou ela não é mulher de verdade (tentando manipular os dados e fugir da responsabilidade).

Feministas quando não conseguem mudar os números, fatos e demais provas: Mimimimi isso é errado. Eu li no blog feminista que todos os homens são maus e mulheres inocentes. A REALIDADE é machista mimimimi.

Feminista tentando argumentar: Mimimimi Mulheres também são seres humanos e podem cometer crimes. Os hormônios femininos e o stress foram culpados dos crimes cometidos por mulheres. (Ops, mas mulheres não são perfeitas, superiores e a o gênero burro é o homem??)

Feministas tentando tirar a responsabilidade fora: A REALIDADE é machista mimimimi, a culpa de tudo é da sociedade, machista, reaça, Amélia, mimimi.

Observem casos de mulheres violentas abaixo. Nenhuma feminista vai querer a cabeça delas mesmo que elas tenham estuprado meninas ou meninos. Feministas não se importam quando a criminosa/o participa ou tem potencial para entrar no movimento feminista.

 

 

 

 

 

A feminista Valesca Popozuda, a cara do novo modelo da educação brasileira?

Padrão

Diapositiva1

Pessoas de todas as classes e ideologias postam no facebook e em redes sociais que uma “educação de qualidade” é algo que vai melhorar a sociedade. Ficam revoltadas/os com absurdos, valores invertidos, caos social, etc. Todos defendem que a educação é a solução para nossos males, mas poucos questionam: qual modelo de educação?

Nestas horas basta observar fatos ASSUSTADORES nos dias de hoje. Caiu na rede a matéria do professor que usou a guru feminista piriguete Valesca Popozuda como modelo de pensadora aos seus estudantes. Sim, a mesma que foi ASSUNTO DE TESE DE MESTRADO FEITO POR OUTRA FEMINISTA. A mesma que é tida como modelo para as adolescentes como podemos ver na imagem acima. A mesma que viaja ao exterior queimando mais ainda a imagem da mulher brasileira, vista cada dia mais como uma prostituta no exterior  e isso com o apoio de feministas como Valesca.

Depois de causar,  a piriguete (feministas detestam falar tal palavra por mimimi) Valesca postou no seu facebook que quem critica o funk é por “preconceito”. Quem critica ela é por “ela ser mulher”. Quem critica o funk é porque “detesta o povo negro da favela”. Etc e etc. A feminista funkeira usou do que feministas usam como sempre: vitimismo, apelar para a guerra de classes, relativizar o bom e o mal  e ironizar pensadores para passar como “oprimida”.

O professor que pegou ela como exemplo fez a mesma coisa. Enfim, piriguete virou exemplo de conduta na sociedade, novela, cinema, livros, etc. Pior, isso entrou na escola. Se isso acontece na escola aonde o exemplo do melhor deveria ser dado, o que esperar da sociedade e futuros adultos ? Estamos andando no caminho do quanto  pior, melhor. As novelas da “conservadora” rede Globo colocam as piriguetes, prostitutas, traficantes, bandidos ou mulheres como Valesca no auge e tidas como “fortes, modernas, poderosas, exemplares”. Depois queremos reclamar da sociedade e valores invertidos como? Pior, na verdade muitas pessoas assistem tudo isso de modo passivo e sem nem saber o motivo disso tudo.

Duvidam_ Olhem o que prega esta feminista quando “canta”:

Sabemos que isto acontece faz tempo e foi planejado. Durante muitos anos o governo marxista e socialista (pais das feministas) vem modificando a cultura, a escola e as universidades procurando atingir  as pessoas desde a mais tenra idade, relacionando inclusive sexo como qualquer assunto como faz Valesca e o professor “moderno” que acha ela exemplar. Na verdade, o governo abriu as portas para este tipo de pessoa e  para o modo de educar relativista moral politicamente correto do socialista Paulo Freire (adorado por feministas e pelo Jean Wyllys) que doutrina ao invés de ensinar. Procurem sobre as cartilhas sobre sexo para menores de idade.

Este objetivo de doutrinar desde cedo e atacar  cultura nasceu durante o regime militar. Militares nunca entenderam a guerra cultural e deixaram escolas e a academia serem comandadas por gente  deste tipo como marxistas  que querem atacar os valores de base da sociedade.  A Ana Paula Campagnolo e muitas outras pessoas denunciam casos absurdos no nosso sistema de educação doutrinar alunos e alunas sem esconder os motivos.

Ah,mas e o MEC? O MEC também nunca foi coisa que prestasse. Ainda no governo do socialista THC (popular FHC),  foi implantado em escolas de todo Brasil, como material didático da cátedra de Historia, o famigerado livro de comédia de Mário Schmidt. Quando se pensou que havíamos chegado ao fundo do poço, eis que um analfabeto foi eleito presidente da república e deu novas diretrizes ao MRC, provando que a coisa poderia ficar cada vez pior.

Nisso tudo, entrou na moda o embuste do tal “preconceito linguístico” (“nois pega os peiche, as mina e os manu”), o que levou Marcos Bagno a fazer fama e fortuna e crianças e adolescentes brasileiros a serem convencidos de que escrever e falar errado é “algo normal e moderno”. As funkeiras e funkeiros adoraram. Além de pregar baixaria, vulgaridade, estimular o turismo sexual e o uso de drogas, os funkeiros e funkeiras começaram usar da guerra de classes para causar e ganhar mais dinheiro. E muitas usam daquela frase tipo “se você não gosta de funk, samba ou axé não é brasileiro/a de verdade”.

Por outro lado, a importância da família na condução da educação dos filhos em contraposição ao Estado  é algo que deveria ser forte. Ao mesmo tempo, o estado marxista brasileiro faz de tudo para destruir o modelo familiar existente como querem seguidores feministas, militantes GLBT como Jean Wyllys e demais marxistas. Jogam a esposa contra o marido e vice-versa, os pais contra os filhos, filhos contra pais, etc. Assim fica mais fácil dividir as pessoas para conquistar, sempre oferecendo o estado como “remédio para tudo”.

Resumindo: fim do tempos. Nissos filhos e filhas viram cobaias de obras da mais pura engenharia social. Ser bandido virou coisa boa, piriguete exemplo de mulher, a novela prega isso, o cinema, os “artistas” pregam modas grotescas, tudo virou arte boa (sem nada poder ser questionado),….O resultado: casos como os de Valesca, Mc Catra e toda uma corja metida a intelectual sambando na mente dos nossos filhos e filhas.

Temos que bater na tecla do ”homeschooling” (ensino escolar feito em casa) pois é a forma mais rápida de começarmos a mudar este quadro e questionarmos os professores que lavam o cérebro de nossos filhos.

 

O terrorismo psicológico sobre estupro: feministas usam a pesquisa do Ipea e manipulam dados mais uma vez.

Padrão

Sophia-Costa-enganada-Ipea

 IPEA pode querer causar por uma pesquista manipulada por feministas. Mas não nos engana não :)

No Brasil e em grande  parte do Ocidente (talvez mundo) estupro é tratado como um crime grave. Penas severas. E o estuprador sofre muito na cadeia. Os brasileiros têm horror de estupradores. Querem vê-los mortos ou presos para sempre. (Até os demais bandidos muitas vezes os condenam.) Qual familiar decente quer que a sua filha ou filho sejam estuprados? Nenhum. Qual pessoa com a mente normal seria a favor do estupro de mulheres ou qualquer outro ser?

Pois bem. Quem pensa assim ainda enxerga os fatos  e a realidade.  Mas as feministas para variar inventam das suas. Elas devem achar que somos burras,  completamente idiotas e que qualquer dado pode nos manipular. Se enganam e sempre postamos  sobre as mentiras feministas aqui para servir de alerta sobre o terrorismo psicológico das teorias feministas sobre estupro, aborto e tudo o mais que feministas adoram usar para fazer vitimismo.

Todo mundo sabe que feministas adoram manipular dados para defender suas teses loucas. Dizem que milhares de mulheres morrem por fazerem aborto clandestino para assim defenderem o aborto  (rsrsrsr mas nunca achamos os milhares de  túmulos das milhares de mulheres mortas rsrsrs).

Acontece mais uma vez. Mais dados manipulados.  O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) recentemente divulgou os resultados de uma pesquisa que mostra que a maioria dos entrevistados (quase 60%) acreditam que usar roupas comportadas pode ajudar a evitar estupros. Pronto. As feministas ficaram felizes para assim provar que “todo homem estupra raivosamente as esposas e filhas e a cultura do estupro existe” e que “todo homem maldito defende o estupro”. As conclusões da pesquisa para o Ipea são de que vivemos em um “sistema social que subordina o feminino ao masculino”, e que “a violência parece exercer um papel fundamental”.

Gabriela Barcelos

É isso mesmo: em uma manobra fantasiosa e  ilógica, o Ipea distorceu a conclusão de que se vestir modestamente pode ser uma medida que ajuda a evitar estupros, e conseguiu colocar a culpa de tudo no “sistema patriarcal do homem branco capitalista machista”. Faltou dizer no final: somos feministas.

Este povo que defende idelogias e a tese da guerra entre classes possui uma mente psicopata e que nega fatos comuns. São “pensadores/as” e formadores/as de opiniões prontas incapazes de notar a realidade e usam de casos extremos para dizer que todo homem estupra, mulher contra o feminismo é  uma idiota mandada ao mesmo tempo que defendem regimes e leis que realmente nos violentam. Lembram do caso da feminista que foi estuprada e defendeu o estuprador?? Procurem nos nossos posts antigos.

Camila IPEA

Feministas e toda esta gente doida defendem sempre os falaciosos argumentos sociais. Tudo virou social e relativismo moral. Trata-se da velha síndrome de inocentar o bandido e culpar a sociedade,  gerar medo e tumlulto para vir algo “pronto e perfeito” para resolver tudo. Algo que o nosso governo e os militantes de esquerda (como as feministas) defendem tão veementemente. O fato real se demonstra mais simples. Estupradores existem desde que o mundo é mundo, e eles continuarão existindo por todo o futuro da humanidade. Eles sabem muito bem o que estão fazendo, sabem que é errado, mas não se importam. E, assim como quase todo criminoso, eles não se importam com seus direitos, eles não se importam se é ilegal ou errado e eles certamente não se importam se estuprar alguém vai destruir sua vida. Eles se importam apenas com o desejo doente em suas mentes, goste você ou não. E devemos lembra que igualmente existem ESTUPRADORAS QUE VIOLENTAM menores de idade de ambos os sexos. Mas como isto fere o feminismo, elas omitem tal fato.

Photo: A Patricia Grah também #NãoMereceSerEnganadaPeloIPEA, valeu Patricia *_*

Estas pessoas com seu discurso abstrato de “desigualdade”, “direitos humanos” ou “função social” culpam a “cultura de estupro”, e não o estuprador - da mesma forma em que culpam “as condições sociais”, e não assaltante, o assassino. Assim, todos os que não fazem parte de sua patota são automaticamente os piores vermes a rastejarem sobre este Vale de Lágrimas até prova em contrário – mesmo quando eles são as vítimas das maiores violências já perpetradas pelo ser humano. Por outro lado, se a/o psicopata for do lado desta turma, a realidade dos fatos desparece  e surge sempre uma desculpa: “era oprimido/a por ser pobre, rico, negro, azul, amarelo, cubano, isso… aquilo”.

Manchetes como “Maioria acredita que mulher tem responsabilidade em casos de estupro, diz Ipea” estão aí apenas para confundir e fazer terrorismo psicológico do estupro.

Thaís IPEA

Feministas como progressistas, por outro lado, só conclamam à responsabilidade individual por conivência – geralmente para culpar seus desafetos, para culpá-los encaixando-os à força na “cultura de estupro” mesmo que sejam odiadores de estupradores e para dizer que eles “protegem seus interesses” – como se o progressista fosse um monge tibetano que fez voto de pobreza, obediência e castidade, não tem desejo nenhum em relação ao mundo, sabe que todas as palavras são uma ilusão, é constituído de pura energia e se alimenta apenas de cores. Sem nenhum preconceito entre o azul e o marrom. Feministas defendem coisas como transar com pai, filho, filha, etc e acusar pessoas de estupro injustamente e todo um conjunto de teorias loucas.

E se ousarmos  ser contra transar com pai, filho, filha, etc e acusar pessoas de estupro injustamente? Mandadas, burras.

Lamentamos dizer que as feministas se enganam. Muitas outras mulheres são contra o fanatismo psicopata do movimenteo feminista e não irão cair nestas mentiras e nem nesta mentira da IPEA, puro terrorismo psicológico feminista.

Leiam mais no nosso facebook e aqui embaixo:

https://www.facebook.com/pages/Eu-n%C3%A3o-mere%C3%A7o-ser-enganada-pelo-IPEA/555532114561708

Excelente texto da Bruna aqui 

 

 

Feministas pregam o aborto como meio para exterminar pessoas negras e outras mais.

Padrão

Margaret Sanger, guru feminista defensora do aborto palestrando para a Ku Klux Klan. Ela pregava o aborto como forma de acabar com pessoas negras e pessoas que o movimento feminista achava “inferior”. Feminazi total.  E assim cai mais uma vez por terra a propaganda feminista paz e amor rsrsrsrs.

Muita desinformada diz que o feminismo antigo “era legal e bonzinho” enquanto o feminismo atual é mais radical. Nada mais longe da verdade. Ambos foram e são completamente danosos. O feminismo antigo possui bases no socialismo como o atual e ambos defendem idéias absurdas desde sempre. Querem mais um exemplo?

Olhem mais uma feminista psicopata. Margaret Sanger foi uma feminista socialista ativista do direito do aborto legal e controle de natalidade. Reparem que ela poderia ter o perfil de qualquer outra feminista moderna hoje e que luta por um “mundo melhor socialista feminista”.

Suas verdadeiras intenções iam além do mero controle populacional maquiado como modernos pela propaganda abortista que ela fazia com outras feministas. Os fatos verdadeiros eram: “não queremos que se espalhe que na verdade o nosso objetivo é exterminar a população negra,” ela confidenciou a um amigo.

Vejam mais:

“[os habitantes dos bairros pobres] que, devido a sua natureza animal, reproduzem-se como coelhos e logo poderiam ultrapassar os limites de seus bairros ou de seus territórios, e contaminar então os melhores elementos da sociedade com doenças e genes inferiores” (Margaret Sanger, The Pivot of Civilization, pág.80 & 179.

“Mais nascimentos entre as pessoas aptas e menos entre as não aptas, esse é o principal objetivo do controle da natalidade” (Birth Control Review, 1919).

Ela queria que o aborto fosse legalizado rapidamente nos EUA, para que assim pudessem prevenir o nascimento de negros, deficientes físicos e de crianças pobres de imigrantes recém-chegados. Ela acabou deixando suas intenções claras em muitos discursos públicos (e em palestras que ela dava para o Ku Klux Klan , como vemos na imagem). Feminazi total.

Na próxima vez que ver uma feminista defendendo o aborto principalmente para mulheres “pobres” e “negras”. Você já têm uma ideia da onde nasceu esse discurso dentro do movimento feminista.

Vejam mais sobre ela neste vídeo:

Sou mulher, brasileira e não sou uma prostituta como feministas querem vender.

Padrão

mulher brasileira nao é prostituta anti feminismo

Mais uma leitora explica os motivos de ser contra o feminismo e lutar contra o que este movimento representa na realidade ao invés da propaganda e fantasia. Enviem os seus depoimentos.

“Sou mulher, brasileira e não sou uma prostituta como feministas querem vender. Nunca fui e nunca serei vadia, piriguete ou qualquer outro termo tido como moderno. E nunca irei fazer sexo com o meu pai ou filho como elas pregam também. Dançar funk, carnaval? Jamais.

Venho observando faz tempo como feministas adoram defender prostitutas, mulheres vulgares, golpistas, funkeiras e ao mesmo tempo falam de respeito, sociedade melhor e igualdade. Falam o A, fazem o B. Eu quero é fugir de uma sociedade feminista. Por isso me desliguei deste movimento. Felizmente acordei. Desde a época de Simone de Beauvoir que ser vulgar e ser uma reserva de esperma é algo moderno para as feministas. Simone foi uma reserva de esperma de Sartre porque quis e morreu triste e amargurada. Ela como marxista que foi quis abraçar a fantasia marxista do feminismo ao invés de fatos. E felizmente se foi. Hoje temos a Lola e a Valesca que infelizmente continuam com esta praga chamada feminismo, o defensor oficial de piriguetes e prostitutas que atingem a toda mulher brasileira.

Feministas podem pensar que mulheres que discordam delas são burras mas se enganam. Pensamos e sabemos diferenciar os fatos da propaganda. Eu li muito sobre feminismo. Por ter participado deste movimento sei as estratégias dele. Eu também fui censurada por feministas pois sempre me oponho a este movimento mentiroso e ditatorial. Mas não me calarei jamais. Chega de atingir meninas mais jovens com lavagem cerebral, chega.

Voltemos as piriguetes e feministas… Aqui em Salvador aonde moro e trabalho hoje em época de carnaval o que mais vejo é piriguete enrolada na bandeira do Brasil que vem aqui e ataca os gringos como se nunca tivessem visto homem na vida. Aqui em Salvador é cheio de estrangeiros e piriguetes querem pegar por serem exemplos de mulher de verdade. Elas infestam até aonde moramos, trabalhamos ou queremos relaxar. Querem dar, distribuir. Nos transformamos na capital nacional do turismo sexual junto com o Rio de Janeiro. Para estrangeiros, o carnaval nada brasileiro que importamos da Europa, não passa nada mais de uma ótima forma de se obter sexo fácil sem problemas.

Na verdade, a única imagem que o gringo forma sobre nossa nação é de um país imoral, que expõe mulheres que querem se expor como pedaços de carne e acham isso moderno, semi-nuas ou completamente nuas sem o mínimo pudor, na TV, nos Jornais, em todos os lugares, inclusive na frente das crianças. Eles longe de serem santos usam o que vendemos maquiado com relativismo moral. Um alimenta o outro. Alimentamos o que nos perturba e o que nos ofende.

A maioria destas piriguetes usa e abusa do apoio dado a elas por parte das feministas que relativizam a responsabilidade e pregam o relativismo moral. A piriguete é moderna e decidida que escolhe o que faz mas depois a culpa é sempre do homem ou de um fantasioso machismo pois hoje tudo virou machismo. Feministas, livres,fortes e modernas mas um segundo depois oprimidas pelo capitalismo machismo ou qualquer outra desculpa. Quem entende? Deve ser doença mesmo.

Aqui no Nordeste sei de meninas que foram mães aos 14 anos, 15 anos. Sei que feministas apoiam que estas garotas façam sexo pois o “corpo é delas e nem pai ou mãe podem se meter”. Se o pai falar algo vai ser taxado de machista. Se elas engravidam podem abortar, né? E nem vou falar em pedofilia afinal 15 anos…
Feministas adoram empurrar a responsabilidade para as outras pessoas. A culpa é da noite, do buraco na rua, do chuveiro. Infelizmente eu e muitas outras mulheres pagamos por este comportamento doentio. Também infelizmente a mulher brasileira aceita esta degradação e aquelas que deveriam reagir contra o movimento feminista e a sua agenda que apoia prostitutas fecham os olhos para tal. Nos omitimos e consentimos com a fama que nos atinge. Já vi até muitas alegando que é liberdade transar com 2,3,4. Tudo é liberdade agora, tudo. E depois reclamam que os homens nos tratam como objetos sexuais? Neste período de carnaval são divulgadas fotos vulgares no mundo inteiro intituladas: “Carnaval e a beleza da mulher brasileira”. E somos taxadas de prostitutas.
De quem é a culpa? Como disse o jornalista Paulo Eduardo Martins, a culpa é nossa, do povo. Neste caso a culpa também é nossa, mulheres que defendem a agenda feminista ou se omitem. Eu deixei de me omitir e vou lutar como puder contra este movimento.”

Carnaval-Copa do mundo: Mulher brasileira é prostituta, Brasil é terra de bundas e as camisas da Adidas.

Padrão

Como muitos já sabem, a Adidas resolveu fazer camisas “homenageando” a  nossa cultura. Claro, com bundas. Vejam a imagem abaixo:

Ou seja, o estrangeiro enxerga o Brasil assim e o Brasil se VENDE assim pois  ser brasileiro ou brasileira é “adorar carnaval, futebol, samba e praia”. Observem:

Nossas escolas que deveriam educar relativizam o certo e errado e afirmam que isso é ” nossa cultura”. Vejam abaixo:

Este post passa longe de querer comandar a vida sexual alheia. Ele tem como objetivo questionar esta hipersexualidade pregada por feministas que querem se comportar como o cafa que elas dizem odiar amparadas na muleta da liberdade (como se vivessem no Oriente Médio rsrsrs), na total falta de responsabilidade aliadas a lógica  e principalmente o resto nada prazeroso disso tudo: a fama do Brasil de terra do turismo sexual e a fama de prostituta da mulher brasileira mundo afora que atinge qualquer mulher brasileira.

E sobre as camisetas?? O governo brasileiro fingiu um ataque de histeria com tal fato das camisetas. A patrulha politicamente correta saiu da toca, deixou o ufanismo tomar conta das emoções, e bradou: “Isso não. Somos “o império brasileiro agora na moda com a Copa aqui no nosso quintal”. Mas o fato é: A bunda feminina brasileira é um dos grandes atrativos nacionais no mercado de turismo internacional. Mulher brasileira no exterior é vista prostituta, vulgar, fácil. Todos sabem disso basta uma rápida procura na internet. E não é obra que se constrói em pouco tempo não…Enquanto alguém viaja para o exterior para ver a natureza, fazer compras, provar novos pratos, etc, o turista estrangeiro na sua maioria sabe que o Brasil é terra de bundas, sexo com um certa facilidade, futebol, carnaval, praias, turismo sexual e mais bundas.

Mas devemos ir procurar a fonte do problema….sem cair na coletivismo ufanista.

O Carnaval vem aí. A nosso cultura e nossos valores são relativizado e estereotipados ao extremo. Mais algumas toneladas de bundas de fora, rebolando, para todos apreciarem, a começar pela Globeleza (daquela Globo “conservadora”demais, né?). Os cartões postais são conhecidos: aquele bundão da mulata com o Pão de Açúcar ao fundo. Liga a TV: bundas rebolando, em tudo que é programa, desde Chacrinha, até Faustão, Caldeirão do Hulk, Pânico, etc. Baile funk: bundas, e mais bundas, descendo até o chão ao som de tá-tá-tá-tum-tum. Funkeiras louvado o seu feminismo e dizendo que surram com a bunda, adoram dar e distribuir. Há bunda pra todo lado. Somos o país das bundas. E tal imagem reflete algo ainda mais forte visto aos olhos de uma pessoa estranha a nossa cultura: o Brasil é uma terra de mulheres no cio e de extrema facilidade no assunto sexo. E tudo isso com o APOIO das feministas “meu corpo, minhas regras, fortes e modernas”. Vejamos:

Se alguém dizer que detesta carnaval (que nem uma festa brasileira é), ufanistas defensores de samba, axé e funk irão dizer que quem não gosta destes estilos musicais não é brasileiro de verdade. Hermes e Renato fazem piada com este assunto (veja abaixo) e lembram muito a feminista que postou aqui dizendo que brasileiro de verdade detesta rock por este ser capitalista opressor machista reaça (vejam o post aqui). Pois é, feminismo é doença mesmo….

O BBB deputado feminista Jean Wyllys e outros socialistas acham legal dar curso curso de inglês para prostitutas para melhor servirem durante a Copa do Mundo. Enquanto isso para taxistas, donos de restaurantes, pessoas que lidam com turistas, etc ….nada. Coisa de governo socialista que vive fora da realidade e pensa que ser mulher brasileira forte e moderna é ser piriguete, prostituta.

Outras feministas como a Tatiana Lionço querem que as crianças entrem na brincadeira e tenham direitos “sexuais”. Postamos sobre isso no passado. Procurem no blog.

E o que falar da prostituta-piriguete que pegou o turista sexual cantor teen Justin Bieber e postou na internet mundo afora? Feministas amam defender este tipo de garota e relativizam elas colocando-as no mesmo patamar de uam dona de casa, nutricionista, professora, etc. O piriguetismo é total filosofia feminista total “corpo dela, regras dela, faço o que quero, mulher forte e moderna”. Tal “jenia que pegou o Justin” quer copiar o comportamento do tipo de homem que deveríamos evitar. Nosso post sobre o tema pode ser lido aqui.

Em épocas de carnaval podemos ver em aeroportos e outros lugares cheios de turistas propagandas como: “Nesse carnaval o Brasil estará distribuindo X milhões de camisinhas gratuitamente. Com AIDS não se brinca.” E este é o mesmo tipo de propaganda que vai ser feito durante as Olimpíadas pois como disse a nossa presidente “Vamos trazer uma escola de samba e arrasar na abertura”. Ou seja, mais bundas. Nessas horas ninguém fala nada.

No Brasil, fora escola aonde alunas dançam funk,  feministas fazem tese de mestrado defendendo a funkeira Valesca que canta “traz a bebida que pisca, parei de dar e vou distribuir, hoje virei put@, etc.” Vejam:

Se alguém residiu ou reside no exterior sabe o que é o Brazilian day. Nele podemos ver brasileiras que adoram mostrar a bunda e toda a festa é feita em homenagem ao axé, samba, carnaval e mais bundas. Ser brasileira é sempre algo a ver com bunda e o pior, isso trazido por parte de mulheres também.

Se alguém for em algum salão de beleza feminino no exterior ou no Brasil vai saber que o que mais acontece é ter mulher brasileira alimentando o turismo sexual de um modo bem feminista. “Faço o que quero com o meu corpo e peguei muitos gringos ontem na balada, etc”, “Adoro ter marido GRINGO ou somente quero me casar com GRINGO, etc”. Mulher brasileira que vai viajar no exterior adora pegar-dar-distribuir para estrangeiros para contar para as amigas depois. Uma parte da mulher brasileira “feminista, forte e moderna” hoje faz turismo sexual. Do outro lado temos o turista sexual que tem na mente aquela fantasia da brasileira fácil, do carnaval, das bundas e nestas horas um alimenta o outro.

Ah, mas a culpa é do machismo? Sério.  Tentem  em um salão de beleza feminino falar de mulher para mulher e condenar estas mulheres acima como piriguetes, falsas conservadores e prostitutas que jogam a nossa imagem no lixo e que são vistas como modelos de comportamento em TVs, desfiles, na sociedade . Condenem as funkeiras nos bailes funks. Questionem o carnaval. Tentem dizer para todas elas mostrarem mais sobre o lado bom do Brasil ao invés de estereótipos para estrangeiro ver. Se você for homem como pai, marido, namorado, irmão tente  falar com uma destas criaturas para maneirar na sua “brasilidade” bundalizada. Elas irão taxar vocês de machistas rsrsrsrs. Entenderam? Nós também não.

Em resumo, possuímos os turistas sexuais de verdade, possuímos a falsa brasilidade de que temos que amar samba, axé, funk, carnaval pois para ufanistas isto é ser brasileiro ou brasileira ( o povo alegre que todos gostam mas ninguém respeita) e por outro lado temos todo um aparato construido por relativistas morais e feministas que abusam da falta de responsabilidade, invertem valores, usam de coletivismo barato, propaganda feminista e vitimismo aliados a impunidade.

Sem hipocrisia. Um país que faz de tudo para colocar a bunda das mulheres no topo da hierarquia dos valores nacionais com apoio de feministas que vandalizam a nossa cultura e nossos valores sociais e familiares, um lugar que prega a falsa brasilidade do samba, carnaval,  agora querer ser moralista e fingir não saber a causa do problema? Vamos acordar, meninas e ver que o problema parte de uma parte do povo brasileiro e da parcela tanto masculina como feminina. E as feministas apoiam isso com relativismo moral e falta de responsabilidade pelos próprios atos.

O feminismo de Gabi Garcia, lutadora de jiujitsu e o “apoio” as mulheres pela revista Gracie Mag. Apoio?

Padrão

Diapositiva1Conversando com uma amiga feminista esta semana ela me falou de um exemplo de mulher “forte, moderna” que “faz tudo o que um homem faz” e era “oprimida pelo sistema capitalista ” (tradicional propaganda feminista para desavisadas). A tal exemplo de mulher era a lutadora de jiu jitsu Gabriela Garcia (foto acima) que faz um discurso feminista tradicional (preconceito,  sou oprimida pelo sistema, etc e etc) e que se apoia na guerra entre classes, igualdade total, utopia para defender idéias com fundo feminista-marxista. Fui pesquisar sobre ela, sobre o que ela faz , sua “luta” pelas mulheres e como quer nos representar .

Resumindo: a moça quando era criança era maior que outras meninas e gordinha. Sofria  pois outras crianças de ambos os sexos provocavam ela. Ela cresceu com raiva e revolta por isso e achou na arte marcial um modo de soltar a sua ira. Até aqui tudo bem. O problema é ela se dizer “oprimida pela sociedade” e que hoje que quer ser um exemplo para as mulheres e repete todo aquela propaganda feminista tradicional novamente.

Comprei uma revista na banca que falava sobre ela e fui pesquisar. O que sabemos sobre a “coitada e oprimida” da Gabriela Garcia? A arte marcial que ela treina foi criada por homens e ela treina com outras mulheres em uma equipe formada por homens e aonde o seu professor é um homem. Se fosse oprimida realmente estaria trabalhado na roça sem receber nada, seria escrava de levar chicotadas ao invés de treinar e sendo aceita por homens. Enfim, nestes dias de hoje tudo virou opressão…

Podemos adicionar que depois da nossa pesquisa notamos que enquanto as outras meninas possuem características corporais bem femininas, Gabriela Garcia é fisicamente maior que as outras. Mas tudo bem, isso é genética. O ponto é o vitimismo feminista dela.

O mais engraçado é ver esta menina que mente nos representar no mundo da luta  como fazem as feministas depois vir falar de preconceito e fazer discurso feminista em uma revista  vulgar e de “esportes” como a tal revista Gracie Mag que possui fotos de mulheres nuas como estas abaixo na parte chamada Gracie Girl. Coerência? Pra que, né? Vejam as fotos:

DSC_0027

DSC_0026

Ou seja, uma lutadora feminista mentindo nos representar e “lutar por nós “usa da propaganda de uma revista cujo assunto é artes marciais mas que explora mulheres nuas. Coerência manda lembranças para a lutadora e para esta revista sem base. A revista toda alternativa moderna politicamente correta ao mesmo tempo quer agradar tanto que cheira a hipocrisia. Traz uma lutadora simpatizante do feminismo que desconhece as bizarrices  feministas (incesto, falsas acusações de estupro, pedofilia, fim do modelo familiar tradicional, ameaças de morte a homens e mulheres que discordam do feminismo) e ao mesmo traz mulheres nuas de pernas abertas rsrsrs. Que legal, né?

Gabriela Garcia desconhece que o feminismo se apoia no jogo marxista de “somos todas iguais” para defender teorias que ela repete como um papagaio idiota (mas  ela usa do seu peso e tamanho maior para vencer as iguais oponentes menores). Gabriela Garcia usa da falaciosa mentira da dívida histórica para querer vingança contra os “opressores” homens ( que treinam com ela e ensinam ela). Ela usa do mesmo argumento marxista de guerra entre classes para dizer lutar contra “o sistema opressor” masculino.

Resumindo: Gabriela Garcia é uma idiota útil (leiam mais aqui e aqui). Desconhece que feministas nascem do marxismo e comunismo (vejam mais aqui) apoiam a pedofilia, o falso testemunho perante a lei (aqui), o incesto (veja aqui), o relativismo moral, o fim do modelo familiar tradicional (aqui)  e tantos outros absurdos. E pelo que andamos pesquisando esta tal lutadora vive viajando para os EUA rsrsrs.

Pesquisando mais um pouco descobrimos que ela reclama por ter pouco reconhecimento. Depois de olhar uma outra revista, achamos que lutadores menores homens ganham MENOS que lutadores maiores homens. Ou seja, as pessoas querem ver lutar homens de maior porte e assim quem organiza os eventos paga mais para os lutadores maiores devido ao maior interesses dos espectadores (lei de mercado). Porém, para uma feminista ou marxista isto é “injusto” pois todos devem “ganhar a mesma coisa” (puro marxismo). E assim começa o vitimismo socialista e a luta pela “igualdade”.

A tal lutadora que hoje se orgulha de “ser forte e se aceitar como é ” (conversa feminista) na verdade emagreceu e possui  massa muscular. Se caso se aceitasse de verdade como prega teria se mantido gordinha pois afinal isto é o que o feminismo prega, que sejamos gordas (Vejam o nosso post antigo aqui sobre o assunto).

Realidade x fantasisa: Feminismo, GLBTs e simpatizantes que mentem sobre o monopólio das virtudes e fins nobres.

Padrão

realidade x fantasia 2

Uma pessoa racional que vive na realidade sabe que existem pessoas de excelente caráter com mentalidade conservadora. Também aqui nunca negamos que existem conservadoras mau caráter. Mas se formos pensar  e generalizar sem totalizar, os conservadores e simpatizantes em geral defendem valores íntegros e se apegam a realidade dos fatos. Assim poderíamos dizer que tal grupo e seus simpatizantes (que no Brasil se demonstram cada vez mais escassos devido ao patrulhamento, censura e a falta de estudo neste tema em escolas e universidades) defendem virtudes e fins nobres baseados na realidade. Podemos ver amigos e familiares indignados com problemas atuais do Brasil que exigem atitudes mais racionais e conservadoras. Mas como os conservadores são ignorados pelas escolas e universidades ou censurados pela turma feminista simpatizante paz e amor, a nossa casa caminha a cada dia mais para o buraco.

Aqui surge uma coisa que hoje iremos colocar em palavras. A diferença entre REALIDADE X FANTASIA E UTOPIA entre pessoas contra o feminismo e pessoas defensoras do feminismo.

Grupos que odeiam mortalmente pessoas conservadoras como as feministas, militantes GLBT, extremistas defensores da natureza, militantes racistas, etc se apegam a uma utopia completamente fora da realidade aonde uma pé de alface é melhor que um filho, aonde a pessoa nasce do sexo masculino pode querer ser um pé de laranja, aonde a vagina é somente uma ilusão para nossos olhos e pode ser trocada por um órgão sexual masculino comprado no Ebay, aonde uma pessoa de 1,55 é igual a uma pessoa de 1,96 e ambos podem jogar basquete perfeitamente, aonde em um jogo todos podem vencer, etc e etc. Se utilizam de um relativismo moral e cultural nojento para afirmar absurdos, ao mesmo tempo que pregam tal relativismo.

Outra coisa interessante que grupos como as feminista fazem é justamente o monopólio das virtudes, dos fins nobres. Somente elas mentem lutar pelo bem (um bem relativista  e mentiroso na mentalidade doentia delas). As feministas e simpatizantes mentem que a sua causa é nobre e demonizam quem as condena e ou quem condena os métodos por elas utilizados. Elas acham o aborto legal e esta vira um método para evitar a gravidez aliado a desculpa da liberdade usada como muleta na falta de argumentos e responsabilidade. Elas pregam a agressividade gratuita baseadas em mentiras marxistas como guerra de classes e uma mentirosa divida histórica (que nos deixaria ligadas ao passado eternamente além de punir inocentes que hoje tem pouco a ver com o passado). Resumindo, elas podem quebrar, ofender, xingar, ameaçar de morte, estupro e tudo o mais pois “lutam pelo bem de um mundo melhor”. Basta uma pessoa dizer ser contra o que elas dizem lutar (absurda diferença entre realidade x fantasia) e os métodos feministas que a censura e patrulhamento feminista coletivista irão fazer parte da vida desta pessoa que terá a sua reputação atacada.

Imbuídas de sua suposta superioridade moral, de seu chamado “divino” mascarado de “científico” para um mundo melhor, essa/e militante da causa “justa e nobre” está disposto a sacrificar pessoas de carne e osso, fetos, valores na luta por sua conquista abstrata, seja a “Liberdade, seja a Justiça, seja a Igualdade”.

Ataques em grupos violentos com alvos bem definidos serão regra. “Não se fazem omeletes sem quebrar ovos” ou “os fins justificam os meios” são as máximas adotadas por todo aquele que se julga detentor de uma missão tão benigna que permite a adoção de métodos dos mais nefastos e cometer atrocidades para aliar a fantasia e a fuga da realidade a uma suposta divida histórica mentirosa. Feministas podem nestas horas pregar o fim da família, a morte de homens, de crianças, da sociedade, mutilação genital, de fazerem sexo na rua como animais no cio, etc tudo justificado como causa “justa e nobre”. Outros grupos usam de propaganda similar. Invasores de terras são vistos como justiceiros, sindicatos que impõe greves e impedem os demais de trabalhar são vistos como “combatentes da boa luta”, e black blocs, até ontem, eram vistos como “manifestantes” ou “ativistas” reivindicando melhores “serviços públicos”.

Estes sociopatas sempre partiram da premissa de que suas metas são tão louváveis que permitem quaisquer meios. De negar a realidade, ao relativismo moral, a morte, a censura, do patrulhamento, da censura,  ao terrorismo.

Muitos homens que apoiam o movimento feminista também caem nessa conversa de utopia x realidade.

realidade x fantasia

Afinal, que mundo melhor é essas que elas dizem lutar, que condenam o homem por ser homem, que pregam uma igualdade utópica e comunista,  que pregam a mutilação genital alheia, que pregam a morte de inocentes e a falta de responsabilidade? Elas acreditam mesmo no que dizem ou fazem isso sem saber o porque?