Arquivo do autor:Mulheres contra o feminismo

Respondendo a jornalista feminista esquerdista esquizofrênica que ataca o seriado Chaves

Padrão

feminista falae sobre a serie chaves

Uma pessoa normal assiste a série de televisão mexicana Chaves, acha engraçado e fica emocionada. Além do mais é somente mais um programa de TV com drama e humor. Como o feminismo é um movimento esquerdista e a tal dita mente esquerdista ” revolucionaria” é esquizofrenia e sociopatia misturadas podemos meditar sobre o texto da jornalista feminazi da Folha Sylvia Colombo.

Vamos comentar o texto dela em negrito

Jornalista feminista: A exaltação do personagem conhecido aqui como Chaves é mais do que um sinal da imensa ignorância dos brasileiros com a cultura dos países latino-americanos. Reforça que, quando se trata do mundo regional, os gestos que se podem esperar do lado de cá são esses: a ridicularização, o tratamento como algo exótico e fútil, obviamente inferior. Para um produto cultural latino-americano ser consumido com êxito no Brasil, precisa ser assim: folclórico, tonto, mostrando que o outro é atrasado.

MCF: Mas hein? A maioria das pessoas ama o seriado Chaves por ter humor, drama, empatia, valores, etc. Ninguém se importa se o programa é da América Latina ou não.  O programa é simples, diverte e passa uma mensagem boa. Vai rebolar no batidão, ok?

Comecemos pelo nome do personagem. Ele nunca se chamou Chaves. Para entender a expressão “el chavo del ocho” (o rapaz do oito), porém, é necessária alguma intimidade com o idioma espanhol e sua coloquialidade. Muito complicado, certo? Fácil, chamamos de Chaves mesmo, sem nos importarmos de que fica completamente estranho tratar um garoto comum pelo sobrenome, dando-lhe um formalidade inexistente na série original basta ver que os outros personagens são chamados só pelos apelidos.

MCF: Jornalista feminazi as pessoas em muitos lugares dublam os filmes que mudam de nome para se adequar aos espectadores do local. Normal. Isso acontece na França, Espanha, Itália,  Brasil, etc. Isso também acontece com alguns personagens que mudam de nome não somente aqui no Brasil como no resto do mundo. Mimimi idiota de feminista como sempre.

Das centenas de pessoas que vi comentaram o assunto nas redes sociais, várias evocaram uma afetividade infantil ao lamentar a morte do ator que encarnava o protagonista. Até aí tudo bem. Quando somos crianças e adolescentes gostamos de coisas estúpidas, dizemos coisas estúpidas. Muito mais grave é chegar à fase adulta e mandar a observação, cheia de sabedoria, de que um programa tão raso como esse trazia uma espécie de “alta filosofia” embutida. “Chaves” não é “cult”, é ruim mesmo.

MCF: Que amargura e revolta. Chaves passa uma mensagem bacana com drama e humor. Isto é o que prende na série. Mas enfim, bom mesmo deve ser a arte feminista de se chamar de vadia, piranha, puta e dançar funk até o chão com um crucifixo no orifício anal, né?

Os roteiros eram estúpidos, os textos, fraquíssimos, as piadas, preconceituosas e machistas basta ver como são retratadas as mulheres no programa. Temos a menina histérica de vestido curto, a mulher mandona cheia de bobs no cabelo, ou uma mais velha, que sem rodeios é chamada de “bruxa”. Sem contar o modelo masculino (seu Madruga), um sujeito folgadão, desbocado e autoritário, a homofobia implícita de seu discurso e suas atitudes.

MCF: Vocês feministas  deveriam ser internadas.  O seriado não pode ser sexista como você diz (e intencionalmente tenta confundir os leitores/as com machismo) pois vocês enxergam sexismo e homofobia em tudo. Dona Florinda é sempre tratada bem por parte dos homens e todos os personagens como em um um programa de TV tem altos e baixos. Seu Madruga “opressor” sempre apanha da Dona Florinda e outras coisas mais. Sexista? Aonde??

Mas o pior é passar essa ideia de uma pobreza estereotipada latino-americana. A equação da série é essa: Chaves é um moleque de rua, mas é muito espirituoso. É pobre, dorme num barril, mas é um cara feliz. É ignorante, mas emite frases cheias de sabedoria, como “foi sem querer, querendo” (oi?). Ou seja, o programa reforça todos os chavões que ajudam a perpetuar uma sociedade desigual, onde é chique veranear em balneários como Acapulco e perfeitamente natural que exista uma distinção óbvia entre “gente de bem” e “gentalha”.

MCF. Nada mais feminista e esquerdista que isso. Enxergar guerra entre classes em tudo. Pobreza estereotipada latino-americana? Mas que diabos. Na visão esquerdista de vocês  aqui no Brasil se a pessoa é rica ela é culpada por ser rica. Se ela não pode ser rica e é classe média ela é culpada. Se for pobre ela tem que ser igual as outras (todas pobres). Que bom, né? E se ela for feliz (digo feliz e não um idiota bobo alegre) ela é culpada também. São vocês esquerdistas que apoiam um nacionalismo socialista aonde tem que gostar de samba, funk,  amar a favela, amar axé, carnaval, futebol, detestar outros idiomas e tudo o mais para ser “brasileiro de verdade”.

Para os que veem em Chaves um retrato romântico da pobreza latino-americana, pergunto ainda se têm ideia daquilo que o criou e que tanto lucrou com o sucesso do personagem: o grande império midiático chamado Televisa, maior conglomerado da língua hispânica, acusado de financiar campanhas eleitorais e de ter um forte lobby no Congresso.

MCF: Feminazi aprende uma coisa: Nenhuma empresa vive de ar e não existe almoço grátis. Para uma empresa sobreviver e pagar quem trabalha nela (sim, os trabalhadores) tem que ter lucro. Simples assim. Isso não é desonestidade, ok? Se a empresa tem algum problema com a justiça que ela seja investigada, julgada e se for o caso punida.

Feminista defende que mulheres não deveriam ser presas por cometerem crimes

Padrão

Patricia O’Brien, uma professora feminista na Universidade do Colégio de Jane Addam de Illinois de Trabalho Social, afirma que a maioria das mulheres na prisão são sem educação, desempregadas, e abusadas, de acordo com seu artigo de opinião no The Washington Post.

MCF: que vitimismo, hein? Mas antes não éramos fortes, poderosas?

Ela argumenta que as mulheres são mais propensas do que os homens para ter filhos , que contam com seu apoio“, e que a prisão faz mais mal ao indivíduo do que bem para a sociedade.

MCF:  Mas ter filho não era coisa de Amélia mandada e escrava do marido?  Não era melhor abortar e viajar o mundo liberando a vagina para todo o mundo ou virar lésbica?

Reconhecendo potenciais críticas, O’Brien relembra a importância de tomar tais medidas, com uma perspectiva feminista.

“O caso para fechar prisões femininas é construído sobre as experiências de ex- mulheres presas e ativistas que reconhecem que as mulheres que são mães e construtores da comunidade podem encontrar o seu caminho para a frente, quando respeitadas e apoiadas”, escreve O’Brien. “É possível imaginar um futuro sem prisões femininas; se é viável vai exigir uma mudança maior no pensamento.

MCF: Nenhuma surpresa aqui. Feministas sempre:

a) fogem da realidade; b) nos tratam como crianças e acham que não sabemos assumir responsabilidades; c) de mulheres “fortes e poderosas” que transam com filhos e enviam sei lá o que na vagina conseguem mudar para um vitimismo e coitadismo marxista absurdos; d) a criminosa não é a culpada. Culpada é a sociedade rsrsrs. Irmã do Jean Wyllys esta sociopata. Isso porque feminismo diz pregar querer direitos “iguais”, hein? Imaginem se fossem privilégios rsrsrs.

Aqui está uma boa idéia: se mulheres não querem ir para a prisão, elas devem tentar não cometer crimes, e então isto não será um problema. O caso desta intelectual feminazi lembra muito quando as feministas ficam furiosas quando um homem comete um crime e é punido mas elas ainda acham pouco e ficam caladas quando uma mulher abusa de menores, mata, estupra, rouba, etc. O feminismo por ser um movimento marxista, assassino e criminoso sempre compactua com crimes quando convém pois este é o “mundo melhor delas”.

A pior parte de tudo é a vida destruída de crianças, idosos ou homens e mulheres vitimas de crimes cometidos por mulheres que podem continuar a cometer mais e mais crimes certas da impunidade e apoiadas pelo movimento de feministas como esta “intelectual” psicopata.

A igualdade feminista é uma piada. Sempre foi e sempre vai ser.

Texo da feminazi em inglês aqui

Crimes cometidos por mulheres na lista abaixo (quem souber de mais alguns pode enviar que iremos publicar). Segundo esta feminista tais mulheres não devem ir para a cadeia pois “não sabem o que fazem”.

Mãe mata recém nascidA por sufocamento.

http://www.dailymail.co.uk/news/article-2834869/Teen-gave-birth-bathroom-smothered-baby-stop-crying-didn-t-want-mom-know.html

Feministas atacam o modo de se vestir do cientista Matt Taylor

Padrão

View image on Twitter

O cientista Matt Taylor, foi um dos criadores da sonda que aterrou num cometa. O que seria uma noticia espetacular para a humanidade para as feministas não é nada importante. Sim, para as marxistas de saias que enfiam crucifixos no ânus, costuram vaginas, que defendem sexo entre pais e filhos, se omitem no caso de mulheres criminosas e querem fazer xixi em pé “porque os homens fazem” cantando “meu corpo, minhas regras” e funks como sinônimos da cultura brasileira isso não é nada importante.

Elas preferiram atacar o pobre cientista  que deve ter mais neurônios que todas pessoas do movimento feministas juntas somente por ele vestir uma camiseta com imagens de mulheres que elas acharam “mimimi sexista do capeta do homem branco cristão opressor hétero”.

Detalhe que a camiseta que ele vestiu foi  UM PRESENTE E FEITA POR UMA AMIGA DELE (SIM, MULHER) chamada Elly Prizeman que deixou esta mensagem no Twitter.

https://twitter.com/ellypriZeMaN/status/532927131098300416

No facebook do Women Against Femism (mulheres contra o feminismo em inglês) muitas outras mulheres contra o feminismo saíram em defesa do cientista. Recomendamos este grupo no facebook.

Feminismo é doença marxista do mais alto perigo. Sempre foi e sempre vai ser.

Diapositiva1

 

 

Cultura do estupro não existe e é terrorismo psicológico feminista.

Padrão

Feministas acham que um pessoa pode estuprar a outra por pensamento. Ou que um elogio, cantadas, comentários, etc são tudo formas de “estupro”. E culpam a “cultura do estupro” do homem “branco cristão opressor capitalista hetero mimimi. Pode isso? Vamos ver o que é a realidade.

Estupro é a prática não consensual do sexo, imposto por meio de violência ou grave ameaça de qualquer natureza por ambos os sexos. O estupro consiste em uma penetração da vagina ou do ânus (ou, no sentido mais amplo, também da boca) de uma ou mais vítimas por um ou mais indivíduos. As vítimas podem ser homens ou mulheres. Detalhe que as feministas sempre fecham os olhos ao verem homens estuprados por mulheres ou gays e não fazem nadam para combater o estupro de mulheres ou crianças contra mulher (assistam este vídeo sobre o tema)

O crime de assédio sexual consiste no fato de o/a agente “constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente de sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função” (CP, art. 216-A, caput).

O assédio sexual é crime próprio, assim, o sujeito ativo somente pode ser a pessoa (homem ou mulher) que se encontre na posição de superior hierárquico ou de ascendência em relação à vítima, decorrente do exercício de emprego, cargo ou função. Sujeito passivo é a pessoa (homem ou mulher) que estiver ocupando o outro polo dessa relação hierárquica ou de ascendência, encontrando-se em posição de subalternidade em relação ao agente.

Mas e o mimimi feminista da cultura do estupro? Bem, isto é uma mentira absurda que foge da realidade completamente (como todo argumento de marxistas malucas como as feministas. Este povo sempre foge do mundo real). Inclusive tem feminista que quando é estuprada defende o estuprador desde que ele faça parte de um grupo tido como opressor por ela e anti Ocidente. Vejam aqui o caso da feminista europeia que defende o seu estuprador. Feminismo é fuga da realidade total.

Como bem diz o texto acima para haver estupro TEM QUE  HAVER PENETRAÇÃO SEM CONSENTIMENTO. Fim. O resto pode ser tudo MAS NUNCA VAI SER ESTUPRO.

Existem casos de assédio sexual que são outra coisa e a pessoa que pratica tem que estar em uma posição (no ponto de vista hierárquico) ou de ascendência em relação à vítima. Fim.

Cantadas vulgares e tudo o mais não são nada disso. Fim.

A mentira feminista da cultura do estupro não existe e é puro terrorismo psicológico feminista. Para revidar uma cantada vulgar basta ignorar. Se o cidadão ou cidadã (existe lésbica mil vezes pior no quesito vulgaridade na hora de cantadas vulgar) quiser insistir existem meios de constranger eles/elas.

Vejam mais aqui: https://br.noticias.yahoo.com/blogs/vi-na-internet/delegacia-registra-ocorr%C3%AAncia-estupro-por-pensamento-221511868.html

Casos de estupro e a juiza: Como o feminismo está destruindo o senso comum e o sistema de justiça.

Padrão

A juiza Mary Jane Mowat (mulher), 66 anos, que trabalhou em Oxford Crown Court até o início deste mês, disse que era difícil conseguir convicçõe em casos de estupro quando as mulheres não podima ter certeza do que tinha acontecido, porque tinha bebido demais. E as feministas entraram em desespero e vomitaram absurdos contra a juiza.

O senso comum, certo? Ela disse que os jurados foram confrontados com uma tarefa impossível quando um caso veio a palavra de uma pessoa contra a outra.

Suas palavras:
“É inevitável quando é a palavra de uma pessoa contra outra, e o ônus da prova é que você tem que ter certeza antes de condenar.

“Eu não estou dizendo que é certo estuprar uma mulher bêbada e eu não estou dizendo nem por um momento que é permitido tirar proveito de uma mulher bêbada.

“Mas os jurados estão em uma posição onde eles têm uma mulher que diz:” Eu estava absolutamente fora de minha cabeça, eu não consigo me lembrar o que eu estava fazendo, eu não me lembro o que eu disse, eu não me lembro se fiz sexo consentido ou não “.

Mas as feministas discordam. Eles adoram um Estado-babá e são incapazes de assumir a responsabilidade por qualquer coisa. Além disso, as feministas odeiam a lógica e o senso comum.

Fonte: Facebook Britain Politically Incorrect

_______________________________________________________________________________

MCF: Feministas mais uma vez negando o senso comum e a realidade. Preferem viver no mundo feminista marxista de fantasia e utopia. 

Não defendemos estupradores ou justificamos estupros pois como TODO MUNDO SABE ESTUPRO SEMPRE FOI CRIME. Postamos sobre isso no passado. O ponto aqui é: EVITE DE EXPOR A própria vida em casos de RISCO.

Se as pessoas gostam de ir a festas famosas por casos de estupros ou ambientes perigosos, estarão sujeitas a passar por esse tipo de coisa, principalmente se beberem demais como bem afirmou a juiza. Nada justifica o estupro e qualquer outro tipo de violência, mas é melhor prevenir do que remediar. Use de responsabilidade e evite de se expor em lugares ou ambientes deste tipo. Estupro é como qualquer outro crime: se a vítima facilitar o crime acontece mesmo e ideologia marxista nenhuma depois vai ajudar a vítima a superar os traumas de um estupor ou qualquer outro crime. Não deixe de viver mas previna-se. O mundo real muito difere do mundo feminista fantasioso. 

Podemos ir mais longe.  Não são as feministas que defendem o relativismo moral e afirmam que nada é certo ou errado? Crimes logo podem serem vistos como uma coisa “normal”? Certo, feministas?

Não são as feministas que defendem que homens devem ser acusados injustamente de estupro?

Não são as feministas que defendem a agenda esquerdista como o BBB Jean Wyllys faz e apoiam os “movimentos sociais e direitos humanos zzzzzz” que SEMPRE INOCENTAM O/A MARGINAL  se ele pertencer a um grupo visto marxistamente como “minoria social oprimida”?

Não são as feministas que querem destruir o modelo familiar? Antigamente, as mães e pais aconselhavam as filhas e filhos sobre isso e como evitar comportamentos de risco. Hoje, não se preocupam mais porque aconselhar e dar limites aos filhos virou “opressasummmm”.

Meditem.

 

Sexo de primeira: australiana descobre que tem Aids por mensagem de texto

Padrão

abby aids austrália vírus hiv

Neste mundo louco ” feminista, moderno, sem limites e vida louca” o bom senso acabou e quem o tem sofre perseguições. Feministas e outras filhas e filhos de Marcuse adoram meter o sexo em tudo. Pois bem…Babado novo: jovem australiana descobre que tem Aids por mensagem de texto.

“…..Uma jovem australiana viu o rumo de sua vida mudar após receber uma mensagem de texto de um homem com que estava saindo há duas semanas. Segundo o Daily Mail, Abby Landy, de Sydney, teria tentado terminar o relacionamento entre os dois por estar insatisfeita, ao que ele respondeu pelo celular “você vai se lembrar de mim para sempre”.

Landy contou que, depois de sair com o homem por duas semanas, percebeu que ele estava se tornando mais violento e ela tinha ficado doente. Por causa da mensagem e por ter tido sintomas – tais como herpes e resfriados, decidiu, aos 23 anos, fazer o exame para HIV. “Minha ginecologista disse que não era necessário o exame, mas insisti. Contei sobre a mensagem e disse que estava desconfiada”, contou……”

MCF: Esta menina da foto estava saindo com um cara HÁ DUAS SEMANAS, e na matéria o fato é citado como ”relacionamento” (hoje tudo virou relacionamento). Nos tempos de antigamente as pessoas se conheciam antes de fazer sexo e tudo o mais. Formavam famílias. Hoje se conhecem na internet, fazem sexo e…. pegam AIDS. E quanto mais promíscuo o meio pior. Pode ocorrem em héteros como aconteceu aqui ou no meio GLBT (muito mais promíscuo).

Resumo do caso do primeiro mundo da Austrália: a garota mal conhecia o escolhido e pelo fim da história, já relacionou-se sexualmente com ele, e pior, sem proteção alguma.  Estamos ou não, no século XXI? Sabemos ou não, dos riscos de doenças sexualmente transmissíveis? Para que tanta informação? É ou não, curioso que ao descobrir-se infectada pelo vírus HIV, a pessoa se mostra surpresa? É ou não, uma escolha que coloca a própria vida em risco de forma bem aparente?

Mas sabemos o que acontece com um pai ou mãe  que pedirem para o filho ou a filha se cuidarem. São chamados de “opressores”. Sabemos o que acontece com pessoas que lutam contra o agenda feminista esquerdista de Marcuse e seu relativismo moral que pregam que crianças tenham direitos sexuais pois isso é “moderno” e futurista. Sabemos o que acontece com pessoas que lutam contra a falta de responsabilidade pregada por feministas.

Pessoas, amigos, amigas, pais e mães serão chamado de “machistas, malditos, reaças, capitalistas, antiquados,  Amélias, mulheres machistas, etc”.

O caso em si é um exemplos dos dias de hoje. O cidadão foi um criminoso ao fazer isso com a garota. Ninguém discute isso. O que discutimos aqui é em pleno 2014 com informações sobre AIDS a rodo e com tanta mulher simpatizante do feminismo “poderosa, independente, mimimi” cair no conto feminista como se o mundo fosse um pedaço de terra hippie paz e amor (mentira) e sair transando PORQUE QUER com um cara que nem conhece e depois reclamar do leite derramado.

AIDS, estupros, crimes, assaltos e outras coisas deixam marcas na alma, no coração e as vezes no corpo. Previna-se, fique atenta. O mundo real é perigoso e nenhuma ideologia marxista como o feminismo vai proteger você disso.

Sexo no primeiro encontro: desmentindo o vitimismo feminista da blogueira do Feminismo sem demagogia

Padrão

Diapositiva1Hoje iremos desmascarar a blogueira do feminismo sem demagogia que fica chorando pelos cantos sobre sexo no primeiro encontro e fazendo vitimismo como se vivesse no Iraque.  Comentaremos o texto dela abaixo sendo o nosso em negrito.

….”Eu falei com vocês estes dias ae sobre Fazer sexo no primeiro encontro, e de como os homens usam de um moralismo absurdo para nos fazer prisioneiras de ritos completamente ultrapassados e que não tem o menor sentido.

MCF: Prisioneiras aonde, Verinha? Em que mundo você vive? Se hoje quisermos hoje fazer sexo no primeiro encontro igual aos homens fizemos e ponto. Inclusive crianças de 12 e 13 fazem sexo hoje e com o apoio dos movimentos feministas. Não achamos isso saudável mas vocês…acham lindo. Indo além  faz um bom tempo existe mulher que faz sexo com 2,3, 200 e com animais (incluindo porcos, cachorros e cavalos).  Vocês dizem que ninguém pode julgar e outras frases relativistas morais. O fato é : Ninguém é obrigado a ver com bons olhos as nojeiras que os outros fazem. Este é o fato que vocês não aceitam. Este rito completamente ultrapassado a que você se refere deixa a entender ser o casamento. Novamente, casa quem quer e ponto. Engraçado que vocês feministas ficam falando mal do casamento como “rito antigo” e tudo o mais mas querem que movimentos marxistas ligados ao feminismo (GLBTS) possam casar. Coerência parece ser a maior inimiga das feministas.

Muito homem veio dizer que “ah a mulher que faz sexo no primeiro encontro não é confiável, ela faria com qualquer um” como se a mulher estivesse fazendo sexo no primeiro encontro sozinha, como se o homem em questão não estivesse também fazendo sexo no (Pasmem) primeiro encontro.

MCF: Que inveja de homem, hein? Ah, como saber se este homem a que você se refere não é um cara idiota? Segundo a lógica feminista devemos liberar primeiro e conhecer depois a pessoa, certo? Vocês possuem a mais pura inveja dos homens e odeiam as mulheres bem no fundo. Por isso querem até fazer xixi em pé como se isso fosse mudar o mundo para a melhor. Vocês querem negar a realidade para viver no mundo de faz de conta.

A respeito disso eu queria dizer, sobre minha experiência pessoal, eu fiz sexo no primeiro encontro com meu ex marido. Nós passamos 7 anos juntos depois disso, EU FUI MONOGÂMICA DURANTE 7 ANOS, ele me traiu todos os dias da nossa relação.

MCF: Em resumo você é uma pessoa frustrada, amargurada e revoltada. Você se entregou para um cara que nem conhecia direito e de primeira. Você não conhecia ele e nem os valores dele (lembre, PRIMEIRO ENCONTRO) mas caiu no conto  da feminista “vadia e liberal” e se ralou. Agora a culpa é do planeta pois você não se precaveu e não foi responsável. Guarde a sua amargura para você. E por favor, sem vitimismo.

Quando a gente se separou e eu denunciei ele publicamente pela agressão fisica e anos de violência psicológica…..

MCF: Agora não é tão lindo se relacionar com quem a gente não conhece direito, né? Cade a mulher forte, moderna e vadia?

…muita gente veio me procurar para conversar e uma das amigas dele me disse “eu achava que vcs tinham uma relação aberta, por que durante todo seu namoro, eu ficava com ele. Quando te conheci pessoalmente que fui perceber que não, que não era aberta, e dai me afastei dele”. Este é só um exemplo das inúmeras traições deles a nosso compromisso de relação monogâmica.

MCF: Que legal rsrsrs. O cara traiu você mas como você é feminista vai condenar o cara que te traiu mas fica miguxa da mulher que transava com o seu marido que sabia do seu casamento e por ela ser mulher fica tudo na amizade. Feminismo é doença mesmo.

Os homens não querem que as mulheres tenham liberdade sexual por que isto é privilégio deles, eles não querem que desfrutemos disso também, é muito confortável para eles que a monogâmia seja imposta as mulheres, não é mesmo? Se fossemos usar o moralismo dos homens para escolher parceiros, poucos e raros.

MCF: Por favor sem vitimismo. Iremos repetir. Faz um bom tempo existe mulher que faz sexo com 2,3, 200 e com animais (incluindo porcos, cachorros e cavalos).  Sempre discordamos de como vocês querem “viver a vida louca sem regras e limites”. Vocês feministas sempre culpam alguém depois de sofrerem na pele consequências que a agenda doentia de vocês prega. Se auto proclamam  vadias e querem transar como cadelas no cio com qualquer um que nunca viram na vida sendo que já podem fazer isso. Mas isso não é o suficiente e depois de tanto liberarem pra geral fogem da responsabilidade dos próprios atos e escolhas que fizeram. Depois querem que todas hétero participem do lesbianismo político ou que filhos transem com os pais e irmãos (leiam aqui). Falam como se não julgassem outras mulheres e fossem santas quando julgam quem é contra o feminismo e desmascara o doentio movimento feminista e simpatizantes movimentos marxistas.

Muita opressão, né, Verinha? Ou o seu relativismo moral e feminismo te deixaram cegas. Olhe o resultado do mundo “viver a vida louca sem regras e limites” abaixo. Podemos ver aqui mulheres que abusam de animais porque querem. Ah, ninguém pode julgar nada  e “nada é certo ou errado” pois assim prega a ideologia feminista, lembra? Vocês feministas filhas de Marcuse apoiam as monstruosidades e depois se lamentam pelos cantos sendo feridas pelas idéias que tanto defendem.

PS: somos CONTRA QUALQUER MOVIMENTO QUE MALTRATE ANIMAIS OU MENORES DE IDADE e não escondemos atrás de relativismo moral como as feministas fazem.